Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Namorada de Aluguel A&D | Tema: Portiñon


Capítulo: 466

1748 visualizações Denunciar


* Era segunda-feira, horário do intervalo.
Priscila estava na sala dos professores lendo, distraída quando ouve chamarem seu nome. Quando ela levantou a cabeça viu Natália parada na porta, do lado de fora, enquanto que do lado de dentro um professor segurava a porta a olhando.



- Ela quer falar com você, Priscila. - ele falou, então ela se levantou indo em direção a porta.
- Oi. - Natália sorriu a olhando.


 



* Priscila não respondeu nada, apenas fechou a porta atrás de si, saindo da sala.


 


- O que você está fazendo aqui?
- Vim ver você, saber como você está....


 



* Priscila não respondeu nada, apenas a puxou pela mão pra se afastarem de onde estavam.


 


- Você não pode ficar vindo aqui, Natália, já te disse isso! - ela foi meio grossa ao falar.
- Por que?! Eu só sirvo pra falar com você quando você está bêbada??


 



* Priscila respirou fundo, não queria ter sido grossa com a menina.


 


- Não é isso, só que não é bom você ficar aparecendo assim..... Aqui eu sou a professora e você a aluna, podem falar...
- É isso mesmo ou você está fugindo de mim? - ela perguntou se aproximando um pouco de Priscila.
- Clar.....- Priscila parou de falar porque ouviram um barulho, as duas se assustaram e viraram o rosto na direção do barulho. 


 


* Encontraram Maite parada as olhando, Priscila não conseguiu falar nada e Natália revirou os olhos. Em seguida Mai saiu quase correndo dali, então Natália olhou pra Priscila que continuava estática ali.


 


- Já vai atrás dela? - Natália perguntou em tom de deboche. Priscila a olhou, mas não falou nada, saiu em seguida. Foi atrás de Mai mas ao chegar no pátio a viu conversando com um menino, os dois sorriam e isso a irritou- Viu! Você não aprende né?! - Natália sussurrou por trás dela, Priscila a olhou irritada e em seguida ela saiu.


 


* Priscila ficou olhando os dois conversando, Mai volta e meia a olhava, parecia que estava fazendo só pra provocá-la já que havia acabado de ver ela com Natália! Priscila a fuzilou com o olhar e logo depois saiu dali, não ía ficar vendo e dando confiança pra ela a provocar mas ficou com aquilo na cabeça. Por isso, um pouco antes do sinal bater ela voltou pro pátio e viu Mai se despedindo do menino e indo em direção ao banheiro, não perderia essa oportunidade de falar com ela, por isso foi atrás.
Por sorte o banheiro estava vazio.
Ela viu que Maite ainda estava de costas pois andava na direção de um dos reservados e não a tinha visto, por isso acelerou o passo e foi até ela.


 


- Quero falar com você. - a puxou pelo braço a fazendo se virar. 


 


 


- Que susto, Priscila!! - ela se virou meio assustada mesmo mas Priscila não estava nem se importando com isso- Me solta. - Mai puxou o braço de volta enquanto ía sendo obrigada a andar pra trás.
- Quero falar com você.
- Mas eu não tenho nada pra falar com você! - ela tentou sair mas mais uma vez Priscila a segurou pelo braço.
- Não fala então, só ouve! - Priscila a puxou na direção dos reservados. Mai tentava se soltar dela mas foi em vão. Elas entraram e Priscila trancou a porta.
- O que você está fazendo? - Mai a olhou quase em desespero.
- Pronto, agora você vai me ouvir. - Priscila se virou pra ela ao falar e Mai sem perceber ía andando pra trás, numa tentativa idiota de fugir, já que estavam trancadas dentro de um espaço minúsculo.
- Priscila, pára de palhaçada! Abra a porta. - ela olhou pra porta ao falar.
- Tá com medo? - Priscila foi chegando mais perto dela.
- Claro que não. - Mai não a encarava- Só...- Priscila a interrompeu.
- Olha pra mim. - Mai obedeceu e a olhou, não falou nada- Você está me devendo uma resposta.
- Que resposta?
- Por que você foge?
- Eu não fujo, você que não entende que eu não quero você!
- Ah, é mesmo?! E você quer quem, aquele idiota que você stava conversando lá no pátio? - Priscila falava com raiva pelo que acabou de ouvir, ciúme por tê-la visto com o menino e frustação de consigo mesma por ainda querê-la da forma que queria mesmo depois de tudo que já ouviu dela.
- Não viaja! Ele não tem nada a ver, é só...- Priscila a cortou de novo completando sua frase.
- Um brinquedinho pra você também...


 


* Mai a olhou, queria gritar que "não", que não era nada disso, mas não podia fazer isso sem se entregar, porque ela iria querer explicações que ela não poderia dar. Por isso, escolheu o silêncio.


 


- Essa conversa já deu, eu vou emb...- ela tentou sair mas Priscila mais uma vez a segurou. 
- Você não vai nada! - a empurrou com certa violênica na direção da parede e foi pra cima dela- É disso que você gosta? Brincar com os outros?


 


* Priscila falava a segurando pelos cabelos, Mai tentava se debater mas Priscila foi mais rápida e a beijou. Um beijo com raiva, de quem queria descontar toda a frustação, impotência diante disso tudo e porque não dizer, a saudade também. Maite tentava se afastar dela no beijo, a empurrando, mas Priscila a pressionava forte, no estado que ela tava, não pararia aquele beijo de forma nenhuma.


 


- É disso que você gosta? - sussurrou no ouvido dela distribuindo beijos molhados e ferozes, mordidas e chupões- Ser tratada como uma qualquer? É isso que você quer?
- Priscila, me solta! - ela tentava empurrar mas a verdade é que estava travando uma luta interna, por isso não era muito convincente.
- Por mim, tudo bem...- Priscila mordia a pele dela deixando tudo vermelho, por onde passava mas não estava nem aí, queria ferí-la, assim como ela a feria com suas palavras- Se é isso que você quer, posso te tratar como um cachorra! - ela usava uma voz cafajeste e Mai já se arrepiava com os toques dela, sua perna entre as dela fazendo pressão, as puxadas no seu cabelo, mas se segurava pra não gemer ou pra ela não perceber nada.


 


* Priscila subiu uma das mãos até um dos seios dela e apertou.


 


- Aposto que já tá molhadinha né sua cachorra?
- Me sol...ta...- Mai já ofegava apesar de tentar não fazer.
- Vadia!


 


* Priscila sussurrou ao mesmo tempo que desceu uma das mãos na direção da calça dela, abriu com violênica e enfiou a mão por dentro da sua calcinha, apesar de Mai se remexer pra tentar evitar o contato. Mas quando ela deslizou as mãos, a morena apertou forte os olhos contendo um gemido.


 


- Tá louca pra me dar né, vadia?! Pode deixar que eu vou te comer e você vai gozar como sempre fez, gemendo igual uma puta!


 


* Mai desistiu de lutar quando sentiu os dedos dela entrando em seu sexo, Priscila deslixou os dedos facilmente, pois como ela disse, Maite estava super molhada. A morena apertava seu ombro, estava de olhos fechados. Mai desistiu de lutar quando sentiu os dedos dela entrando em seu sexo, Priscila deslixou os dedos facilmente, pois como ela disse, Maite estava super molhada. A morena apertava seu ombro, estava de olhos fechados. Priscila a penetrava forte, adicionou mais um dedo enquanto Mai a apertava, então Priscila com a outra mão a puxou pela bunda, apertando o que a trouxe mais pra si, em seguida deslizou a mão sobre a calça dela na direção entre as duas nádegas e deslizou de cima pra baixo, Mai gemeu mais intesamente a apertando.


 


- Rebola pra mim gostosa! Rebola....vai, me deixa louca Mai!


 


* Ela obedeceu, rebolando no dedo dela, Priscila pressionou seu clitóris com o dedo. Mai se segurava muito pra não se descontrolar.
Priscila sabia disso, por isso aumentou o ritmo, sabia que mai estava prestes a gozar e então diminuiu o ritmo, de sacanagem mesmo.


 


- Continua...- Mai pediu com a voz abafada colada ao ombro de Priscila.
- Pede.
- Vai logo, Priscila!
- Fala! - Priscila queria vê-la falar que a queria, mesmo que fosse só pra satisfazê-la na hora do sexo.
- Por favor, me come! Me fode!


 


* Priscila sorriu ao ouví-la dizer mas ela estava de cabeça baixa e Priscila queria que ela a olhasse nos olhos ao dizer, queria ver aquela marra dela cair diante de sues olhos.


 



- Você quer? - perguntou sussurrado ainda.
- Quero. 


 


* Elas estavam meio abraçadas ainda, por isso Priscila se soltou dela e Mai apoiou a cabeça na parede, de olhos fechados. Tentava se controlar.
Priscila a pegou pelo cangote aproximando seus rostos.


 


- Fala então, Maite!
- Já falei....vai, por favor....- Mai abriu os olhos ao dizer, mas Priscila queria mais, por isso ameaçou tirar os dedos de dentro dela. Na hora, Mai segurou sua mão- Não! Por fav...or.
- Então fala!!


 


* Mai a olhou e a segurando pela nuca, com os rostos colados, ela susssurrou.


 


- Me faz sua...


 


*Priscila a olhou nos olhos por alguns segundos. De repente, ela via ali não a Mai de antes, mas pelo menos, ela viu uma garota com os olhos brilhando que transparecia sinceridade, sentiu um pouco de carinho na voz dela, um resquício do que ela tinha antes e isso foi o suficiente pra fazer ela amolecer um pouco. Voltou a deslizar os dedos porque ela ainda a queria, queria sentir ela gozando, sua mão melada, mas não queria mais puní-la, nem mesmo sentia mais aquela raiva.
Ela encostou a cabeça no ombro dela e continuou a penetrando forte enquanto distribuía beijos molhados e chupões pelo pescoço dela. Sentiu Mai tremer nos seus braços e sabia que ela tava gozando, por isso puxou seu rosto e a beijou. Primeiro, pra evitar o barulho e segundo porque estava querendo muito mais um beijo dela!
Finalmente a morena gozou intensamente nos dedos dela e elas pararam o beijo por falta de ar de Mai.  


 


* Priscila não ousou se aproximar ou se afastar, não queria fazer nada que a fizesse "acordar" e se afastar dali, por isso ficou da forma que estava. Mais alguns segundos e Mai abriu os olhos, as duas se olhavam intensamente, os rostos colados e Mai ainda a abraçava pelo pescoço. Priscila levou uma das mãos até o rosto da morena e então, tomou coragem pra falar.


 



- Eu...- mas Mai pôs o dedo na frente dos lábios dela, a impedindo de falar qq coisa. Em seguida as virou, encostando Priscila na parede e depois a beijou.


 



* O beijo, dessa vez, apesar de ser intenso, sensual e demonstrar como as duas se queriam, não tinha aquela raiva do beijo inicial. As duas desceram as mãos uma pra cintura da outra mas Mai foi mais ousada e levou a mão por dentro da blusa dela, puxou e a trouxe mais pra perto, depois levou uma das mãos até o pescoço de Priscila a puxando durante o beijo. Desceu os beijos pro pescoço de Priscila que a puxou pela bunda e então colou seus corpos, Priscila desceu os beijos pro pescoço dela também, passando a outra mão pelas suas costas, grudando as duas. Priscila arranhava as costas dela por cima da blusa.
Mai subiu uma das mãos e passou na lateral do seio dela enquanto distribuía os selinhos pelo pescoço, Priscila prendeu a respiração pra não gemer. Depois ela levou as duas mãos aos seios dela e os apertou com vontade, Priscila mordeu os lábios e Mai ficou louca com aquela visão, por isso desceu as mãos até conseguir entrar com elas sob a blusa, chegou até o sutiã dela e o afastando pros lados, ela tocou nos seios dela, apertando os bicos.


 



- Aii....não faz isso...
- Por que? - Mai beijava o pescoço dela- Não gosta mais?
- Sacanagem isso....- Priscila tentava se conter, morder o lábio e olhar pro lado.
- Quer que eu pare? - Mai sorriu ao perguntar. Aquele sorriso safado. Priscila a olhou com o mesmo sorriso.
- Vem cá. - Priscila a puxou pelo cós da calça, que ainda estava aberta, colando novamente seus corpos.


 


* Mai voltou a beijá-la na boca, o beijo rápido e urgente agora, enquanto Priscila desceu a mão que ainda estava no cós dela até que atingiu o interior da calcinha dela, a tocou no clitóris e Mai a apertou durante o beijo. Priscila conseguiu virar a mão e escorregar mais um pouco na direção do sexo dela e começou a sentir Mai ofegar no beijo e rebolar de leve no dedo dela.


 


- Não faz....- a morena pediu jogando seu corpo mais contra o dela.
- Por que? - Priscila sussurrou. Mai ainda tava com as mãos nos seios dela mas não apertava mais, pois tinha perdido um pouco da força.
- Porque eu quero você, agora. - ela disse isso e em seguida conseguiu arranjar forças e empurrou Priscila contra a parede, se livrando da mão dela- Fica quieta, que agora é a minha vez! - ela disse isso e em seguida foi na direção de Priscila, mas esta foi mais rápida e a segurou pelos cabelos evitando o beijo.
- Deixa eu ter você mais uma vez, quero te tocar, Mai.
- Não. Agora você fica quietinha....- ela soltou a mão de Priscila do seu cabelo e desceu as mãos até abrir a calça da outra.


 



* Priscila desceu as mãos e as deixou ao lado do corpo, não tinha nem forças pra ir contra ela, depois de tanto tempo a sentir assim, era demais pra ela. A morena abaixou um pouco pra tirar uma perna da calça de Priscila mas subiu rapidamente.


 



- Tira a sua também vai.....por favor... Deixa eu ver você, tem tanto tempo....- Priscila pediu a olhando, mordendo o lábio. 


 


* Mai a olhou por um tempo, tentava resistir mas também não conseguia. Queria muito e queria mais, quantas vezes elas aguentassem! Ela não disse nada, apenas se afastou um pouco de Priscila pra dar espaço pro que ela ía fazer, então a olhando foi abaixando lentamente a calça.
Priscila sorriu assim que viu e se arrepiou mais uma vez, principalmente quando ela abaixou a calcinha também. Chegou a respirar fundo a olhando, em seguida a puxou, sentou no vaso a colocando no seu colo, Mai passou as pernas pela sua cintura e Priscila forçou o quadril pra cima enquanto a abraçava, beijava e sugava seu pescoço.
Mai jogava a cabeça pra trás, Priscila aproveitou a posição e desceu uma das alças da blusa da morena pra conseguir chupar e passar a língua em seu seio, no outro ela apenas apertava e massageava. Mai se controlava pra não gemer mas estava difícil.



- Eu tô quas...e goza...nd..oooo....- ela sussurrou com dificuldades.
- Então goza minha linda, rebola gostoso pra mim, vai.... Vai, Maite! - Priscila agarrou ela pelo pescoço chupando seu pescoço- Me mela toda....
- Quero sentir voc..ê tam...bém...
- Só rebola mais um pouquinho que eu gozo com você!


 


* As duas aumentaram o ritmo e não demoraram muito pra gozar, mais uma vez se beijaram pra evitar o barulho.
Priscila estava abraçada a Maite, por isso sentiu quando ela se soltou dela e se levantou.


- Onde voc....- calou-se ao ver a posição dela. Estava ajoelhada a sua frente- Você vai....- mais uma vez se calou ao sentir a língua da morena no seu clitóris, em seguida escorregou pro seu sexo, começando a chupá-la.
- Mai.....ahhhh.....- ela guiava a cabeça da morena pra ir cada vez mais fundo nela.
- Quero seu gosto na minha boca! - Mai separou só pra falar, depois voltou a chupá-la.
- Chupa então, chupa tudo que eu vou dar pra você....


 


* Mai se arrepiou toda com o que ouviu. Agarrou mais uma vez nos quadris dela e aumentou o ritmo das linguadas, de vez em quando tremia a língua no clitóris dela ou então, mordia ou prendia o clitóris entre seus dentes. Priscila ía a loucura cada vez que ela fazia isso, por isso estava quase gozando.


 


- Ai vai Maiii....- ela ameaçou falar mais alto, mas então se lembrou e mordeu o lábio e a mão tentando se controlar- Iss...oooo....- ela sussurrava olhando pra morena a chupando, apertava o cabelo dela e forçava seu rosto contra seu sexo.


 


* Não demorou muito e ela gozou com as duas pernas sobre o ombro de Mai.
Apoiou a cabeça na parede tentando se recuperar, estava completamente sem fôlego. Mai tirou as pernas dela do seu ombro e as apoiou no chão, Priscila nem abriu os olhos, só quando ela percebeu que a morena estava há um tempo sem falar nada, quando a olhou, percebeu que ela já estava com a calça posta e fechava os botões.


 


- O que você está fazendo? 


 


 


- Tenho que ir. - Mai nem a olhou. Se ajeitou e virou de costas pra ela pra abrir a porta.


 



* Priscila não acreditava no que ouvia, mas de repente foi tomada de uma raiva e um nojo! De si mesma, pois se sentia uma puta, que havia acabado de fazer seu trabalho e agora seria deixada sozinha.


 



- Ah, imagino! Já gozou né, já se satisfez....agora já pode ir e me deixar aqui como se eu fosse uma mercadoria, afinal de contas eu não significo nada pra você mesmo! - Priscila se levantou irritada- Quer saber, Maite?! Você é uma vagabunda, não sei porque ainda me importo com você! Você não presta!! - elas estavam com os rostos bem próximos, Mai se irritou com ela a xingando, perdeu o controle e levantou a mão, mas antes do tapa atingir Priscila, ela segurou a mão da morena no alto. Estava vermelha quando falou- Você pensa muito bem antes de encostar essa mão em mim!! - soltou a mão dela com força.
- Você não tem o direito de me xingar assim e...- Priscila a cortou indo pra cima dela de novo, pois Mai estava quase encostada na parede.
- Não quer ser xingada? Então pára de agir como uma vagabunda! - Priscila ía abrir a porta quando Mai falou.
- Só porque eu não te quero, não faz de mim uma vagabunda!



* As duas estavam com raiva e falavam coisas pra ferir uma a outra.


 


- Você não me quer? - Priscila se aproximou dela a colando na parede, mas não a encostou em momento nenhum- Você me quer sim, Maite, se eu quisesse eu te pegava aqui e agora, de novo!
- Você pensa que eu sou o quê pra falar assim comigo?! - Mai tentou empurrá-la mas mais uma vez Priscila foi mais rápida, segurando seu braço e o apertando contra a parede.
- Eu sou a única pessoa que te deixa assim só de chegar perto! - Priscila olhou pra baixo e viu como o peito dela subia e descia rápido- Só que você é imbecil demais e tá jogando isso fora, eu só não sei o porquê ainda!!


 


* Priscila mais uma vez apertou forte o punho dela antes de soltar e sair do banheiro, a deixando lá sozinha.
Assim que se viu sozinha, Mai sentou no vaso, levando às mãos a cabeça. Estava se perdendo, não podia fazer isso, pois só tornaria tudo mais difícil, precisava se controlar mais mas quando ela chegava perto era impossível se conter.
Tentou se acalmar um pouco pra sair mas foi em vão, lágrimas começaram a banhar seu rosto e ela acabou se entregando ao choro. Se sentia impotente diante da situação e a cada dia sentia mais raiva da mãe pelo que estava fazendo com sua vida e a de Priscila, sabia que a ex não estava bem também. 


 


 


Dulce narrando:


 



- Complicadinho hein! - eu comentei.
- Pois é. Meio complicado mesmo. - uma garota falou se aproximou da nossa mesa mas juro, nem vi da onde ela surgiu- Ela podia ajudar né? - a menina disse olhando fixamente pra Julia, eu percebi porque estava ao lado dela e de frente pra menina, a Carol estava ao lado da menina mas meio de cabeça baixa, nem percebeu.
- É...é. - a Julia guaguejou e só assim a Carol levantou a cabeça.
- Será que brincar de medico ajuda a entender mais de medicina? - ela continuava encarando a Julia, e dessa vez foi uma direta nem indireta foi mais!
Ficou aquele silêncio e a garota encarando a Julia.
- Er.....eu....nã....o sei....
- Quando você quiser testar, me avisa. - piscou pra Julia e saiu de perto. A Carol ficou olhando pra menina, ninguém falou nada, estava todo mundo boquiaberto com a audácia da menina. Quando a Carol voltou a olhar pra Julia, eu abaixei a cabeça porque juro, estava pasma e com vontade de rir, nunca tinha visto tamanha cara de pau na minha vida!
- Eu não fiz nada. - a Julia se defendeu.
- Poderia ter dito algo diferente de "não sei" né, Julia?! - ela saiu muito puta da sala e a Julia me olhou.
- Que audácia, gente!
- Muita! - eu estava tentando me controlar mas não agüentei, acabei rindo- Desculpa, não consegui controlar, foi engraçado!
- Engraçado porque não é você que vai levar esporro né?! - ri de novo mas não era de sacanagem com ela, foi engraçado mesmo.
- Tá bom, parei. - prendi o riso porque ela ficou puta.
- Vou lá atrás dela.
- Tá. - fiquei lá sozinha pra fazer o trabalho. 


 


* Julia a achou sentada numa das várias cantinas que tinham na faculdade, foi naquela porque era a mais perto da sala, passou por ali pra falar a verdade.
Sentou na cadeira vaga, ao lado da namorada, pegou na mão dela que estava em cima da mesa.


 



- Eu sei que você tá puta mas eu não fiz nada. - Carol bufou tirando a mão do contato com a dela e se recostou na cadeira, cruzando os braços- Essa garota que é louca!
- Deveria ter falado que não!
- Eu lá vou dar assunto pra essa doida, Carol? Sei nem quem é ela!
- Mas pelo visto ela deve saber bem quem é você, né?!
- E eu tenho culpa disso? - Julia apontou pra si mesma, indignada.
- Deve adorar né?! - ela se levantou e bem na hora seu celular tocou.
- Carol, não surta! - ela não respondeu, atendeu o celular.
- Oi pai. - Julia bufou, revirando os olhos e se encostou na cadeira, esperando ela terminar a conversa- É aniversário do meu pai hoje e ele quer ir jantar em algum lugar. - ela não olhava pra Julia e continuava em pé.
- Nem sabia....
- Vai ser às oito horas! Vamos direto. - ela falou e Julia ficou esperando, não sabia o que ela queria que ela falasse- Você vai? - a olhou.
- É pra eu ir?
- Ele te chamou!
- E você, quer que eu vá? - Julia a olhou e Carol deu de ombros, não a olhando.
- Então eu não vou. - se levantou.
- Por quê? - Carol foi atrás.
- Porque pra você tanto faz!
- Pára de graça Julia! - ela puxou o braço dela.
- Você quer que eu vá? - insistiu e se aproximou um pouco.
- Sim. - ela disse e saiu em seguida, voltando pra sala. Julia entrou logo em seguida e Dulce não ousou perguntar nada- Vai ser às oito. - Carol falou pra Dulce que já sabia do que se tratava porque Gabriel já tinha comentado em casa, mas ainda faltava resolver o local e hora.
- Ok. - Dulce respondeu e desviou o olhar pra Julia que revirou os olhos. Resolveu ficar na dela e não falar mais nada. 


 


 


* Na hora da saída, Mai foi surpreendida quando Priscila entrou na sua frente. Ela ía na direção do ponto de ônibus com Chris e Rafa.


 



- Preciso falar com você. - Priscila parou na frente da morena.
- Não tenho nada pra falar com você.
- Bom, vou indo gente. - Chris falou e se afastou delas, sendo seguido pelo namorado. Mai tentou ir também, mas Priscila se postou na frente dela.
- A gente precisa conversar.
- Pra que Priscila? - Mai a olhou- Pra você me xingar de vagabunda mais um pouco ou pra me comer?
- Quem está me tratando assim, como uma qualquer, uma vagabunda é você.... Mas eu não vim aqui pra discutir com você.
- Veio pra que então? - Mai cruzou os braços a olhando.
- Vamos sentar ali pra conversar? - Priscila apontou pra um banco que tinha ao lado.
- Não vou sentar, estou bem aqui!
- Eu não te entendo, juro. Por que está fazendo isso?
- Não entende porque não quer, já disse várias vezes!
- Eu não acredito que você não me quer, Maite!


 


* Mai revirou os olhos.


 


- Aí é problema seu! - ela ía sair mas Priscila a segurou pela cintura.
- Me solta, Priscila!
- Não vou soltar! Olha pra mim. - ela pedia porque Mai olhava pros lados, evitando o olhar dela- Olha pra mim...- pediu de novo com o rosto no cangote dela- Mai...
- Que é? - finalmente a olhou mas tentando manter seu corpo o máximo de separação dela.
- Por que não me olha? Tem medo?
- Medo?! - Mai riu ironicamente- Por que eu teria medo?
- Não sei, talvez ache que não consegue resistir...- Priscila tentou aproximar seus rostos.
- Me solta Priscila, já disse! E eu não tenho medo de você, não tô nem aí pra você!


 


* Priscila sorriu e depois a olhou.


 


- Não é o que o seu coração acelerado diz...
- Me solta! - Mai a empurrou com raiva.
- Ok. Até porque estamos perto da faculdade.
- Tô indo embora! - Mai ía sair mas Priscila a puxou.
- Espera. Me responde só uma coisa.
- O que? - Mai se virou pra ela.
- Que você gosta de mim eu sei, porque senão não teria me beijado tantas vezes ou mesmo transado comigo, então.....qual é o problema? O que tem em mim ou o que eu faço que você não gosta? Que você não quer?
- Não importa Priscila, o que importa é que eu não quero!
- Importa. Pra mim importa! - ela se aproximou mais de Mai- Fala, o que é??


 


* Mai virou o rosto, não queria falar de novo, doía ficar falando essas coisas pra ela.


 


- Hein? Me diz! - fez-se um silêncio- É por que eu sou mulher?


 


* Mai a olhou.


 


- Também...
- E você não quer uma mulher, é isso? - Priscila ía se aproximando dela devagar. Mai a olhou ao falar.
- Naõ Priscila, não quero. Já te disse isso.
- Você quer um homem? - Priscila a olhou ao falar, as duas se encararam, doía em Priscila perguntar e ouvir aquelas coisas, mas ela precisava saber. Mai a olhou e depois de um tempo tomou coragem pra falar.
- Sim, quero um homem. Quero construir uma família, quero casar....quero tudo isso. - ela desviou o olhar ao falar- Não quero brigar pra ser feliz Priscila, não tô preparada pra isso, já te falei isso várias vezes!
- Mesmo que ninguém no mundo te ame mais do que eu te amo? - Priscila tocou na cintura dela ao falar, Mai a olhou. As duas estavam com os olhos lacrimejados- Ou que você saiba que nunca vai amar ninguém como me ama? - as duas se olhavam e Mai não tinha coragem de falar porque ía chorar, estava quase fraquejando.


 


* Viu seu ônibus chegando e viu ali a oportunidade de fugir e foi o que ela fez.


 


- Tenho que ir.


 


* Priscila ficou a olhando se afastar, sem saber mais o que dizer. 


 


 


Fomos direto da faculdade pro restaurante, a Annie nos encontraria lá.


 



- Tô com fome. Vocês não estão não? - falei com a Julia e a Carol pra tentar quebrar o clima chato que ainda estava. Como a Anahi não tinha chegado, estava com elas.
- Um pouco. - a Julia respondeu e a Carol nem nos olhou.
- Tá não Carol? - insisti.
- Não. - ela respondeu e bufou logo depois se encostando na cadeira.
- Bom, eu vou pedir o cardápio pra ir vendo.


 


Elas nem falaram nada, mas eu pedi e estava olhando o cardápio quando ouço uma voz conhecida. Era meu amor que entrava no restaurante, levantei a cabeça pra olhá-la. Linda, como sempre!


 


 


- Oi Gabriel, parabéns. - ela foi falar com ele, depois com minha mãe e o Bê- Oi meninas. - falou com as duas que estavam na minha frente.
- Oi. - responderam.
- Oi amor. - ela me deu um beijo no rosto e sentou ao meu lado, de frente pra elas.
- Oi. Demorou....
- Desculpa.
- Você vai querer comer alguma coisa? - eu estava com o cardápio aberto na minha frente- Estava te esperando pra pedir, tô morrendo de fome.
- Pode ser.
- O que você quer?
- Sei lá, escolhe aí. - estávamos olhando o cardápio quando ouço um barulho de cadeira arrastando, olhei e vi a Carol se levantando. Logo em seguida, a Julia bufou jogando a cabeça pra trás.
- Ainda? - perguntei porque achei que já estavam melhor.
- Aí, você que stava achando tanta graça, vai lá agora! - Julia me olhou ao falar e eu voltei a sorrir.
- O que houve, gente? - Anahi nos perguntou, sem entender nada.
- A Julia foi cantada descaradamente na frente da Carol hoj. - falei.
- Mentira?! - Anahi a olhou espantada.
- Mas eu não fiz nada.
- Fez sim, falou que não sabia. - voltei a sorrir ao lembrar. Ela revirou os olhos.
- Não entendi. - Anahi falou e a Julia foi explicar.
- Uma garota louca, lá da sala, que nem fala comigo aparece na mesa que a gente estava fazendo trabalho e me pergunta se brincar de medico é melhor pra entender medicina.


 


Juro, não agüentei, tive que rir de novo hahahahha. A Julia me olhou puta.


 



- Essa garota fica rindo cara! Que cacete Dulce, pára! - ela me tacou o guardanapo. Anahi me olhou.
- Ai, ai...- respirei fundo tentando parar o riso- Vou lá falar com ela, então. Já venho. 


 


Ela estava na varanda do restaurante, me aproximei e acho que fez barulho porque ela se virou pra trás e me viu, mas depois voltou a olhar pra frente.


 



- Pára, vai Carol. A garota não fez nada.
- Bebeu Dulce? Tá drogada? - ela se virou cruzando os braços.
- Eu não. Por quê?!
- Pra você estar defendendo a Julia....
- Só não estou sendo injusta, ela não fez nada dessa vez.
- Deveria ter dito não pra garota!
- Mas ela não disse nada, Cah, ela ficou em choque. Aliás, confesso que eu também....- sorri.
- Tô com vontade de socar a cara daquela lambisgóia!!!
- Tá. Então, amanhã eu te ajudo. Agora volta lá que a sua namorada está te esperando e eu tô morrendo de fome, quero comer....- ela me olhou e riu.
- E por que não vai?
- Tô indo. - peguei no braço dela- Mas você tem que ir comigo.
- Por que? - ela me olhou e já tínhamos dado uns passos pra fora da varanda.
- Pra você não morrer de saudades de mim....- ela me olhou e eu ri, ela acabou rindo tbm e voltamos. A uns passou da mesa, eu sussurrei no ouvido dela- Sério, pára de brigar com ela, ela não fez nada não. - pisquei pra ela e fui me sentar ao lado da Anahi, ela sentou ao lado da Julia mas não falou nada, ficou aquele silêncio- Já escolheu, amor? - perguntei pra cortar o clima- Tô morrendo aqui. - Anahi riu.
- Então pede o que você quiser que eu como.
- Ok. - fiquei olhando o cardápio e me resolvi- E vocês, já pediram? - perguntei pras duas.
- Nem olhei ainda. - Carol.
- Então olha. Mas eu não vou esperar não senão eu desmaio aqui. - chamei o garçom e a Anahi e a Julia riram, a Carol continuava emburrada.


 


A gente tentava puxar assunto com a Carol mas ela continuava emburrada, sem falar com a Julia. Então conversamos entre nós ou com as outras pessoas, nem quando o Bê ficou com a gente, ela melhorou.
Não demoramos muito no restaurante, afinal era segunda-feira ainda, cerca de meia-noite estávamos em casa. Voltamos nós quatro no carro.


 



- Amor, não vou poder ficar aqui não tá?
- Tudo bem...
- Bom, boa noite pra vocês, vou lá. Brigada pela carona Anahi. - Carol.
- Nada. Boa noite. - ela saiu do carro.
- Também vou. Valeu gente. - Julia.
- Tchau. - nós duas falamos e ela saiu.
- Carol é cabeça dura! - falei a olhando.
- Tá, até parece, se fosse você, já estaria me batendo há muito tempo hahahah. - eu ri mas não falei nada.
- Tá, esquece elas e me da um beijo então pra não ficar tarde pra você ir. - falei já a puxando pelo pescoço.


 


Nos despedimos com alguns beijos, nos despedimos umas três vezes hahaha até eu deixá-la ir. Quando eu entrei não tinha mais ninguém na sala. 


 


 


* Um pouco antes....


 



- Vai dormir aí, Julia? - Fátima perguntou.
- Não, já tô indo.
- Boa noite então. - Fátima.
- Boa noite. E parabéns de novo, Gabriel.
- Brigado. Boa noite pra vocês, e filha, vê se não fica até tarde acordada.
- Ok, pai.


 


* Eles subiram, deixando só as duas na sala.
Elas estavam uma de frente pra outra, Julia entre Carol e a porta, mas não estava encostada. Mas Carol não a olhava.


 


- Eu não quero brigar com você.....por isso. - Julia tentava a olhar mas ela não a olhava. Carol suspirou.
- Acho melhor a gente não ter essa conversa aqui. É melhor subirmos.
- Por que?
- Porque aqui alguém pode aparecer. Pode ser lá fora também, se você preferir. - a olhou ao dizer isso.
- Não, vamos pro seu quarto. Lá fora tá frio.
- Ok.


 


* Elas subiram em silêncio até o quarto de Carol, Julia entrou por último. Fechou a porta e antes de dar tempo de Carol fazer alguma coisa, ela se adiantou a abraçando por trás, não a deixando se afastar muito.


 


- Pára, não briga comigo...
- Não foi pra isso que a gente veio aqui. - Carol falou tentando tirar os braços dela da sua cintura.
- Foi sim! - Julia apertou mais os braços- Amor, eu sei que você ficou puta e que está com ciúme, mas eu não tive culpa. Não vamos brigar vai, você sabe que eu só quero você.


 


* Agora Carol se virou, a olhou.


 


- Por que não foi mais enfática então?! Por que não falou não pra ela?!
- Porque eu não esperava, me desculpa.... Eu fiquei surpresa.
- E por que ela foi falar justamente com você??
- Eu sei lá Carol, eu não conheço ela, nunca vi!!
- Não conhece mesmo? - Carol a olhou nos olhos pela primeira vez.
- É claro que não! - Julia elevou um pouco a voz, as duas ficaram se olhando- Você não acredita em mim? Acha que eu tô mentindo? - perguntou sem acreditar no que ela estava vendo no olhar da namorada.
- Não seria a primeira vez que você mentiria...- Carol falou baixando a voz e colocando as duas mãos no bolso.


 



* Julia a olhou por um tempo sem acreditar naquilo! Sem acreditar que ela estava jogando aquilo na cara dela de novo!


 



- É Carol....não seria....- ela ficou tão puta e decepcionada que nem falou mais nada. Iria embora.
- Onde você vai? - quando Carol percebeu ela já estava com a mão na maçaneta.
- Eu vou embora. - falou calma sem a olhar. Carol foi até ela.
- Vai fugir já?? - a puxou pelo braço.
- Não tô fugindo, só não vou ficar aqui. Pra quê?? Você não acredita em mim mesmo!!
- Pode me culpar?! Você já mentiu uma vez, quem garante que não vai mentir de novo??
- Ninguém garante Carolina, ninguém!! - Julia elevou a voz agora, se irritando.
- Fala baixo!


 


* Julia respirou fundo tentando se acalmar.


 


- Pode deixar que você não vai ouvir mais a minha voz não! Tchau, tô indo. - ela tentou abrir a porta mas Carol segurou na sua mão antes que ela fizesse isso- O que você quer?! - Julia a olhou. Ela estava de lado, encostada na porta e com a mão na maçaneta e Carol de frente pra porta tentando segurar ela.
- A gente está conversando, você não vai embora!
- O que mais você quer? Vai jogar mais o que na minha cara agora??
- Não tô jogando nada na sua cara, mas você não pode me culpar de achar estranho.....você já fez uma vez!
- Só que era diferente!! Ano passado era diferente!
- Qual a diferença?
- A diferença é que eu te amo, sua idiota! - Julia estava vermelha de raiva já- Não quero ninguém!
- Não amava naquela época? - Carol perguntou abaixando um pouco a voz.
- Sim, mas eu não sabia que era tanto. Naquela época eu escondi as coisas de você porque eu tinha medo de te perder, vergonha do que você ía achar de mim mas foi só quando eu te perdi mesmo que eu percebi o quão loucamente apaixonada eu estava por você! - Juia falou tudo a olhando nos olhos, com raiva ainda e principalmente magoada com tudo que ouviu da boca da namorada.


 


* Carol não pensou duas vezes, ao ouvir aquela declaração toda agarrou Julia pela nuca forçando seu corpo contra o dela e a virando até que ela encostasse o corpo na parede. Com uma mão, ela a prendia pela nuca forçando sua língua na dela, a outra mão ela desceu pra cintura apertando. Julia levou um susto, surpresa pelo beijo mas acabou correspondendo. Carol a puxou pela cintura pra conseguir abraçá-la, já que antes ela estava colada na porta, Julia nesse momento pareceu acordar e a empurrou.


 


- Não. Pára.
- Que foi? - Carol perguntou mas sem soltá-la.
- Você acabou de falar que não confia em mim. Não quero assim.


 



* Carol a abraçou pelo pescoço, grudando seus corpos de novo.


 


- Eu te amo...- sussurrou passando os lábios nos dela- Desculpa...- levou seus lábios ao ouvido dela, agora.


 


* Julia suspirou. Ter ela tão perto assim não era fácil de resistir, mas tbm não cederia tão fácil, as palavras de Carol a haviam magoado.


 


- Eu fiquei morrendo de ciúme, por isso falei aquelas coisas....


 


* Julia a afastou um pouco de seu corpo, pra poder olhá-la.


 


- Você confia em mim, Carol? Acha que estou mentindo pra você? - olhavam-se nos olhos.
- Confio, amor, claro que confio. Eu só....- ela abaixou a cabeça- eu perdi a cabeça. Fiquei com raiva, nem pensei direito nas coisas que eu disse.
- Deveria. Porque magoam.
- Me perdoa? - Carol se aproximou dela de novo, colando seus lábios mas num selinho- Eu te amo. Só perdi a cabeça por causa disso, por causa daquela idiota! Se você soubesse a vontade que eu tô de socar a cara dela.
- Hahahah. - Julia gargalhou e Carol a olhou irritada- Boba! - Julia a puxou pela cintura, batendo os corpos- Eu só quero você, você não sabe disso?
- Mas ela ficou te olhando....- Carol falou fazendo bico.
- Não pode? - Julia perguntou com um sorriso, a boca das duas se roçava.
- Não, você é só minha! - Carol falou autoritária mas Julia achou muito fofo, sorriu mais uma vez e a beijou.


 



* Julia a segurava pela cintura com um dos braços, o outro levou até suas costas a mantendo presa a si. Carol também a abraçava pelo pescoço e o beijo foi ficando cada vez mais intenso, as duas foram ficando sem ar.


 


- Acho que vou ter que mentir pra Fátima...- ela sussurrou assim que separaram os lábios.
- Por que? - Carol não entendeu nada, ainda sentia os efeitos do beijo trocado.
- Porque eu não quero te largar aqui. Quero ficar com você.


 


* Carol sorriu a puxando pela cintura, a afastando da porta.


 


- Você não é nem louca de ir embora agora!
- Ah não? - Julia sorriu abraçada a ela e se deixando levar.
- Não! - Carol a rodou, deixando ela de costas pra cama agora. 


 


* Deram mais alguns passos até que Julia sentiu seus joelhos baterem na cama. Carol a empurrou e as duas caíram na cama rindo.


 


- Shh. - Carol disse subindo na cama e ficando por cima dela, o sorriso de Julia foi morrendo conforme a boca da namorada se aproximava da dela. 


 


 


* O beijo começou e logo elas o aceleraram. Carol enfiou as mãos por dentro do cabelo da namorada pra acelerar o beijo, Julia fez o mesmo e em seguida desceu suas mãos pras costas dela, levou às suas costas, por baixo da blusa, provocando alguns leves arranhões, em seguida ela puxou a blusa que Carol usava a tirando por completo. Depois foi Carol que fez o mesmo com a blusa de Julia e foi descendo o corpo, distribuindo beijos pela pele dela até chegar em sua calça e a tirar tbm junto com sua calcinha.
Julia a virou, retirou seu sutiã e tirou a roupa de Carol também, em seguida deitou sobre ela entre suas pernas e com os sexos em contato elas gemeram pela primeira vez. Julia botou o dedo nos lábios dela pra ela se controlar mas não parava de rebolar sobre ela, com uma das mãos ela apertava os seios de Carol que a arranhava as costas. carol enlaçou as pernas na cintura de Julia.


 



- Ahhh Juuu....vai! Mais forte!
- Assim? - Julia aumentou o ritmo das reboladas. Sussurrava sugando seu pescoço.
- Isso amor! Ahhh...
- Geme pra mim!! Vai gostosa! Rebola!
- Aii Juu....ahhhh....amooorrrrr.....
- Goza amor!
- Goza comigo?
- Gozo.....ahhhh.....gozooo......aii Carolll, vaiii amor, ahhh.....assimmmmmm....


 



* As duas gemiam tentando se controlar. Se beijaram pra evitar que os gemidos chegassem fora do quarto. As duas gozaram ao mesmo tempo enquanto ainda se beijavam.
Depois de recuperadas, Julia rolou pro lado puxando Carol pro colo dela.


 



- Eu te amo, garota!
- Eu também. - Carol levantou a cabeça pra olhá-la ao falar.
- Então pára de bobeira! Eu sou só sua....


 


* Carol sorriu toda boba ao ouvir isso e a beijou.
Alguns minutos depois as duas dormiram, cansadas.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): srtac

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).

- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

* No dia seguinte na hora do intervalo, assim que Mai voltou pra aula percebeu algo sobre seu fichário. Achou estranho porque antes não tinha nada ali, mas não tinha remetente nem nada, sentou e abriu.Era uma carta, ela reconheceu a letra e começou a ler, aproveitou que seus amigos não estavam ali.   " Mesmo que você não ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 166



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • annie_ayd Postado em 24/07/2017 - 23:45:58

    Boa noite pessoal! Como havia prometido comecei a postar minha nova história no site "Lesword". Não é a continuação dessa porém é AYD, estou deixando o link aqui pra vcs como prometido... Espero que curtam! Bjsss

    • tammyuckermann Postado em 26/02/2021 - 22:30:45

      Vc posta fic no spirit ou Wattpad?

    • tammyuckermann Postado em 26/02/2021 - 22:30:44

      Vc posta fic no spirit ou Wattpad?

    • belvondy Postado em 19/08/2017 - 22:53:52

      Posta a segunda temporada vai

    • annie_ayd Postado em 24/07/2017 - 23:46:56

      O link: http://www.lesword.com/capitulo-1-outubro-2010/ O nome da história é: A verdadeira história de Anahi e Dulce....(?)

  • annie_ayd Postado em 22/06/2017 - 21:33:06

    Oi gente! Tudo bem?? Tô com a primeira temporada da web ayd pronta, e já até escrevendo a 2ª temporada porém preciso de tempo para a dividir em capítulos 😞 Mas eu aviso quando tiver feita, espero que logo!!! Beijos

    • belvondy Postado em 17/07/2017 - 15:11:28

      Nossa que legal!Lembro quando você escrevia pro Orkut,eu era uma das meninas que ficavam Vai posta mais....Por favor!acompanhei tudo da primeira temporada e estou muito empolgada esperando a segunda.Posta logo!Não quero que elas percam esse jeito ciumento delas kkkkk bjs!Até mais!

  • juhfer Postado em 19/04/2017 - 22:42:52

    já li umas 3 vezes essa história.... amaria uma segunda temporada, pfvr autora prossiga <3

  • annie_ayd Postado em 18/03/2017 - 12:27:43

    Boa tarde pessoal! Sou a autora dessa web, tô com a web que falei (a&d) praticamente com a primeira temporada completa e tô com a ideia de talvez uma segunda temporada pra essa.... Alguém interessado? Bjs

    • annie_ayd Postado em 22/06/2017 - 21:32:33

      Oi gente! Tudo bem?? Tô com a primeira temporada da web ayd pronta, e já até escrevendo a 2ª temporada porém preciso de tempo para a dividir em capítulos &#128542; Mas eu aviso quando tiver feita, espero que logo!!! Beijos

    • samarab1002 Postado em 09/05/2017 - 09:29:19

      Pelo amor de Deus, posta qq coisa q eu leio!!! Adoro a forma q vc escreve, vou adorar qq coisa q queira postar, basta dizer onde vai publicar!!!

    • jeeoliveira Postado em 22/03/2017 - 08:43:00

      uma segunda temporada para essa seria incrível e uma nova historia tbm... Li a historia inteira em 2 dias e amei, o amor que os casais tem é algo magico

  • juhhdm Postado em 30/08/2016 - 22:01:10

    eu vi o comentário dela de mais de ano atrás, ela perguntou se gostaríamos de ler outra história, mas não deixou o link :( eu leria até mesmo se fosse com outros personagens, nem precisava ser ayd sabe... se ela não quisesse postar aqui ok, em qualquer site eu acompanharia, inclusive daria como sujestão o site ''lettera'', mas infelizmente ela sumiu... :(

  • juhhdm Postado em 30/08/2016 - 21:56:46

    fic maravilhosa!!!! amei demais! gostei até da parte da mai com a priscila. a história delas foi bem escrita e envolvente! as partes de ayd nem preciso falar mt, amava principalmente as partes de ciumes (principalmente quando era a anahi com ciumes hahaha). Minha única crítica: queria uma continuação, queria ver a continuação da lua de mel delas e a vida de casadas, parece ter ficado inacaba, apesar da grande quantidade de cap's, mas..... :( PS: essa autora merece infinitamente ser enaltecida, e uma pena que ninguém aqui tenha algum contato com ela, pq eu queria mt ler uma próxima fic dela.... ela escreve tão bem, eu fiz essa conta só pra comentar essa fic poxa :/

  • dashneerblai Postado em 21/03/2016 - 22:12:44

    Onde vai chegar? (Portiñon) #wattpad http://w.tt/25h5d89 Onde vai chegar? (Portiñon) #wattpad http://w.tt/25h5d89

  • giovannamaria Postado em 13/03/2016 - 22:39:42

    Sim, vou reler essa web

  • tammyuckermann Postado em 11/11/2015 - 18:18:07

    Passa o link Annie tbm quero ler...

  • victorianegreiros Postado em 22/10/2015 - 15:17:35

    Onde acho sua outra fanfic, Annie? Manda link, por favor. :D



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...