Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Destinados | Tema: drama, romance, suspense,hot, realeza


Capítulo: Uma Realeza Dissimulada

27 visualizações Denunciar


Em toda a adversidade do destino, a condição que gera mais infelicidade é o fato de se ter sido feliz. - Boécio


 


- Andrew estava me tratando de uma forma tão carinhosa que eu estranhei, não que ele me trata-se mal mas, algo parecia ter mudado e a curto prazo, o que me deixava intrigada e principalmente com receio sobre o que estava acontecendo.


- Chegamos Amanda, eu espero que você não se importe em me esperar pois, isso vai demorar - deixei que minha expressão facial falasse por mim, saímos do carro e andamos pelo lugar repleto de desconhecidos, a nossa frente uma porta escura e simples foi aberta, adentramos o lugar e eu observei vinte e uma cadeiras - Amanda, você vai se sentar ao meu lado - sussurrou no meu ouvido esquerdo e eu confirmei, seguimos até a ponta da enorme mesa ovalada em tom azul escuro.


- Andrew quanto tempo ficaremos aqui?


- Estou torcendo para não haver problemas, mas se demorar muito eu prometo te compensar - piscou com um sorriso suspeito e eu confesso que fiquei imaginando que tipo de compensação ele poderia me dar, depois de dois minutos vários homens de terno preto adentraram o lugar e apenas duas mulheres além de mim, todos esperaram Andrew se sentar e depois de ocuparem seus respectivos lugares começaram a falar sobre negócios, ao que parece a empresa Smith está passando por um problema de capital por um mau investimento. Durante aquela uma hora e meia que passei sentada ao lado dele, analisei as expressões de todos e principalmente a conversa em si e seus olhares sobre mim, eu posso ser ingênua sobre relacionamentos mas, fui criada com um magnata dos negócios, meu pai que me obrigava a acompanhá-lo em diversas reuniões e outras funções empresariais, perdi grande parte da minha adolescência assim pois, quando não estava com ele em seus compromissos, estava no colégio interno - Amanda, o que você acha da proposta? - Andrew tocou em minha mão me despertando das lembranças do passado.


- Perdão, que proposta?


- A empresa perdeu um pouco de visibilidade aqui na Turquia, então Allison teve a brilhante ideia de investimos em algo que ela chama de publicidade do bem - Andrew usou aspas com as mãos para definir o termo.


- E o que propõe, hospitais, escolas, orfanatos...? - fui direta o que deixou meu marido confuso - Vocês trabalham com combustíveis e mineração, deveriam criar um projeto especifico para obter visibilidade e não usar a caridade pra isso - eu não faço a menor ideia do porque Andrew pediu a minha opinião sobre um assunto que não me diz respeito mas, não costumo mentir e muito menos enrolar quando os assuntos são negócios, principalmente sobre os quais desconheço.


- Vamos avaliar as propostas na próxima reunião, por hoje encerramos - me levantei e esperei que todos saíssem, assim como Andrew que permaneceu parado ao meu lado.


- Porque você me consultou sobre isso? Achei que viria a essa reunião apenas como sua acompanhante.


- Não fale besteiras Amanda, você é minha esposa e não um troféu para ser exibido por ai.


- E ainda assim você não me respondeu.


- E nem vou, agora vamos nos divertir, eu não vim até aqui apenas a trabalho - puxou minha mão com delicadeza e saímos da sala em direção a festa, eu detesto ficar no escuro, já basta ter presenciado aquela cena confusa entre ele a aquela mulher - Amanda vamos dançar? - aquela intimação disfarçada de pergunta me deixou possessa mas eu lidaria com isso depois, por hora deixei que seus braços envolvessem minha cintura e depois sua mão segurou a minha, dançamos por um bom tempo e tenho certeza que o meu silêncio o incomodou pois, a todo momento olhava em meus olhos e as vezes acariciava meu rosto, não vejo a hora dessa festa acabar.


- Andrew chega, vamos embora? - sussurrei em seu ouvido.


- Quem dera fosse assim, aqui eu não sou um príncipe Amanda, estou representando o meu pai o dono das empresas Smith, não posso simplesmente me retirar, façamos o seguinte, vamos circular um pouco socializar e depois eu te levo para um passeio que tenho certeza que você vai adorar, devido ao seu gosto - pelo visto eu não sou a única que analisa os outros por aqui, aceitei sua proposta pela falta de escolha, conversamos com alguns conhecidos do Andrew e outros familiares que eu conheci na hora, todos me olhavam de forma estranha e não duvido nada que seja pelo tom da minha pele e meus traços, eu me sinto uma atração nesse lugar, principalmente da forma que me olham - Amanda, você esta bem? - as mãos de Andrew alisaram minhas costas.


- Com licença - me retirei e fui a saleta de descanso, onde me sentei e peguei o celular dentro de minha bolsa de mão, conferi alguns dos próximos eventos que terei que comparecer durante o resto da semana, ouvi batidas na porta e rapidamente guardei o aparelho.


- Amanda, vamos? - Andrew se encostou na porta e me olhou de soslaio, fiquei imaginando o que o fez mudar de ideia, me levantei e apenas me despedi de todos que vieram nos cumprimentar segui para o carro sem dizer uma palavra e assim continuamos o trajeto de volta para o castelo.


......


O salão do clube estava lotado, não como uma show, havia tantos desconhecidos como naquela festa, eu estava cansada, no fundo tudo o que eu queria fazer era deitar na cama e apagar.


- Você ficou linda com esse vestido, só que depois vamos conversar sobre seus decotes.


- Andrew eu dispenso seus conselhos de moda - senti sua mão soltar a minha e ir de encontro a minha cintura.


- Querida, essa beleza deve ser apenas para os meus olhos - sussurrou e eu contive meu desconforto e vergonha - Agora vamos já estão nos olhando, lembre-se de sorrir - piscou e andamos até a arquibancada principal onde sua mãe estava sentada acompanhada do resto dos familiares.


- Amanda querida, espero que goste de Hipismo? - olhei para Andrew que apenas sorriu - Como Andrew se atrasou Hial vai correr no lugar dele - eu não fazia a menor ideia de que meu marido praticava equitação e hipismo.


- Vai ser bom para Hial, ele estava louco para ocupar o meu lugar - Andrew ironizou e minha sogra desdenhou com seu olhar - Peço desculpa pelo meu atraso, mas eu e Amanda estávamos ocupados - seu olhar malicioso me deixou incrédula - Bom mas, vamos nos sentar e assistir - me deu espaço para passar e eu me sentei ao lado da rainha que a todo momento se mostrava amável, já sua sobrinha Charlotte não tirava os olhos de mim e as vezes do meu marido que estava acompanhado de seu pai, assistimos toda a apresentação de Hial e depois dos demais participantes, de fato a tarde estava sendo muito agradável e seria melhor ainda se essa mulher tirasse os olhos de mim.


Quando tudo acabou, seguimos para uma parte reservada do salão, onde fui apresentada a irmã da rainha a Duquesa Samia e ao seu marido, que descobrir ser um rico empresário Norueguês, de fato a família real a cada dia me surpreendia de forma positiva.


- Amanda querida, você está linda - Hial se aproximou e beijou minha mão.


- Obrigada, a sua corrida também foi maravilhosa - Andrew tocou em meu ombro e eu percebi uma certa tensão entre eles.


- Eu espero que vocês estejam curtindo muito, fico tão feliz em saber que meu irmãozinho finalmente encontrou uma mulher a sua altura, se bem que as vezes quando olho pra você, me lembro de Clarissa... - Hial abraçou meu marido, que estava visivelmente nervoso o que me deixou confusa, quem seria essa tal de Clarissa? - Bom, vou me preparar para a forca - se afastou de nós com seu olhar travesso. Tudo estava maravilhoso, eu conseguia me divertir mesmo com o desconforto de estar num ambiente cheio de desconhecidos, almoçamos  por aqui mesmo e o olhar da suposta prima ainda me deixava confusa.


- Andrew, amanhã nós temos que comparecer ao aniversario do seu tio, é mesmo necessário a minha presença? Você poderia ir sozinho - sussurrei assim que nos afastamos de todos.


- Você quer mesmo me deixar sozinho num ambiente cheio de mulheres? - demonstrei indiferença para o seu sorriso ladino.


- Nossa você não conseguiria se controlar não é mesmo? Com tantas tietes em cima de você - sussurrei ironicamente e ele aproveitou para me roubar um beijo e depois sorrir de forma cativante.


- Eu adoro uma mulher ciumenta - suspirei, não perderia meu tempo debatendo sobre o assunto, observei a mãe de Andrew vir em nossa direção séria.


- Queridos, preciso de vocês na mesa e Andrew comporte-se.


- Estamos entre  familiares e amigos minha mãe, nada demais que eu beije minha linda esposa - apertei sua mão e o mesmo gargalhou, para ele tudo era uma diversão inclusive o meu desconforto. 


- Eu quero agradecer a todos por terem vindo, aproveitamos esse momento em família para um pequeno comunicado - a rainha obteve total atenção de todos a sua volta, que agora mantinham suas respirações controladas - Como todos sabem,  a tradição do noivado está a seis gerações em nossa família e eu me orgulho disso, cada casamento bem e mal sucedido dentro dessa família pois, nós damos a direção e resta a vocês seguirem e administrarem o seu próprio destino.  Meu primogênito Andrew Smith me dera o orgulho de desposar uma mulher do seu nível e espero que Hial faça o mesmo ao aceitar a minha benção sobre sua união com Charlotte - os olhos da loira praticamente pularam de seu rosto enquanto meu marido sorria de forma sínica, foi então que notei toda a tensão no ar era perceptível o descontentamento e fúria através de um olhar - E então o que me dizem? - Hial se levantou e abraçou sua mãe.


- Não poderia ter feito escolha melhor minha mãe - a loira concordou e todos da família se alegraram com aquilo que ao meu ver não passava de uma fachada, igual ao que vivia no momento. 


- Ótimo o resto dos detalhes do noivado será  discutido entre os pais, agora vamos aproveitar o resto dessa tarde maravilhosa em família - depois das palavras da  rainha, todos se dispersaram, uns voltaram para a arquibancada outros para o salão e eu continuei sentada, a companhia de minha sogra era realmente agradável já que a mesma não falava muito - Amanda querida, não gostou do lugar?


-  Pelo contrario senhora Aylla é lindíssimo, eu me pergunto se não há crianças em sua família


- Querida, sabe que não, as mulheres se recusam a ter filhos antes dos trinta, espero que você e Andrew me deem vários netinhos - dei um meio sorriso para ela, não estava em meus planos ser mãe, assim como não esta nos meus planos ter algo com o filho dela.


- E você Charlotte?


- Francamente madrinha, não pretendo ter filhos, penso que crianças detém de todo o nosso tempo e no momento eu só penso em me concentrar nos meus objetivos - seu olhar frio me analisou e eu me segurei para não jogar toda a minha ironia em cima dela. 


- Charlotte, você conhece as regras da realeza, foi criada dentro do meu castelo então vou entender que esse seu comentário foi apenas uma brincadeira - a loira gargalhou e eu preferi não me meter na relação entre elas.


- Amanda correto? Você já pensou nos nomes das crianças.


- Sim, Princesa Amanda, eu prefiro não tocar em um assunto tão particular se é que me entende - devo dizer que aticei essa mulher, principalmente por obrigá-la a me tratar formalmente, seu sorriso era falso assim como seu olhar, beberiquei o vinho sobre a mesa e continuei a conversar sobre os assuntos do cotidiano, deixando claro que minha vida pessoal não estava em pauta.


- Minha princesa parece tão entediada, você quer ir embora? - Andew colocou sua mão esquerda sobre meu ombro e sorriu pra mim.


- Andrew, vocês possuem algum compromisso? Pois eu adoraria ter a companhia de Amanda até o fim do evento.


- Sinto muito minha mãe mas, eu planejei uma surpresinha para minha esposa e não estou nem um pouco afim de cancelar - pelo seu timbre de voz eu percebi que ele estava irritado e como eu estava detestando a presença daquela loira não me importei em me retirar.


- Se sua mãe não se importar eu irei com você - a rainha balançou a cabeça e ficou feliz, pois ao seu ver nós estávamos aproveitando uma lua de mel corrida, pedi licença e fui em direção ao banheiro, quando voltei fui interceptada por Hial que me informou que meu esposo estava no escritório e se ofereceu para me levar até lá, estranhei sua gentileza pretenciosa, andamos até a parte mas afastada do salão onde a todo momento ele insistia em puxar assunto, me contando das magnitudes e feitos de sua família, se gabando de quem era e por fim o que viria a ser. Quando paramos em frente a uma porta de madeira polida e cheia de adornos ele simplesmente foi embora e em entrei no local sabendo que provavelmente aquilo era uma armadilha, caminhei pelo corredor escuro e me encostei na parede assim que vi através da porta de vidro a loira e meu marido discutindo novamente:


- Você é um cretino Andrew! Como se atreve a me jogar nos braços do seu irmão! 


- Charlotte baby, para de dar chilique, Hial é um ótimo partido vai lhe garantir o titulo que tanto quer! 


- Seu insensível, já não basta ter colorido a família, ainda me joga nos braços daquela cópia! Você não intende que eu quero você! Que eu sou a mulher perfeita para está ao seu lado e não aquela coisa sem sal - as palavras dela me causaram uma repulsa e uma certa vontade de adentrar o local e tirar essa historia  a limpo mas, me mantive quieta.


- Meça suas palavras Charlotte, ela é sua princesa você querendo ou não e mesmo que você se case com Hial, ela vai continuar a sua frente.


- Pra você tudo não passa de um jogo não é mesmo?  Primeiro aquela songa monga da Clarissa e agora essazinha.... - escutei um estrondo, como se um copo tivesse sido atirado no chão.


- Cale a boca Charlotte! Eu não vou permitir que você fale dela, nunca mais toque no nome de Clarissa novamente ou eu não responderei por mim!


- E você vai fazer o que? Me agredir, nós dois sabemos que você não é capaz disso.


- Teste a minha paciência pra ver se eu não levanto cada podre escondido debaixo dessa saia e não jogo ao vento, vamos, teste! 


- Saia que por muitas vezes você adorou tirar, rasgar e por ai vai. Me diga uma coisa querido, ela te trata tão bem quanto eu? Por que pela sua aparência você parece está tão insatisfeito - de soslaio observei a loira vulgar se aproximar de Andrew, a ponta de seus dedos passaram pelo blazer e a mesma se aproximou de seus lábios, as mãos dele seguraram com firmeza em sua cintura e enquanto seus lábios tocaram  os dela de forma intensa - Vim no fundo você sempre será meu.


-  Ai é que se engana, você gosta de ser tratada como um brinquedo, acha que isso é um jogo? Pois se contente com isso, já que nunca mais me terá em sua cama.


- Nunca diga nunca Andrew, principalmente com uma mulher como a sua...- o ouvi gargalhar 


- Entenda Charlotte, você nunca esteve aos pés de Clarissa e agora a historia se repete, você jamais estará a altura de Amanda, você nunca será minha pois eu não te vejo como uma opção - os passos de Andrew se aproximaram da porta de vidro e eu andei em direção ao corredor, consegui sai a tempo do escritório antes que ele me visse, fui até Hial e o mesmo sorriu para mim, se afastando dos demais.


- Você é o tipo de homem que gosta de confusão.


- Como? 


- Me perguntou como um homem tão bonito pode ser tão baixo pra não dizer vulgar - mantive minha expressão serena.


- Princesa, não acha que está passando dos limites? Afinal não me conheces.


- Achei que limites para você fosse algo insignificante já que desde o momento que me conheceu tentou me manipular, não me conheces, não brinque comigo ou posso acabar te respondendo a altura - ele gargalhou e me olhou de forma faceira.


- Estou vendo que me enganei a seu respeito, pelo visto seremos grandes amigos.


- Não conte com isso, a primeira impressão é a que fica e a sua foi péssima. À propósito faça bom proveito do resto... quer dizer do seu noivado  - pedi licença e me retirei, não acreditando em minhas próprias palavras, eu perdi a linha no momento em que percebi o joguinho dele mas, não deveria ter entrado na sua, caminhei em direção a Andrew com o olhar mais dócil possível.


- Amanda! O que faz aqui?


- Seus lábios estão sujos de batom - passei o lenço sobre sua boca - E pelo tom vulgar não é meu, espero que tenha aproveitado o momento - dei alguns passos mostrando minha total indiferença, ele segurou em minha mão.


- Digamos que eu estava resolvendo um problema pessoal.


- Espero que não ligue quando eu começar a lidar com os meus.


- Amanda... o que você quer dizer com isso?


- Nada querido, são apenas problemas pessoais - eu sempre fui instruída pelo meu pai a não baixar minha cabeça, mesmo que no momento eu me sinta sozinha e sem ter a menor ideia do que fazer, minha única certeza era não me envolver nesse joguinho de poder. 


 


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): Queen The Vampire

Este autor(a) escreve mais 6 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

- Amanda espero que você goste de passear nas alturas. - O que? - Minha querida, você esqueceu que eu prometi te compensar por tudo que aconteceu hoje, eu percebi que você detestou a reunião da empresa, achei que fosse se divertir na festa mas eu estava errado - acariciou o dorso da minha mão com a ponta dos dedos e eu me mantive distante, e ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 0



Para comentar, você deve estar logado no site.


loading...

AVISO

Boa noite, estou reassumindo a administração do site (Ricardo Barros), o único usuário que responde pelo site é o Admin ou Ricardo Barros.