Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: O Jogo Da Mentira- Trendy/Vondy | Tema: Dulce, gemeas


Capítulo: Alguém sabe...

82 visualizações Denunciar


Christopher levou Dulce até um velho Honda Civic vermelho estilo sedã, com uma porta cinza e uma rachadura no para-brisa. O interior cheirava a McDonald’s e sapatos velhos, e o banco do passageiro estava coberto de livros e papéis. Dulce os colocou de lado e prendeu o cinto de segurança. Christopher se sentou ao volante. Virando-se, Dulce viu Taylor parada no final da entrada para carros, olhando para todos os lados.


O som do carro começou a berrar assim que Christopher girou a ignição. Era uma música rápida e furiosa, e Christopher abaixou-se rapidamente e desligou o aparelho. O volante guinchava conforme ele manobrava para a rua e começava a dirigir. Dulce pressionou as unhas nas coxas com força. Ela ficou vendo a casa dos Pardo diminuir de tamanho no espelho retrovisor, até não estar mais visível.


– O que foi isso tudo? – perguntou Christopher, sua voz baixa perfurando o silêncio.


– É difícil explicar – respondeu Dulce.


Eles passaram pelo parque onde os dois tinham jogado tênis. Grandes projetores de luz iluminavam uma das quadras, mas não havia ninguém lá. Depois passaram pelo centro comercial que tinha o salão de beleza onde ela e Taylor haviam feito as unhas. Depois pelo La Encantada, onde ela e Belinda tinham feito compras. A estrada para o Hollier dobrava para a esquerda; um grande cacto de um braço apontava o caminho.


– Aonde estamos indo? – perguntou Christopher.


Dulce afundou no banco. Para onde ela poderia ir? Que tal a polícia? Acreditariam nela agora? Será que conseguiria fazê-los revistar o quarto de Taylor e encontrar o vídeo?


Então ela respirou fundo.


– Para a rodoviária, no centro.


As sobrancelhas de Christopher ergueram-se e caíram rapidamente.


– Aquela perto do hotel Congress?


– É.


– Você vai viajar?


Dulce abraçou a si mesma.


– Mais ou menos.


Ele fez um gesto de cabeça em direção aos pés dela.


– Descalça?


– Eu dou um jeito.


Christopher lançou um olhar de dúvida para ela, depois fez uma curva para a esquerda no cruzamento seguinte e pegou a autoestrada. O trânsito era escasso àquela hora da noite, as pistas de concreto vazias a perder de vista. Placas de neon para estabelecimentos à beira da autoestrada salpicavam o percurso. GREAT DANE TRAILERS. MOTEL SIX. Um alto chapéu de caubói para a Arby’s. Luzes cintilavam na montanha. Um helicóptero zumbia acima.


– Posso perguntar por que você está fugindo da sua própria festa? – perguntou Christopher quando eles estavam deixando a autoestrada por uma saída.


Dulce encostou a cabeça contra o banco.


– Eu só preciso... ir. É loucura demais para explicar.


O sinal ficou verde, e ele virou à esquerda em um cruzamento. Dirigiram em silêncio por algum tempo na estrada escura e íngreme. Por alguns minutos não passaram por uma única luz em lugar algum. Nenhum carro vinha na direção contrária. Nenhuma casa assomava nas laterais da estrada. Dulce franziu as sobrancelhas e olhou para a via que desaparecia atrás deles. As luzes da cidade estavam todas na direção oposta.


– Acho que você errou o caminho.


– Não errei, não.


Dulce continuou vendo a cidade desaparecer no espelho retrovisor. A rua subia e descia. Christopher pegou outra estrada, que era ainda mais desolada que a anterior. Os pneus esmagavam cascalho e terra. Cactos altos passavam a centímetros do carro. De repente, o coração de Dulce começou a bater com força.


– Christopher, não é por aqui – insistiu ela.


Ele não respondeu. Subiu uma pequena ladeira com o carro. Luzes tremulavam a distância, tão longe quanto as estrelas. Dulce apalpou o próprio pescoço, tocando os arranhões do quase estrangulamento que sofrera no final de semana anterior. Sua boca ficou seca imediatamente. Ela olhou de soslaio para o perfil de Christopher. Seus olhos estavam estreitados. Seu maxilar projetava-se. Suas mãos seguravam o volante com força.


– Dulce... – exclamei debilmente. De repente, alguma coisa ali parecia muito errada.


O estômago de Dulce se revirou. Lenta e cuidadosamente, ela tentou alcançar a maçaneta da porta e começou a puxar.


Clic. O pequeno pino que trancava a porta baixou sozinho. Dulce apertou o botão para destrancar a porta, mas ele não se movia.


– Pare o carro! – gritou ela, repentinamente tonta de medo. – Pare o carro agora!


Christopher pisou no freio com tanta força que Dulce foi lançada para a frente, seu braço batendo no porta-luvas. O carro deu uma guinada para trás outra vez. O motor rosnava alto. Ela apertou os olhos para enxergar na escuridão cerrada. Pelo pouco que podia ver, eles estavam no meio de um deserto estéril e vazio. Aquilo nem sequer era uma estrada.


– O que foi? – perguntou Christopher. – Qual é o problema?


Ela se virou para Christopher, tremendo. As lágrimas corriam abundante e livremente por sua face.


– Eu quero sair. Por favor, abra a porta. Por favor.


– Acalme-se – disse Christopher gentilmente. Ele tirou o cinto de segurança e virou-se, ficando de frente para ela. Então segurou seu pulso. Não exatamente com força, mas tampouco com suavidade. – Eu só queria ir a algum lugar bem longe, para que ninguém pudesse nos ver ou ouvir.


– Por quê? – gemeu Dulce. Todo tipo de terríveis possibilidades passavam por sua cabeça.


– Acho que eu sei de uma coisa – A voz de Christopher caiu meio tom. – Algo que eu acho que você não quer que mais ninguém saiba.


– Do que você está falando?


O pomo de adão de Christopher se agitou quando ele engoliu.


– Você não é quem diz ser.


Dulce ficou perplexa.


– C-Como é que é?


– Você não é a Roberta. Não pode ser.


As palavras transfixaram o cérebro de Dulce. Ela abriu a boca, mas nenhum som saiu. Como ele poderia saber aquilo? Lentamente, ela apalpou a maçaneta da porta com a mão livre. Ainda não estava aberta.


– Claro que eu sou a Roberta – disse ela, com a voz trêmula. Seu coração martelava.


– Você não está agindo nem um pouco como ela.


Dulce engoliu em seco. Ela estava começando a se sentir enjoada.


– C-Como você poderia saber?


Christopher se inclinou um pouco mais para a frente.


– Por algum tempo, pensei que a Roberta tinha mudado, desde aquela noite em que você apareceu na entrada da minha casa. Mas hoje você está totalmente diferente. Você é outra pessoa – disse Christopher, em uma voz solitária e triste. – Isso está me enlouquecendo. Então é melhor você me contar o que está acontecendo.


Dulce o encarou, seu corpo abalado pelo medo. Mas, conforme Christopher falava, as coisas começaram a turbilhonar em minha cabeça. O sorriso perdido e atordoante de Christopher. O cheiro das plantas do deserto, a terra. A sensação de alguém colocando algo macio sobre minha cabeça e apertando algo fino e afiado em torno de meu pescoço. Uma risada.


De repente, uma reação em cadeia disparou em minha mente. Luzes acendendo outras luzes. Imagens conduzindo a novas imagens. E, subitamente, uma lembrança nova e lúcida desenrolou-se diante de mim, como um tapete vermelho se abrindo para uma rainha. Tudo o que eu podia fazer era assistir, impotente...


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): Dulce Coleções

Este autor(a) escreve mais 52 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

A figura embaçada e mal iluminada agarra meus ombros e me puxa para fora do porta-malas. Bato o joelho contra a lateral do carro e torço o calcanhar no chão duro. Mãos pressionam minhas omoplatas e me empurram para a frente. Baixo a cabeça, tentando enxergar o chão, mas está escuro demais. Sinto o cheiro de um incêndio n ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 212



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • ttm Postado em 31/05/2020 - 17:47:19

    continua amore

  • ttm Postado em 28/05/2020 - 10:02:13

    finalmente a Dulce resolveu fazer algo a respeito, continua amore

    • Dulce Coleções Postado em 31/05/2020 - 16:37:15

      Tomou vergonha na cara kkkj

  • dulaureliano Postado em 24/05/2020 - 13:51:50

    Até que enfim fizeram as pazes aaaaaaah

    • Dulce Coleções Postado em 28/05/2020 - 00:39:42

      Aleluia kkkk

  • ttm Postado em 23/05/2020 - 20:29:48

    continua amore

    • Dulce Coleções Postado em 28/05/2020 - 00:39:33

      Continuando amore

  • ttm Postado em 21/05/2020 - 19:50:30

    acredito que alguém realmente está seguindo ela, mas não me vem na cabeça quem AAAAAAAA Alfonso no hospital psiquiátrico? puta merda

    • Dulce Coleções Postado em 23/05/2020 - 19:08:19

      Vamos dar uma de FBI kkkk

  • ttm Postado em 19/05/2020 - 19:58:20

    super feliz pela amizade dela com a Belinda aaaaaaa, continua amore

    • Dulce Coleções Postado em 21/05/2020 - 18:54:47

      Será q até quando kkkk

  • ttm Postado em 17/05/2020 - 21:42:35

    espero que ela surpreenda ele hahaha, continua amore

    • Dulce Coleções Postado em 19/05/2020 - 18:50:54

      Simm*-*

  • ttm Postado em 14/05/2020 - 23:16:30

    continua amoreee

    • Dulce Coleções Postado em 17/05/2020 - 20:41:51

      Continuando amore

  • dulaureliano Postado em 12/05/2020 - 14:44:44

    Aaaaaaaa preciso de maisssss

    • Dulce Coleções Postado em 14/05/2020 - 22:00:59

      Aaaa postando mais

  • ttm Postado em 11/05/2020 - 22:22:27

    assim eu morro de curiosidade kkkkk, continua amore

    • Dulce Coleções Postado em 14/05/2020 - 22:00:45

      Kkkkkk esses flashback da fantasma kkkkk



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...