Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: - Mentiras | Tema: AyA


Capítulo: Capítulo - CDXLI

477 visualizações Denunciar


William estava na casa da Maite quando Anahí ligara desesperada para sua melhor amiga, sem saber o que fazer e assim que ela explicara o que havia acontecido os dois foram ao seu encontro, preocupados, tanto com ela, que estava apavorada, quanto com Clara.


- O que aconteceu? – Alfonso perguntou ao se aproximar de William. – Onde está a Anahí?


- Anahí está na sala de espera junto com a Maite e a Helena...


- E as crianças? – Ele perguntou, precisava de uma resposta.


- Enzo está com a Anahí. – Respondeu William, sem saber como contar aquilo para Alfonso. – Clara teve um choque anafilático...


Depois disso Alfonso não conseguira escutar mais nada do que William lhe dissera, apenas saíra correndo até a ala infantil e assim que puxara no sistema o prontuário de Clara, se desesperara, a pequena tivera um choque anafilático e demorara para receber a primeira dose de epinefrina, o que havia dado tempo o suficiente para que sua traqueia se fechasse e ela não conseguisse respirar, por isso fora necessário uma intubação endotraqueal.


Alfonso levou suas mãos em seu rosto sem saber o que fazer, ele se sentia perdido e tudo piorara quando ao tentar entrar no leito de Clara, fora impedido pela dra. Ximenez, chefe da pediatria.


- Você não pode me impedir de entrar. – disse Alfonso para a chefe da pediatria que estava parada na porta do leito, impedindo Alfonso de entrar.


- Ela pode. – disse o dr. Harris que junto com William, puxara Alfonso para longe do leito. – Você precisa se acalmar...


- O que eu preciso é ver minha filha! – Alfonso o interrompeu.


- Alfonso a equipe já está sob pressão, todo mundo sabe que não é qualquer paciente que está naquele leito, eles sabem o quanto eles têm a perder, por isso apenas os melhores estão nesse caso, não os deixe mais nervosos do que eles já estão. – disse Harris, que junto com a dra. Ximenez, se encarregara de conseguir a melhor equipe para cuidar de Clara, já que ele sabia que a única coisa que faria com que ele voltasse a ter prestigio com os Herrera Rodriguez, séria cuidar da pequena Clara.


William puxara Alfonso até a sala de espera VIP, onde Anahí estava sentada no canto, junto com Maite e Helena que tentavam tranquilizá-la e Enzo estava sentado em uma pequena mesinha, desenhando, sem entender direito o que estava acontecendo.


- Como isso aconteceu? – Perguntou Alfonso, tentando encontrar uma resposta.


- Isso agora não importa... – Helena tentou amenizar a situação.


- Quem foi o imbecil que deu amendoim pra ela? – Ele perguntou, acabaria transformando toda a sua preocupação em raiva.


- Alfonso, isso realmente não importa, o importante é que agora ela está aqui, está sendo medicada, estão cuidando dela... – Maite se levantou para tentar acalmar Alfonso.


- Eu sinto muito. – Isso fora tudo o que Anahí conseguira dizer, tremula, apavorada pelo que poderia acontecer e ainda se lembrando da cena de ver Clara caída com falta de ar.


No caminho de seu trabalho até em casa, Anahí ficara com desejo de comer chocolate com amendoim, por isso passara em um mercado e comprara uma barra, a qual começara a comer assim que entrara em casa; como seus pés estavam inchados, ela jogou o chocolate na mesa junto com a sua bolsa e subira as escadas para trocar de sapato, fora quando escutara Clara gritando que iria comer o chocolate que estava na mesa, mas quando ela se lembrara que Clara tinha uma forte alergia a amendoim, já era tarde e a pequena já estava com o rosto vermelho e dificuldade para respirar quando Anahí descera as escadas correndo.


Anahí não sabia o que fazer, havia se apavorado, por isso gritara por Helena que estava na cozinha, mas que demorara buscando pela caneta de epinefrina de Clara, a qual sabia que Alfonso deixava no armário da cozinha. Quando Helena chegara com a caneta de epinefrina, Anahí já estava ligando para a ambulância, desesperada.


- Alfonso eu realmente sinto muito. – Dissera Anahí, mas Alfonso não dissera nada, apenas balançara sua cabeça negativamente e fora se sentar na outra ponta da sala, sendo seguido por William.


Anahí fizera menção de segui-lo, mas quando ele a olhou nos olhos pela primeira vez desde que chegara, ela soube que não deveria se aproximar.


- Eu sei que não foi intencional, sei que você também deve estar mal com isso, mas você não pode me culpar por eu não querer falar com você agora. – Dissera Alfonso.


O tempo parecia passar devagar, Alfonso estava impaciente, se sentia impotente sabendo que não havia nada que ele pudesse fazer naquele momento, apenas esperar até que um dos médicos viessem lhe dar alguma notícia.


Pela primeira vez na vida Alfonso ficara aliviado ao ver Marcelo entrar na sala de espera, já que ele sabia que só assim conseguiria ir até Clara, porque ninguém teria coragem de dizer não para o dono do hospital.


- Vim assim que eu soube, Ruth estava saindo de uma cirurgia, Manuela fui buscá-la e elas já devem estar a caminho, eu só não consegui falar com o Alex. – disse Marcelo.


- Eu quero ver a Clara. – Disse Alfonso.


- Eu vou ver como ela está e se o quadro dela estiver estável, eu deixo você entrar. – Respondeu Marcelo, antes de sair em busca de informações sobre o quadro de Clara.


Alfonso agora estava sentado ao lado de Helena, com sua cabeça apoiada no ombro dela, que o afagava como somente uma mãe afagaria seu filho, e era estranho vê-lo assim, tão indefeso e vulnerável, já que Alfonso nunca se deixava abater e nunca deixava que ninguém o aninhasse e quando finalmente Ruth chegou e entrou na pequena sala, Anahí pode sentir a dor dela ao ver Alfonso com Helena, já que ela sabia que Alfonso nunca a veria da mesma forma.


- Vai ficar tudo bem meu menino. – Disse Helena, bagunçando o cabelo dele, como se ele ainda fosse uma criança.


Manuela se sentou ao lado de Alfonso, e segurou em sua mão, sem dizer nada, já Ruth achou que o melhor seria ir atrás de Marcelo, que provavelmente agora estava puxando todo o prontuário de Clara e Analisando cada passo que os médicos davam.


Uma hora depois, quando a dra. Ximenez entrara na sala junto com Marcelo e Ruth, Alfonso sabia pela expressão no rosto dela que a notícia era boa.


- Clara rejeitou o tubo porque já está conseguindo respirar sozinha. – Disse a dra. Ximenez e fora nítida a expressão de alívio no rosto de Alfonso. – Se você quiser, você já pode entrar para ver a sua filha.


Alfonso não respondera nada, apenas se levantara rapidamente, mas antes que pudesse sair da sala, Anahí segurou em seu braço.


- Eu gostaria de vê-la. – disse Anahí, que finalmente pode respirar aliviada.


- Agora é melhor não. – Ele encerrou a conversa, seguindo a Dra. Ximenez.


Anahí entendia Alfonso, era compreensível que ele estivesse nervoso, mas ela não esperava que ele fosse culpá-la pelo ocorrido e ignorá-la como ele estava fazendo.


Minutos depois Alfonso voltara para a sala de espera da UTI infantil, a expressão em seu rosto havia amenizado e era visível seu alívio.


- Toma. – Disse Alfonso entregando um copo para Anahí.


- O que é isso? – Ela perguntou sentindo seu estomago embrulhar, não havia comido nada desde que chegara no centro médico.


- Uma vitamina.


- Eu não estou com fome...


- Você está pálida, deve estar a horas sem comer nada, então apenas tome a vitamina, já tenho coisas demais para me preocupar...


Anahí ficara tão surpresa pela forma como Alfonso a tratara que não conseguira nem responder, ela podia entendê-lo, sabia que ele estava cansado devido as viagens que tinha que fazer, e sabia o quanto estava preocupado com Clara, mas isso não lhe dava o direito de falar com ela como se ela fosse um peso em sua vida.


- Alfonso. – William o chamou o afastando de Anahí, antes que ele dissesse mais alguma besteira. – Como ela está? – Ele perguntou, queria ter certeza de que Clara estava bem.


- O pior já passou. – Ele respondeu, sentia o cansaço físico e emocional e isso fazia com que ele se sentisse que a qualquer momento desabaria.


Marcelo continuava a seguir cada passo dos médicos que cuidavam do caso de Clara, William, Maite e Manuela haviam ido tomar um café para ficarem despertos e Ruth e Helena levaram Enzo para comer algo, deixando somente Alfonso e Anahí na sala de espera VIP da UTI infantil do Centro Médico Herrera Rodriguez, trazendo de volta o clima tenso e pesado de alguns minutos atrás.


Anahí decidira que não tentaria puxar conversa, não para se sentir ainda mais culpada do que já estava se sentindo, por isso ela se surpreendera quando Alfonso começara a falar.


- Uma das primeiras coisas que a gente aprende quando começa a trabalhar no hospital, ainda como incidente, é a alertar os responsáveis pela criança a deixarem o injetor de epinefrina em um local de fácil acesso e ensinarem todos os adultos da casa a aplicá-lo quando a criança tiver uma crise. A gente tem que ensinar isso para todos os pais, para que esse tipo de coisa não aconteça, e eu, que sou médico, nunca te ensinei o que fazer caso a Clara tivesse uma crise. Você não teve culpa do que aconteceu, a culpa foi minha por nunca ter te ensinado o que fazer, e eu fiquei tão furioso comigo mesmo, que acabei descontando em você. – Ele desabafou.


- Eu realmente sinto muito. – Ela disse começando a chorar e Alfonso a abraçara, se sentindo culpado pela forma como a havia tratado.


- A culpa não foi sua, me desculpe.


Alfonso estava sentado na poltrona do leito em que Clara estava, a pequena dormia devido à forte medicação que havia tomado e ele segurava em sua mão e acariciava seus cabelos, enquanto Anahí finalmente havia dormido, deitada no sofá do leito.


Maite e William haviam levado Enzo para casa, para que o pequeno não passasse tanto tempo no hospital, Helena e Ruth dormiam na sala de espera e Manuela falava com Alex no telefone, o deixando a par de tudo o que havia acontecido, já Marcelo, que não parara desde que chegara no centro médico, agora estava encostado a porta do leito de Clara, observando seu filho, o desgaste de Alfonso era nítido e Marcelo sabia que isso não era apenas pelo que havia acontecido com a Clara.


- Tem um minuto pra um café? – Perguntou Marcelo.


- Quero estar aqui quando ela acordar. – Respondeu Alfonso.


- Você precisa comer alguma coisa e precisa descansar. – Dissera Marcelo.


- Eu estou bem assim.


- Você já conversou com ela sobre se mudarem para a Alemanha? – Marcelo perguntou, sabendo que não deveria se intrometer nesse assunto.


- Ela não quer, a vida dela é aqui. – Ele respondeu, sabendo que acabaria desistindo da pesquisa. – Estou pensando em passar a pesquisa para o dr. Carter, ele terminou agora a residência dele e tem me ajudado bastante com as pesquisas, acho que ele conseguiria levar o projeto adiante. – Contou Alfonso, sem saber o porquê de estar contando aquilo para Marcelo.


- Você sabe que não precisa ser tão orgulhoso, não sabe? – Perguntou Marcelo. – Eu poderia te ajudar se você quisesse. Invisto muito dinheiro em um dos mais modernos centros de pesquisa do mundo e que fica a apenas 40 minutos de distância, eu posso falar com o dr. Frank e pedir para que ele transfira a pesquisa, eu não levaria nem 30 minutos para resolver isso.


- Eu preciso pensar. – Dissera Alfonso, pensando seriamente em abrir mão de seu orgulho e aceitar a proposta de Marcelo.


- Pense, e quando você decidir me avise. – Disse Marcelo, antes de sair do leito para que Alfonso pudesse descansar.


- Papai. – Clara o chamou, quando Alfonso estava quase dormindo sentado na poltrona ao lado dela.


- Meu amor. – Alfonso sorriu ao ver a filha finalmente desperta.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): alinerodriguez

Este autor(a) escreve mais 4 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

Mesmo após dias a proposta de Marcelo de trazer sua pesquisa para perto ainda estava na cabeça de Alfonso, ele sabia que qualquer coisa que Marcelo pedisse o dr. Frank aceitaria, mas o que o impedia de aceitá-la era o seu orgulho, que não queria que ele tirasse nenhuma vantagem por ser um Herrera Rodriguez. Clara já estava em casa, receber ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 4004



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • ginja2011 Postado em 10/10/2019 - 22:52:34

    Ainda bem que ele chegou a tempo!

  • camilaaya Postado em 05/10/2019 - 22:24:39

    Ah, eu sabia

  • ginja2011 Postado em 05/10/2019 - 15:23:03

    Agora o bicho pegou, chega rápido Alfonso!!

  • camilaaya Postado em 03/10/2019 - 23:05:37

    Ñ sei, tenho pra mim que Alfonso ñ vai ver o nascimento dos gêmeos

  • taibm Postado em 03/10/2019 - 08:29:01

    Nao para nao

  • izabelaSpaniColungaPortillaHer Postado em 03/10/2019 - 06:35:26

    fazia tempo que não lia essa fanfic, muito boa. o poncho foi idiota com a Anahí, mas pelo menos ele resolveu mudar e perdoar o Marcelo, esse Lourenço tá mexendo em casa de maribondo, kkkkk.. Posta mais!!!!

  • taibm Postado em 01/10/2019 - 22:08:29

    Amandooo continua

  • daicavalcante Postado em 27/09/2019 - 19:30:14

    Posta mais

  • taibm Postado em 24/09/2019 - 17:32:58

    Por que parou? Parou por que? Continuaaa

  • camilaaya Postado em 23/09/2019 - 21:51:52

    Sdds de ler capítulo novo, ñ acredito que já esteja quase na reta final, ñ estou preparada para o fim dela. Estou relendo ela no momento



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

Não conseguimos todo o dinheiro necessário para pagar o DataCenter.


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...