fanfic
Capítulo : Capitulo extra.   


mel acordou sem saber ao certo onde se encontrava, as portas e cortinas estavam fechadas deixando-a sem saber se era noite ou ainda dia. fora entao que pulou da cama e abriu as cortinas da varanda, ainda era dia, voltou a olhar o quarto baguncado e as imagens daquela madrugava voltaram a sua mente, involutariamente sorriu com felicidade. sentia-se relaxada... deveria ter dormido por horas... desabou juntamente com duarte depois que fizeram amor pela segunda vez, oh so de lembrar mel estremeceu de desejo... diferente da primeira vez em que se amaram naquela madrugada, de modo selvagem, na segunda vez porem, amaram-se devagar, sem pressa... usufruindo lentamente do imenso prazer que um era capaz de dar ao outro.
duarte amou-a como se estivesse fazendo amor com ela pela primeira vez, como se o corpo jovem e tremulo de excitacao da esposa lhe fosse novidade. mel nunca o viu tao podesoso em suas investidas. penetrou-a de todas as formas, por horas duarte governou o corpo de mel, tornando-o submissa a seus caprichos. ivadiu-lhe nao so o corpo, mas a alma, dominou seus medos e fraquezas, ora gentil, ora mordaz, sabia quando tinha que ser leve quando tinha que ser rapido, sabia onde e quando tocar, sabia usar os dedos de uma forma que a enlouquecia...


duarte! onde ele se meteu? perguntou-se ela, pois, mesmo com todos os vestigios de que ele esteve ali, nao havia sinal dele naqele quarto, so a sua camisa jogada em um canto, que mel apanhou e a vestiu para cobrir sua nudez antes de ir a procura dele.


_duarte?_ chamou-o no escritorio, na sala, mas nada de duarte.


encontrou-o no lugar mais improvavel,na cozinha, de um modo completamente surpreendente, ele estava no fogao, mexia alguma coisa que mel nao conseguia ver por conta de sua corpulencia, estava sem camisa, deixando os musculos das costas a mostra, usava apenas uma calsa e estava descauso, tinha um pano de prato jogado sobre o ombro... mel nunca o viu tao sexy.


_que horas sao?_ mel entrou na cozinha protegendo os olhos contra a luz brilhante. duarte imediatamente se virou para olha-la. ela estava despenteada e vestia apenas a camisa dele, abotoada de maneira incorreta. duarte nunca a viu mais sexy.


_deve ser 3 da tarde. quer cafe?


ela acentiu e se deixou cair em uma cadeira.


 


_nao deveriamos estar almocando... ou quase jantando?


 


ao deixar a xicara sobre a mesa, duarte inclinou-se para beija-la.


 


_sim, mas  eu nao tive coragem de acorda-la quando despertei, entao resulvi deixar voce descansar bastante e desci para fazer alguma coisa para que comesse assim que acordasse ,pois , presumi que acordaria  faminta.  como sabe, a casa esta vazia,tudo o que encontrei foram alguns ovos, bacon, e geleia na geladeira. 


 


mel lhe sorriu, adorava-o sendo tao atencioso. 


_voce esta linda. se eu nao tivesse uma reuniao em uma hora....


_o que? precisa ir trabalhar?


ele riu.


_ tenho tentado pensar num meio de ganhar dinheiro e tocar as empresas enquanto fico em casa fazendo amor com voce, mas ainda nao conseguir imaginar nada._ duarte pos as toradas, os ovos e o bacon na mesa._quer geleia?


mel assentiu, ainda confusa e sonolenta, apesar do cafe.


_nao sabia que sabia cozinhar._disse servindo-se de ovos e bacon. _nossa que delicia!


_parece surpresa... _disse servindo-se tambem, divertido com a surpresa dela.


_onde aprendeu a cozinhar tao bem?


_ sempre gostei de saber de tudo um pouco. assim estarei pronto para quaisquer eventualidade.


_ate parece, sempre com mil pessoas prontas para te servir...


_acontece que nem sempre fico em hoteis quando viajo para fora,na cobertura de meus bancos costumo ter um apartamento, que, sim tenho empregados, mas as vezes tenho fome durante a madrugada quando viro a noite trabalhando e nao gosto de acordar ninguem as 4 da manha para me preparar algo para comer, entao eu mesmo vou a cozinha e preparo algo para mim.


mel estava fascinada. duarte era como feito em camadas, a todo o momento descobria mais coisas a seu respeito.


_cozinha muito bem._admitiu enfiando mais uma garfada goela abaixo. _acho que esse casamento tem salvacao!_brincou lancanco uma piscadela para ele.


_obrigado. _agradeceu enquanto hipnotizado assistia os movimentos da boca dela.


_duarte..._cora ela abaixando o olhar, sentindo seu corpo corresponder aquele olhar.


_talvez eu possa adiar esta reuniao...


mel gargalha, adorava o efeito que tinha sobre ele.


_sabia que..._comecou ele ponto o prato de lado e se aproximando dela._ provavelmente o seu sorriso, e o meu som predileto em todo o mundo?


duarte lhe deu um beijo na boca e mel alargou ainda mais o sorriso como uma crianca que ganha o melhor dos presentes numa manha de natal.


_sabe, eu estive pensando..._comecou ela timida.


_pensando em..?_duarte a incentivou.


_o que pretende fazer com esta casa? a historia sobre o leilao era so para me provocar ne?


_sim, nao... talvez... por que?


_bem, eu estava pensando... e se transformarmos esta mansao em um museu?


_num mudeu?_perguntou ele espantado.


_oh sim, um museu.. voce ajudou a construir a economia deste pais juntamente com o meu avo, na verdade temos muita historia para contar sendo que seu pai juntamente com o meu avo fundaram este banco, onde voce brilhantemente o fez ser o maior banco do mundo, que hoje opera em todo o mundo... sem contar que poderiamos expor fotos, historias, trofeus... premios...sei que desde que voce assumiu a presidencia esta empresa esta entre as cinco maiores e mais ricas do mundo. nao ha uma pessoa que nao ja ouviu falar sobre o nome sabatini ou leopardi, essas mansoes sao vistas de longe pelos turistas trazidos por seus guias, pois somos um "centro turistico" uma parada turistica.. ja imaginou se tivessemos um museu para os turistas e os habitantes locais? seria fantastico!


duarte a ouvia atentamente.


_parece uma otima ideia, mas... talvez desnecessaria. quem iria mostrar aos turistas a..


_eu._mel o interrompe entusiasmada._ uma leopardi.. e sabatini! oh por favor duarte... eu ficaria encantada em estudar sobre a nossa historia, expor as fotos pela casa... sem contar que sera um otimo jeito em manter a casa, em preserva-la para sempre. vovo adoraria esta ideia...


_mel.. eu viajo muito, e pretendo leva-la comigo as minhas viagens.. a minha mulher tem que ser minha mulher em qualquer cama em que me deite.


mel desanimou.


_ poderiamos abrir a casa somente no verao, que e onde recebemos a maior quantidade de turistas. por favor duarte... eu pretendia fazer faculdade de artes visuais e fotografia, e me ocupar com isso seria otimo enquanto voce estiver trabalhando..


ele nao parecia muito satisfeito, mas por fim sorriu.


_ ok. pensando bem, pode ser bom para voce se ocupar...


mel pula no colo dele tamanha era sua excitacao.


_obrigado, obrigado, obrigado..._repetia enquanto depositava varios beijos no rosto dele.


_ok, ok.. agora deixe-me ir trabalhar, e guarde este agradecimento todo para quando eu chegar esta bem?


radiante mel fez que sim com a cabeca.


_agora vamos, ainda tenho que tomar banho antes de ir para o banco e... pretendo fazer isto com voce, pois temo nao conseguir me segurar no banco ate o jantar.._disse com malicia.



Autor(a): luanna
PROMOVA A SUA FANFIC:



Capítulo Anterior  |  Próximo Capítulo


Comentários da Fanfic (144)


Comentários do Capítulo:


® Todos os Direitos Reservados - © Copyright 2011 - Política de Privacidade