Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Mentira Perfeita - Vondy - adaptada | Tema: vondy adaptada


Capítulo: Capítulo 68 - Dulce

190 visualizações Denunciar


  — Queridos amigos, estamos hoje aqui reunidos para testemunhar a união deste homem e desta mulher...
 Olhei para Christopher por entre as flores do buquê. Ele sorriu daquele jeito malandro e piscou, me fazendo ficar vermelha e baixar os olhos. Deus do céu, ele estava tão bonito com aquele paletó cor de areia e a camisa azul-clara, que destacava ainda mais seus cabelos negros. Não usava gravata e havia deixado os dois primeiros botões abertos, revelando os fios escuros e macios onde eu adorava deitar a cabeça. Tentei prestar atenção na cerimônia e varrer da mente as imagens impróprias da noite passada. Eu estava numa igreja, pelo amor de Deus! Provavelmente era pecado pensar em Christopher nu.
  Magda me cutucou com o braço e eu voltei a atenção para o padre e o casal a sua frente.
  — Repita depois de mim. Eu, Berenice Muniz, aceito você, Victor, como meu legítimo marido...
  Sorri conforme minha mãe repetia tudo numa voz clara e ligeiramente divertida. Ela era a noiva mais linda e radiante que eu já tinha visto. E fizera questão de confeccionar o próprio vestido, claro. Uma peça elegante, em um tom de rosa antigo muito delicado. O tubo reto e longo tinha um pouco de renda no busto, a mesma aplicação que havia na gola do casaqueto bem cortado, que a deixou elegante e feminina. Os cabelos estavam presos para cima, sustentando a tiara de vovó Marta com uma quantidade alarmante de laquê, mas Magda me dissera que era assim mesmo e que eu não deveria me preocupar com a
possibilidade de ela ter um ataque de asma.
  Sua recuperação era espantosa, e até o dr. Victor estava surpreso.
  Exceto pelos remédios que a acompanhariam para sempre, sua vida hoje era praticamente a mesma de antes da doença. Isto é, quase. Agora ela estava realizando seu maior sonho.
  Mamãe acabou não cancelando o contrato com a Allure. No fim das contas, já que estava tudo pago, achou que seria boa ideia se outra pessoa o usasse. No caso, ela mesma. Ela pedira Victor em casamento durante um jogo de buraco no mês passado, e a resposta dele fora: “É só marcar a data, Berê. Bati!” E ali estavam eles, aos sessenta e dois e sessenta e cinco anos, começando uma vida juntos. Partiriam dali a dois dias em um cruzeiro que percorreria a costa grega.
  Victor era o noivo perfeito dos contos de fadas, com seu fraque cinza e um cravo branco na lapela. Enquanto minha mãe não conseguia parar de sorrir, o coitado não conseguia parar de chorar.
  Christopher também estava se divertindo com a cena, e me lançou um olhar do tipo “Dá pra acreditar nesse cara?”. Àquela altura eu já conhecia todas as suas expressões.
  Ele havia ido para Munique uma semana depois que eu chegara lá, como prometera. E ficou comigo até eu aprender a me locomover pela cidade. Não que eu precisasse, mas foi bom tê-lo ali, preocupado comigo, cuidando de mim.
  Chefiar a área de TI se provou um imenso desafio, e foi maravilhoso ter o colo dele me esperando quando eu chegava em casa.
  Depois de quinze mágicos dias, Christopher voltou para o Brasil para terminar a faculdade. Ele finalmente mostrou seu game ao professor de roteirização — que ficou louco por Pin, o jogo —, e em poucas semanas conseguiu um investidor
para dar andamento ao projeto. A CU Games saíra do papel.
  Algumas revistas da área apontavam seu game como a próxima febre. Ele até conseguira a página que tanto queria na Wikipédia, embora a palavra “magnata” não constasse nas informações. Ainda, ele vivia ressaltando.
  Os Uckermanns estavam orgulhosos do caçula. Sobretudo Poncho.
  — Agora repita: eu, Victor Augusto Sanchez, aceito você, Berenice...
  Os votos foram proclamados, as alianças trocadas, duas vidas que recomeçavam. Victor encaixou as mãos trêmulas no rosto de minha mãe e a beijou demoradamente, para delírio de Magda.
  E para minha felicidade.
  Eu sei. Acho que o romantismo é mesmo contagioso.
  Na saída da igreja, Christopher me alcançou, furtivamente entrelaçando os dedos aos meus, e me ajudou a distribuir o arroz. Mamãe fez questão de seguir todas as tradições.
  Então, vinda do nada, uma dúzia de pombas sobrevoou a entrada da igreja, para desaparecer em questão de segundos. Mamãe as acompanhou com os olhos marejados.
  — Simplesmente lindo — murmurou.
  Passei os braços ao redor dela, apertando-a com força, depois beijei Victor, que pareceu contente, mas um tanto sem graça. Um homem mais velho, com um largo bigode, se aproximou.
  — Parabéns, Victor. E muitas felicidades para a sua bela dama — cumprimentou, todo galante.
  — Obrigado, Walter.
  — Ora, muito obrigada. — Mamãe corou de leve.
  — E esta bela jovem deve ser a filha de Berenice — ele comentou, me estudando. — Dá para ver a semelhança ente as duas, sobretudo a beleza.
  Mamãe olhou para mim, para os meus cabelos, agora cheios de cachos, graças ao baby liss, para o vestido verde-água — inspirado em um de Audrey, claro — que ela havia feito com tanto amor.
  — Sim — disse, pousando a mão em minha bochecha, os olhos reluzindo de orgulho. — Não existe moça mais linda que a minha Dul. Nem por fora, nem por dentro.
  — Mãe — murmurei, ficando ainda mais vermelha.
  Ela viu Christopher um pouco mais atrás.
  — Meu querido, você está tão bonito! — E o beijou tantas vezes que ele também acabou corando.
  — Agora você sabe como é ser filho da Berenice — comentei, depois que o casal foi engolido pelos convidados, ansiosos por parabenizá-los.
  — Estou começando a descobrir. — Ele coçou a sobrancelha com o polegar.
 Maite e Paulo passaram pela porta de mãos dadas.
  — Sua mãe está maravilhosa! — ela foi dizendo. — Que cerimônia linda, Dul! Vou te dizer: valeu cada centavo. Mal posso esperar para ver o que vai ter na festa.
Eu também!
  — Parabéns, Dulce. — Paulo me lançou uma piscadela, então cumprimentou Christopher com familiaridade.
  Eu e May continuávamos nos falando todos os dias, às vezes sobre trabalho, já que eu enviava relatórios constantes para Hector e Anahi. Na maior parte do tempo, porém, só jogávamos conversa fora, como se ainda morássemos no mesmo continente.
Christian  também cumpriu sua promessa. Ele me ligava pela internet pelo menos três vezes por dia. Até mamãe aprendeu a usar o aplicativo, então me atualizava sobre o que andava fazendo, enviava fotos de si mesma, do prato de comida, do gato que aparecera no jardim e agora lhe fazia companhia (e teve uma que ela enviou por engano, de Victor não vestindo nada além de uma cueca samba- canção — eu ainda tinha pesadelos por causa disso). E me ligava às três da
manhã para bater papo. Isso sempre me fazia rir. Ela nunca lembrava do fuso horário. Minha família continuava perto de mim, mesmo distante.
  Mamãe e Victor escaparam dos convidados, entraram na carruagem — semelhante à de Kate Middleton — e partiram para a recepção apoteótica organizada por Melissa logo em seguida.
  — Christian, meu amor, me deixa só ajeitar a sua gravata! — Magda resmungou ao passar pela porta de braço dado com o filho. Meu amigo revirou os olhos, mas ergueu o queixo, como um bom menino. — Inês! Inês! Espere! Vamos juntas
para a festa! — ela acenou.
  — A senhora precisa de uma carona? — Walter perguntou a ela, todo galante.
  Magda se deteve e o encarou por um instante. Seus olhos perderam o foco ao admirar o largo bigode.
  — Bem... sim.
  Ele lhe ofereceu o braço.
  — Será um prazer acompanhá-la. 


  Ela não hesitou, aceitando o braço com uma expressão que era pura lisonja e... algo mais.
Christopher riu, olhando para a cara amarrada de Christian.
  — Quem sabe a sua mãe é a próxima a casar — ele disse ao meu amigo.
  — Era só o que faltava! — Christian gemeu. — É melhor aquele sujeito manter os bigodes longe da minha mãezinha!
  Dei risada.
  — Ah, Christian, deixa ela se divertir um pouquinho. Pode ser que seja só um lance sem importância.
  — Minha mãe não tem essas coisas de lance sem importância. — Ele se empertigou e eu acabei rindo de novo.
  — Mas eu pedi um cupido! Cupidos não têm genitais! — Melissa saiu da igreja cuspindo fogo. — Não me interessa. Os convidados não podem ser obrigados a olhar para um testículo enquanto enchem os pratos. Livre-se dele, Fabi. Não do cupido, dos testículos! — Ela revirou os olhos.
Christian e Christopher silvaram em uníssono.
  Ela ouviu, se deteve por um instante e pousou a mão no ombro do meu amigo.
  — Aproveite a folga.
 Ele apenas abanou a cabeça, enquanto ela seguia gritando com a tal Fabi.
  — Eu estou amando meu novo emprego, e adoro a Mel, mas às vezes ela me apavora.
  — Dá pra entender por quê — Christopher concordou.
  — É melhor eu ir agora. — Ele se inclinou para me beijar.
  — Opa, sem beijinhos. Circulando, Christian. — Christopher passou um braço possessivo por minha cintura.
Christian estreitou os olhos para ele.
  — Eu vou, mas só porque quero pegar um bom lugar na festa. — E relanceou um dos convidados de Victor, um belo rapaz de gravata roxa que também não tirava os olhos dele.
  Meu amigo estava com o coração vazio, mas andava ocupado. Ele e Melissa, da Allure, acabaram se encontrando por acaso em uma festa e ela descolou um bico na agência para ele. Ali estava algo que realmente empolgava Christian.
  Organizar festas, conhecer gente nova todos os dias. E ele se saiu tão bem, era tão carismático, que acabou sendo efetivado. Eu nunca o vira tão animado.
  Exceto quando ele mencionava suas próximas férias em Munique. Christopher o estava ajudando com o roteiro. Eles ainda se desentendiam, mas acho que era mais por diversão que qualquer outra coisa.
  — Eu vou indo, então. — Meu amigo deu dois passos, se afastando, mas se deteve e encarou Christopher por sobre o ombro. — E, apenas para a sua informação, ela me beija o tempo todo quando você não está por perto. — E seguiu seu caminho gingando.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): wermelinnger

Este autor(a) escreve mais 6 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
Prévia do próximo capítulo

— Eu odeio esse cara. Um folgado do caramba — Christopher reclamou, de cara amarrada.  — Odeia nada. Vocês só ficam nessa disputa boba de meninos de sete anos para ver quem vai ganhar mais a minha atenção.  Ele me encarou com aquele seu meio-sorriso.  — Eu estou ganhando, certo?  — Por uma larga dif ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 202



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • Vondy Forever❤ Postado em 20/02/2020 - 19:32:55

    Nossa eu amei essa história do começo ao fim, e uma história linda de amor e de superação e bastante engraçada. Amei a tia Berê ter casado com o médico que acompanhou o seu caso no final. Abraços..

    • wermelinnger Postado em 29/02/2020 - 17:02:59

      Oii eu tambem amei esse final feliz para a tia Bere. Obrigada por ler e comentar Beijinhos

  • ana_vondy03 Postado em 18/02/2020 - 17:40:58

    Aaaaa eu não acredito que acabou! Vou dar uma passadinha lá nas outras histórias! Simplesmente adorei o final da história, bem q poderia ter uma continuação né? Kkkkk

    • wermelinnger Postado em 19/02/2020 - 07:14:38

      Pois É nem eu acredito:( passa sim tenho certeza que vai adorar

  • mari_vondy Postado em 18/02/2020 - 10:31:29

    Ai que final lindo, dona Berenice se deu bem. Vondy finalmente juntos, tão fofo. Amei a fanfic

    • wermelinnger Postado em 19/02/2020 - 07:14:06

      Pois É dona Berenice finalmente realizou seu sonho de casar. Que bom que gostou

  • ana_vondy03 Postado em 17/02/2020 - 13:19:11

    Hahahaha amei a reconciliação! Aaaa eu n qro q acabe, vou sentir mta falta de ler a história! Continuaaa amoreee S2

    • wermelinnger Postado em 19/02/2020 - 07:14:56

      Eu tmb vou sentir falta

  • mari_vondy Postado em 17/02/2020 - 10:30:22

    continuaaaaaaaaa, que reconciliação mais fofa, amei

    • wermelinnger Postado em 17/02/2020 - 13:08:55

      Gostou? Tambem achei fofo!!

  • ana_vondy03 Postado em 15/02/2020 - 12:04:59

    Naaaao cara tô chorando aqui! O Christopher eh um fofo! Espero q agora ela perdoe ele! Continuaaa amoreee S2

    • wermelinnger Postado em 17/02/2020 - 13:08:36

      Ele quando nao tá sendo um idiota É um fofo mesmo

  • mari_vondy Postado em 15/02/2020 - 08:45:02

    continuaaaaaaaaa, aí Dulce vai atrás dele logo kk ansiosa pelos próximos capítulos

    • wermelinnger Postado em 17/02/2020 - 13:08:08

      Continuando

  • ana_vondy03 Postado em 14/02/2020 - 13:10:15

    Não tinha pensado q a Dulce era o alvo da Samantha, mas do msm modo ela tava louca kkkkk continuaaa amoreee S2

    • wermelinnger Postado em 15/02/2020 - 07:40:09

      Quando eu li eu também não imaginav que era esse motivo Continuando

  • mari_vondy Postado em 14/02/2020 - 10:34:21

    continuaaaaaaaaa, tadinho do Christopher, ainda bem que Samantha vai ficar bem longe agora

    • wermelinnger Postado em 15/02/2020 - 07:39:18

      Continuando....

  • mari_vondy Postado em 14/02/2020 - 09:12:49

    continuaaaaaaaaa, posta outro sim, nem imaginei que a Samantha queria era a Dulce, Vondy tem que se acertar logo

    • wermelinnger Postado em 14/02/2020 - 09:37:13

      Prontinho... depois posto a continuação do cap



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...