Fanfics Brasil - 2° Capítulo - Porque eu te amo meu anjo. Complicado Am💔r!! — Contém Intersexualidade.

Fanfic: Complicado Am💔r!! — Contém Intersexualidade. | Tema: Anahí, Dulce **Portiñón**


Capítulo: 2° Capítulo - Porque eu te amo meu anjo.

899 visualizações Denunciar


 


– Chegamos! — Falei quando estávamos frente a porta.


– Vamos entrar então... — Ela disse esperando que eu abrisse.


– Calma apressadinha. — Meti a mão no bolso da calça procurando a chave.


– Vai logo Any, tô com meus pés doendo já. — Resmungou trocando o peso do corpo em ambos os pés. 


Então eu resolvi tirar proveito da situação. Não é certo eu sei... Mas tentar não mata ninguém. 


– Só se me dê um beijo.


– É sério Any, acho que comprei um número menor do que costumo usar.


– Então temos um problema. — Sorri balançando a chave. – Me dá um beijo que eu abro.


– Quê? Como assim Anahí??  — Me olhou estranha.


– No rosto Dulce. — Vi sua expressão suavizar. Na verdade minha intensão era que fosse na boca, mas... – Um beijo no rosto.


– Ai Any como você é besta sabia?! — Sorriu nervosa.


– Por quê? Achou que fosse onde?


– Não, nada. — Chegou mais perto, segurou meu rosto e beijou. — Pronto, agora abre logo vai!


– Como quiser. — Falei dando-lhe as costas e colocando a chave na fechadura...


Uma vez aberta ela foi a primeira a entrar.


– Ai que lindo Any!! — Disse rindo daquele jeitinho moleca que eu amo.


Ela correu os olhos pelo apartamento vendo tudo o que Perroni e eu preparamos... Maite deu a ideia de deixarmos bexigas espalhadas e serpentinas. Agora imagina minha cara? Serpentina não é aquilo que os brasileiros costumam usar em época de carnaval?? Sei disso porque na última férias que tivemos arrastei Maite comigo para o Brasil, ela não quis ir por causa do William, mas acabou que eles brigaram e tinham dado um tempo. Nosso destino Salvador – BA. Nunca tinha visto tanta gente.


Tenho que admitir foram as melhores férias da minha vida! Quando dizem que os baianos são acalorados não é mentira nenhuma. Eles tem muita energia e alegria contagiante. 


Enfim, ela quis as serpentinas e lá estavam elas, foi melhor do que confetes. Daria um trabalho em tanto a dona Tina quando viesse fazer a limpeza.


– Obrigada! Eu amei!


– A Perroni teve a ideia e eu ajudei a decorar. — Dei de ombros.


– Ficou muito lindo mesmo obrigada. E as minhas malas??


– Ah o porteiro disse que daqui a pouco trará. 


– Tá bem. — Suspirou parecendo cansada.


– E aí quer tomar banho? — Deixei as chaves na mesinha de centro e tirei os sapatos.


– Não, agora quero a caipirinha e bem forte! — Disse decidida.


– Pode deixar. 


Pisquei me mandando pra cozinha... Se tem uma coisa que aprendi com eficiência na viagem ao país tropical, foi fazer uma das bebidas que mais gostei. A Dul já conhece, ela uma vez fez pesquisas sobre bebidas populares brasileiras... Na época que trabalhava numa empresa que apreciava muito a cachaça... E procurava fornecedores pelo mundo... Ela era estudante e quis pagar seus estudos por si própria, sem qualquer ajuda financeira familiar. 


Admirável. 


– Hey vai com calma. — Falei vendo-a se animar entre uma dose e outra.


– Any o quê você colocou aqui que ficou tão boa?? — Estávamos sentadas no chão.


Sobre meu enorme tapete felpudo negro, ela se debruçou no sofá logo atrás de seu corpo. 


– Tá tudo bem Dul? 


– Hum rum... Quero mais! — Ergueu o copo.


– Não chega. Cê tá ficando bêbada já. 


– Tô nada. — Sorriu bebendo o restinho que tinha ficado. – E você que nem bebeu nada ainda.


– Me dá um pouquinho então. — Me aproximei colocando minha mão sobre a dela, na sua perna. 


Dulce olhou, mas não disse nada.


– Eu vou lá pegar pra você. — Fez movimento de sair, mas não deixei. 


– Não eu quero daqui. — Passei o polegar firme sobre seus lábios. 


– Da minha boca?! — Me olhou assustada. 


– É... Da sua boca. Você deixa? — Cheguei mais perto até conseguir roçar minha boca na dela.


Dulce fechou os olhos respirando forte.


– Não Any, somos amigas. — Foi para trás, eu a trouxe de volta pra mim, puxando-a pela cintura. — Any pára... 


– Só um beijo Dulce. 


Beijei sua bochecha... Só que tanto meu corpo, quanto minha boca e as mãos queriam bem mais. Por isso tratei logo de baixar os beijos em direção a seu pescoço... Contornei com precisão e desejo, logo depois voltei a posição anterior. 


– Você já ficou com uma mulher Dulce?


– Não. Nunca! Eu gosto de homens Any.


– Então deixa eu te mostrar como é bom meu anjo... — Sussurrei esfregando meu nariz no dela.


– Não sei eu... — Dulce baixou o olhar, passei a mão por sua nuca segurando forte o cabelo ruivo, fazendo com que me encarasse. – Por quê você tá fazendo isso?


– Porque eu te amo meu anjo, e não posso mais esconder.


Sem mais delongas puxei-a para mim e quebrei o espaço que existia entre sua boca e a minha. Eu precisava manter o controle, eu tinha que manter o controle, mas como fazer isso beijando a mulher que simplesmente te faz ficar com os quatro pneus arriados? 


Dulce quis rejeitar tentando desajeitadamente me manter longe, no entanto segundos mais tarde ela passou a corresponder... Minha mão direita ansiosa escorregou por sua cintura embaixo da blusa, apertando e acariciando ao mesmo tempo. Senti a respiração dela acelerar e em instantes a ruiva a minha frente estava sentada no meu colo de frente pra mim, tudo tão bom que eu não queria mais sair dali, porém o ar fez falta e encerrei o beijo com vários selinhos... O barulho de nossos lábios molhados ecoando no silêncio de meu apartamento. 


Dulce ainda estava de olhos fechados, eu observei com amor a maneira que a língua dela passou na parte inferior de sua boca... Alguma coisa quente e absurdamente enlouquecedor tomou conta de mim... Me senti fervendo de desejo e sem muito pensar fui tirando sua blusa enquanto distribuía beijos em seu pescoço. 


– Calma... Não. Espera! — Ela pediu tentando me afastar.


– Deixa acontecer Dul. — Eu podia me arrepender depois? Sim.


Na verdade tinha total certeza disso, mas o desejo de tê-la comigo foi bem mais forte que eu. Eu tinha em mente ir devagar com as coisas, mas agir com a cabeça numa hora dessas é impossível... Tenho a mulher que amo nos meus braços. 


Sendo assim joguei longe sua blusa, acomodei seu corpo sobre o tapete vendo seus lindos olhos castanhos confusos, muito confusos... Então deitei por cima dela sem quebrar nosso contato visual.


– Any... — Sussurrou.


– Fala anjo.


– Isso não está certo. Não... Não está! — Eu podia ver claramente em seus olhos o quão assustada ela estava.


– Eu só quero te amar Dulce, quero te amar independente se isso aqui é certo ou errado. Já ouviu dizer que o amor não escolhe?


A ruiva afirmou tendo preso nos dentes a carne de sua boca, me encarando com um vinco estampado em sua testa... Acariciei ali querendo lhe passar tranquilidade, e sem conseguir resisti voltei a beijá-la. A vontade de arrancar o resto de suas roupas foi enorme, tanto que apertei forte a cintura bem delineada dela tentando fazer passar, se iria mesmo acontecer eu precisava me segurar, manter o controle e não assustar a minha pequena. 


Teve uma época que achei que a Dulce podia corresponder a meu sentimento, antes de sua viagem. E tudo fazia a certeza que eu tinha aumentar cada vez mais, o jeitinho dela sorrir estreitando os olhos, suas manhas quando queria algo... As vezes que dormiu comigo e logo pela manhã, ao abrir os olhos sentia o peso de seu corpo sobre mim... Sua cabeça repousando em meu ombro, uma perna descansando nas minhas e uma de suas mãos segurando suavemente minha cintura... Eu deixava sempre um suspiro satisfeito escapar afundando meu nariz em suas madeixas até então escuras e compridas. 


Mas a viagem surgiu, ela se distanciou, mudou a cor do cabelo e logo estava embarcando. Fiquei com raiva e não fui ao aeroporto me despedir, eu tinha feito isso uma noite antes. Com a ajuda da Perroni pulei sua janela do quarto, na casa de seus pais. Me aproximei da cama e sorrateiramente acariciei a pele de seu rosto, ela resmungou algo que não pude decifrar se mexendo e mudando de posição, ficou de barriga para cima. 


Aproveitando isso selei com cuidado seus lábios tendo consciência de que ela estava perdida no mundo dos sonhos, fiquei um bom tempo ali analisando-a até por fim voltar a saltar a janela e ir embora.


Um gemido escapou vindo dela me fazendo despertar aprofundando cada vez mais aquele beijo... E que beijo. Todos meus pelos eriçaram e minha pele se encontrava extremamente quente, mas então o alto e dançante som de: Camarote – Wesley Safadão – invadiu nossos ouvidos fazendo Dul despertar e se afastar de mim.


Eu estreitei os olhos tendo em mente que isso só pode ser obra de apenas uma pessoa. Vocês acham que é a Perroni? Pois bem erraram... Isso é obra de José Christian Garza Chávez. Aquele louro tingido se auto definiu brasileiro e passou a amar variados ritmos musicais do país tropical, dentre eles o forró. Faz pouco mais de duas semanas que ele estava aqui nos visitando, e mexendo em minhas coisas. Mas por quê não? Ele mesmo vive dizendo que: *Tu casa és mi casa.*


[... E revelando só cá para nós, ele fez Perroni e eu escutarmos todas as suas músicas favoritas. E Camarote estava incluída no meio delas.]


Então a voz decidida e cheia de energia de Wesley Safadão me lembrou que eu devia atender, já que o clima tinha sido quebrado.


– Alô! — Minha voz saiu grossa e irritada.


– Oi amiga e aí tá tudo bem com vocês? 


Tirei o aparelho celular do ouvido direito rapidamente, encarando com raiva a foto sorridente dela. 


– Perroni! — Rangi os dentes voltando a ajeitá-lo onde antes estava.
 


 


 


♡♡


***Noite boaa galerinhaaaa!!!***  


Lika: Bem vinda amore 😍😘



Compartilhe este capítulo:

Autor(a): @Jhamy_22

Este autor(a) escreve mais 6 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

  – Hey quê houve Any?  Bom não sei se fico com raiva de mim por ter atendido, ou da Perroni por ter atrapalhado. – Any? — Ela esperou alguns minutos recebendo o silêncio em resposta. Maite suspirou tenho certeza que frustrada por meu silêncio.  – Anahi pare de ser mal criada e me responda! – Ok. Oi ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 114



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • nanda_reys Postado em 14/02/2022 - 20:02:46

    Continuaaaaaaaa!!

  • nanda_reys Postado em 14/02/2022 - 20:02:20

    AAHHHH que lindas!!!

  • siempreportinon Postado em 12/02/2022 - 18:51:48

    Nem acredito que essa história vai continuar!!! Que maravilha!!! Não para por favor

  • Precious💎 Postado em 28/01/2022 - 19:50:44

    Maravilhosa!! Posta mais**

    • @Jhamy_22 Postado em 11/02/2022 - 17:28:32

      Muito obrigadaaa, continuando<3

  • Bia_Fagundes Postado em 28/01/2022 - 13:51:40

    Putz! Que capítulo hein, continuaaaaaaa

    • @Jhamy_22 Postado em 11/02/2022 - 17:28:04

      obrigadaaa. Continuando<3

  • Bia_Fagundes Postado em 23/05/2020 - 12:30:50

    AAHHH como eu quero elas juntassss

    • @Jhamy_22 Postado em 23/05/2020 - 12:51:16

      Kkkk sou suspeita para falar, mas eu também.

  • Bia_Fagundes Postado em 12/05/2020 - 23:06:09

    Aaaahhhh eu preciso demais!!!

    • @Jhamy_22 Postado em 23/05/2020 - 12:49:16

      Postado amore.

  • Precious💎 Postado em 09/04/2020 - 01:17:13

    Capítulos maravilhosos! Pena que já tá no fim.

    • @Jhamy_22 Postado em 23/05/2020 - 12:47:52

      Aaah obrigada, sim tá no finalzinho.

  • universo☆webs Postado em 09/04/2020 - 01:12:06

    Logo quando tá fikando bom!!!! Volta logo.&#128153;

    • @Jhamy_22 Postado em 23/05/2020 - 12:47:12

      Postado mulher kk

  • hunter1d Postado em 09/04/2020 - 01:05:51

    Uhuuuu vc voltou!!!!

    • @Jhamy_22 Postado em 23/05/2020 - 12:43:49

      Sim kkkk, demorei, mas voltei.


- Links Patrocinados -

Nossas redes sociais