Fanfics Brasil


Fanfic: Minha vida depois de você - Vondy | Tema: Vondy



Capí­tulo : Capitulo 9  |  Visualizações do capítulo da fanfic / fanfiction 31 visualizações |  ◄ Denunciar!

Capitulo 9


 


 


 


 


 


Entrei no banheiro correndo com a Luisa, perto da lanchonete, aquela mesma aonde eu tinha ido tantas vezes apenas para ter uma desculpa para passar na frente do Joaquim. E agora ele estava ali fora, me esperando, mas por ironia, dessa vez, eu preferia que ele estivesse em qualquer outro lugar, menos ali.


Depois que nós tropeçamos um no outro, ele disse que precisava conversar comigo, pois o assunto tinha ficado inacabado na festa. Eu falei que não dava naquela hora, pois eu tinha que ir ao banheiro checar o meu machucado, mas ele disse que esperaria e veio atrás.


Eu lancei um olhar meio desesperado pra Luísa, e a Larissa e a Bruna que estavam curiosas demais pra ficar de fora, acabaram nos acompanhando. Quando eu e a Luísa entramos no banheiro, elas foram na lanchonete comprar um refrigerante, provavelmente pela sede que ver o Joaquim pela primeira vez da na gente. Eu sei como é, já passei por isso.


Luísa: Fica calma Dul! O que você acha que ele vai fazer? Te agarrar a força na frente de todo mundo? E porque você simplesmente não o manda ir embora? Você realmente está mudada. Você nunca teve problemas em dar o fora em ninguém antes em São Paulo!


Ela estava certa, eu não tinha mesmo muita pena de garotos folgados. Eles não nos vivem desprezando sem a menor cerimonia? Pois eu podia fazer a mesma coisa. Mas o problema não era bem esse...


Luísa: A não ser que você esteja a fim dele! – droga, ela tinha que me conhecer tão bem assim? – Dul! Você tem certeza de que não gosta mais do Joaquim? Você se arrependeu por não ter ficado com ele na festa? Ai meu Deus! Vou correndo lá fora e arrastar as meninas pra que vocês possam ficar sozinhos!


Dul: Luísa para! Não é nada disso! Eu não quero ficar com ele! Ele é ridículo! – Quem sabe se eu dissesse isso em voz alta eu me convencesse de uma vez – Mas é que eu realmente fiquei muito envolvida, e é a primeira vez que eu o vejo depois da festa... sei lá, estou meio sem graça, eu sai correndo e larguei o menino sozinho no meio do salão...


Luísa: E logo depois ele agarrou outra né? – ela fez questão de lembrar.


A Luísa estava certa. Ele podia ser lindo, mas não era o que eu queria. O menino dos meus sonhos nunca ficaria com qualquer uma apenas pra se vingar. Ou talvez ele nem tenha beijado aquela garota na minha frente por vingança, mas sim por estar mesmo afim dela, o que era ainda pior! O garoto da minha vida tinha que gostar só de mim.


Nessa hora a Larissa entrou no banheiro com os olhos brilhando. Aquilo também era efeito do Joaquim, eu tinha certeza.


Larissa: Pelo amor de Deus, vocês morreram ai dentro? O gatinho está impaciente lá fora! Eu e a Bruna já puxamos todos os tipos de assunto, mas ele só fica falando de você! Por favor, né, Dulce? Eu até entendo que você deve ter seus motivos, mas não da pra desprezar um monumento desses! Beija logo!


Suspirei, olhei pras duas, e resolvi que, pelo menos ia escutar o que o Joaquim ia dizer. Eu já tinha fugido uma vez, poderia fazer isso de novo se precisasse.


Assim que saímos do banheiro, que que a Bruna estava contando pra ele alguma coisa que, pela expressão dela, deveria ser muito interessante, mas percebi que ele não estava prestando a menor atenção... No minuto em que me viu, deixou-a falando sozinha e veio em minha direção. Achei aquilo grosseiro da parte dele.


Joaquim: Nossa gata! Teve que refazer o curativo todo? Que demora!


Olhei rápido para o lado e vi que as meninas já estavam longe, andando depressa em direção a piscina. Ao perceber que estávamos sozinhos, ele colocou a mão sobre o meu ombro e foi me guiando para um canto da lanchonete, enquanto continuava a falar


Joaquim: Ruiva, não entendi o que houve aquele dia na festa, da pra me explicar agora? Nossa nem acredito que finalmente essas suas amigas te deixaram sozinha, eu não aguentava mais ter que ouvir esse papo de jardim de infância! Nem acredito que você só tem 15 anos também, com esse corpo todo... – ele disse me olhando de cima a baixo. Imediatamente me arrependi por não ter colocado uma camiseta por cima do biquíni.


Joaquim: Até perguntei para suas amigas se você não tinha mentido sua idade pra mim, você é tão diferente delas todas, elas tem algum problema? E também eu já estava cansado de ouvir aquele sotaque paulista, quer dizer, vindo de você até que é bonitinho...


Ele desceu a mão do meu ombro pra minha cintura, e eu tive vontade novamente de fugir. Só que agora ele tinha passado dos limites. Quem esse garoto pensava que era? Ele até podia me criticar, mas falar das minhas amigas era demais. Ele ia ter que me ouvir.


Dul: Sabe quem tem um problema Joaquim? – eu disse me distanciando – Você!


Eu falei alto, vi que algumas pessoas começaram a olhar, mas eu nem me importei


Dul: Em primeiro lugar, eu não sei que tipo de educação é essa que a sua mãe te deu, mas de onde eu vim, falar mal dos amigos de uma pessoa é muito errado!


Percebi que ele começou a balbuciar qualquer palavra mas nem dei tempo.


Dul: E em segundo lugar, graças a Deus que eu só tenho 15 anos, sabe por que? Porque eu vou ter muito tempo de conhecer meninos mais interessantes do que você, que se interessem pelo que eu tenho a dizer, que goste das mesmas coisas que eu, que respeitem as pessoas e principalmente, que me chamem pelo meu nome! Aliás, você ao menos sabe o meu nome?


Ele pareceu meio desconcertado, não sei se por tudo o que eu havia dito ou pela minha pergunta, mas logo recuperou a pose.


Joaquim: Claro que eu me lembro – ele falou com cara de convencido, como se não saber alguma coisa fosse impossível pra ele – E agora sei que você é tão bobinha quanto as suas amigas. Você acabou de mostrar que realmente tem 15 anos! E quer saber mais? Seu corpo nem é tão bonito assim olhando de perto. Você é meio gordinha Danielle.


Eu tive vontade de empurra-lo, mas lembrei a tempo que as minhas mãos estavam machucadas. Olhei pra ele uma ultima vez. Um olhar profundo, que eu esperava que estivesse transmitindo todo o ódio que eu sentia naquele momento.


Virei-me de costas e saí andando, sem olhar pra trás nenhuma vez. Eu não queria ver aquele garoto nunca mais.



Autor(a): mariana18

  |  


Você gostou desta Fanfic?



PROMOVA SEU CAPÍTULO:


COMENTÁRIOS

Comentários do Capí­tulo:
Comentários da Fanfic (20)

Para comentar, você deve estar logado no site.




® Todos os Direitos Reservados - © Copyright 2017 - Política de Privacidade