Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Os Opostos Se Completam | Tema: AyA Rebelde Opostos


Capítulo: Capítulo 138

201 visualizações Denunciar


Anahí narrando:



Abri meus olhos com o susto. Minha cabeça parecia que explodiria a qualquer momento. Eu tive alguns flashes do que tinha acontecido comigo, mas eu não lembrava de tudo completamente. Eu nem sabia se já tinha virado o dia, se era o mesmo, ou como havia chegado em casa. A única coisa que eu me lembrava era de ter cortado meu cabelo e me embebedado como se fosse o fim do mundo. Lembro-me também de ter ligado para o Alfonso, mas não conseguia recordar o que tínhamos conversado. Se é que dava para conversar comigo naquele estado em que me encontrava.


Meu corpo estava meio tenso, dolorido, mas percebi que estava vestida apenas de lingerie. Tentei me levantar, mas estava presa em alguém. Olhei para o lado e percebi que era um braço forte, cheio de pelos que o deixava ainda mais másculos. Era o meu Poncho, meu amor, minha vida. Era ele. Eu não sabia se chorava ou se sorria. Fiquei inerte, parada. Tive até medo de me mexer e ele acordar. Não queria nem pensar que ele pudesse sair do meu quarto, era o mesmo que ele estivesse saindo da minha vida.


Com muito cuidado, virei em sua direção, e me deparei com uma visão linda dele. Dormindo tão sereno que nem parecia o mesmo grosso que havia sido todos aqueles dias desde que descobriu nossa possível ligação. Passei a ponta do indicador pelo seu rosto inteiro, contornando cada traço seu. Estava embasbacada com tanta beleza sua, e com sua respiração próxima a minha, seus lábios a centímetros dos meus. Isso era quase enlouquecedor. Até um pouco masoquista, mas eu não conseguia sair dali. Aquela cama, com ele me abraçando, passou a ser um dos meus lugares favoritos no mundo. Talvez não fosse o fato do lugar onde estávamos, mas sim por eu estar em seus braços.


Respirei fundo e depositei um beijo em seus lábios. Apenas um selinho para matar a saudade, ou aumentá-la, já que não poderia ter mais que beijos na bochecha. Beijei seu maxilar e desci até o seu pescoço. Alfonso se mexeu e respirou fundo. Parei os movimentos com medo de levar uma bronca, e apenas continuei ali quietinha o apreciando. Como era bom estar ali!


Passei quase 20 minutos o olhando, querendo gravar cada expressão sua e todos os seus traços que combinavam perfeitamente. Era um conjunto. Tudo nele, simplesmente tudo, até mesmo os pelos de suas sobrancelhas ou narinas, o deixava ainda mais lindo. Eu queria poder sequestrá-lo, viajar para uma ilha deserta e ali esquecermos todos os nossos problemas. Não teríamos mais nada para nos incomodar, e ninguém iria poder nos separar. Mesmo que fosse errado, insano... Poderíamos ficar juntos para sempre.


Alfonso abriu os olhos vagarosamente, pegando-me completamente desprevenida. Fui pega de surpresa e nem tive como disfarçar. Continuei ali o encarando, enquanto ele correspondia seu olhar com a mesma intensidade. Estava esperando um esporro, e ele sair correndo da cama, mas ao invés disso, ele abraçou meu corpo completamente e nos uniu, deixando-me quase sem ar. Não me importei. O apertei de volta e coloquei minha cabeça na curva do seu pescoço, inalando seu cheiro gostoso, que misturava o perfume com a naturalidade que sua pele exalava. De todos os cheiros que já senti, aquele era o melhor.


- Está melhor? – sussurrou. Fechei meus olhos e deixei que suas palavras perfurassem meus típanos. Era tão gostoso ouvir aquele tom de voz carinhoso, que eu desejei ouvir para sempre.


O apertei ainda mais em mim, fazendo-o grunhir baixinho.


- Ainda estou um pouco zonza, mas com você aqui, como não melhorar?- fui direta. Com ele ao meu lado eu poderia enfrentar até Ricardo quando era tomado pela ira, no passado. Me ofendendo de todas as formas. Com o Poncho ao meu lado eu ficava bem.


Alfonso se calou por alguns minutos. Parte de mim recriminou-me por ser tão direta em um momento daqueles, mas a outra parte queria mais era isso, falar o que passava pela minha cabeça, sem medo de ser recriminada. Eu já o tinha mesmo, o que mais poderia dar errado? Ser sincera não era considerado um crime.


- Eu preciso ir para casa. Tenho que pegar a moto no bar – respirou fundo. Alfonso nos afastou vagarosamente e me olhou nos olhos. Sustentei seu olhar. Eu queria chorar, ainda mais na frente dos outros. Não queria a pena do Alfonso, queria somente que ele me entendesse. Que não me tratasse como uma pessoa qualquer depois de tudo que passamos juntos.


Não poderíamos mais ser um do outro, tudo bem. Mas e o respeito? Não precisava ser tão grosso.


Eu queria protestar, mas quando vi, Alfonso estava vestindo sua camiseta e sentando novamente na cama para colocar seu tênis. Ainda perguntei o que tinha acontecido, e ele me contou em seus mínimos detalhes, sem esconder absolutamente nada. Contou do vexame em cima da mesa, da ligação sem cabimento que fiz a ele, e até que tirei a camiseta na mesa da sinuca. E dancei escancaradamente um funk sensual, na frente de um bar abarrotado de pessoas. Senti minhas bochechas corarem enquanto falava, e senti até tensão em sua voz. A cada coisa detalhada, Alfonso ficava mais rígido, mas sério. Como se sua maior vontade realmente fosse me matar.


- Tem noção do que senti ao te ver ali naquele bar? – perguntou rudemente. Seus olhos estavam vermelhos, enormes. Saindo faíscas de raiva por eles.


Engoli em seco. Eu estava realmente fora de mim para fazer todas aquelas atrocidades. E estava tão envergonhada, que não sabia nem como me desculpar por tudo o que tinha presenciado. Realmente não fui madura naquele momento, apesar de que diante de um desespero, poucas pessoas conseguem ter a cabeça no lugar.


- Me desculpa – abaixei a cabeça – Eu estava fora de mim, mas a culpa foi sua! – respirei fundo. O olhei novamente sentindo os meus olhos encherem de lágrimas. Alfonso bufou e virou o seu rosto em direção a porta, incrédulo.


- A culpa é minha, então? – riu forçado – Olha o que tenho de ouvir depois de tudo o que fiz. Depois de ter te buscado...


- Eu não pedi para ir atrás de mim, pedi? – interrompi. Ouvi-lo dizer aquelas coisas doeu. Tudo bem que eu não estava com a razão, mas atire a primeira pedra quem nunca surtou quando estava perdida.


Alfonso me olhou e se levantou. Seus olhos eram ainda mais raivosos que antes, estava com certeza quase pulando em seu pescoço.


- Você é má agradecida! – levantou-se da cama – Da próxima vez que fizer merda, te deixo onde estiver, Anahí. Mesmo que corra risco de te estruparem ou te matarem, não vou atrás, está ouvindo bem? Nem vai adiantar me ligar para fazer drama, não vou me importar!


Bufei.


- Ingrata? Dramática? – ri – Ótimo, muito obrigada! – sai da cama e parei do outro lado perto da porta da varanda, o encarando – Você é um estúpido! Me ignorou desde o meu aniversário. Me tratou mal, me disse mil coisas que me deixou ainda mais arrasada. Eu já estava triste demais, sabia? Não foi só você que viu sua vida mudar em sessenta segundos, eu também vi! Seu papaizinho te deixou por minha causa, é isso que te incomoda? E daí? Minha mãe traiu o Ricardo e eu sou filha de outro homem, acha que minha família também não foi destruída? Acha que também não estou transtornada? – eu não media mais meu tom de voz. Queria gritar, bater, morrer... Queria qualquer coisa que me fizesse sentir menos dor do que olhar em seus olhos tristonhos e ver o reflexo de todo o meu sofrimento.


- NÃO TE EVITEI POR CAUSA DO FÁBIO, SUA IDIOTA! – gritou, fazendo o meu coração doer ainda mais. Alfonso jamais usou palavras tão duras para mim antes – ACHA MESMO QUE TUOD ISSO É POR CAUSA DO MEU PAI? ACHA QUE EU NÃO ME IMPORTO COM VOCÊ? QUE NÃO TE AMO? ACHA O QUÊ? PASSAMOS QUASE UM ANO JUNTOS ENTRE IDAS E VINDAS, E PENSA QUE EU SOU FRIO ASSIM PARA TE ESQUECER EM CINCO DIAS? QUE MERDA DE CARA PENSA QUE EU SOU? – caminhou até mim. Na verdade, seus passos foram tão rápidos, que ele estava quase correndo. Parou em minha frente e colocou suas mãos em meus ombros, chacoalhando-me – Acho que a estúpida aqui está sendo você por não perceber o quanto eu te amo! – pausou. Não disse nada, apenas encarei seus olhos, enquanto derramava abruptas lágrimas – Você é tudo pra mim, sua maluca! Eu sou louco por você e é por isso que dói tanto. Eu não posso mais te ter comigo, e... Merda, eu estava amando ser seu. Amando o fato de você ser só minha! – soltou o ar dos pulmões – Como pôde pensar algo assim? – maneou a voz, deixando-a quase terna – Eu quis te evitar para não sofrermos ainda mais, porque toda vez que te vejo, sinto vontade de te beijar e não posso, sinto um desejo enorme de te amar, e isso... Não é possível mais! Eu te amo, caramba! – ele parou de me chacoalhar e me puxou para o seu peito, abraçando-me com força – Tudo seria mais fácil se eu não te amasse, mais eu te amo – sussurrou – E muito!


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): anyeponcho

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).

- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

Alfonso narrando: Anahí não respondeu, apenas enfiou seu rosto em meu pescoço ficando na pontinha de seus pés, e me abraçou tão forte, que por um segundo esqueci de toda a dor do mundo. Seus braços eram meu aconchego, minha calma, minha paz. Ali eu estava realmente pronto para enfrentar todos os meus problemas, todos os meu ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 246



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • degomes Postado em 16/08/2019 - 07:06:00

    Contínua 🙏

    • anyeponcho Postado em 27/08/2019 - 11:29:34

      Continuei =)

  • AnaCarolina Postado em 11/08/2019 - 18:54:57

    Mas como assim gente? Me diz que esse exame foi alterado

    • anyeponcho Postado em 27/08/2019 - 11:30:28

      Será? Vamos saber o que aconteceu daqui a alguns capítulos... Só digo uma coisa: a história é AyA, então....

  • AnaCarolina Postado em 30/07/2019 - 09:17:33

    Aaaaah esse momento é todinho meeeeu Continua

    • anyeponcho Postado em 04/08/2019 - 16:52:08

      =) Foi pequenininho o poste, mas, mais tarde tem mais ;)

  • luananevess Postado em 28/07/2019 - 21:35:41

    Continua

    • anyeponcho Postado em 04/08/2019 - 16:51:23

      Continuando.... =)

  • AnaCarolina Postado em 07/07/2019 - 22:19:16

    Continuada <3

    • anyeponcho Postado em 18/07/2019 - 23:37:48

      Postei 2 vezes hoje &#128512;

    • AnaCarolina Postado em 07/07/2019 - 22:19:44

      Continua* hehehe

  • AnaCarolina Postado em 10/06/2019 - 18:36:10

    Caramba, que merda! Não vejo a hora de tudo se resolver de vez :'(

    • anyeponcho Postado em 14/06/2019 - 17:07:20

      Eu também :) Mas, infelizmente vai demorar um pouquinho pra acontecer

  • AnaCarolina Postado em 10/06/2019 - 13:59:58

    Oláaaa já já vou ler os capítulos e volto pra comentar <3

  • AnaCarolina Postado em 04/05/2019 - 00:05:27

    Cadê você?

    • anyeponcho Postado em 14/05/2019 - 20:49:51

      Volteiiiii!!! Passei por uns momentos ruins, mais agora estou de volta =)

  • AnaCarolina Postado em 09/04/2019 - 21:51:48

    Tadinha da Mai :(

  • AnaCarolina Postado em 31/03/2019 - 22:43:19

    Que bom que apesar de tudo o Ricardo entendeu e não demitiu ele... Continua



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...