Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Encontros Proibidos - Vondy | Tema: Rebelde, Romance, Drama


Capítulo: À espera da hora certa

58 visualizações Denunciar


Ao chegar em casa naquele dia, aborrecida, eu subi direito para o meu quarto. Não estava com vontade de falar com ninguém e muito menos de jantar. Se eu tivesse fome mais tarde, eu pegaria algo na geladeira. Eu me deitei na cama cansada de tudo, do trabalho, dos meus pais, eu gostaria de ter mais força nesse momento, mas a verdade era que eu estava muito mal com a minha situação. Observei o teto do quarto enquanto chorava em silêncio, eu só me perguntava o porquê do meu pai ser assim. Eu queria ser “normal” com pais que me respeitassem, que conversassem comigo e fossem afetuosos. Será que era pedir demais? Eu acabei adormecendo depois de tanto olhar o teto e pensar na vida.

Quando eu acordei já eram nove horas da noite, eu despertei assustada. Levantei da cama e tentei me recordar do que eu estava sonhando, mas a única coisa que eu pude identificar foi uma tristeza. Caminhei até o banheiro sem vontade e tomei uma ducha rápida, depois desci até a cozinha e fiz um sanduíche. Meus pais já tinham se recolhido para o quarto deles, pois tudo estava escuro; a sala e a cozinha. Sem ânimo nenhum, assim que eu terminei de comer voltei para o meu aposento, com zero animação. Eu mal entrei no meu quarto e ouvi o sinal de notificação de mensagem do meu celular, peguei o mesmo no bidê e olhei quem era: Annie. Ela me perguntou se amanhã eu estaria disponível para ir nas lojas dos vestidos e eu respondi que sim. Logo em seguida eu percebi que havia uma mensagem da “Rosa”.


Rosa: Oi Dul, está tudo bem? Você não chegou a entrar na mercearia. O que houve?

A mensagem dele já estava aqui desde a hora que eu saí de lá, da mercearia e eu não havia visto. Logo após perceber a notificação respondi ele.


Dul: Eu fiquei um pouco chateada e resolvi não entrar. Quem era aquele Marquinhos?

Para a minha surpresa, ele me enviou uma mensagem logo depois.   


Rosa: Eu percebi que você não estava bem. Foi pelas coisas que nós dissemos?

Ele estava digitando uma nova mensagem, então eu esperei pelo o quê ele iria dizer antes de respondê-lo.


Rosa: Eu conheci o Marquinhos na mercearia, um dia ele apareceu por aqui e nós começamos a conversar.  
Dul: Hum, esse cara não tem nada a ver com você. Estranhei vocês serem amigos. E, eu posso até ter ficado um pouco encabulada pelo papo de vocês, mas o que me deixou triste foi outra coisa.


Rosa: Pois é, eu sei disso. Ele é bem diferente dos meus outros amigos. Já começa que ele tem muito dinheiro, os pais dele são empresários. Eles moram em uma cidade vizinha daqui e tem aquela casa só para passar fins de semana ou férias.

De novo, ele estava escrevendo mais coisa e eu esperei.


Rosa: O que foi que te deixou assim?

Eu deitei na cama com o celular e me aconcheguei no cobertor, para continuar respondendo ele.


Dul: Ah, eu fiquei pensando que você pode sair para onde quiser e eu tô “trancada” aqui. Isso é tão errado.


Rosa: Sim, muito errado. Mas vamos focar que daqui a pouco isso será passado. Acho que em breve nós conseguiremos sair daqui.


Dul: Isso é o que eu mais desejo.

Na minha conta bancária não tinha o suficiente ainda para a gente ir embora, mas juntando com a dele, nós podíamos sonhar em fugir e, daqui a alguns meses, Caldas da Imperatriz seria só uma lembrança das nossas vidas.


Rosa: E como está a sua mão?


Dul: Está bem, às vezes eu sinto um desconforto, dói um pouquinho, mas depois passa. Daqui a pouco eu tiro os pontos.

Nós engatamos uma conversa atrás da outra e quando eu percebi já era uma da manhã. A hora de dormir tinha passado faz tempo, por isso nós nos despedimos e cada um foi descansar.


                                                                                              ---

Uns dias antes do meu aniversário eu passei na loja que aluguei o meu traje e do Ucker para retirar as peças. Marquei de me encontrar com ele na hora do meu intervalo do almoço.


― Oi amor, estava morrendo de saudades. ― Eu o cumprimentei com um beijo.


― Eu também. Parecia um século que a gente não tinha se visto ― ele respondeu logo depois de me beijar.


― Verdade ―, balancei a cabeça em sinal de positivo. ― bem que a gente podia marcar para sair novamente. ― Eu me aproximei ainda mais dele e entrelacei meus braços no pescoço dele.


― Uma ideia muito boa essa. ― Ele retribuiu o carinho, colocando suas mãos na minha cintura e nossos corpos ficaram colados um no outro.

No instante seguinte nós nos beijamos lentamente, eu queria expressar nesse gesto todo o meu amor acumulado, eu também desejava decorar cada parte do corpo dele. Nesse momento, só me importava em estar aqui com ele e manifestar o quanto eu estava enfeitiçada por ele. Eu acreditava que o Ucker sentia a mesma coisa, pois as mãos dele me seguravam pela cintura com intensidade. Apesar de eu estar totalmente entregue a ele, em seus braços, eu temia que fosse um sonho e que eu acordaria a qualquer hora. Nós tínhamos imaginado momentos assim tantas vezes que era difícil acreditar que essa cena pudesse estar acontecendo: eu e ele juntinhos. Quando nos separamos, eu encaixei a minha cabeça entre o pescoço dele e o ombro e ficamos em silêncio por alguns minutos.


― Eu preciso voltar para a prefeitura ― respondi sem me mexer, ainda apreciando o calor do corpo dele com o meu.

Eu me virei, ficando de frente para ele e a apenas alguns centímetros da sua boca. Estava difícil resistir a vontade de beijá-lo novamente.


― Mas já? A gente mal chegou ― ele disse triste.


― Pior que não é brincadeira. A culpa de eu ter chego tarde foi da Annie, vamos brigar com ela.


― Na próxima vez que nos encontrarmos com ela, vamos brigar sim ― ele falou em um tom divertido. ― E como está o seu corte? ― Ele pegou na minha mão e ficou fazendo carinho.


― Só ficou uma cicatriz depois que tirei os pontos. Agora não está mais doendo.    

Eu tinha que ir, mas o meu corpo desejava permanecer junto ao dele e poder ficar coladinha com ele. O Ucker notou a minha falta de vontade e acariciou minhas bochechas suavemente, depois retirou uma mecha de cabelo que voou pelo meu rosto e então a colocou atrás da orelha. Em seguida depositou um beijo terno em meus lábios, foi um toque mais demorado, apenas as nossas bocas se juntaram.


― Bem, eu preciso ir agora ― eu falei após o beijo. ― Ah, eu aluguei esse terno para você ir na minha festa. ― Fiz uma careta.


― Tudo bem, então a gente se vê lá.

Eu acenei com a cabeça e nos despedimos com mais um beijo antes de eu ir para a prefeitura, só que dessa vez foi rápido, um selinho. À tarde na prefeitura, eu chequei alguns emails, recebi correspondências, analisei as urgentes e entreguei para o meu pai as que ele precisava responder logo, hoje ele não tinha muitos compromissos marcados e por isso eu estava bem tranquila. Por isso, eu fiquei praticamente no meu celular falando com a Annie e o Ucker. A loira estava uma pilha de nervos, o noivado seria daqui a uma semana, tudo já tinha sido preparado, teria um jantar refinado na casa dela, com salgadinhos tradicionais de entrada, para a sobremesa havia a mesa dos doces e o bolo, só coisa boa. A decoração também já foi acertada, mas a Annie queria que tudo saísse perfeito e a cada dia ela ficava mais nervosa. Eu, por outro lado, desejava que nem tivesse o meu aniversário, seria o momento em que o meu pai apresentaria o noivo “ideal” para mim. A festa seria nesse final de semana e no fundo do meu coração eu tentava encontrar um jeito de burlar esse aniversário. Será que se não acontecesse a tal festa, meu pai desistiria? Eu havia chegado a uma conclusão para essa resposta, definitivamente era não. O meu pai daria algum jeito de me fazer encontrar com esse noivo, ou até mesmo promoveria uma nova festa só para isso. Então, só me restava pensar em outra maneira de fraudar esse momento dele. Cruzei os braços e encaixei a minha mão embaixo do meu queixo, a minha cabeça funcionava a todo vapor para encontrar uma solução para tapear o meu pai. Eu tive várias ideias, mas foi só uma que me agradou mais e eu esperaria a hora certa para “atacar”, pois eu já sabia como resolver esse dilema.  




Oii gente, espero que estejam gostando. O capítulo ficou um pouco curtinho, mas prometo compensar no próximo. Mas e aí, o que será que a Dul pensou?


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): Diva. Escritora

Este autor(a) escreve mais 8 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

Infelizmente o dia do meu aniversário havia chegado, a festa de máscaras como eu gentilmente apelidei, eu não tinha como mudar o fato do meu pai querer me arranjar um noivo com status, mas eu poderia fingir que estava acatando as “regras” dele. Era isso que eu tinha em mente, meu plano seria não reclamar mais e aceitar com bom grado o ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 41



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • Diva. Escritora Postado em 11/06/2019 - 19:31:50

    Up!! Fanfic atualizada :)

  • kauanavondy015 Postado em 14/05/2019 - 17:45:19

    Leitora nova,estou amando a fanfiic,continuaa

    • Diva. Escritora Postado em 14/05/2019 - 22:07:20

      Oii amore, seja muito bem vinda :) Fico muito feliz que esteja amando <3 eu estou trabalhando no próximo capítulo, pretendo postar essa semana ainda. Beeijos ;*

  • Gabiih Postado em 16/04/2019 - 10:40:31

    Adorei o capítulo, espero mesmo que pai dela esteja acreditando nesse plano, mas creio que sim, linda á pantufa que a dul ganhou *-* curiosa para vê oque a Dulce vai aprontar posta mais !!!

    • Diva. Escritora Postado em 16/04/2019 - 22:12:37

      Oii amore, que bom que adorou <3 pois é, vamos ver nos próximos capítulos se ele ta acreditando nisso hehehehe muito legal, né? Essa pantufa de cachorrinho :) Quero uma para mim também, será que o Ucker me dá?? kkkkkk Sexta tem mais, se tudo der certo hehehe

  • Magda Postado em 09/04/2019 - 14:32:55

    ai, se for um cachorrinho... *-* AAAA. Continua!!

    • Diva. Escritora Postado em 10/04/2019 - 21:45:52

      Huum, será que é mesmo um cachorrinho? Eu ia adorar!! Acho que consigo postar sexta, se tudo der certo nos vemos sexta :) Beijos

  • Gabiih Postado em 08/04/2019 - 12:59:38

    Lindos esses dois, mas quando o pai ele descobrir tudo vai da merda rs, má espero que isso demore muito para acontecer posta mais!!

    • Diva. Escritora Postado em 09/04/2019 - 08:11:45

      Muito lindos mesmo <3 Bem, eu também espero que o pai dela não descubra hehehehe

  • Gabiih Postado em 02/04/2019 - 19:21:21

    Nossa tomara que esse Plano de certo, e um bom plano né a Dulce foi esperta agora, bom ainda bem que o Marquinhos não queria esse casamento tbm, amei o capítulo posta mais!!!

    • Diva. Escritora Postado em 03/04/2019 - 18:46:17

      Sim, vamos torcer para o plano da Dul dá certo :) ela é muito esperta hehehe pois é, foi bem conveniente ele não querer também, assim junta o útil com o agradável :)

  • Magda Postado em 01/04/2019 - 13:29:14

    leitora nova <3

    • Diva. Escritora Postado em 01/04/2019 - 15:34:29

      Oii amore, seja bem vinda :) Espero que esteja gostando.

  • Diva. Escritora Postado em 01/04/2019 - 09:11:43

    Capítulo atualizado :)

  • Gabiih Postado em 27/03/2019 - 15:22:44

    Amei já estou a ansiosa para lê o capítulo todo, meus sentimentos pela perda de sua avó, eu tbm perdi a minha há alguns anos, mas Deus sabe oque faz, bjs vou espera pelo capítulo.

    • Diva. Escritora Postado em 28/03/2019 - 19:51:05

      Pois é, amore o capítulo 10 ta cheio de novidades kkkkkk (estou terminando, viu? Acho que consigo postar amanhã ) Sim, ela descansou tadinha :(

  • Gabiih Postado em 18/03/2019 - 17:46:10

    Nossa esse pai da Dulce e muito sem noção, velho maluco e ainda arranha um pouco como o crápula do Marquinho, quero ve como a Dulce vai sair dessa, tadinha estou amando a história posta mais!!!

    • Diva. Escritora Postado em 19/03/2019 - 21:39:15

      Pois é amore, o pai dela é muito sem noção :( né? Ele foi arranjar logo o Marquinhos. Sofro muito pela Dul, mas vamos seguir com fé que ela consegue se livrar do pai :) Ai que bom que está amando <3 fico tão feliz!!



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

Não conseguimos todo o dinheiro necessário para pagar o DataCenter.


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...