Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Um Beijo À Meia-Noite AyA | Tema: Ponny Contos De Fadas Adaptada


Capítulo: Capítulo-02

56 visualizações Denunciar


Castelo Pomeroy


Lancashire


*****


– Vossa Alteza.


O príncipe em questão, que atendia pelo nome de Alfonso Herrera Rodrigues , ergueu o olhar e encontrou diante de si seu mordomo, Berwick, segurando uma bandeja.


– Estou ocupado com os fragmentos deste unguentário, Wick. Seja breve.


– Unguentário – repetiu Wick, com desgosto. – Parece o nome de um item libidinoso que poderia ser comprado em Paris. No lado inadequado de Paris – acrescentou.


– Poupe-me de suas críticas – disse Gabriel. – Este vaso em particular destinava-se aos mortos e não aos vivos. Era usado para guardar seis pequenos ossos para o jogo da bugalha e foi encontrado no túmulo de uma criança.


Wick abaixou-se e fitou os pedaços de barro espalhados na escrivaninha.


– E onde estão os ossos?


– Biggitstiff esbugalhado jogou tudo fora. Jogou fora também este pequeno vaso, pois a criança era pobre e ele só está interessado em violar as tumbas dos reis. Estou tentando descobrir como ficava presa a tampa, que eu não tenho. Acho que havia rebites de bronze nas duas peças. – Ele apontou. – E os rebites foram consertados pelo menos uma vez antes de o unguentário ser colocado no túmulo, está vendo?


– Precisa de conserto de novo. Por que está se preocupando com isso?


– Este jogo era tudo o que os pais desta criança tinham para lhe dar, para sua jornada ao mundo dos mortos – explicou Alfonso, erguendo a lupa. – Por que esta oferenda não poderia ser tão apreciada quanto o ouro que Biggitstiff procura?


– Chegou uma mensagem da parte da comitiva de lady Diana– disse Wick, aparentemente aceitando o posicionamento de Gabriel em relação ao jogo. – Ela está agora na França e chegará dentro do previsto. Tivemos duzentas confirmações para o baile de noivado; entre elas, a de seu sobrinho, Algernon Bennett, lorde Dimsdale. Na verdade, creio que o visconde chegará antes do baile.


– Trazendo o velocino de ouro?


O sobrinho de Alfonso – de quem ele se lembrava vagamente como um garoto de traseiro gorducho – ficara noivo de uma das mais ricas herdeiras da Inglaterra.


– O senhor visconde estará acompanhado de sua noiva, a Srta. Victoria Portilla – acrescentou Wick, olhando suas anotações.


– É difícil imaginar que Dimsdale tenha conseguido conquistar tal tesouro. Talvez ela seja sardenta ou vesga – disse Alfonso, alinhando cuidadosamente os fragmentos de barro, para determinar onde ficavam os rebites.


Wick balançou a cabeça.


– Quando debutou, na última primavera, a Srta. Portilla foi considerada uma das mulheres mais belas da Inglaterra.


Eles haviam chegado ao país fazia poucos meses, mas Wick já tinha boas fontes para saber das fofocas relevantes da aristocracia.


– Sua adoração pelo noivo também foi universalmente reconhecida.


– Ela ainda não me conheceu – declarou Alfonso, com indiferença. – Quem sabe eu não deva roubá-la antes da chegada da minha própria noiva? Um velocino de ouro inglês por um russo. Meu inglês é bem melhor do que meu russo.


Wick não disse uma palavra; lentamente, olhou Alfonso da cabeça aos pés. Alfonso sabia o que o mordomo via: o cabelo negro cobrindo uma falha na cabeça; as sobrancelhas se unindo acima dos olhos e assustando algumas mulheres; uma sombra de barba que nunca desaparecia. Alguma coisa em sua fisionomia afugentava as mulheres mais meigas, aquelas que pensariam em se aconchegar e acariciar seus cabelos após o sexo.


– Claro que é possível tentar – comentou Wick. – Mas acredito que estará muito ocupado tentando encantar sua própria noiva.


Não era seu melhor insulto, mas era bastante bom.


– Pelo modo como fala, parece que Diana vai sair correndo ao me ver.


Alfonso sabia muito bem que o brilho de ferocidade em seus olhos assustava as damas mais acostumadas com os cães de pequeno porte. Ele precisava encontrar uma mulher cujos olhos não se arregalassem nem cintilassem de felicidade diante da perspectiva de ser apresentada a um príncipe. As mulheres costumavam apreciar a ideia de conquistar um príncipe.


Porém, aquela seria a primeira vez que ele tentaria seduzir uma esposa em vez de uma amante. E era necessário admitir que as mulheres levavam as coisas muito mais a sério quando o assunto era casamento.


Ele praguejou mentalmente. E então voltou-se para o pequeno vaso diante de si.


– Mas minha noiva não terá mais poder de decisão do que eu sobre este assunto.


Wick se curvou. Partiu tão silenciosamente quanto havia chegado.


****************


 


 


Comentem !


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): ponnyayalove

Este autor(a) escreve mais 22 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -



Loading...

Autor(a) ainda não publicou o próximo capítulo



Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 2



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • Thaysilva Postado em 13/05/2018 - 23:51:56

    Já pode posta mais.

  • Nandacolucci Postado em 04/03/2018 - 23:46:50

    1 leitora CONTINUAAAAAAAAAAA


- Links Patrocinados -

AVISO

Novidades na plataforma, na parte superior você encontra um novo ícone "B" que dá acesso ao novo BLOG do Fanfics. Tem novidades chegando lá. Corra!