Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Doce Coisinha - Trendy, Vondy | Tema: Triangulo Amoroso


Capítulo: Capítulo 11

119 visualizações Denunciar


Portia estava sentada na sala grande quando cheguei em casa depois das oito horas. Ela olhou para mim com a mesma expressão que ela tinha antes. Ela não esperava nada disso quando estava ansiosa pela visita de Christopher. Eu me perguntei se ela gostaria que ele nunca viesse. Eu imagino que era o que ela pensava a maior parte do tempo agora.


"O que você vai fazer?", Ela me perguntou quando entrei na sala. Ela não olhou para mim. Ela manteve o olhar fixo em suas unhas bem cuidadas.


"Eu vou trabalhar à noite. Eu tenho um emprego trabalhando em um clube. Isso ainda não cobre o local onde ela está, mas vou falar com eles sobre um quarto mais barato ou pagamentos possíveis."


"Ela pode dividir um quarto por quatro mil por mês", disse Portia levantando a cabeça para olhar para mim. "Mas isso ainda é muito. Mais do que você pode gerenciar. Quanto tempo você acha que pode trabalhar em dois empregos? O que acontece quando ele tem festas atrasadas e você tem que trabalhar?"


Eu não tinha pensado nisso. Isso seria um problema. Eu não tinha certeza de como conseguiria lidar com isso. "Estamos mantendo Heidi em segredo dele de propósito?" Eu perguntei. "Não que ele devesse se sentir obrigado a me ajudar a pagar por seus cuidados, mas talvez ele entendesse a minha necessidade de um segundo emprego?"


Ela encolheu os ombros. "Eu não sei com ele. Seu pai era um homem frio. Ele não tinha coração. Sem emoção. Muitas vezes, ele era cruel. Eu me casei com ele jovem e fresco fora da fazenda. Então, com certeza eu viveria essa vida de conto de fadas que eu sempre quis. O que eu pensei que deveria ter nascido. Eu vi coisas reluzentes, luxo e eu queria tudo. Mas com isso veio um preço. Ele me mudou. Eu mudei," ela olhou para longe de mim.


Seu olhar estava agora focado no retrato que pairava sobre o suporte da lareira. Foi Christopher. Um Christopher muito mais jovem. "Ele é muito parecido com o pai dele. Ele pode ser encantador, mas ele é frio. Eu não posso confiar em suas ações. Eu ajudei todos vocês e senti que cumpri meu dever. Você não é meu para se preocupar. Sua mãe sabia disso e ela te mandou aqui mesmo assim. Cabe a você agora, então descubra. Esta é sua vida. Eu tenho o meu próprio para lidar."


Eu fiquei lá sem saber o que dizer. Não havia nada a dizer depois disso.


Havia apenas uma pergunta para a qual eu não sabia a resposta. "Por que você nos ajudou a começar então?"


Ela levantou. As calças de linho que ela usava estavam agora enrugadas por muito tempo. Ela ainda conseguiu parecer elegante. "Porque. Eu devia a sua mãe por algo que aconteceu há muito tempo. Eu cumpri meu dever. Se existe um Deus e ele se importa com as nossas almas, acho que ele concordará que eu cumpri o que era esperado de mim."


Eu não posso dizer nada do que ela disse fazia sentido. Eu queria mais uma explicação. "Mas o que você deve a minha mãe?"


Portia suspirou como se estivesse cansada da minha presença. "Nada. Na verdade não. Ela fez uma escolha que levou a onde você está hoje. Isso não é problema meu para consertar. Mas ela se foi agora. Eu fiz um ato gentil pelos mortos. Nada mais."


Ela saiu do quarto antes que eu pudesse dizer mais. Um ato gentil pelos mortos? Isso foi tudo isso? Houve momentos em que Portia parecia se importar. Que ela se preocupou com Heidi e eu. Mas agora eu me perguntava se tinha imaginado aqueles momentos. Que eu as inventei na minha cabeça. Pensamento de desejo.


Saí do quarto do jeito que tinha entrado. Esta não era minha casa. Nunca foi. Portia não era da família. Minha irmã era minha única família agora. Permitir-me pensar que havia uma chance que Portia cuidou de nós tinha sido um erro. Isso me deixou vulnerável. Eu não poderia estar vulnerável. Eu tive que ser forte. Resistente. Descubra isso. Porque Portia estava certa sobre uma coisa: era problema meu. Não dela, e definitivamente não de Christopher. Dizendo-lhe a minha situação seria pedir ajuda, e eu não estava fazendo isso.


As portas que davam para a varanda se abriram. Parei e me virei para ver Christopher e Herrera entrando. Christopher estava falando e parou quando ele me viu.


"Olá. Espero que tenha gostado do seu dia de folga." Ele parecia sincero.


"Eu fiz. Obrigada."


"Estamos aqui para encontrar comida. Não muito de um cozinheiro e estou cansado de comer coisas fáceis lá fora apenas para evitar a minha mãe. Você poderia nos fazer algo para comer? Alfonso estava indo, mas você está aqui e imagino que você poderia fazer algo mais saboroso do que o que ele pode jogar juntos."


Alfonso? Quem foi Alfonso?


"Uh, claro. Alguma solicitação? Ou você quer que eu faça alguma coisa?"


Christopher olhou para Herrera. "Você ia fazer fettucine com molho alfredo, certo? Você quer isso ou quer que ela faça outra coisa?"


Herrera foi Alfonso? Como eu perdi isso?


"Eu estou bem com o que quer que seja. Desde que ela possa cozinhar," ele disse sem olhar para mim ou reconhecer minha presença. Mais uma vez, senti como se tivesse sido transportado para a era vitoriana e eu era o servo em torno dele.


Christopher riu. "Ignore-o. Ele é um pouco idiota. Você acabou de consertar alguma coisa. Estou com tanta fome que não me importo com o que é. Apenas sem queijo grelhado. Eu me cansei disso."


Eu assenti. "Eu vou direto ao assunto."


"Você sabe se minha mãe foi até o quarto dela?" Christopher gritou enquanto eu saía.


"Sim. Eu acredito que sim."


Ele soltou um suspiro de alívio. "Boa. Não com vontade de ouvir sua cadela."


Eu não respondi, acabei de sair. Eu falaria com Christopher mais tarde sobre o meu segundo emprego. Eu ia usar a minha desculpa para poupar para a faculdade como o motivo. Por enquanto, Heidi continuaria em segredo. Eu não queria parecer pedir a ajuda dele. Esse não foi o caso. Eu só precisava de sua compreensão. Dinheiro para a faculdade parecia bastante credível. Além disso, só na semana passada, era isso que eu planejava fazer. Não foi uma mentira completa. Na verdade não.


Eu parei na cozinha e olhei para a despensa. Eu queria fazer algo impressionante depois que o Sr. Snooty Pants fez esse comentário sobre a minha habilidade culinária. Eu decidi que iria com o que eu sabia de casa - minha refeição favorita que mamãe fez. Biscoitos caseiros, bacon, salsicha molho e queijo grits. Era comida de café da manhã, mas em ocasiões especiais a mamãe fez isto à noite. Nós amamos quando ela fez. Biscoitos caseiros sempre foram bons. Sorrindo, peguei os suprimentos que precisava e comecei a trabalhar.


O cheiro dos biscoitos no forno e a fritura do bacon encheu a cozinha rapidamente. Eu sorri para mim mesmo. Eu tinha certeza de que não havia um menino do sul vivo que não gostasse dessa refeição. Eu me senti confiante de que ambos apreciariam, e Herrera, Alfonso ou quem quer que tenha que comer suas palavras. Empurrão.


Quando terminei o grão de queijo e estava terminando o molho, a porta se abriu e Christopher entrou. "Isso cheira fodidamente incrível. Você está fazendo café da manhã? Eu sei que sinto cheiro de bacon."


Eu não deixei ele ver o sorriso que eu estava lutando para esconder quando se espalhou pelo meu rosto. "Sim."


"Eu amo bacon", ele me disse.


"A maioria das pessoas faz", eu concordei.


Ele ficou me observando e eu terminei sem preencher o silêncio com conversa fiada. Ele era meu chefe. Eu não imaginei que ele esperasse isso de mim.


"Veja. Sobre a nossa conversa hoje cedo, eu não quis soar duro se eu fizesse isso. Estou apenas tentando consertar as coisas que minha mãe lidou mal."


Eu assenti. Eu não precisei de mais explicações. Ele tinha todo o direito de me questionar quanto a ser pago.


"Eu sei que hoje foi seu dia de folga, obrigado por isso. Eu não deveria ter pedido para você cozinhar. Tenho certeza de que você tinha outra coisa que queria fazer."


Peguei dois pratos no armário. "Eu ia lavar roupa e ler. Eu ainda planejo isso. É cedo. Você quer que eu sirva você ou quer apenas fazer seus próprios pratos e comer aqui?" Não tinha certeza se isso era uma coisa casual ou não.


Ele pegou os pratos da minha mão. "Podemos consertar nossos pratos e comer aqui. Nenhuma necessidade para a mesa de sala de jantar grande bunda lá. Podemos até usar toalhas de papel em vez dos guardanapos com monograma que a Portia nos faz usar."


Alfonso entrou então. "Isso é bacon?"


Eu sorri. Eu não pude me ajudar. Eu realizei o que eu queria.


"Ela nos fez café da manhã", Christopher respondeu.


Alfonso não parecia satisfeito ou desapontado. Ele parecia como ele sempre fez. Sem emoção. Escuro e fechado. Eu sabia que ele podia sorrir, no entanto. Eu vi isso uma vez. Foi quando eu estava por perto que ele não sorria. Eu não sabia por que ele não gostava de mim, a menos que ele não gostasse da ajuda contratada.


"Se você é bom, então eu vou deixar tudo para você", eu disse a Christopher.


"Sim. Isso é ótimo. Aproveite sua noite. E o seu livro."


Eu dei a ele um sorriso de despedida, depois saí. Eu não olhei para Herrera. Não havia sentido. Ele fingiu que eu não existia de qualquer maneira.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): Dulce Coleções

Este autor(a) escreve mais 45 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
Prévia do próximo capítulo

Eu tinha planejado falar com Christopher sobre o meu segundo emprego hoje. Mas ele se foi antes que eu pudesse pegá-lo. Quando o jantar chegou e se foi e ainda não havia sinal dele, eu estava sem tempo. Vestindo um par de shorts e camiseta, subi as escadas para dizer a Portia que estaria no trabalho hoje à noite, mas que voltaria a tempo de fazer o caf&e ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 90



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • Ellafry Postado em 18/08/2019 - 18:08:14

    me amarrota que to passada . cho-ca-da feat morta

  • candyle Postado em 18/08/2019 - 13:32:08

    To chocada e triste ao mesmo tempo '-' Continuaaa

  • Ellafry Postado em 15/08/2019 - 13:58:25

    ñ para agora naoo

    • Dulce Coleções Postado em 18/08/2019 - 00:57:19

      Continuando kkkk

  • Ellafry Postado em 13/08/2019 - 21:12:48

    maaaaaaisss

    • Dulce Coleções Postado em 15/08/2019 - 01:43:01

      Continuando

  • Ellafry Postado em 10/08/2019 - 23:39:52

    Postaaa maaaais!!!

    • Dulce Coleções Postado em 12/08/2019 - 13:23:50

      Continuando

  • Ellafry Postado em 06/08/2019 - 23:41:07

    conttttt

    • Dulce Coleções Postado em 09/08/2019 - 19:37:11

      Continuando

  • candyle Postado em 04/08/2019 - 11:05:46

    Eles são muitos fofos juntos *-* Continuaa

    • Dulce Coleções Postado em 06/08/2019 - 21:48:11

      Continuando

  • Ellafry Postado em 01/08/2019 - 00:11:02

    que rapidos ;x

    • Dulce Coleções Postado em 03/08/2019 - 23:42:31

      Não foram kkkkk

  • Ellafry Postado em 30/07/2019 - 22:19:50

    medo de quando ele abrir os olhos ;x

    • Dulce Coleções Postado em 31/07/2019 - 15:59:21

      kkkkk

  • vondyfforever Postado em 28/07/2019 - 22:56:25

    É o amooooor!! Postaaaa

    • Dulce Coleções Postado em 31/07/2019 - 15:58:34

      Continuando*-*



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

Não conseguimos todo o dinheiro necessário para pagar o DataCenter.


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...