fanfic
Capítulo : Capitulo 30  

Comenteeem












 


 


 


 


 



“Dulce!”
Annie chamou. “Venha para cá. Derick está enfiando uma derrota pela


minha
goela abaixo.”


     “Não posso,” eu disse ao Ucker.


     “Se  
eu   ganhar,”  ele  
disse,   como   se  
não   tivesse   intenção  
de   ser   recusado, “você dirá ao Derick que algo
surgiu. Você dirá a ele que não está mais livre hoje à noite.”


     Eu   
não   consegui    evitar; 
ele   era  arrogante   
demais.    Eu   disse, “E   
se eu ganhar?”


     Seus  
olhos   me 
vasculharam,   da   cabeça  
aos   pés.  “Eu  
não   acho   que  
temos que nos preocupar com isso.”


     Antes que eu pudesse me impedir, eu soquei
seu braço.


     “Cuidado,” 
ele   disse   em  
uma   voz   baixa. 
“Eles   podem   achar  
que   estamos flertando.”


     Eu   
senti   vontade    de  
me    chutar,   porque   
isso   era   exatamente      o 
que estávamos      fazendo.    Mas   
não  era   minha   
culpa  –  era  
do  Ucker.   Em  
contato próximo a ele, eu experimentava uma polaridade confusa de
desejos. Parte de mim queria fugir dele gritando, Fogo! Uma parte mais
impulsiva estava tentada a ver o quanto eu conseguia chegar perto sem... entrar
em combustão.


     “Um jogo de sinuca,” ele tentou.


     “Estou aqui com outra pessoa.” “Se dirija às mesas de sinuca. Eu cuidarei disso.”


     Eu cruzei meus braços, esperando parecer
severa e um pouco exasperada, 
mas   ao  
mesmo      tempo,    eu 
tive  que   morder   
meu    lábio  para  
me   impedir    de mostrar  
uma   posição   ligeiramente   mais  
positiva.  “O   que  
você   vai  fazer?  
Lutar com o Derick?”


     “Se chegar a esse ponto.”


     Eu tinha quase certeza de que ele estava
brincando. Quase.


     “Uma mesa de sinuca acabou de vagar. Vá
pegá-la.” Eu... te... desafio.


     Eu endureci. “Como fez isso?”


     Quando ele não negou imediatamente, eu
senti um aperto de pânico. Era 
real.   Ele  
sabia   exatamente   o  
que   estava   fazendo.  
As palmas   das   minhas  
mãos ficaram suadas.


     “Como fez isso?” eu repeti.


     Ele me deu um sorriso dissimulado. “Fiz o
quê?”


     “Não,” eu avisei. “Não finja que não está
fazendo isso.”


     Ele inclinou um ombro contra o console e
olhou para baixo para mim. “Diga - 
me o
que eu devo estar fazendo.”


     “Meus.... pensamentos.” “O que tem eles?”


     “Corta essa, Ucker.”


     Ele  
olhou   ao   redor  
teatralmente.  “Você   não  
quer   dizer  – 
falar   com   a  
sua mente? Você sabe o quanto isso soa doido, certo?”


     Engolindo  
em   seco,   eu  
disse   na   voz  
mais   calma   que  
consegui,  “Você   me assusta, e não tenho certeza se você é
bom para mim.”


     “Eu podia mudar você de ideia.”


     “Duuuulcee!” Annie chamou por sobre o
ruído de vozes e os bipes eletrônicos.


     “Me encontre no Arcanjo,” Ucker disse.


     Eu dei um passo para trás. “Não,” eu disse
impulsivamente.


     Ucker veio   atrás  
de   mim,   e   um   arrepio  
içou   pela   minha  
espinha.  “Estarei esperando,” ele
disse na minha orelha. Então ele deslizou para fora da arcada.




Autor(a):
PROMOVA A SUA FANFIC:



Capítulo Anterior  |  Próximo Capítulo

Comentários da Fanfic (630)


Comentários do Capítulo:


® Todos os Direitos Reservados - © Copyright 2011 - Política de Privacidade