Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: A Promessa | Tema: Belo Desastre, A Seleção, Os Instrumentos Mortais, As Peças Infernais, Desastre Iminente, Estilhaça-


Capítulo: Sonho ou pesadelo

117 visualizações Denunciar


A noite se passou com conversas para lá e para cá, conheci Mari, a prima Maddox e tive um grande instinto de amizade. Talvez por ela ser tão simpática e cheia de assunto, sempre tendo algo para comentar e responder. Talvez por ela ser legal e engraçada, com piadas tão bestas, mas que é impossível não rir. Ou talvez por ela ser uma Maddox e ter um poder sobre as pessoas ou pelo menos, em mim que não tirava os olhos dela, do Pirata, do Batman loiro e – apesar de tudo – do Policial sexy e irritante. Havia algo neles que me encantava, algo no olhar, nas covinhas fundas nas bochechas e nos sorrisos tão, tão, tão... Terrivelmente encantadores.


Maxon continuou tão longe quanto podia, conversando com os amigos, com os irmãos e saindo para visitar algumas mesas. Tentei, com fracasso, não o seguir com o olhar em uma dessas turnês. As pessoas com quem ele falava sempre estavam sorridentes e concordavam com a cabeça ouvindo suas palavras, talvez doces, talvez sensíveis. Havia homens e mulheres, velhos e novos mas todos visivelmente encantados. Travis e Aaron o seguiu, parando para conversar com um grupo sentado a mesa e logo em seguida saíram em direção ao ambiente fechado, onde minha vista não alcançava.


Voltei às pessoas ao meu redor que conversavam e riam com algo que não me importei em saber, estava mais curiosa sobre o que os irmãos estavam fazendo. Me forcei a continuar sentada e sorrir quando alguém se virava para mim, seja Julia ou Letícia ou Robert. Ouvi que Lethicia não conseguiu sair da festa – inútil – que as garotas Gama estavam fazendo para as novatas que escolheram aquela fraternidade. Coitadas, foi o que pensei, mal sabia o que lhe esperava. Percebi que Jake Jordan Jordan Jordan Jordan, estava sempre concordando com o que Mari dizia, mesmo se todos fossem contra ela, ele sempre concordava. Mais um motivo para achar o que estava borbulhando em minha mente. Ouvi Letícia comentar sobre Dylan e preferi de todas as formas não ouvir e só quando Julia falou sobre Mylena, voltei a ouvi-los.


–... Ela deveria ter vindo. Não custava nada, quero dizer. Ela apenas vir e se divertir. – Julia dizia e antes que eu pudesse perguntar algo, Rob quem falou.


– Ela é um pouco - ele tossiu com uma mão frente a boca. – Insegura. Ou talvez seja coisa da minha cabeça, mas sempre acho que ela nunca está onde Jamie está.


– Mas isso não é verdade. – acabei falando, atraindo os cinco seis pares de olhos para mim. – Ela ajudou o Travis e o Jamie com as fantasias.


– Sério? – Julia perguntou um pouco chocada demais. 


Concordei com a cabeça e me permiti pensar sobre o assunto, Mylena e Jamie? Não era algo, completamente impossível, quero dizer, porque não?


– Talvez ela esteja certa em manter distância. – era Jace. – Quase todo mundo sabe sobre a fama do Jem e dos Maddox.


– Eu não. – falei com o indicador erguido.


– Por isso eu disse, quase todo mundo. – Jace sorriu e piscou. – Ainda não sei se você é imune a esse “charme Maddox” – disse com aspas no ar, revirando os olhos. – Ou se é capaz de fazê-lo mudar.


Infelizmente, vi pelo canto do olho Mari balançar a cabeça, assim como Jordan, Julia, Rob e Letícia. Suspirei um pouco chateada, um pouco fracassada. Se era isso, se eles achavam que Maxon não iria mudar ou que eu não iria simplesmente sentir, eu estava indo pelo caminho errado. Lembrei da frase que me maltratou durante o dia e da forma como ele foi comigo, percebi que ele era assim, exatamente comigo. Então, por outro lado, eu poderia mudá-lo. Mas novamente a frase veio em minha mente, “é oficial. Somos amigos!” e mais uma vez suspirei tentando entender o beijo, essa atitude completamente diferente da que os amigos estavam acostumados e do novo Maxon que leva uma garota para festa de família.


Um braço caiu sobre meus ombros e Julia se aproximou de meu ouvido, sussurrando a única frase que me fez virar para ela e sorrir, me permitir por um momento mostrar o que me angustiava, o que me confundia e o que me fazia bem. E eu queria dizer “ok, vocês não conhecem o Maxon que eu conheço” mas seria outro tiro no pé, lembrando que aquele grupo de pessoas, havia crescido com Maxon, havia provavelmente conhecido seus medos, suas aventuras e seus amores, e eu era apenas uma garota na faculdade, brincando de ser amiga com beijos e amassos escondidos.


Fim.


– Não quero saber. – uma voz me trouxe de volta a realidade e um homem, no auge de ser o mais bonito que eu já havia visto na vida, estava ao lado da nossa mesa, encarando Mari com diversão nos olhos. – Preciso de um par para dançar, Mariana. Você sabe essa música, vamos!


– Não, Sebastian. Chame outra pessoa, estou conversando.


Olhei para o homem que não parecia feliz com a resposta da garota e queria levantar e dizer que eu iria, sem problema algum, dançar com ele ou até mais, porque ele era tão lindo, tão fascinante que mal parecia verdade. Pisquei os olhos tentando acordar, porque só poderia ser um sonho. Ele era um diabinho, alto de costas largas, seu cabelo estava no tom quase branco e seus olhos eram pretos e penetrantes. Ele sorria para Mari como se soubesse que ela iria ceder em algum momento, olhei para Jordan e o vi desviar o olhar, encarar a mesa enquanto todos observavam Sebastian e sua tentativa de levar a garota.


Meu Deus, não acredito no que vou fazer.


Mari estava visivelmente irritada e as únicas palavras que saíam de sua boca eram “não” e “não enche” mas Sebastian estava disposto a levá-la. Era quase como se quisesse tirá-la da mesa, como se quisesse protegê-la. O vi trocando olhares com a cabeça baixa de Jordan e entendi.


Só poderia ser.


Sebastian gostava da Mari. E Jordan também.


Levantei da cadeira atraindo todos os olhares, inclusive do homem mais lindo do universo. Eu sorri e dei a volta na cadeira, um pouco atordoada, um pouco nervosa porém, corajosa. Se para salvar a pele de alguém que eu acabava de conhecer, eu teria que dançar com um homem lindo como Sebastian, eu estava mais do que topando, eu estava me obrigando a fazer.


– Se você quer tanto dançar. – mantive meu tom de indiferença. – Eu vou com você.


Todos me encaravam de bocas abertas e olhos grandes que mal cabiam nos rostos.


– Você. – Sebastian parou e me observou com uma atenção dobrada, deixando o olhar rolar do meu rosto para o meu vestido e para meus saltos. – Você não é a garota do Maxon?


Oh meu Deus, não.


– Somos amigos. – dei de ombros, um pouco nervosa por essa declaração em voz alta e um pouco liberta. 


Sebastian sorriu e olhou Mari com algo nos olhos que não consegui entender, pegou minha mão tão delicado, mas ao mesmo tempo tão seguro e me levou em direção ao ambiente fechado, a pista de dança. De repente a imagem dos irmãos Maddox indo nessa mesma direção, voltou a minha mente e parei puxando a mão dele de volta. Se eu fosse, iria encontrar com Maxon. Poderia encontrá-lo com outra garota, loira e siliconada ou poderia encontrá-lo com os irmãos e eu não saberia responder qual a pior opção. Sebastian me olhou confuso, unindo as sobrancelhas e antes que pudesse perguntar algo, sorri e voltei a andar. Quanto menos falar, melhor. 


Deixei que ele me guiasse até o centro da pista de dança com o piso colorido refletindo várias cores diferentes no teto e paredes. O lugar era fechado pelo ar-condicionado e a fumaça de gelo seco que jorrava da cabine do DJ, não havia mesas somente pessoas dançando ou conversando nos cantos escuros das paredes e a música era, extremamente, alta. Eu não fazia ideia de o que fazer quando chegamos a pista de dança, Sebastian se virou para me encarar e sorrindo mexia seu corpo no ritmo da música. Eu não tinha certeza se conseguiria fazer o mesmo, não com as pessoas provavelmente nos observando, com Maxon por ai, podendo ou não está me vendo. Sebastian colou nossos corpos e jogou meus braços em seus ombros, descendo suas mãos em minha cintura, vagando até minhas costas nuas e subindo tão lentamente me deixando arrepiada. 


A essa altura, eu já estava no céu – apesar da fantasia dele – deitada em uma nuvem sendo acariciada por um anjo e me permiti fechar os olhos e acompanhar seu corpo forte e duro contra o meu.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): ladymidnight_

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).

Prévia do próximo capítulo

De repente o anjo foi embora e a nuvem se dissipou me fazendo cair e abrir os olhos. Aaron estava sorrindo em minha frente, um sorriso diabólico de alguém que havia aprontado alguma. Olhei em volta procurando Sebastian e ele havia sumido, dissipado, evaporado.  Me perguntei se imaginei tudo aquilo. – O que estava fazendo? – Aaron perguntou em ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 1



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • Ju Franco Postado em 10/09/2016 - 02:33:38

    CONTINUAAAA MINHA NOVA FIC FAVORITA NÃO ABANDONE PRA SEMPRE PFVR



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...