Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Fantasma - Trendy | Tema: Trendy, Dulce, Poncho, Máfia


Capítulo: Capítulo 53

58 visualizações Denunciar


Dulce


A vida com Alfonso é um padrão.


Nunca uma linha reta. Sempre uma série de altos e baixos, conforme conhecemos um ao outro. Descobrimos mais um do outro.


Eu aprendo coisas novas sobre ele todos os dias.


Tudo que ele faz, é feito com precisão. Cuidadosamente considerado e pesado antes que ele decida. Uma simples viagem de sua casa, muitas vezes, leva vários dias para se preparar.


Eu sei que é porque o mundo tem sido um lugar frio e cruel com ele. Ele não gosta de se sentir vulnerável. Mas, ele é. Ele é especialmente vulnerável quando sai de casa. Sempre se preocupando que seu segredo será descoberto.


Sua mente deve estar ligada o tempo todo. Ele murmurou para mim uma vez, baixinho, que eu tinha me tornado uma distração para ele nas festas. E o preocupa. Mas, ele gosta também.


Eu gosto de ser sua distração.


É por isso que muitas vezes encontro-me em seu escritório, no meio do dia, como estou agora. Ele gosta do jeito que eu pareço do lado de fora. E ele aceita que sou um monte de merda por dentro. Mas, faço muito para ele. Todo dia. Nesta roupa de grife que não pertence ao meu gosto. E então ele me come com seus olhos, suas mãos e seu pau.


Quando ele me vê hoje, porém, ele parece distraído por outra coisa. E eu não gosto nada disso. Eu quero ser o centro do seu mundo. Eu quero ser muito mais do que sua esposa no papel, e a porra de seu brinquedo no quarto. Que é uma coisa perigosa.


Ainda assim, eu ando por aí atrás dele e toco seus ombros. Ele inclina a cabeça para trás contra a cadeira para olhar para mim, e eu inclino-me e o beijo. Meus dedos se movem sobre a carne sensível de seu pescoço, esperando para me infundir com algum cheiro da colônia que ele usa.


Eu gosto de sentir o cheiro dele. Eu gosto de esfregar meu corpo em cima dele.


"Você está me ensinando maus hábitos, Dul", ele me diz.


"Como assim?" Pergunto inocentemente.


Ele se vira e me puxa para o seu colo, enterrando seu rosto no meu pescoço e me inspirando. Eu tento beijá-lo. Para tirá-lo, porque eu sei que ele não vai parar uma vez que eu faço. Mas, ele não me deixa chegar tão longe. Ele agarra minhas mãos e as mantêm presas entre nós. Então ele envolve os braços em volta da minha cintura e me puxa contra o seu peito.


E então ele só olha para mim. Por muito tempo.


Esta é a coisa que eu não gosto. E eu tenho notado isso acontecendo mais e mais recentemente. É íntimo, tendo os olhos de alguém em você com nenhuma intenção de fazer qualquer coisa diferente de olhar. Vê-lo.


"Eu quero você", digo a ele.


Sua mão se arrasta até a minha cabeça e pega o meu cabelo, enredando-o na mão e puxando-o firmemente, de modo que não posso mover minha cabeça.


"Você quer que eu faça coisas sujas para você", diz ele.


"Sim."


"E se eu só quiser olhar para você?", Ele pergunta.


"Eu não gosto", eu respondo.


"Eu não me importo", ele responde.


É óbvio que ele vai fazer o que quiser. Então, eu só espero, tentando me esconder, enterrando meu rosto contra o seu peito. Ele brinca com o meu cabelo, e mesmo que isso seja difícil para mim, ele não faz mais nada.


Isso me confunde. Este tipo de intimidade dele. Um minuto ele quer tudo de mim. E no próximo, ele se afasta. Nunca me deixando chegar muito perto. Eu apenas tento não pensar sobre isso. Mas, quando ele me segura assim, é difícil não pensar. Para pedir-lhe coisas que eu não deveria sequer estar pensando.


Como se ele se importasse.


Como se não fosse acontecer nunca mais. Em vez disso, peço-lhe outras coisas. Perguntas que me dão pequenos pedaços dele. A única coisa que eu posso sempre realmente ter. Momentos roubados. Pedaços de sua vida e seu coração. Isso é tudo o que ele tem para oferecer. E eu não tenho nada para lhe oferecer. Exceto os meus pensamentos quebrados e alma demente, costurada pelos meus surtos frequentes de insanidade.


"Magda pensa que somos iguais", digo a ele por um capricho.


Ele está tranquilo, contemplativo. Seus olhos se movendo sobre o meu rosto novamente. Suas mãos me segurando perto.


"Você concorda?"


"Sim", ele responde.


Ele não continua, e eu posso dizer que ele não quer. Por isso, peço-lhe algo mais.


"Você pode me ensinar alguma coisa em linguagem de sinais?"


Ele pisca para mim, e isto o faz sorrir. "Eu não sei linguagem gestual", ele me diz. "Então, não, provavelmente não."


"Oh. Bem, você deveria, no entanto?"


Ele apenas dá de ombros. "Eu nunca aprendi. Eu era jovem quando eu perdi minha audição. As circunstâncias não permitiram a aprendizagem. Então eu aprendi da única maneira que pude."


"Lendo as pessoas." Ele balança a cabeça, e eu toco seu rosto. "Eu gostaria de poder lê-lo às vezes."


"Tudo o que você tem a fazer é perguntar-me", diz ele.


Eu quero. Nós dois sabemos que eu quero. Mas, eu não consigo. Porque eu estou com medo. E eu acho que Alfonso também.


"Eu meio que gosto disso," eu digo a ele em seu lugar. "Isso, nós dois tocando um ao outro para se comunicar. Você me toca muito."


"Eu gosto muito", ele admite.


Mas, ele não tem que me dizer. Eu sinto o quanto ele gosta, debaixo da minha bunda, em seu colo. A maior ligação entre nós, é que ele sabe que eu o aceito e ele me aceita igual.


"É estranho," eu digo a ele honestamente.


"O que é?", Ele pergunta.


"Você não pode ouvir", eu respondo. "E, no entanto, você é a única pessoa que já me ouviu realmente."


"Eu sempre vou te ver, Dul", ele me diz. "Sempre."


"Você me faz sentir", eu sussurro.


As palavras são uma acusação e uma confissão.


Mas, Alfonso não recua ou foge. Se qualquer coisa, ele se entrega mais a mim e eu sei que o tempo para abraçar e ter intimidade já terminou. Ele levanta meu vestido e o retira, me deixando apenas em um sutiã e calcinha. Mas, quando ele costuma fazer agora, com as mãos movendo-se para a minha barriga, em primeiro lugar. "Como está meu bebê?", Pergunta ele.


"Grande", digo a ele. "Já conhece seu pai."


Alfonso sorri para mim. E é lindo esse sorriso dele.


"Eu acho que é um menino", ele responde. "Eu gostaria disso."


E então ele me beija. É suave e doce por cerca de dois minutos, antes dele chegar nas coisas boas. O material realmente bom. Suas mãos em cima de mim. Deslizando para dentro e colocando meus seios por baixo do laço do meu sutiã. E na minha calcinha. Seus dedos dentro de mim. O tempo todo, sua boca está na minha. Nós nos beijamos muito. E eu gosto. Eu poderia até mesmo amá-lo. Às vezes, é uma queimadura lenta. E, às vezes, como agora, estou consumida pela loucura dele completamente. Eu sinto que isso acontece. Caindo. Apaixonada por ele.


Eu sei o que ele diz. Que ele não se importa. Mas, isso não é mais só merda. Este é ele, sussurrando algo no meu ouvido e me proporcionando tudo o que ele pode. Nós dois descemos sobre isso. Qualquer homem pode me foder. Mas, Alfonso fode minha mente. Meu coração. Minha alma.


Ele me acende e me incendeia.


A cada momento.


Eu quero dizer isso a ele, agora. Eu quero ser honesta. Mas, por dentro, eu sei que eu preciso empurrar esses pensamentos.


"Seja sujo comigo", digo a ele.


"Fique de joelhos", é a resposta.


Eu faço. Ele pega um punhado de meu cabelo e esfrega o rosto contra o calor debaixo de suas calças. Meus dedos escavando em suas coxas e minha respiração se acelera quando ele acaricia a si mesmo.


"Seja uma boa menina", ele diz enquanto aperta o pau na palma da mão. "E implore por ele."


Isso é novo. E eu gosto. Eu gosto disso ainda mais quando eu olho para cima e o vejo ansioso por me ouvir dizer as palavras. Para dizer a ele o quanto eu o quero. E em seus olhos, posso ver o quanto ele quer acreditar. Vou fazê-lo acreditar. Porque é verdade.


"Poncho," eu digo a ele quando eu chego e tomo o seu pau na minha mão. "Você é meu marido. Você pertence a mim. E a mais ninguém. Você nunca pode fazer isso com qualquer outra pessoa."


"Eu sou um Vory", ele responde. "Vou fazer o que eu gosto." Eu olho para ele, e seus olhos soltam fogo com satisfação. "Agora abra a boca e chupe o meu pau."


Eu faço. Eu o empurro todo o caminho para a parte de trás da minha garganta e ele geme. Difícil. Ele ama isso, mas, ele não pode levar-se a admitir o quanto.


"Faz melhor", ele me instiga.


Eu faço ainda melhor. Eu chupo com tanta força, que quase sopra sua carga nos primeiros minutos. Mas, eu sei que Alfonso nunca iria permitir que isso acontecesse. Então, em vez disso, ele me agarra pelos cabelos e me puxa para cima.


"Você sente a necessidade de me agradar?", Ele pergunta.


Sinto-me vulnerável sob o seu controle.


Ele já sabe a resposta. Eu não sei por que ele faz-me dizê-la.


"Sim", eu sussurro. "Eu quero agradar você."


Ele traz os lábios na minha orelha e murmura entre beijos. "Você sempre agrada, Dul."


Eu jogo a cabeça para trás e permito-lhe o acesso a minha garganta, que ele beija com ternura.


"Por favor, agora...", ele me dirige. "Dobre-se sobre a mesa e abra as pernas para mim."


Eu faço o que ele diz. Ele puxa de lado minha calcinha e me fode com seus dedos enquanto a outra mão bate na minha bunda. Forte. Eu faço um barulho, e eu sei que ele não pode ouvi-lo, mas ele sente o quanto eu gosto disto. O quanto eu gosto dele assim.


Ele me cheira novamente, na outra face de minha bunda, e em seguida, as puxa separadas com a mão, amassando a carne sob seus dedos. E então ele se afasta, deixando-me fria e irritada.


"Sente-se sobre a mesa e brinque com você mesma", ele me diz. "Eu quero assistir." Quando eu me viro de novo, ele está na cadeira. Acariciando seu pau devagar e deliberadamente. Vendo quando eu faço o que ele diz.


"Faça-se gozar", diz ele. "E o faça rápido. Ou eu não vou transar com você."


Novamente, eu estou fazendo o que ele pede. Como um fantoche. Como se ele fosse dono de mim. Mas, quando eu olho para ele, eu sei que ele é.


Eu odeio quando ele faz isso. Não é o mesmo quando eu tenho que fazer isso sozinha. Mas, eu me faço gozar de qualquer maneira, apenas observando-o brincar consigo mesmo.


"Agora me fode," eu imploro a ele.


"Dê-me três razões", ele responde. "Diga-me o que você fez para merecer."


"Porque você gosta de mim," eu digo a ele. "E eu vou fazer você gozar."


"Eu poderia gozar como estou", diz ele.


"Mas, você gostaria mais, dentro de mim."


Ele sorri.


"E o que mais?"


"Vou deixá-lo trabalhar o resto do dia sem distrair você."


Ele me faz esperar por uma resposta. Mas, seus olhos estão em mim. E eu sei que ele vai dar. Ele só gosta de me atormentar. Fazer-me implorar por isso. Para ele.


"Venha aqui", ele me diz por fim. "E se sente no meu pau."


Eu sento. Sem um pingo de remorso ou vergonha. Ele observa e depois me instrui a montá-lo. Que eu também faço. Suas mãos permanecem em seus lados, os olhos fechados, e ele me frustra.


"Você não está me tocando," Eu falo em sua orelha direita. "Ou olhando para mim."


"Você quer que eu a toque?" Fala. "Ou você quer a porra de um mestre ou a porra de um escravo."


E agora eu sei que ele está tentando provar um ponto. Sobre a minha observação anterior.


Ele emaranhou meu cabelo na mão e me aproxima, a boca tão perto da minha que eu posso quase sentir o gosto dele.


"Vou olhar para a minha esposa sempre que eu quiser", ele me diz. "E nunca mais me diga o contrário, Dul. Você vai ser íntima comigo. E você nunca vai se esconder de mim."


Suas palavras são duras, mas, seu beijo é mole. E ele me dá o que eu preciso. Suas mãos no meu corpo. Seu calor e seus sons e seu prazer. Ele vem dentro de mim com um suspiro, e permanece lá por um longo tempo, me segurando em seus braços.


Nenhum de nós se move, e eu sei que algo está mudando entre nós. Evoluindo. Crescendo. Mas, eu tenho medo de perguntar o que é. E Alfonso não o menciona também.


Ele simplesmente me segura.


E, por agora, é o suficiente.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): Dulce Coleções

Este autor(a) escreve mais 46 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

Dulce Dois meses vieram e passaram. Os nossos hóspedes se foram, e eu sou grata. Além do barulho que eu ouvia lá em cima, eu não os via muito. Mas, o que estava acontecendo acabou ocupando um monte de tempo de Alfonso. Estou feliz de ter a parte de trás da casa apenas para nós. Alfonso e eu, Franco e Magda. E logo, outro pequeno H ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 94



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • Ellafry Postado em 18/02/2019 - 23:10:18

    continuaaa

  • Ellafry Postado em 16/02/2019 - 21:26:39

    eles são tão bonitos juntos *-*

    • Dulce Coleções Postado em 18/02/2019 - 17:32:27

      Muitooo

  • Ellafry Postado em 13/02/2019 - 14:51:48

    que quentes esses dois

    • Dulce Coleções Postado em 16/02/2019 - 00:45:55

      OHH

  • Ellafry Postado em 06/02/2019 - 14:40:22

    que bonitinhos *-*

    • Dulce Coleções Postado em 09/02/2019 - 14:54:31

      Não é*-*

  • Ellafry Postado em 05/02/2019 - 22:26:28

    continuaaaa

    • Dulce Coleções Postado em 06/02/2019 - 14:04:34

      Continuando

  • Ellafry Postado em 31/01/2019 - 16:11:00

    sinto que ela nao sera tão inofensiva nao... espero estar enganada

    • Dulce Coleções Postado em 05/02/2019 - 15:57:56

      Será? Será?

  • Ellafry Postado em 28/01/2019 - 22:57:10

    iiiih, vai dar ruim

    • Dulce Coleções Postado em 31/01/2019 - 03:23:55

      Pense kkkk

  • Ellafry Postado em 26/01/2019 - 23:32:27

    ele é estranho demais kkkk

    • Dulce Coleções Postado em 28/01/2019 - 20:43:38

      kkkkkkk

  • Ellafry Postado em 23/01/2019 - 12:12:27

    confesso que estva esperando ele jg=ogar ela ro alto e comemorar muito por ela esta gravida ;x

    • Dulce Coleções Postado em 26/01/2019 - 13:15:44

      Kkkkkk

  • Ellafry Postado em 21/01/2019 - 11:19:42

    continua quero saber a reação dele

    • Dulce Coleções Postado em 23/01/2019 - 02:55:04

      Continuando



AVISO

Vocês conhecem o Blog do Fanics Brasil? Lá tem dicas, tutoriais e matérias de como escrever bem uma fanfic.


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...