Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Lembranças de Outono | Tema: Romance


Capítulo: Folha 2 - Andrew: O Chamado

197 visualizações Denunciar



UMA SEMANA ANTES


— Senhoras e senhores, grato pela pontualidade.


Cumprimentou o administrador, um homem de cabelos cheios e ondulados claros, quase loiros, diante de uma grande mesa onde comportava um grupo de pessoas, entre homens e mulheres. Tinha uma postura séria apesar do sorriso cortês.


— Primeiramente, quero agradecer a todos aqui presentes pela parceria e pela confiança que tem pela EverGold nesses dez anos, juntamente com o crescimento de Sunport. — dizia ele colocando as mãos sobre a mesa. — Por isso, eu, Charles Goldenn... — ficou ereto, apontando para si mesmo. — ... juntamente com meus sócios, Andrew Van Every e Thierri Lecard... — e abriu os braços para apresentar os dois citados. — ... queremos agradecê-los por chegarmos até aqui.


Dois homens, cada um sentado de um lado da mesa, viraram suas cadeiras para menear positivamente aos presentes. O primeiro citado era um homem de corpo visivelmente atlético, tinha os cabelos acobreados penteados para trás. Os olhos verdes eram profundos e analíticos, somado à  expressão sisuda com uma barba curta bem aparada.


O segundo, aparentemente mais esguio, tinha pele alva e discretas sardas como um típico ruivo ferrugem, olhos castanhos cor de mel serenos, mas bem observadores. O rosto era levemente alongado e nariz afilado e arrebitado. Sorriu contidamente junto com seu colega.


— Essa reunião tem, como objetivo, seguir com a prosperidade de Sunport, da qual cada um de nós tem ajudado em sua reconstrução e revitalização na última década com projetos inovadores na rede hoteleira... — disse Charles voltando-se para uma mulher de cabelos grisalhos, mas com ar jovial. — ... residencial... — voltou-se para um homem negro careca e corpulento — ... e empresarial. — fechando em dois grupos, sendo um deles um caucasiano de cabelos bem penteados com notórios assessores e o outro sendo um trio onde um ruivo de madeixas mais escuras e longas quem mais se destacava por seu olhar sério. — Sendo assim, pedirei que, primeiramente, Sr. Van Every quem faça as apresentações  do nosso novo estágio de projetos com as ideias debatidas em nossas últimas conversações.


 Andrew se levantou após a chamada do amigo que, prontamente, seguiu pelo corredor à direita da sala até sua cadeira ao fundo, na ponta extrema da mesa que comportava os convidados daquela reunião.


A sala de reunião tinha uma decoração sóbria que reunia um estilo inovador e também clássico com suas paredes brancas decoradas com madeiras junto à parede na área do corredor e ao fundo, onde uma tela se fazia presente com logo da empresa em uma animação simples o bastante para não roubar a atenção do orador.


O teto rebaixado também tinha decoração em madeira onde recebiam as luminárias e alto-falante embutidas, enquanto que ao centro deste era mais elevado com fundo branco. No lado oposto do corredor, cortinas persianas verticais brancas cobriam a janela panorâmica. A sala tinha um bom revestimento acústico de modo que os  sons não eram absorvidos externamente nem mesmo de dentro para fora, permitindo reuniões sem interrupções.


Os convidados estavam distribuídos nas dezesseis cadeiras ao longo da mesa. Todos com pastas e copos para se servirem de água nas duas bandejas em prata inglesa dispostas à mesa. Além dos sócios, apenas uma secretária mantinha-se numa mesa à parte, próximo de onde se sentara Charles, para realizar relatório de reunião e ou mesmo servir café na máquina expressa localizada junto à parede quando solicitado.


Após aquele breve intervalo onde alguns serviam-se, Andrew retirava uma pasta de couro de sua maleta. Sorriu desculpando-se com os presentes. “Nunca essa sala esteve tão cheia…”, pensou ele servindo-se de água, antes de começar sua oratória.


— Sejamos práticos e objetivos como é a EverGold Construtora. — e ouviu-se risos de alguns, ajudando a descontrair aquele ambiente. — Como Charles disse, Sunport passou por um intenso processo de revitalização.


Um breve sinal com a cabeça e as luzes da sala perderam a força, com a tela atrás de Andrew se acendendo. Após a animação do logo da empresa, a tela pareceu se queimar em diagonal e dando lugar à imagem panorâmica da cidade, com imagem da baía e do mar ao fundo dela.


— Somos responsáveis pelo renascimento das áreas leste e noroeste da ilha... — a imagem aproximou a zona distrital e destacando-a em azul. — ... com prédios hoteleiros e comerciais, tal como parte da região leste... — o mapa se afastou novamente, sem remover o destaque da zona anterior, adicionando outro com tom verde. — ... com a linha residencial flat que se mostrou um grande empreendimento como os gráficos nos mostram pelo investimento nos últimos quatro anos quando os primeiros `Ninhos` ficaram prontos.


Um pequeno gráfico sobrepôs a imagem da cidade e suas áreas delimitadas, apenas esmaecendo de modo que pudessem visualizar a tabela de dados também com valores narrados.


— Nossa projeção na ilha cresceu de 5% para notórios 28% de controle dessas regiões com empreendimentos de nossa construtora, graças a confiança e ao investimento de todos os presentes aqui hoje... — nesse momento Andrew desenhou um discreto sorriso. — ... e triplicando os rendimentos iniciais nos primeiros três anos e depois sobre essa última conta em nossos dados atuais.


Olhou rapidamente para cada um dos presentes, certificando-se de que aquela parte tinha prendido sua atenção. Percebendo-se bem sucedido, deu continuidade.


— O projeto é chamado de Phoenix, graças a ave mitológica grega que renasce das cinzas. Assim como no mito, Sunport ressurgiu de suas cinzas de uma Era Dourada para novamente atrair olhos para a Costa Leste. Assim, reunindo em sua ilha, duas fortes inspirações da Costa Oeste: Las Vegas, com seus requintados hotéis e espaços de entretenimento, e Califórnia, com suas belas praias, tornando esta ilha paradisíaca um refúgio de celebridades e ganhado muitos holofotes, sobretudo nos últimos cinco anos. Simplesmente em vista desses dados, descritos detalhadamente nas pastas diante de cada um de vocês, visamos a ampliação não somente nas áreas em desenvolvimento como expandi-las, o que nos daria... 10%, aproximadamente, a mais de cobertura... inicialmente.


Andrew parou um instante, não somente para respirar como também para sorver mais de água enquanto observava a ansiedade dos presentes. Charles, de sua cadeira, girava sutilmente de um lado para o outro enquanto tinha o corpo inclinado para o lado e o braço em que se apoiava com a mão frente aos lábios.


— Senhoras e senhores, quero apresentar o projeto `Elísios`. — disse Andrew abrindo espaço frente a tela para que desenhos de rabiscos, acelerados, apresentasse projetos prediais nas áreas demarcadas com a expansão comentada e outros novos surgindo em pequenos espaço em zonas amarelas que era outra metade da ilha.


Houve olhares curiosos pela mulher de cabelos prateados e do careca, enquanto o outro cercado de seus assessores mantinha uma postura neutra com olhar mais sobre os outros dois. Uma tríade mantinha-se calada.


— Os residenciais flat foi uma grande procura em Sunport nos últimos três anos. Chamados de `Ninhos` por concentrar blocos prediais de médio porte com parque particular arborizado. O perfil de seus proprietários são jovens executivos entre os 22 e 34 anos aportando na cidade juntamente com os novos empreendimentos que crescem aqui. — pontuava Andrew. — Como inicialmente um investimento de risco, apenas um modelo foi construído próximo ao píer, sendo estes supervalorizados em  curtíssimo prazo. A busca cresceu demasiadamente para compra desses residenciais compactos. O Grupo Olympus é atual investidora desse empreendimento, representada aqui hoje pelo sr. Theron Scorpio, acompanhado dos sócios, o sr. Ganimedes Pistos e a sra. Ágape Leonidas.


Somente então o trio, até então contidos, manifestaram-se com acenos e inclinações. Um deles era o homem de cabelos ruivos escuros e compridos até pouco abaixo do ombro. Encontravam-se amarrados em um rabo de cavalo simples. Era visivelmente uma pessoa alta e robusta, com um olhar misterioso do qual Charles teve impressão de brilharem vermelhos sob a luz, embora estivesse certo de serem castanhos. Ao seu lado, um homem de cabelos mais claros entre um loiro e castanho, olhos amendoados, esverdeados e analíticos, como de um típico advogado.


Junto a eles, uma mulher de estatura mediana e cabelos escuros, presos em um coque. Tinha os olhos azuis sobre um notebook onde, visivelmente, tomava nota de considerações relevantes.


— A Olympus é uma das responsáveis, também, pelos investimentos nos bairros étnicos de Sunport, renovando o comércio gastronômico, o que tem se destacado na ilha. — pontuou Andrew. — O Grupo também tem parceria com a Empreendimentos Silverstone, da Sra. Margret Williams, também presente aqui conosco. — cumprimentou Andrew à mulher de porte altivo e elegante junto à mesa.


Margret era uma magnata de Manhattan, uma mulher atraente em seus mais de 60 anos, altamente elegante e graciosa, mas com um olhar de rapina disfarçados com a serenidade de seus olhos acinzentados. Tinha uma postura ereta e não era alguém que se intimidava tão facilmente. O próprio Andrew aprendera ter grande admiração por aquela mulher, mas também temê-la.


— Por último, não menos importante, o Senhor Jordan Steel. — voltando-se para o homem careca e corpulento que estufou o peito orgulhoso, olhando os presentes. — Um "orgulhoso filho de Sunport" como o próprio diz, responsável pelos entretenimentos populares, digamos assim, como o próprio parque no Píer que se tornou uma atração turística tão interessante como em Santa Mônica.


— Vocês se mostraram `Os Caras`! — comentou o homem, chamando a atenção dos presentes. — Não imaginem a emoção de ver essa ilha renascida. Logo seremos palco do campeonatos mundiais, pode apostar.


— Todos nós queremos, Sr. Steel. — assentiu Andrew, sem conter o sorriso pela animação do homem, notando-o trocar olhares com a Sra. Margret que se apenas sorriu educada.


Era um homem negro, rosto quadrado e nariz levemente torto, sequela de suas inúmeras lutas, tal como a cicatriz sobre o olho direito onde afirmou ter perdido boa parte da visão. Era um homem vaidoso com uma careca lustrada e um cavanhaque que seguia do grisalho ao preto bem alinhado. Gostava de andar bem apessoado com ternos caros, ainda que as blusas e paletós sempre pareciam justas o bastante em seus braços que o impediam de levantá-los. Ao seu lado, seu assistente, também negro e não mais que 30 anos, mas de corpo mais franzino quando comparado ao seu cliente. Foi, também, um dos primeiros investidores na empresa.


— Porém, nada disso também seria possível sem a confiança do Senhor Dreyfuss... — cumprimentou Andrew ao último convidado daquela mesa, o caucassiano. — Um dos principais financiadores da revitalização de Sunport.


Não houve palavras de sua parte, senão forçar um sorriso aos presentes, mas demorando-se na Sra. Williams que o encarou com um largo sorriso.


Ludwig Dreyfuss Jr., presidente da Griffiths Inc. e Investimentos, era o primogênito da família, herdando o legado do pai e mantendo negócios com a Silverstone unicamente por ser um dos maiores investidores da empresa e do Banco da qual eram um dos sócios majoritários.


Era um homem na casa dos 40 anos, corpo esguio como um típico galês e pele clara, mas de cabelos escuros curtos bem aparados. Seus olhos eram frios e incisivos num castanho escuro e um semblante inexpressivo. Família conservadora, casado e com duas belíssimas filhas. Estava acompanhado de três assistentes, um deles uma jovem que denotava ar pedante, sempre de cabeça baixa escrevendo incessantemente.


— Enfim, deixemos um pouco as apresentações e vamos direto ao objetivo dessa reunião. —Andrew respirou fundo. — Conheçam e interajam com `Elísios`!


O corredor com as paredes brancas e adornado de madeiras verdadeiramente acolhia uma segunda sala adjacente. Quando as portas foram abertas, com as de madeira correndo cada um para o lado, era visível uma mesa de vidro sustentava uma maquete da cidade com seus devidos distritos e prédios em grafite. Andrew convidou a cada um para que pudessem conhecer o projeto.


— Uma das propostas conta com a  recuperação de alguns dos prédios nos distritos, mantendo a elegância de outrora... — explicava ele enquanto todos pareciam nada surpresos com aquela maquete monocromático com prédios cinzentos e base branca. No entanto, um sinal e duas assistentes removeram a capa sobre alguns dos prédios revelando a versão renovada dos edifícios. — ... mas conservando a sua integridade e trazendo inovação ao Clássico.


A expressão de surpresa dos presentes, inclusive de Ludwig, seguida de admiração, fez Andrew soltar o ar que prendeu naquele segundo.


Um dos prédios era um hotel à beira-mar, da qual Andrew as chamou de `Suítes Marinas`, propriedades luxuosas com quarto, sala e uma varanda para as águas do mar. O teto em choupana oferece um charme peculiar inspirado nas casas pesqueiras presentes na ilha. O resort oferece seis conjuntos do quinteto de bangalôs num largo deck circular meio às águas azuladas da ilha.


Margret Williams mostrou-se impressionada com o interior dos bangalôs e apresentando outras novas propostas que eram anotadas mentalmente por Andrew que já visualizava as mudanças na planta. Não seria algo tão complexo.


Outros prédios apresentavam casas comerciais nas ilhas, como restaurantes e pólos de entretenimento que não alterariam a paisagem local, muito menos visavam interferir na comunidade pesqueira. Isso chamou a atenção do trio por ser uma comunidade fundada pelos primeiros mediterrâneos na ilha.


Após mais um sinal, as jovens removiam capas dos prédios residenciais da linha flat a serem construídos no outro lado da baía seguindo o modelo de Ninhos, sendo estes mais amplos e contínuas com até três andares na linha de frente e atrás com quatro andares.


A nova remoção de capas indicava a ampliação de prédios de recreação com clubes modernos para serem palcos de médios e grandes espetáculos na área aberta da ilha bem próximo à praia, o que poderia incluir eventos esportivos.


— É simplesmente espetacular! — comentou a Sra. Williams vislumbrando os hotéis  e detalhes das fachadas conservadas e, ao mesmo tempo, renovadas. — Realmente vejo Sunport renascendo sem que seja necessária destruir sua história, mas renová-la por ela mesma.


— Esses prédio da linha flat... — comentou o ruivo de cabelos escuros, mostrando-se mais alto que o Andrew imaginava ser.  — Vejo distinção de blocos.


— Sim, conforme a renda per capita daqueles que desejam investir. Estas mais próximas do Distrito Norte manterão o padrão da primeira série, enquanto aquela mais para o interior urbano serão com preços mais acessíveis. — explicava Andrew. — Alguns desses apartamentos até mesmo seriam mais compactos e com serviços independentes onde poderão compartilhar... a lavanderia, por exemplo. Estes serão mais próximos aos bairros comerciais.


O ruivo coçou o queixo, mostrando grande interesse. Ganimedes, o advogado e sócio dele, destacava alguns pontos comerciais de interesse e pertencentes ao grupo. Inclusive apontou outros prédios que pertencia à EverGold que já estavam em processo de construção avançada, segundo o próprio Thierri explicou, uma vez que era o engenheiro responsável. Isso permitiu Andrew voltar-se para outros convidados.


Charles mantinha-se junto de Ludwig, conversando enquanto o mesmo também caminhava observando todo o projeto, parando mais exatamente o Distrito Leste, atualmente em disputa com outras construtoras na ilha. Ainda que não tivesse demonstrado com palavras sobre os projetos que estavam sendo apresentados, sua expressão mostrou-se surpreso, principalmente com os interessados tão empolgados.


Jordan Steel também elaborava inúmeros planos para os novos clubes após aquisição dos prédios antigos e na modernização destes. Dentre eles um espaço para jovens das comunidades pesqueiras para incentivo ao esporte, o que despertou interesse do próprio Andrew e de Charles que conversavam a respeito com outros investidores para que partes do projeto voltado para ações sociais.


Foi durante a discussão da ação social que Andrew percebeu que Julie Youtz, sua secretária, sinalizava para ele. Ele percebeu seu comportamento inquieto e ansioso com o modo que ela entrelaçava os dedos, assim como um semblante aflito enquanto ela mantinha-se próxima à decoração de vidro na parede da sala. Um simples aceno a fez compreender que ele logo iria ao seu encontro na sala onde acontecera a reunião formal há poucos instantes.


Uma vez que era projetista urbano do projeto, não poderia simplesmente ausentar-se, ainda que soubesse que Julie não o chamaria se não fosse algo realmente urgente e com quem deixara seu telefone pessoal para anotar todo e qualquer recado naquele intervalo. Foi quando então algo veio em mente e compreendeu.


Tardou pouco mais de dez minutos até que conseguisse uma folga meio aos brindes  pela aceitação do que conheceram do projeto apesar de algumas poucas adições a serem realizadas. Andrew avisara a Charles para cobri-lo naquele instante, fazendo o sócio acompanhá-lo e vê-lo ir de encontro à secretária que a aguardava ansiosa na sala de reunião, gesticulando. Percebeu a expressão do amigo assombrar-se antes de desaparecer ao mesmo tempo que Thierri chamava a sua atenção.


— Lamento por isso. — justificava-se, seguindo quase ao seu lado. — Sei que me alertou para não fazê-lo, mas segurei o máximo...!


— Quantas vezes ela ligou? — indagou Andrew seguindo por um corredor e atravessando algumas seções acompanhado de uma secretária ainda muito ansiosa.


— A última, há 10 minutos. Foram seis ligações desde que entrou na reunião e expliquei que não podia chamá-lo. — explicou Julie, ficando ao seu lado. — Pedi se podia deixar recado, mas ela disse que não... E cada vez que ligava parecia mais ansiosa. Tive impressão de que... ela chorava.


Andrew parou bem diante de sua porta e olhando com assombro para a secretária, surpreendendo até mesmo ela que chegou a prender a respiração. Nesse momento, ambos ouviram o vibrar do telefone sobre a mesa, fazendo com que ele adiantasse os passos e confirmasse suas suspeitas. Desplugou o aparelho que estava carregando e atendeu prontamente.


"Themis!", chamou Andrew, caminhando em volta da mesa, sinalizando para a secretária entrar e fechar a porta que obedeceu de imediato e cruzando os braços, apenas observando. Aproveitou até mesmo para fechar as persianas de modo a evitar olhares curiosos.


— Themis, o que houve? Desculpe a demora. Não estava com o telefon... — dizia Andrew, franzindo o cenho. — Themis?


— "An-Andrew...! Graças a Deus que estou conseguindo falar com você" — e Andrew a ouviu soluçar do outro lado da linha, acompanhada de falatórios ao fundo como se falasse em algum espaço público. — "Desc... Desculpe ligar assim, mas não faria isso se não fosse urgente!"


 Tenha calma e me diga o que está acontecendo. — e ele respirou fundo, puxando a cadeira para se sentar enquanto buscava acalmar aquela do outro lado da linha. Sentiu a garganta secar naquele instante. — Como ela está? O quadro dela...


— "An-Andrew..." — dizia a pessoa no outro lado da linha. — "... Ela... Ela quer ver você. Ela está morrendo, Andrew... e está chamando por você!"


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): katrinnae Aesgarius

Este autor(a) escreve mais 3 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
Prévia do próximo capítulo

— Acabei de chegar. Aguardo aqui embaixo. — disse Milo ao telefone e desligando em seguida enquanto realizava um contorno na rua. Dirigia um Toyota Yaris Sedan grafite metálico e estacionava junto à área concedida do edifício Pier Alfa, localizado na Rua Quatro — também chamado de Corredor Nobre Norte devidos os pr&eacut ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 2



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • luisarroni Postado em 11/07/2018 - 23:36:44

    Escrita muito boa. Continue postando!

  • katrinnae Aesgarius Postado em 10/07/2018 - 23:10:20

    Após um erro de capítulos, foi preciso reupar 5 capítulos simultâneos.



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...