Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Segure-se Firme - Vondy (adaptada) | Tema: Vondy, HOT


Capítulo: Capítulo 51

156 visualizações Denunciar


Dulce


Quando entrei na garagem, a caminhonete do meu pai estava parada na calçada, logo atrás da picape de Christopher. Eu só tinha estado trabalhando por quatro horas e Christopher tinha me chamado para me informar que a minha mãe estava aqui. Porque essa era a única pessoa que poderia ser. Eu não a tinha visto em seis anos, e essas últimas lembranças não eram felizes.


E ela estava na casa com meu bebê. Eu nem sequer peguei minha bolsa antes de pular no carro e sair correndo. Quando cheguei à porta, esta estava trancada. As chaves estavam em minhas mãos. Eu, pelo menos, puxei-as para fora da ignição na minha pressa. Destranquei a porta e corri para dentro.


— Micah? - Eu chamei. — Christopher?


Nenhuma resposta. Eu não poderia chamar o nome dela. Como eu iria chamá-la? Mãe? Ela não tinha sido, quando eu mais precisava. Eu andei pela casa, mas estava vazia. Ninguém estava aqui. Eles poderiam estar nos Uckermann?


A porta da frente se abriu, e eu corri de volta para a sala de estar. Mas vê-la, me fez parar. Seu cabelo era cinza agora. Completamente cinza. Eu tinha nascido para os meus pais no final da vida e do cabelo da minha mãe já estava começando a ficar cinza, quando eu morava em casa. Vê-lo completamente cinza agora foi surpreendente. Seu rosto parecia ter envelhecido dez anos em vez de seis, e ela estava mais magra.


— Dulce, - disse ela com um sorriso inquieto. — Você está linda.


Eu parecia diferente também. Ela enviou uma menina de dezesseis anos de idade. Eu era uma mulher agora. Uma mulher com uma criança.


— Onde estão Micah e Christopher? - eu perguntei.


Ela parecia machucada, mas ela cobriu-se rapidamente. Eu não me senti culpada por isso. Ela tinha me abandonado. Eu nunca poderia machucá-la tanto quanto ela tinha me machucado. Nada de comparação.


— Eu não sei. Bati e ninguém respondeu. Então eu andei de volta, em seguida, ouvi um carro chegando. Eu não reconheci o carro de luxo, mas parece que você está indo bem agora, mais do que parece.


Isso significava que Christopher e Micah estavam nos Uckermann, e no momento que Christopher olhasse para fora, veria o carro do meu pai parado aqui, ele estaria aqui rápido. Eu o queria aqui. Eu só queria que Micah ficasse lá. Ela nos deu esta casa e deu a Micah aquele quarto, mas vê-la agora, lembrava-me que eu não estava pronta para perdoá-la.


— Você nunca ligou. Eu esperava que vocês chamassem, - disse ela.


— Eu sei como se sente. Eu esperei que você chamasse uma vez, também. Ou pelo menos desse uma merda.


Ela se encolheu. Mais uma vez, eu não me senti culpada. Ela fez isso para nós. Para mim.


— Os Uckermann sabem sobre Micah agora, eu presumo? Desde que Christopher está com ele.


— Sim. Eles perderam cinco anos de sua vida, porque eles nunca receberam as cartas que eu enviei para eles. Tia Cathy diz que eu preciso falar com você sobre isso.


Minha mãe olhou como se isso não a surpreendesse.


Ela deve ter recebido um telefonema de sua irmã sobre isso.


A porta atrás dela se abriu e Christopher encheu o espaço. Um olhar feroz e protetor estava em seu rosto, e seu corpo estava tenso e pronto para me defender. Ele deu um passo em torno de minha mãe e ficou na minha frente apenas ligeiramente. — Você está bem? - Ele perguntou seu olhar suavizando para mim.


Eu balancei a cabeça, em seguida, peguei a sua mão.


Sua grande mão engoliu uma minha.


— Eu deveria ter imaginado que isso iria acontecer. Eu soube quando você veio para vê-la um dia antes de nós a levarmos para o Texas que era mais do que apenas a verificação sobre ela. - A voz da mãe não estava condenando ou julgamento. Mais como aliviada.


— Você me disse que ela já tinha ido embora, - disse Christopher, virando-se para olhar para trás em minha mãe.


Minha mãe, pelo menos, parecia apologética. — Eu tinha uma filha grávida de dezesseis anos de idade, e o pai de seu filho estava morto. Eu não sabia o que fazer. Eu estava tentando salvar seu futuro. Ela era muito jovem para tomar as decisões certas.


As decisões certas? Levando-me embora e tentando me forçar a dar o meu bebê, não era a decisão certa.


— Manter Micah foi a melhor decisão da minha vida, - eu gritei incapaz de controlar a raiva queimando dentro de mim, com a ideia de ela não querer meu filho.


Ela assentiu com a cabeça. — Sim, foi. Você sabia melhor do que nós. Você sabia que você poderia ser uma boa mãe. Melhor mãe do que eu fui com você. Você nos mostrou o quanto você iria lutar para dar a ele uma vida. E você fez um trabalho maravilhoso. Eu estou orgulhosa de você. Eu não fiz de você a mulher que é, mas eu ainda estou orgulhosa de você.


Meus olhos ardiam com lágrimas não derramadas, e eu engoli o ar para não soluçar. — Você não tem ideia de como era. Amá-lo, tudo por minha conta. Tentando ser o suficiente para ele. Tentando ser mãe e pai para ele. Dizendo-lhe o quanto especial ele era e que ele era o meu mundo, enquanto ele fazia perguntas sobre não ter uma família, como as outras crianças tinham. Você não sabe! Você não sabe o que foi! Ele precisava de você. Eu precisei de você. - Os soluços me impediram de dizer mais nada. Em seguida, os braços de Christopher estavam ao meu redor, me segurando.


Eu tinha imaginado este momento um milhão de vezes, desde o dia em que ela me levou para fora da minha vida. Nunca pensei que seria assim. Eu nunca pensei estar dividida assim. Eu sempre fui firme e forte. Eu sempre fui orgulhosa de mim mesma e iria mostrar a ela que não precisava deles. Eu não precisava dela. Eu não queria quebrar e chorar.


A menina perdida que não sabia como ia fazer isso sozinha estava de volta. Ela não tinha ido embora. Não é verdade. Ao longo de tudo ela tinha estado lá, por baixo da superfície. Aquela garota era uma lutadora, mas ela também estava escondendo tanta dor. Tanta traição.


— Seu pai... Ele ficou arrasado. Tínhamos tentado tanto protegê-la. Para mantê-la segura e longe de más decisões. Nós confiamos em Dustin. Nós confiamos em você. Mas, em seguida, Dustin tinha ido embora, e estava grávida. Não podíamos ver de outra maneira.


Limpei meus olhos, e Christopher me acalmou com golpes lentos na minha cabeça e nas costas. Eu tive que puxá-lo junto. Eu tinha que passar por isso. Eu era forte. Eu tinha crescido rápido, e por um momento que eu precisava ser essa garota novamente. Eu precisava dizer a ela o que tinha feito para mim. E dizer a ela o que eu tinha feito por mim.


Eu me mudei, e Christopher aliviou seu poder sobre mim, mas manteve a mão nas minhas costas, deixando-me saber que ele estava lá. Ele não estava me deixando, e eu não estava sozinha. Ele teria estado lá naquela época, também, se ele tivesse tido a oportunidade de saber. Para estar lá. Ele teria estado. Quanto diferente à vida de Micah teria sido.


Minha mãe e meu pai tinham tomado muito dele. Eu não sabia se eu era capaz de perdoar isso. Machucar-me era uma coisa, mas prejudicar Micah era outra.


— Micah merecia saber dos Uckermann. Ele foi roubado disso. Eles foram roubados disso por cinco anos. O que você fez com as cartas, mãe? Para onde elas foram se não foram para os Uckermann? Escrevi pelo menos uma centena. Enviei fotos. Por anos eu tentei alcançá-los. E nenhuma das minhas cartas chegou lá, nunca.


Minha mãe suspirou e cruzou os braços sobre o peito em uma postura defensiva. Então ela olhou para Christopher. — Eu não queria que eles usassem você e seu bebê. Eles haviam perdido Dustin, e então eles sofreram o golpe da garota Bart abortar o bebê de Dustin. Eu não queria que o mundo soubesse que estava grávida de seu filho, também. Se soubessem, então todo mundo saberia. Você poderia não só ser uma mãe adolescente, mas você seria uma das muitas de Dustin Uckermann. Eu não podia deixar isso acontecer com você. Você merecia mais.


Eu ouvi o que ela estava dizendo, mas... Não estava afundando. Não fazia sentido.


— Kimmy? - Eu perguntei, tentando entender por que ela pensava que Kimmy Bart tinha abortado o bebê de Dustin.


Os olhos de minha mãe queimaram com algo que eu não entendia, quando ela olhou para Christopher. — Você não disse a ela, - minha mãe acusou.


Christopher não falou.


Ele não estava falando, e minha mãe estava com raiva.


Ela estava com raiva de Christopher.


Sobre Kimmy Bart. E um bebê.


— Kimmy estava grávida também? - Eu perguntei, ainda tentando processar isso.


Os olhos de minha mãe suavizaram-se, com simpatia e algo próximo a tristeza. — Eu sinto muito, Dulce. Pensei que agora você já teria ouvido. Eu não sabia que eles tinham escondido isso de você. Você tem idade suficiente e já passou tempo suficiente para que você possa lidar com a verdade. Dustin Uckermann não estava dormindo só com você. Kimmy Bart estava grávida de um filho dele também. Só que ela estava mais adiantada do que você, e Dustin sabia disso quando ele morreu. Kimmy fez com que todos na cidade soubessem que ele estava escondendo isso de você.


Algo dentro de mim também morreu naquele momento.


Algo que nunca iria voltar.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): Dulce Coleções

Este autor(a) escreve mais 46 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

Christopher Dulce fechou bem na frente dos meus olhos. Todas as emoções deixaram o seu rosto, e ela só olhava para frente. A única coisa que eu nunca quis que ela soubesse, sua mãe usa como uma desculpa inútil de merda, e diz a ela sem aviso ou preparação. Eu tentei impedi-la, mas o horror de Dulce sabendo me roubou de ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 333



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • cliper_rafa Postado em 18/02/2019 - 21:56:39

    Open, coitadinho do baby Chris. Continua

  • Ellafry Postado em 18/02/2019 - 00:44:33

    maaaais

  • ana_vondy03 Postado em 17/02/2019 - 17:47:31

    Continua S2

  • rosasilva Postado em 17/02/2019 - 15:33:07

    O meu deus tadinho do Chris gente

  • cliper_rafa Postado em 16/02/2019 - 09:58:26

    Continuaaa <3<3

    • Dulce Coleções Postado em 17/02/2019 - 12:05:07

      Continuando

  • Ellafry Postado em 15/02/2019 - 11:21:53

    e o pior é que a mulher se acha certa ao contar tudo isso, sendo que ela 'largou' a filha com o filho plamor

    • Dulce Coleções Postado em 17/02/2019 - 12:04:38

      Kkkk desse jeito

  • rosasilva Postado em 14/02/2019 - 21:56:50

    Isso não é mae não ...Aiai Jesus e agora ????

    • Dulce Coleções Postado em 17/02/2019 - 12:04:21

      E agr?

  • cliper_rafa Postado em 13/02/2019 - 22:53:46

    Minina, tô de bobeira com a capacidade dessa mãe. Continue <3<3<3

    • Dulce Coleções Postado em 14/02/2019 - 21:10:57

      kkkkkkk

  • Ellafry Postado em 13/02/2019 - 15:42:26

    que mae filha da puta. veio fazer dulce sofrer, que fd´p agora dulce vai se fechar num mundo so dela e do filho ;x

    • Dulce Coleções Postado em 14/02/2019 - 21:10:02

      Tinha que vim para estragar

  • rosasilva Postado em 13/02/2019 - 07:42:07

    OH MY GOD ...... isso não é mae não... to chocada ... esse capítulo mecheu demais para mim tô em choque ... aai meu deus ela vai ficar com raiva do Chris aí meu coração ta partido ... tava tão lindo os dois em fim junto ai vem esse trem e estraga tudo o cão em

    • Dulce Coleções Postado em 14/02/2019 - 21:09:44

      Tinha que vim para estragar



AVISO

Vocês conhecem o Blog do Fanics Brasil? Lá tem dicas, tutoriais e matérias de como escrever bem uma fanfic.


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...