Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro

Fanfic: Estúpido Desejo - Vondy - Adaptada - Finalizada | Tema: Romance/Hot/Comedia


Capítulo: Capítulo 81 - Maratona 4/13

2275 visualizações Denunciar


DULCE


A manhã está uma verdadeira me/rda. Estou vomitando a cada cinco minutos, e ficando com fome de novo. Para piorar, na terceira vez que corri para o banheiro, escorreguei no piso molhado e molhei toda a minha roupa. Justo no dia em que estou usando uma blusa social branca! O idiota do meu chefe vai me matar se me vir com a blusa nesse estado. Jogo meu casaco por cima, apesar do calor infernal de Belo Horizonte e quando Leandro sai de sua sala, me olha como se eu fosse louca.


-Senhorita Saviñón, estarei na sala de conferências com os acionistas. Transfira todas as ligações para lá.


-Sim senhor.


Ele ainda me encara por um tempo e sai batendo o pé. É a minha chance. Corro para sua sala e vou até seu banheiro privado. Tiro a blusa e tento limpá-la. Claro que não faria isso no banheiro da empresa, onde qualquer uma poderia me ver. Estou ficando mais esperta depois de pagar tantos micos. Parabenizo-me internamente pela excelente ideia, quando o telefone começa a tocar. Corro até a mesa e ao identificar um dos acionistas da empresa, faço a conferência para a sala onde o "mala" se encontra. Corro para o banheiro de novo, e o telefone toca.


-Mer/da! -grito e corro de volta para repetir o processo.


Isso se repete por cinco vezes seguidas. Quando finalmente para de tocar, volto ao banheiro. Estou tonta e preciso vomitar de novo. Resmungo muito, porque eu nem comi nada desde a última sessão de descarrego do meu estômago, mas ele não se importa com isso. Parece que a mancha na blusa vai sair, sorrio satisfeita. Então o telefone toca de novo. Corro até ele e vejo o número, não é nenhum acionista.


-Acompanhantes Travecas, bom dia. -ele engasga e começo a rir.


-Dulce! Juro que já ia mandar a polícia aí agora mesmo para te resgatar!


-O que é isso, Christopher? Eu nunca seria confundida com uma traveca. -digo rindo e ele ri também. -Por que está me ligando? Você sabe que não pode me ligar no meu horário de trabalho.


-Preciso saber uma coisa, é muito importante. -fico apreensiva. Raramente ele fala comigo nesse tom sério: -Que calcinha está usando? -ele diz com sua voz de pervertido profissional.


-O quê? -eu praticamente grito.


-Você ouviu amor, que calcinha está usando? Usando meu dom de pervertido, posso dizer que é a minha calcinha!


Não sei se rio ou se chamo a sua atenção por me atrapalhar em horário de trabalho por uma besteira dessas! Mas, Leandro não está ali mesmo, que mal vai fazer brincar um pouco?


-Ah, senhor Uckermann! Não deveria dizer essas coisas. Imagina se alguém escuta que você usa calcinha? Estou exatamente com ela. -ele engasga ao telefone: -E ela está bem apertadinha, por causa da gravidez.


-Ah Dulce. Onde você está?


-Na sala do chefe. Ele está em conferência.


-Está sozinha?


-Claro! Não estaria falando sobre a minha calcinha se não estivesse.


-Abre as pernas.


-O quê?


-Vamos Dulce, quero ouvir você.


-De jeito nenhum! Não vou fazer isso na sala do meu chefe.


-Vamos, amor! Estou com saudade. Só um pouquinho... Abra as pernas! -sem perceber faço o que ele pede.


-Agora, arraste minha calcinha preferida para o lado!


-Christopher... -digo temerosa e dou uma olhada na porta fechada. Mais uma vez, faço o que ele pede.


-Você está molhada? -ele pergunta com a voz rouca. Aquela voz sexy que derrete minhas calcinhas!


-Agora estou.


-Ah, Dulce! Agora feche os olhos, e leve seu dedo até meu botão preferido, imagine que é o meu dedo, brincando com você. Não estou te ouvindo, Dulce.


Solto um gemido sem querer e o ouço gemer também.


-Isso meu amor! O quão molhada você está?


-Muito. -digo com dificuldade.


-Agora, imagine meu p/au passeando em você, te tocando bem de leve...


Gemo de novo, é incontrolável.


-Agora leve meu p/au até sua entrada.


Vou com o dedo na direção que ele pede.


-Imagine meu p/au te penetrando bem devagar.


-Não dá! Meu dedo nem se compra com o seu p/au... -ele sorri.


-Imagine amor. Tente!


Começo a fazer o que ele pede, quando o enjoo me toma. Não, não, não! Isso não é hora.


-Christopher! -digo tapando a boca.


-Mas já?


-Não é isso!


Não dá tempo de correr para o banheiro e tudo acontece muito rápido. Eu vomito na primeira gaveta da enorme mesa de Leandro. A porta da sala se abre e um Leandro furioso aparece.


-Dulce Saviñón! Posso saber por que ouço sexo ao telefone com seu namorado no Viva Voz da sala de conferências?


-Não!


Não. Não. Não.


-Sim!


E então ele percebe meu estado, descabelada, o rosto corado, e sem blusa. Imediatamente pego a blusa jogada na mesa e me cubro. Ele pisca os olhos e parece que vai explodir a qualquer momento de tão vermelho. Quero dizer "eu posso explicar", mas a verdade é que não posso. Começo a bater a cabeça na mesa, mer/da, eu devo ter transferido a ligação de Christopher para a conferência, como fiz a manhã inteira! E agora os principais acionistas da empresa me ouviram fazendo sexo ao telefone com meu namorado.Quanto tempo será que essa notícia vai demorar para rodar? Provavelmente na hora da minha saída, os costumeiros cochichos e risinhos já estarão à minha volta.


Meu Deus! Como posso pensar em ser mãe assim? Pobre criança!


Volto a mim quando um tapa forte atinge a mesa, me fazendo dar um pulo.


-Você ouviu o que eu disse? Saia da minha sala agora!


Estou demitida. Me/rda, mer/da, mer/da! Saio com a cabeça baixa e o ra/binho entre as pernas. Visto a blusa rapidamente do lado fora enquanto ele me observa.


-Senhorita Saviñón, não irei demiti-la por causa da sua gravidez! Mas que fique claro que estou sendo muito generoso com a senhorita, pois o que fez é passível de uma justa causa!


-Obrigada senhor.


De repente, toda a raiva some e ele está me avaliando abotoar a blusa, o que faz com que eu enfie os botões todos nas casinhas erradas e ela fica torta. De jeito nenhum vou tirá-la de novo. Ele me avalia um tempo e depois diz, sem nenhum vestígio de raiva na voz:


-Não me agradeça. Lembre-se disso da próxima vez que eu precisar que fique até mais tarde!


Ele volta para a sala dele com uma piscadela e eu quero bater minha cabeça mais forte dessa vez. O homem está me cantando de novo! Achei que isso tinha parado depois de revelar minha gravidez, mas não! Oh Senhor eu devo ser mesmo muito gostosa! Ou esses executivos de hoje não tem um bom sexo em casa.


Volto a minha mesa e me fecho em minha maré de vergonha e fico ali. Pouco depois os outros acionistas que estavam presentes começam a passar por mim e mesmo com a cabeça quase enfiada dentro da gaveta da minha mesa, percebo que eles me olham, cochicham e riem. Quero chorar, mas não sou disso, então discretamente mostro o dedo do meio para o último deles, que me olhou mais tempo. Ele arregala os olhos e entra na sala. Então tiro finalmente minha cabeça da gaveta. Gaveta?!


-Ah, me/rda!


Assim que me levanto, Leandro abre a porta furioso. Na mão dele há algum contrato totalmente manchado com meu vômito.


-O que significa isso?


-Hum... Coisas da gravidez? -ele sacode a mão, mas o papel está grudado nela. Eca!


-Senhorita Saviñón, você está DEMITIDA!


O berro que ele dá é tão grande que tenho a impressão que Christopher o escutou do outro lado da cidade. Nem fico surpresa quando saio da empresa, minhas coisas em uma caixinha, minha cara derrotada, e minha blusa totalmente torta e o vejo. Nem me importo com os olhares que estão sobre mim, nem os de pena e nem os de zombaria. Que se danem todos eles! Desejo internamente que um raio caia e parta esse prédio ao meio, torrando todos aqueles que riem nesse momento da minha desgraça. Até consigo vislumbrar um Leandro totalmente torrado e muito bem morto!


Christopher corre até mim e me segura pelo ombro.


-Ei, o que houve? Por que os botões da sua blusa estão todos nos buracos errados?


Não vou chorar, não vou chorar, não vou chorar...


-Ah! O I-aaaah-di-aaaaah-o-aaaah-tahaaaaaaaa! -ele me aperta entre seus braços quando os soluços me tomam.


-O que ele fez? O que fez? Vou lá em cima agora e o mato se ele tiver colocado as mãos em você!


Então começo a rir. Christopher me olha como se eu fosse louca. Quero dizer a ele que esses hormônios extras estão me deixando doida, mas desisto. Vamos ver se ele se assusta com essa nova Dulce.


-Na verdade ele pegou em algo meu. O vômito que deixei espalhado na gaveta dele. -Christopher abre um enorme sorriso.


-E isso foi antes ou depois de ele te pegar no flagra na sala dele?


Ele está rindo, mas faço uma careta. Com certeza ele ouviu o grito de Leandro quando entrou na sala.


-Não fiquei aí sorrindo! Fui demitida, justa causa. Sou um fiasco!


-Ei, não fale assim! Você é linda e a mulher mais inteligente que eu conheço!


-Sou estabanada e realmente há algo errado comigo. Algo cósmico, castigo eu acho. Não é possível que todas as situações vergonhosas do universo tenham que ser comigo?! -ele me aperta mais uma vez junto ao seu corpo.


-Não fale assim!


-Você já me imaginou dando banho em uma criança? Não pense que vou derrubá-la, vou derrubar a banheira com tudo! Meu filho não vai sobreviver nem uma semana nas minhas mãos. -ele tenta conter, mas sei que quer rir. Belisco-o e ele se explica.


-Sinto muito pelo que passou, mas a verdade é que estou muito contente! Não aguentava mais imaginar você trabalhando perto daquele homem maluco cheio de dedos. Muito melhor assim, você pode se dedicar ao bebê e arrumar um emprego melhor!


-Não fique ai cantando vitória! Fique feliz se o seu nome não estiver no jornal de amanhã: "Christopher Uckermann é chegado a uma calcinha".-ele dá uma gargalhada e me beija, e por um momento, esqueço tudo pelo que passei.


Na manhã seguinte, acordo desanimada. Estou desempregada. E grávida. E não venha me dizer que o pai do meu pobre bebê é rico, porque não quero que meu filho dependa somente dele! Estou tomando meu café, desanimada, quando a campainha toca. Nem faço questão de atender. Christopher vai e sorri ao ver Poncho. Annie, que estava jogava novamente no sofá, se levanta como um furacão e nem vejo de onde ela tira a bolsa, mas já está de saída.


-Anahi, não sabia que estaria aqui. -diz Poncho olhando diretamente para ela. Mas ela desconversa e sai falando.


-Não estou mais!


Christopher convida Poncho para tomar café conosco, mas sei que ele não vai fazer isso, é fresco demais para encostar qualquer coisa que não saiba a exata procedência na boca.


-Não, obrigado! Só vim aqui para vê-la Dulce.


-Eu? O que eu fiz agora? -Christopher sorri e Poncho parece não entender.


-Nada, creio eu. Só queria te fazer uma proposta. Fiquei sabendo que está desempregada. E bem, a Mônica é uma péssima secretária, ela falta mais do que vai, e quando vai, some não sei com quem e só aparece no final da tarde!


Ah! Eu avisei! Quero gritar, mas a verdade é que sabia disso, mas guardei para mim.


-Eu quero que você volte a ser minha secretária.


Fico surpresa, mas Christopher está com um sorriso no rosto. O encaro em busca de uma explicação e ele dá de ombros.


-Dulce, nem vou te pedir para ficar sem trabalhar porque sei que você não aceitaria. Mas sei que você gostava de trabalhar com o Poncho. Ele estava precisando de uma secretária, então pensei que poderia ser você.


Fico tocada com a consideração dele, e com o fato de mesmo tendo todo dinheiro e mesmo deixando claro que queria que eu não trabalhasse mais, ainda respeitou a minha vontade e pensou em mim, em vez de pensar nele. Quero abraçá-lo e dizer que o amo, mas me controlo. Não sou sentimental, não sou.


-Eu estou grávida. -digo para Poncho ter certeza. Não vou aceitar reclamações posteriores.


-Eu sei.


-Eu vomito muito.


Poncho faz uma cara de nojo e quase posso sentir a vontade que ele está de enfiar a mão no bolso do paletó e tirar um lenço para se proteger.


-Não é problema, desde que não faça isso perto de mim.


Concordo. Mas não sei se quero isso. Não sei que quero voltar para o lugar onde fui tão humilhada.


-Eu posso pensar?


-Claro, pense à vontade Dulce. De qualquer maneira, a vaga é sua. E espero muito mesmo que a aceite de volta, pois estou ficando louco. -sorrio e ele se despede, sem pegar na minha mão. Imagino que por causa do meu papo sobre vomitar.


Assim que Christopher fecha a porta, nem o espero virar-se para mim. Pulo em suas costas e começo a beijar seu pescoço.


-Eu te amo, te amo, obrigada.


Ele se vira rapidamente me prendendo em sua cintura e me beija com paixão.


-Ah Dulce. Eu adoro quando você tem essas crises de amor tão raras. Amo ouvir você dizer que me ama. Mas, amo mais ainda quando você grita que me ama. -ele dá um tapa em minha bun/da, me fazendo gritar.


-Ai seu filho da pu/ta!


-Quase lá. -ele diz e me arrasta para o quarto.



Compartilhe este capítulo:

Autor(a): AnazinhaCandyS2

Este autor(a) escreve mais 23 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
Prévia do próximo capítulo

CHRISTOPHER Ainda sinto o cheiro da Dulce. Mais um dia em que estou totalmente fora do ar pensando na maldita da Dulce. Ela parece uma praga, me pegou de jeito e fico totalmente infestado. Vejo-a em todos os lugares. Chega a ser assustador. Chris está na minha frente rindo pela milésima vez da minha cara de bobo. É ridículo, eu sei. Um marmanjo ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 526



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • Giullya Postado em 17/03/2019 - 22:24:08

    Oii diva, estava lendo aqui essa história ai pah cheguei ao fim dela e fui ver quem escrevia, tinha que ser vc né pra fic estar um arraso desses! Parabéns arrasou demais, amei do começo ao fim. Sdd bjo <3

  • Tia_Olaf Grey♥ Postado em 07/08/2018 - 21:26:52

    Venho aqui divulgar minha primeira adaptação, se chama: No limite do seu desejo - Mal sabe Anahi que nesta casa há entre os filhos um misterioso moreno de olhos verdes sedutores, tatuado, arrogante e controlador, que segue sua vida conforme traça seus desejos. O Advogado Criminalista Alfonso Herrera será sua perdição e a fará viver dentro de seus limites. Mas será que Anahi terá amor e forças suficientes para conseguir viver no limite de seu desejo? Link: https://fanfics.com.br/fanfic/58362/adaptada-no-limite-do-seu-desejo-aya-18-anah i-alfonso-aya

  • yan10 Postado em 22/03/2018 - 19:06:40

    Acompanhe essa historia de amor e traição que tá mexendo com todos os leitores, FEMME FATALE https://fanfics.com.br/fanfic/57883/femme-fatale-rebelde

  • Dul ☮ Postado em 19/03/2018 - 13:22:25

    Nossaaaaaaa! Eu ameiiiii. Li em uma semana essa fi, não vejo a hora de ver a próxima. Beijos &#10083;&#65039;

  • vondytasiempre Postado em 01/03/2018 - 08:52:41

    Gente visitem la minha fanfic https://fanfics.com.br/fanfic/57802/irresistivel-vondy-e-um-pouco-ponny-hot-rebe ldevondy

  • MissMistake_Vondy Postado em 22/02/2018 - 14:59:32

    AAAAAAAAAAAAAH não acredito que acabou :( melhor fanfic que eu ja li ... dei muitas risadas dul maluquinha é a melhor <3 PARABÉEEEEEEENS

  • vondy_forever15 Postado em 17/02/2018 - 07:18:52

    finalmente..... agora eu sei oq é ter raiva odio e felicidade td ao mesmo tempo kkkkk leitoraa nova.... já to amando

  • linevondy Postado em 14/02/2018 - 13:39:46

    Quero mais linda, me avise quando tiver outra fic ADORO Suas fics! Muita luz e muito amor e o melhor pra ti <3 Beijo lindona *-*

  • linevondy Postado em 14/02/2018 - 13:38:58

    Awntttttttt vontade de chorarrrrrrr

  • linevondy Postado em 14/02/2018 - 13:38:27

    Vou sentir muitas sdds dessa fic, desse casal e dessa autora maravilhosa *-*


- Links Patrocinados -

Nossas redes sociais