Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Os Opostos Se Completam | Tema: AyA Rebelde Opostos


Capítulo: Capítulo 102

343 visualizações Denunciar


Enquanto isso, na sala...


Ruth entrou feito um furacão pela porta da sala, sem nem se tocar de que Maite estava por ali assistindo um desenho animado cujo o nome nem ela mesma sabia. Apenas gostou das cores e do que se tratava a história deles. A garota estranhou completamente a reação de Ruth, mas não se atreveu a perguntar, e nem mesmo a chamou. Enquanto continuou tentando adivinhar o que Ruth estava sentindo, ela por sua vez, subiu as escadas e correu até seu quarto desejando que tudo não passasse de um sonho conturbado apenas.



Ruth deitou em sua cama e chorou por quase uma hora, sem cessar. Todas as lembranças de meses com Ricardo vieram em sua mente, mas logo Fábio perturbou, e a fez lembrar também dos anos que passaram juntos. Do casamento, das juras de amor e de quando teve o Alfonso, que até ali Fábio parecia amá-la, ou fingia muito bem. Maite decidiu subir para ver o que tinha acontecido, e vagarosamente abriu a porta de Ruth, dando de cara com ela ainda chorando. Sem pedir licença, entrou no quarto, fechou a porta e caminhou até a cama, sentando ao seu lado. Ruth a olhou, mas não disse nada, apenas a abraçou forte e chorou em seu ombro como se o que precisasse naquele momento fosse realmente aquilo, alguém que a consolasse até que pudesse se acalmar.



Apesar de Maite não saber o que fazer, deu seu abraço mais sincero de todo seu coração, até que finalmente Ruth conseguiu se recompor. Mai limpou suas lágrimas com os polegares e acariciou seu rosto.



- Quer me contar o que houve tia? Nunca vi a senhora assim – respirou fundo, esperando que Ruth contasse a verdade.



Por um lado ela queria desabafar seu peito. Mas, como dizer que Alfonso e Anahí eram primos? Como explicar que os dois, com um amor maior que eles, tem o mesmo laço sanguíneo e que talvez o filho deles nascesse com problemas por serem de primeiro grau? Isso para Ruth era uma tortura tão grande, que só de pensar em começar a contar tudo para Mai, o nó na garganta voltou e ela tornou a chorar. E além disso, ainda tinha o medo do que poderiam pensar ao saberem que Ruth estava quase namorando o irmão do seu ex-marido. Como seria a reação do Alfonso e de todos os outros?



- Eu preciso, Mai – suspirou – Mas não consigo agora. Eu tenho medo do que poderia pensar de mim.



Maite segurou seu rosto com as duas mãos e beijou seu rosto com ternura e delicadeza.



- Tia, eu sou a pessoa que menos posso julgar os outros – entortou os lados – Eu estou grávida de uma pessoa que mal conheço. A única coisa que descobri essa semana, é que o cara se chama Rafael e é o filho do dono da boate. Tia, conta para mim. Eu não vou julga-la de maneira alguma! Tenho certeza que isso não irá mudar a admiração que tenho por tudo que fez nessa vida. Poxa, você é mãe e pai ao mesmo tempo, faz de tudo para seus filhos e ainda ajuda duas doidas. Uma que fugiu de casa e outra que está grávida e foi expulsa pelo próprio pai. – acariciou novamente o rosto de Ruth – Eu amo a senhora e admiro demais tudo o que fez. De coração mesmo!



Ruth abraçou Maite sentindo o peso das palavras da garota tirar a angústia que estava sentindo. Ouvir o que uma garota de quase 18 anos a admirava, era realmente algo para levar a vida inteira. Era algo que deu uma força imensa para Ruth abrir seu coração, e até renovar suas energias.



- Vou te contar – sussurrou Ruth, sentindo em seu peito que faria a coisa certa – Mas por favor, que fique só entre nós, está bem?



- Prometo tia! Só quero que saiba que eu estarei com a senhora.



Enquanto na zona norte Ruth contava tudo para Maite em seus mínimos detalhes, Ricardo na zona sul quase surtava enquanto enfrentava um trânsito imenso para chegar até sua casa. Eram tantas perturbações em sua cabeça, que ele tinha impressão de que não suportaria muito tempo.



Minutos depois dirigindo, chegou na rua de sua casa e logo sentiu um arrepio imenso correr sua espinha. O carro de Fábio estava parado na calçada de sua casa, e o de Regina logo atrás. Ricardo não sabia com que cara encararia seu irmão depois daquela descoberta, mas não tinha para onde correr. Não podia fugir de sua casa. Como sua filha fez. Tinha que encarar a realidade e ficar sob o mesmo teto dos dois até quando decidisse que rumo tomar.



Assim que estacionou seu carro atrás do de sua esposa, Ricardo desceu do carro, travou e respirou fundo antes mesmo de virar-se em direção ao portão. Ficou cerca de quatro minutos encarando a casa inteira antes de conseguir entrar. Quando finalmente conseguiu, ouviu a voz de Alicia cantando uma música romântica que ela amava, mas ao contrário de todas às vezes, Ricardo queria passar pela sala e não ver sua filha por aquele dia. Pensar que ela foi um pivô para que Anahí o enfrentasse, doía seu peito de forma incomum.



- Pai? – Ricardo virou em direção àquela voz, e viu Christopher o olhando da ponta da escada – Está tudo bem?



Pela primeira vez o homem demonstrou fraqueza na frente de um de seus filhos. O homem de poucos cabelos grisalhos por causa da genética, ficou com lágrimas nos olhos apenas por uma pergunta simples de um de seus filhos. Talvez não quisesse chorar, mas era sua única saída ao perceber o quão perdido estava por se apaixonar perdidamente pela mulher de seu irmão.



- Não estou bem, Christopher – deixou seu corpo ceder, e só não caiu por se apoiar na parede perto da escada. Christopher olhou seu pai como se enxergasse uma criança em sua frente, e deu um passo em sua direção, sem saber se o abraçava ou não.



- Quer me contar o que houve? – perguntou receoso – Sei que o senhor não costuma se abrir, mas se quiser...



- Eu quero! – disse, sem pensar duas vezes- Eu preciso, meu filho!



Meu filho? – pensou Christopher, mas não teve coragem para interrogá-lo.



Isso era raro de se ver. Na maioria das vezes Ricardo impunha suas vontades sem nem falar o nome dos filhos. Talvez fosse um pouco cruel, mas ele preferia usar palavras do tipo “rapaz”, do que “filho”. E lá estava ele tão vulnerável perto do sofá, tão perdido entre o ficar e o correr, que nem mesmo queria segurar seu desabafo. Não queria guardar para si.



- Vamos ao escritório. O senhor me conta e eu vejo o que posso fazer para ajudá-lo.
Ricardo negou com a cabeça e o olhou com as lágrimas escorrendo.



- Não pode fazer nada, nem mesmo eu posso – suspirou – Mas preciso contar. E... Vamos ao meu quarto. Não é uma coisa de serviço para ser dita no escritório.



- Mas o senhor sempre... – Christopher ia interroga-lo, mas preferiu se calar. Ricardo estava perturbado demais para que fosse interrogado. Se ele queria conversar em seu quarto, então que fosse lá.



Enquanto contava sua história maluca de como se apaixonou perdidamente por Ruth, e de como Alfonso e Anahí passaram de nada-para-primos... Maite consolava Ruth na zona norte.



- Não vou suportar ficar longe de Ricardo – disse Ruth, deixando Maite completamente sem palavras. Por mais que pensasse nas palavras certas, não tinha muito bem o que dizer no momento. Qualquer coisa que fosse dita, não tiraria a dor que sentia por estar tão triste pela descoberta. Tudo era tão recente ainda, que a única coisa que Maite poderia fazer era consolar Ruth sem dizer nada. Apenas com afeto, abraços e dizendo que estaria com ela e que tudo se resolveria com muita fé em Deus.



As duas ficaram por horas a fio naquele quarto. Ruth até esqueceu que tinha de buscar Miguel na casa de seu amiguinho. Ela até estava mais calma, mas quando pensava em encarar seu filho, tudo voltava a ser profundo demais. Intenso demais, doloroso demais. Alfonso era cabeça dura, e jamais entenderia tudo que estava acontecendo, com tanta facilidade. Seu pai ser tio do amor de sua vida poderia tirar o sossego do rapaz, e era isso que sua mãe mais tinha medo.



Quando finalmente se acalmou, Maite a acomodou em sua cama, a cobriu ficou com ela até que pegasse no sono. Demorou cerca de meia hora para que finalmente conseguisse relaxar.



Por outro lado na zona sul, após contar tudo para seu filho, Ricardo saiu correndo, sentindo-se envergonhado por tudo o que estava acontecendo, e acabou saindo de casa completamente sem rumo, e sem nem ouvir os pedidos de Christopher para que ele não fosse. Poderia ser triste e algo inédito, mas a única opção que o homem viu naquele momento, era enterrar seus lábios em um copo de bebida do primeiro bar que achasse, e assim o fez. Virou a madrugada enchendo sua cara e contando sua história para o garçom que não aguentava mais ouvir suas lamentações.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): anyeponcho

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).

Prévia do próximo capítulo

Anahí narrando: Ainda meio sonolenta, senti lábios tocarem meu pescoço e descerem para o resto do meu corpo que ainda estava desnudo. Eu sabia que era o meu amor, então minha única reação foi sorrir e me virar de frente, dando mais acesso ao meu corpo, para que ele pudesse assim me beijar melhor. Eu sentia meu corpo inteiro e ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 246



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • degomes Postado em 16/08/2019 - 07:06:00

    Contínua 🙏

    • anyeponcho Postado em 27/08/2019 - 11:29:34

      Continuei =)

  • AnaCarolina Postado em 11/08/2019 - 18:54:57

    Mas como assim gente? Me diz que esse exame foi alterado

    • anyeponcho Postado em 27/08/2019 - 11:30:28

      Será? Vamos saber o que aconteceu daqui a alguns capítulos... Só digo uma coisa: a história é AyA, então....

  • AnaCarolina Postado em 30/07/2019 - 09:17:33

    Aaaaah esse momento é todinho meeeeu Continua

    • anyeponcho Postado em 04/08/2019 - 16:52:08

      =) Foi pequenininho o poste, mas, mais tarde tem mais ;)

  • luananevess Postado em 28/07/2019 - 21:35:41

    Continua

    • anyeponcho Postado em 04/08/2019 - 16:51:23

      Continuando.... =)

  • AnaCarolina Postado em 07/07/2019 - 22:19:16

    Continuada <3

    • anyeponcho Postado em 18/07/2019 - 23:37:48

      Postei 2 vezes hoje &#128512;

    • AnaCarolina Postado em 07/07/2019 - 22:19:44

      Continua* hehehe

  • AnaCarolina Postado em 10/06/2019 - 18:36:10

    Caramba, que merda! Não vejo a hora de tudo se resolver de vez :'(

    • anyeponcho Postado em 14/06/2019 - 17:07:20

      Eu também :) Mas, infelizmente vai demorar um pouquinho pra acontecer

  • AnaCarolina Postado em 10/06/2019 - 13:59:58

    Oláaaa já já vou ler os capítulos e volto pra comentar <3

  • AnaCarolina Postado em 04/05/2019 - 00:05:27

    Cadê você?

    • anyeponcho Postado em 14/05/2019 - 20:49:51

      Volteiiiii!!! Passei por uns momentos ruins, mais agora estou de volta =)

  • AnaCarolina Postado em 09/04/2019 - 21:51:48

    Tadinha da Mai :(

  • AnaCarolina Postado em 31/03/2019 - 22:43:19

    Que bom que apesar de tudo o Ricardo entendeu e não demitiu ele... Continua



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...