Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: - Mentiras | Tema: AyA


Capítulo: Capítulo - CDXLVII

235 visualizações Denunciar


- Gonzáles. – Manuela sorriu o abraçando. – Diz por favor que você tem notícias do Poncho.


- Só estou esperando o último exame dele ficar pronto e prometo que venho te dar alguma notícia. – Ele voltou a olhar para Anahí. – Você está bem? – Perguntou preocupado, já que ela levara sua mão até a barriga, que deixava visível sua gravidez.


- Estou. – Ela respirou fundo. – Eles só estão um pouco agitados, acho que por causa do estresse.


- Mais do que o normal? – Ele perguntou e ela assentiu. – Quantas semanas de gestação?


- 28 semanas. – Ela respondeu.


- Sente dor? – Perguntou começando a deixar Anahí ainda mais preocupada.


- Não, não sinto dor.


- Isso é normal né? Bebês se mexem, não se mexem? – Perguntou Manuela.


- Bebês se mexem, mas quando a mãe está estressada isso tende a diminuir, não aumentar. Eu vou pedir para a dra. Lopez realizar um ultrassom, só pra gente ficar mais tranquilo, você não precisa se preocupar, é mania de médico, a gente não pode ver uma grávida que já quer pedir ultrassom. – Ele disse, tentando deixá-la tranquila enquanto digitava algo em seu tablet.


- Eu posso ver? – Manuela perguntou empolgada.


- Como você se chama? – Perguntou o dr. González sorrindo.


- Anahí. – Ela respondeu corando, não podia deixar de reparar no quão charmoso ele era.


- É um prazer, me chamo Lorenzo. – Ele disse estendendo sua mão.


- Ele é o novo queridinho da Ruth, ela moveu céu e terra para tê-lo nesse hospital. – Respondeu Manuela. – Mas você ainda não respondeu minha pergunta, eu posso ver o ultrassom?


- Isso quem decide é a Anahí. – Ele respondeu quando seu bip começou a apitar. – Agora eu preciso ir porque os exames ficaram prontos, volto daqui a pouco para saber como você está Anahí, e para informar sobre o Alfonso.


- Alfonso o detesta. – Comentou Manuela assim que Lorenzo saiu da sala.


- Por quê? Ele parece ser tão gentil. – Perguntou, já que Alfonso nunca dissera nada sobre Lorenzo.


- Mamãe diz que é porque eles são iguais, por isso não se batem.


Minutos depois Anahí já havia feito a ultrassonografia e ficara mais tranquila quando lhe garantiram que estava tudo bem.


- Vim ver como você e os bebês estão. – Disse Lorenzo, quando Anahí retornou à sala de espera junto com a Manuela.


- Estamos bem, obrigada. – Ela agradeceu.


- Ótimo, eles só estavam agitados. – Ele sorriu e Anahí percebeu quando ele lhe olhou dos pés à cabeça. – Bom, Alfonso também está bem, não há nenhuma alteração nos exames dele e ele está em repouso, já que mesmo sem nenhuma alteração nos exames ele teve uma queda feia e irá sentir dor, isso sem contar na ressaca.


- Nós podemos vê-lo? – Perguntou Anahí.


- Podem, mas Manuela, evite ficar falando na orelha dele, ele pode estar um pouco zonzo se estiver acordado. – Disse Lorenzo, que conhecia bem Manuela.


- Prometo ficar calada. – Prometeu Manuela.


Lorenzo as levou até o quarto em que Alfonso estava agora dormindo, e onde Ruth e Marcelo estavam sentados no sofá, esperando que ele acordasse.


- Ele vai demorar para acordar? – Perguntou Manuela, se aproximando de Alfonso e o acariciando, havia ficado preocupada com ele.


- Acredito que ele não vá dormir por muito tempo. – Respondera Lorenzo.


- Você tem certeza dos resultados dos exames? – Perguntou Marcelo.


- Tenho certeza dr. Rodriguez, você já me perguntou isso três vezes. – Respondeu Lorenzo impaciente.


- Só para ter certeza enviarei os exames para outro médico, só para confirmar o que você diz. – Disse Marcelo.


- Eu já conferi todos os exames Marcelo, isso não é necessário. – Disse Ruth.


- Você sabe que ele não é a Dra. Alvarez, não sabe? Você vem tentando encontrar alguém para ficar no lugar dela, mas você sabe que ele ainda é muito novo e não tem a experiencia que ela tinha.


- Eu não sou a dra. Alvarez, mas aprendi tudo o que eu sei com ela, toda a experiencia que ela tinha ela me passou, sou o melhor da minha área...


- E bem modesto também. – Marcelo o interrompeu. – De qualquer forma, mandarei os exames para outro neurologista, quero ter uma segunda opinião.


- Faça como quiser. – Disse Lorenzo. – Assim que o Alfonso acordar eu volto, com licença. – Ele se virou para sair do quarto. – Anahí, caso precise de alguma coisa, peça para as enfermeiras me chamarem. – Disse, antes de sair e Marcelo a olhou desconfiado.


- Você está bem? – Perguntou Marcelo, se virando para Anahí.


- Estou. – Ela respondeu estranhando a pergunta.


- Ótimo, então se sente aqui enquanto esperamos o Alfonso acordar. – Ele disse e Anahí se sentou ao lado dele.


Manuela deixou o celular de Alfonso no móvel ao lado da cama e se sentou ao lado de Anahí, tentando puxar assunto com ela, que parecia alheia em seus pensamentos.


Assim como Lorenzo havia dito, não demorara muito para que Alfonso acordasse, ainda zonzo, sem saber direito o que havia acontecido.


- Que merda, o que? – Ele tentou formular uma frase, mas nada fazia sentindo em sua cabeça. – O que aconteceu?


- Está tudo bem. – Disse Ruth indo até Alfonso. – Você caiu e bateu a cabeça. Como está se sentindo?


- Que merda. – Ele disse tentando se sentar, mas se sentindo nauseado.


- Herrera. – Disse Lorenzo entrando no quarto após ser chamado por uma das enfermeiras. – Como você está se sentindo?


- Ah não, esse idiota não. – Reclamara Alfonso.


- É sempre um prazer te ver. – Lorenzo sorriu. – Agora me responda, como está se sentindo?


- Eu estou ótimo, já posso ir para casa. – Respondeu Alfonso.


- Não é você quem decide isso. – Disse Lorenzo. – Segue meu dedo. – Ele pediu, colocando seu dedo em frente ao rosto de Alfonso. – Ótimo, seus reflexos estão voltando ao normal. Você se lembra de como veio parar aqui?


- Não, mas eu provavelmente estava bêbado demais e por isso não me lembro. – Respondeu Alfonso.


- Parece que você quis se livrar do seu pai e se jogou de uma casa da árvore, o que é compreensível já que nós sabemos quem é o seu pai. – Disse Lorenzo. – Vou te fazer algumas perguntas, coisas simples, só pra saber como está sua memória. Quantos anos você tem?


- 24 anos. – Ele respondeu.


- Qual é o seu nome? – Lorenzo perguntou enquanto fazia algumas anotações em seu tablet.


- Alfonso.


- Qual é o nome da sua namorada? – Ele perguntou após olhar para Anahí.


- Anahí.


- Você sabe que dia é hoje?


- Sábado ou domingo, não sei que horas são. – Disse, pegando seu celular no móvel ao lado de sua cama para ver as horas, fora quando ele viu no visor uma mensagem de Angelique e precisara forçar seus olhos para conseguir ler. – Merda.


- Você está bem? Voltou a sentir dor? – Perguntou Ruth preocupada.


- Não está nada bem. - Ele disse, querendo ler o resto da conversa que tivera com Angelique.


- Nada de celulares por enquanto. – Disse Lorenzo, pegando o celular da mão dele.


- Me dê essa merda. – Ele disse, só havia conseguido ler metade do que Angelique escrevera. – Merda Ruth, eu preciso desse celular.


- O que você quer? Eu vejo pra você. – Ela perguntou, pegando o celular da mão de Lorenzo.


- Eu preciso do meu celular. – Dissera Alfonso.


- Seja breve. – Disse Ruth, entregando o celular para ele, já que sabia que ele não desistiria.


“Você conseguiu chegar no seu quarto? Fiquei preocupada com você.”


- Merda, eu conversei com ela por quase uma hora. – Ele disse dando um tapa em sua testa. – Porra! – Ele xingou quando a dor lhe invadiu.


- Com quem você conversou? – Perguntou Anahí, sabendo que não gostaria da resposta daquela pergunta.


- Angelique. – Respondeu Alfonso voltando a se deitar.


- Você conversou com a Angelique ontem? – Ela perguntou, sem acreditar que Alfonso a havia deixado sozinha no quarto para ir beber e logo conversar com a sua ex esposa.


- Você precisa descansar agora. – Disse Ruth, pegando o celular da mão de Alfonso. – Depois vocês conversam sobre isso.


- Deixe a Anahí ler a merda da conversa para que ela pare de me olhar como se eu a tivesse traído. – Ele disse e Ruth logo entregara o celular para Anahí.


- De certa forma, não deixa de ser traição. – Ele dissera, mais alto do que desejava, querendo sair daquele quarto, mas ao mesmo tempo preocupada com Alfonso, por isso não sabia o que fazer.


- Acho que temos uma noção diferente do que é traição. – Disse Alfonso.


- Não temos, a questão é que quando lhe convém nunca será traição. – Ela respondeu.


- Se quiser ler a conversa, a senha é o seu aniversário. – Ele disse, querendo encerrar aquela discussão.


- Se já está brigando é porque está no seu estado normal, então está bem. – Disse Lorenzo, tentando quebrar o clima pesado que havia ficado no quarto.


- Eu já posso ir embora? – Alfonso perguntou incomodado, detestava estar no lugar do paciente.


- Vou deixar você de observação por algumas horas, quero ter certeza de que está tudo bem. – Respondeu Lorenzo.


- Isso é ridículo, não tem motivo pra me deixar em observação. – Bufou Alfonso. – Eu quero ver meus exames.


- Hoje você é apenas um paciente, Herrera, então descanse, você não terá acesso ao seu prontuário. – Disse Lorenzo, antes de sair do quarto, depois de voltar a olhar para Anahí, que parecia alheia em seus pensamentos.


Anahí desbloqueara o celular de Alfonso e começara a ler a conversa, sentindo seu estomago embrulhar, ele havia puxado assunto com ela, havia conversado com ela sobre o Marcelo, o que se negara a fazer com Anahí, isso sem contar que conversaram até sobre o local onde Clara fora concebida, aquilo fora o suficiente para Anahí, que colocara o celular de Alfonso de volta ao móvel, mordendo seu lábio para controlar a vontade de chorar, se sentindo uma idiota por ter ficado preocupada com ele enquanto ele estava desabafando com a ex esposa.


- Onde você vai? – Perguntou Alfonso quando Anahí se levantou e caminhou até a porta do quarto, se sentindo presa naquele local.


- Preciso de um ar. – Ela respondeu, se sentia sufocada com aquela família.


- Você está bem? – Perguntou, sabia que Anahí havia ficado chateada pelas mensagens que ele trocara com Angelique e sabia que ela estava se afastando para que eles não brigassem ali, na frente da sua família.


- Estou, descansa, depois conversamos. – Disse, antes de sair do quarto e respirar aliviada.


- Você tem certeza de que está tudo bem? – Perguntou aquela voz rouca e calma e ela logo viu Lorenzo parado ao seu lado.


- Tenho, obrigada. – Ela sorriu se perguntando por que é que Alfonso não gostava de Lorenzo.


- Ficar lá dentro é sufocante, não é? – Ele perguntou, como se pudesse ler sua mente e ela assentiu. – Eles são intimidantes. – Disse, depois de se afastarem da porta.


- Pensei que você não se deixasse intimidar por eles. – Disse, já que Lorenzo respondera a Marcelo e a Alfonso quando estava no quarto.


- Eles me intimidam, Marcelo fica a todo o momento esperando um erro meu, não pense que todo esse tratamento gentil que eu recebo dele vem de agora, ele me detesta há algum tempo, Alfonso e eu também temos uma longa história, desde que eu era residente, o cara fazia até a chefe dele chorar, você acha que tem como não se sentir intimidado por ele? E tem a Ruth, uma médica excelente com o nariz empinado, se eu errar com o filho dela, essa será a carreira mais curta da história da medicina. – Ele desabafou.


- Acho que você tem mais motivos para se sentir intimidado do que eu. – Ela disse, não queria estar no lugar dele, sendo médico e tendo que cuidar de Alfonso.


- E você? Por que se sente intimidada? – Perguntou curioso.


- Eles são os Herrera Rodriguez, isso já é o suficiente para que alguém se sinta intimidado. – Ela respondeu, não o conhecia para desabafar com ele.


- Mas você não deveria se sentir intimidada pelo seu namorado. – Ele disse, pelo pouco tempo que ficara no quarto ao lado de Anahí e Alfonso, pode sentir que o clima entre eles não estava bom.


- Ele não me intimida. – Disse, sabendo que não estava sendo totalmente sincera.


- Não? Eu o conheço, ele é arrogante. Eu era o residente dele quando ele ainda era só um interno, ele é brilhante, eu confesso, mas também é insuportável.


- Ele tem suas qualidades também. – Ela disse, não conhecia Lorenzo para deixar que ele falasse mal de Alfonso.


- Claro, ele é seu namorado e eu estou falando mal dele, não é muito esperto da minha parte. – Ele sorriu. – Não se deixe intimidar por eles, volte naquele quarto e mantenha a cabeça erguida, eles não são melhores do que você.


- Obrigada. – Ela sorriu, havia lhe feito bem conversar com Lorenzo.


- Se precisar de alguma coisa, mesmo que seja só para conversar sobre os Herrera Rodriguez, estou à sua disposição. – Ele sorriu charmoso.


- Ela não vai precisar. – Respondeu Marcelo. – Muito gentil da sua parte, mas agora pode voltar ao seu trabalho.


- Claro. – Lorenzo logo se afastou, sabia que aquele não era o momento para enfrentar Marcelo.


- Você está bem mesmo? – Perguntou Marcelo desconfiado.


- Será que dá pra pararem de me perguntar isso? – Ela não conseguiu segurar sua raiva, já que tudo isso havia começado por causa da briga entre Marcelo e Alfonso.


- Não sei sobre o que vocês estavam conversando, mas não dê ouvidos ao que o González diz, ele nunca foi um grande fã do Alfonso. – Disse Marcelo, que havia escutado uma boa parte da conversa.


Anahí não respondeu nada, apenas se afastou de Marcelo antes que descontasse toda a sua raiva nele.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): alinerodriguez

Este autor(a) escreve mais 4 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

Apenas horas mais tarde, depois de ter certeza de que Alfonso estava bem, o dr. Gonzáles assinara a alta de Alfonso, que durante as visitas de Lorenzo ao seu quarto, percebera o interesse dele em Anahí. - Nos vemos hoje à noite? – Perguntou Manuela, já que Lorenzo era um dos convidados do jantar beneficente de sua fundação. - ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 4004



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • ginja2011 Postado em 10/10/2019 - 22:52:34

    Ainda bem que ele chegou a tempo!

  • camilaaya Postado em 05/10/2019 - 22:24:39

    Ah, eu sabia

  • ginja2011 Postado em 05/10/2019 - 15:23:03

    Agora o bicho pegou, chega rápido Alfonso!!

  • camilaaya Postado em 03/10/2019 - 23:05:37

    Ñ sei, tenho pra mim que Alfonso ñ vai ver o nascimento dos gêmeos

  • taibm Postado em 03/10/2019 - 08:29:01

    Nao para nao

  • izabelaSpaniColungaPortillaHer Postado em 03/10/2019 - 06:35:26

    fazia tempo que não lia essa fanfic, muito boa. o poncho foi idiota com a Anahí, mas pelo menos ele resolveu mudar e perdoar o Marcelo, esse Lourenço tá mexendo em casa de maribondo, kkkkk.. Posta mais!!!!

  • taibm Postado em 01/10/2019 - 22:08:29

    Amandooo continua

  • daicavalcante Postado em 27/09/2019 - 19:30:14

    Posta mais

  • taibm Postado em 24/09/2019 - 17:32:58

    Por que parou? Parou por que? Continuaaa

  • camilaaya Postado em 23/09/2019 - 21:51:52

    Sdds de ler capítulo novo, ñ acredito que já esteja quase na reta final, ñ estou preparada para o fim dela. Estou relendo ela no momento



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

Não conseguimos todo o dinheiro necessário para pagar o DataCenter.


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...