Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Recomerçar - Portiñon | Tema: Portiñon


Capítulo: 2

74 visualizações Denunciar


--Anahí que fotos são essas? Você está trabalhando disfarçada novamente? E olha o tamanho dessa saia eu imagino ate onde foi que você usou esse disfarce.


 


Ele falava com o tom de voz alterado.


 


--Eu sou uma detetive, sempre trabalho disfarçada, então não venha gritar comigo que você sabe que eu odeio quem gritar comigo.


--Eu não vou discutir mais sobre isso, agora vamos.


 


Ela se martirizou pois não tinha bloqueado as fotos como sempre fazia, ela acabou de trocar-se e saíram em direção da praia, o dia foi tranquilo com exceção que no final da tarde eles estavam voltando para o carro quando um moleque coloca uma faca na cintura dela e anuncia um assalto.


 


--Aê tia passa o celular, e você mané fica na sua se não quiser que eu mate essa gostosa.


 


Ela olhou de lado e viu que não passava de um moleque com uma faca de cozinha, ela olhou para o esposo que fez um não com a cabeça e ela deu um sorriso de lado e com apenas um bote dominou o menino fazendo ele soltar a faca


 


--Alfonso pega minha algema dentro da mochila lá no carro.


--Você é maluca, poderia ter se machucado, não acredito que toda vez tem que dá uma de mulher maravilha e querer salvar o mundo.


--Alfonso para de falar e vai buscar as malditas algemas ou vou ter que usar de violência com esse moleque fazendo com que ele apague e eu mesma vá pegar, dai se você vier me encher a paciência porque sou muito violenta, eu vou mandar você comer merda.


 


Ele saiu pisando firme e falando desaforos, ele realmente odiava o emprego dela, não só o emprego e como bom historiador e filosofo ele não suportava todas as instituições militares e qualquer tipo de polícia.


 


--Toma aqui antes que você mate o garoto, que só está nessa situação por causa dos governantes de merda que escolhemos. -Ele jogou a mochila dela no chão.


--Está bem Che Guevara agora abri o bolso pequeno da frente.


 


Ele assim fez, ela o algemou e já estava com vontade de dar umas tapas no moleque pois ele ficava pedindo para ela o soltar.


 


--Pronto rapazinho vamos ali no posto policial para eles te levarem para DPCA(departamento de polícia da criança e adolescente).


--Vou ficar esperando no carro.


 


Seu marido falou dando as costas, logo ela entregou o menino para dois militares que agradeceram pois a muito tempo queriam pegar o menino, assim que ela voltou para o carro o seu marido começou a criticar desde de Pedro Álvares Cabral até a o vereador da cidade, ela já acostumada com isso desenvolveu como se fosse um dispositivo de "mudo" em sua cabeça, e fingia que estava escutando tudo o que ele estava dizendo, mas não prestava menor atenção, assim que chegaram em casa o seu parceiro liga.


 


--Oi Ucket?


--O Perez já sai amanhã e ainda essa semana a nova delegada chega


--Delegada? É uma mulher?


--Isso mesmo, não perguntei o nome dela, mas só sei que ela vem transferida do interior.


--Nossa não pensei que seria tão rápido.


--Também, não onde você está?


--Em casa acabei de chegar estava na praia, tentando distrair um pouco.


-- Então vá descansar que eu estou fazendo o mesmo depois da noite que tive. 


--Amanhã quero detalhes, boa noite para você.


 


Despediram-se e ela desligou o telefone, ela colocou uma roupa bastante confortável e se jogou na cama pois adorava dormir, logo pegou no sono e só acordou no outro dia.


 


--Bom dia Ucker e aí alguma notícia da delegada nova? -Ela disse sentando na sua mesa em frente a do seu parceiro.


--Nada, parece que ela vai vim hoje no final do dia para o Perez entregar os casos e mostre tudo.


--Então esperamos não é? O que temos para hoje? 


--Papéis e relatórios, Obaa!


--Palhaço, eu odeio essa parte, mas vamos lá.


 


Eles ficaram fazendo a parte burocrática ate da a hora do almoço.


 


-- Vamos almoçar no shopping?


--Eu não meu bem tenho um almoço bem especial, e se eu atrasar me cobri..


--Sei bem o que você vai comer. -Ela falou rindo.


--Vem aqui mais perto para eu te informar uma coisinha. -Ela aproximou-se debruçando o corpo sobre a mesa. --Eu não como queridinha.- Ele falou baixinho pois havia outras pessoas no local.


--Seu ridículo, vamos eu vou almoçar naquela churrascaria, estou morrendo de vontade de comer bastante carne.


--Vai, lá e vai armada que aquela região estão assaltando de palmo em palmo.


--Não se preocupe belezinha vai na minha cintura.


 


Belezinha era o nome que ela deu para sua pistola ela foi para seu almoço sozinha mesmo, fez seu pedido e no meio do almoço ficou encantada com uma ruiva alta, com a pele branquinha que estava a sua frente com uma garotinha, Anahí tentava parar de olhar, mas seus olhos não obedecia, e ela não entendia o porque disso ela sempre se sentiu atraída por mulheres, porém sempre segurou-se, mas não conseguia parar de olhar para ruiva na sua frente que nem percebeu sua presença, ela viu quando a ruiva levantou com a garotinha e seus olhos a acompanhou, assim que as duas saíram da churrascaria ela viu também que um homem que estava na frente da churrascaria, mostrou-se mal intencionado. 


 


--Droga essa semana tá osso hein!- Ela acenou para o garçom que rapidamente veio em sua direção.-- Eu já volto pode fechar a conta.


 


Como ela sempre vinha para aquele lugar o garçom apenas acenou com a cabeça, e ela saiu correndo para evitar que algo acontecesse com a ruiva, ao dobra a rua viu o homem apontar um revólver para a mulher que apenas levantou a mão e ficou na frente da menina a protegendo, ela agiu rápido tirou belezinha da cintura e aproximou-se do homem sorrateiramente, assim que conseguiu ficar próxima a eles escondendo-se atrás de um carro ela jogou uma pedra encima de umas bolsas de lixo chamando a atenção do assaltante, assim que ele virou-se para ver o que houve ela golpeou seus braços com um chute fazendo a arma dele cair depois colocou a arma no meio da cara dele.


 


--Cara você tem noção do quanto eu te odeio nesse momento? Um você atrapalhou meu almoço e dois eu acho muito feio apontar arma na direção de crianças e três nunca mais você terá coragem de fazer isso novamente -  Ela falou entre os dentes


--Calma não mate por favor. -O assaltante clamava a ela quase chorando.


--Eu não sou bandida igual a você, você está preso. O deitou sobre o carro tirou um lacre do bolso e prendeu suas mãos para trás. --Senta e não fala nada.


 


Ele sentou no chão e ela também amarrou seus pés, e depois voltou-se para a mulher que a observava calada abraçada a criança.


 


--Você está bem? Pode ficar tranquila ele não vai te machucar, meu nome Anahí, sou policial.  - Ela mostrou o distintivo. --Preciso que você me acompanhe até a delegacia para registrar a ocorrência.


--Eu... Er estar bem Anahí muito obrigada, eu vou levar ela em casa que não é tão longe, delegacia não é lugar para crianças, é na delegacia aqui Centro mesmo?


--Isso mesmo, a senhora precisa que eu ou peça para algum policial a acompanhe?


 


Ela falava olhando diretamente em seus olhos castanhos claros que a puxava de uma forma que Anahí nunca imaginou.


 


-- Não será necessário, eu estou de carro, muito obrigada Anahí te procuro na delegacia em vinte minutos.


--Estarei esperando.


 


Ela cortou o lacre do pé do bandido e mandou ele levantar e saiu guiando-o ate o carro que por sorte tinha pego um da delegacia, pois o seu estava na oficina, ela saiu caminhando com o bandido levou para o carro o colocou parte de trás do carro e o trancou, voltou a churrascaria pagou a conta e foi para a delegacia reclamando com o bandido que quando ia falar ela pegava na arma e mandava ele calar a boca, ao chegar na delegacia entregou o revólver que o homem estava, comunicou ao delegado o que houve e disse que assim que a mulher chegasse a levava para prestar a queixa, ela voltou para sua mesa com os cabelos ruivo e olhos castanhos em sua mente, ela não entendeu o porquê estava tão "impressionada" com aquela mulher,  um tempo depois o Ucker chegou e ela disfarçou para ele não perceber o que estava ocupando seus pensamentos, ela contou a história e ele ficou rindo.


 


--Anahí a heroína dos indefesos. 


--Cala boca, agora eu estou com fome por causa daquele idiota mas ao menos...-Ela não conseguiu completar que o telefone da sua mesa tocou.


--Delegacia de polícia.. Sim senhor já estou indo.


--Quem era Anny? - O seu parceiro perguntou 


-- O delegado mandou que eu fosse a sala dele.- Ela falou levantando.


 


--Boa tarde delegado. --Viu a mulher ruiva sentada na cadeira a frente do delegado. --Ola, eu iria encaminha-la para aqui a senhora já prestou a queixa, não se preocupe ele já tinha um mandato e estava foragido.


 


--Sente-se Anahí - O delegado apontou a cadeira na sua frente ela sentou e olhou para o delegado.


--Não se preocupe ela já prestou a queixa.- Ele disse rindo.


--Então tá.- Ela o olhou sem entender o porquê dos risos.


 


--Não se preocupe Anahí eu mesma digitei meu boletim de ocorrência, prazer delegada Dulce Maria Espinosa Saviñon. -Ela estendeu a mão para Anahí.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): suzyrufino

Este autor(a) escreve mais 2 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

--Nossa quer dizer, Ual que, ou melhor prazer delegada. Ela apertou a sua mão, meio desconcertada sem entender muito tudo aquilo que se passava. --Muito prazer e obrigada por me ajudar, eu não  reagiria aquele assalto por causa da criança e a minha arma estava no carro então não poderia arriscar, mas o bom que surgiu uma heroí ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 49



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • Nix Postado em 11/12/2018 - 18:46:17

    Dulce tem que confiar mas na Any, eu já nem sei o que pensar sobre essa investigação já dei tanta teoria que fiquei sem, vamos ver com a chegada da May possa surgir alguma coisas, e espero que ela va busca a namorada não foi certo ela fugir à garota deve acha que ela foi embora só porque ela ficou paraplégica, postar mas por favor

  • Nix Postado em 05/12/2018 - 21:55:25

    Momentos fofos do meu portinon, imaginando treta nos próximos capítulos.

    • suzyrufino Postado em 11/12/2018 - 00:05:07

      E vai ter mt mais momentos fofos. MARATONA!!!

  • jessyportilla Postado em 05/12/2018 - 00:30:52

    Continua... Estou esperando ansiosa. Volta logo!

    • suzyrufino Postado em 10/12/2018 - 22:00:10

      Desculpa a demora... vou posta jaja. Xero

  • raylane06 Postado em 30/11/2018 - 22:56:31

    Que bom que voltou rsrs

    • suzyrufino Postado em 30/11/2018 - 23:07:02

      Me desculpe a demora. Para compensar.... curti a maratona cmg.

  • raylane06 Postado em 30/11/2018 - 00:36:15

    Contínua...

    • suzyrufino Postado em 30/11/2018 - 22:21:08

      Vamos de maratona hj!!

  • Nix Postado em 25/11/2018 - 22:24:06

    É difícil ter que se relacionar com uma pessoa do trabalho porque acontece de misturamos a coisas. Essa Paola tá folgada acho bom ela tira esse cavalinho dela tá chuva Dulce é da Any

    • suzyrufino Postado em 30/11/2018 - 22:20:40

      Kkkkk..neh Mas admito que gostaria de trabalhar com o meu amor. ;P

  • Nix Postado em 22/11/2018 - 20:35:37

    Hahahahaha essas duas são muito safadinhas, se dona Tisha ouviu a porta abrir imagina os gemidos das Dulce. Continua

    • suzyrufino Postado em 22/11/2018 - 22:25:46

      Kkkkk neh. Posto ja. Desculpa a demora. N estava conseguindo entra No site. ;(

  • Nix Postado em 16/11/2018 - 04:30:39

    Triste o Alfonso morrer, mas a morte dele foi un tanto estranho primeiro porque o médico deu a notícia rápida demais sem dar muitas explicações, sendo que ele poderia fazer a cirurgia tranquilo e uma coisa que tambem achei estranho ele fez piada que ia ta dormindo ele como um cara de ética e tão sério no máximo que ele diria que iria ficar bem e depois encontrar trabalho de um aluno sobre o islamismo que o próprio Alfonso deve ter passado, o Aluno não ia fazer uma pesquisa sem o professor pede. Eu desconfio que Alfonso ainda tá vivo e forjou a própria morte, e mesmo que ele tenha morrido ele podia ter deixado seguidores. Continua

    • suzyrufino Postado em 16/11/2018 - 21:11:07

      Esta arrasando... Comecou bem.. e desando um pouco. Kkk Continua analisando. Xero Posto ja

  • jessyportilla Postado em 15/11/2018 - 21:02:56

    Achava que o terrorista era o poncho... Sei lá, ele parecia um suspeito. Não imaginava que ele iria morrer... Rsrsr estou adorando a fic. Espero que logo as divas fiquem juntas. Mais logo agora que iria tudo se resolver e a dul mete a ex dela na vida delas affs rsrs continuaa

    • suzyrufino Postado em 15/11/2018 - 22:17:46

      Kkkk.. Alfonso se encaixa naquele ditado... nunca julgue um livro pela capa! ;) Kkkk... Essas duas ainda vao da o que fala. Vai acompanhando ai. Posto jaja. :x

  • jessyportilla Postado em 14/11/2018 - 14:37:34

    Quando vai postar outro capitulo, já estou esperando ansiosa... Espero que seja logo, pois, acho que ainda tem muita coisa pra acontecer! Estou amando. A autora é nota mil, parabens! Continuaaaa

    • suzyrufino Postado em 14/11/2018 - 23:19:51

      Ola flor. Vou posta jaja. Xero



AVISO

Boa noite, estou reassumindo a administração do site (Ricardo Barros), o único usuário que responde pelo site é o Admin ou Ricardo Barros.