Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: The Silver Chain (+16) | Tema: Amor Doce


Capítulo: Capítulo 12

38 visualizações Denunciar


Comparecendo novamente a uma das áreas externas, só que desta vez ao jardim, Alexy atentou a quantidade de pessoas festejando do lado de fora, e na sua opinião, o ambiente aparentava estar mais cheio que o salão de festas. 


Severina o guiou até uma barraca, onde foram atendidos por uma mulher de cabelos grisalhos. Ela entregou uma chave em cima dos trajes de banho e informou que existiam pequenos armários numa sala posicionada na diagonal da dupla. Aquele quarto em questão servia para troca de roupas e na armazenagem de objetos pessoais.


Alexy também constatou pelo canto do olho que haviam pessoas nas piscinas e jacuzzis se banhando com suas roupas.


-Que loucos! Deus me livre molhar meu vestido. –Severina dizia avaliando aqueles que se banhavam em suas vestimentas sem se importar.


Ao adentrarem na sala, se depararam com vários armários, e ao fundo existiam cabines para que fosse possível se suceder uma troca de roupas. O repartimento para troca de roupas estava um pouco cheio, por isso eles tiveram que esperar até conseguirem entrar em algumas das cabines. E quando fora realizado, o par de amigos acomodou suas respectivas vestes no armário 532, guardando a chave em um compartimento colado na parede.


Agora do lado de fora, a dupla caminhou até uma jacuzzi em específica no qual os amigos de Severina se situavam. As pessoas dentro dela abriram um espaço para que o par pudesse se embrenhar entre eles, e dentro dela, estavam no total 8 pessoas, contando com a presença de Severina e Alexy.


-Alexy, este aqui é Morgan. –Severina disse apresentando respectivamente Alexy para todos os seus companheiros. -Jade, Dimitry, Mimi, Kristen e Sarah. –Completou.


-Prazer! –Todos disseram separadamente.


-Pessoal, este aqui é o Alexy, um dos gêmeos que eu falei sobre. Ah! Você provavelmente conhece o Jade, né?! Ele é sobrinho da diretora Shermansky e de vez e quando aparece por lá para auxiliar no clube de jardinagem. Eu sempre esqueço desse detalhe.


-Sim, eu o conheço! Tudo bom, Jade? Nunca mais o vi pela Sweet Amoris.


-Pois é, eu passei num vestibular e vou cursar biologia, então minha tia me deu uma folga.


-Uau! Que ótimo e quando suas aulas começam?


-Em janeiro do ano que vem.


-Parabéns! –Jade sorriu agradecendo baixinho.


Ao passo que todos proseavam amigavelmente, Alexy cravou os olhos em cada um dos presentes ali que ele não conhecia, analisando-os discretamente.


Sarah era baixinha e tinha os cabelos loiros (os seus fios eram quase brancos de tão claros), ademais, suas bochechas eram notoriamente coradas, o que a deixava com um aspecto fofo.


Já Dimitry tinha uma aparência quase andrógena e passava uma vibe de universo gótico para Alexy.


Mimi lembrava a cantora russa Yulia da dupla T.a.T.u, devido o seu corte de cabelo curto e o cabelo escuro.


Kristen parecia uma irmã distante de Sarah, enquanto Morgan chamou a atenção do gêmeo por ser quieto e ter a coloração dos olhos efetivamente brilhantes.


Um tempo depois, Jade e Morgan deliberaram sair para comer, pois era proibido levar bebidas e comidas para dentro da gigante banheira de hidromassagem.


As meninas permaneceram dialogando com tanta intimidade e euforia que Alexy ficou sem jeito para participar da conversa.


O azulado sentiu uma movimentação do seu lado direito e percebeu Dimitry saindo da sua posição anterior e se aproximando.


-Você ficou inerte de repente. –O garoto esguio e de cabelos alongados pronunciou sério.


-Ah! Sabe como é, né? Aquele momento constrangedor que você não consegue participar de uma conversa porque não entende nada do que estão falando. –Dimitry sorriu sem mostrar os dentes e concordou em silêncio.


-E o que você está achando da festa?


-Está tudo bem por enquanto. Nunca achei que fosse aceitar ir numa festa do Dake, ainda mais sabendo que é uma despedida.


-Você não gosta dele?


-Não muito. Passamos por um momento ruim recentemente, só que ele me pediu perdão e parecia realmente arrependido, então... eu vim mais por causa dos meus amigos, ainda mais porque ele persistiu para que viéssemos. E aqui estamos. E você?


-Eu o conheci anos atrás em circunstâncias sigilosas.


-Como assim?


-Digamos que o conheci através de vendas de entorpecentes.


-Drogas? –Dimitry afirmou prendendo seu cabelo em um coque-frouxo.


-Exatamente. Aliás, quando for de madrugada, um ajuntamento de garotos vai se reunir para usar. Quer ir? –Alexy fez uma careta antes de refutar.


-Vou ter que recusar o convite, sou contra o uso de drogas.


-Não tem problema. Eu sei que é perigoso, não é para qualquer um.


-E o que vocês normalmente consomem lá?


-Alguns fumam maconha, outros usam LSD, porém sempre fazemos uma fileira para cheirar cocaína. De vez e quando realizamos orgias, mas claro, cada um com suas preferências sexuais.


-Ah, entendi. –Alexy respondeu visivelmente desconfortável.


-O Jade me contou que irá nesse encontro somente por causa da maconha. Cretino! –Riu. –A gente separou todo o material para ele, mas o cara amarela.


-Então é o Dake que fornece isso tudo?


-Não apenas ele, existem outros compradores e fornecedores também. E sendo sincero contigo, nenhum de nós se considera viciado ou um usuário ativo. A gente usa em eventos especiais, tipo aniversários, ano-novo ou outras comemorações, no dia-a-dia dificilmente, o problema mesmo é o vício, aí é foda, só que o Dake tem uma tática infalível para fazer a gente parar.


-Entendo... –Alexy sorriu forçado e encarando o céu por alguns segundos.


Por mais que estivesse incomodado pelo assunto, Alexy não conseguia esconder sua curiosidade e este foi o tópico central entre eles dois por um bom tempo, pelo menos até Alexy achar o papo com Dimitry desinteressante. Com isso, Alexy começou a sonhar acordado. Ele ruminava todos os acontecimentos da semana passada até aquele exato momento em que refletia incluso na jacuzzi. E por mais que estivesse distraído na sua própria mente, o garoto foi aos poucos despertando ao sentir Dimitry se acercar dele. O rapaz agora repousava seu braço esquerdo ao redor de seu ombro e fazia carinho em uma de suas orelhas.


Dimitry passou suas unhas delicadamente sob os mamilos de Alexy, fazendo-o sentir-se arrepiado com a maciez de seu toque.


O rapaz de fios acastanhados aconchegou-se mais, depositando um beijo no pescoço de Alexy, o que o fez imediatamente ficar excitado.


Quando sentiu algo molhado encostar na sua pele, em uma forma de defesa, Alexy pulou para longe, assustando Sarah e Severina com o movimento brusco da água.


-Aconteceu algo? –Alguém perguntou.


-Eu preciso ir ao banheiro. –Rebateu apressadamente quase escorregando ao sair da jacuzzi.


Alexy percorreu pela turba de pessoas sem olhar para trás.


Seus olhos focavam na entrada de um dos banheiros, que para sua sorte, aparentava estar vazio. Então ele encostou na porta, soltando profundamente todo o ar que estava preso.


Sua consciência estava confusa, não sabia explicar o motivo que o levou a reagir daquela forma. Por uns instantes pensou em Castiel e abalou-se quando distinguira que aquele passando a língua em seu pescoço era na verdade uma pessoa “desconhecida”.


No fundo ele não conseguiu evitar de sentir-se culpado. Sempre que Castiel aparecia em seus pensamentos, a imagem de Lynn instantemente surgia do outro lado, martelando seu coração apaixonado e duvidando da sua fidelidade naquela amizade.


-Para com isso! Para de se torturar!  –Sussurrou esmagando a testa com uma das mãos.


Com os olhos fechados, pressentiu uma deslocação na sua diagonal, e ao destampar seu campo de visão, observou Dimitry calcorreando calmamente.


-Está tudo bem?


-Sim! Eu fiquei apertado de repente. Eu...


-Tem certeza? –Questionou andando voluptuosamente em sua direção, cariciando uma de suas pernas. –Ou será que fui eu que deixei você com tesão demais? –Interpelou cochichando com uma voz rouca em seu ouvido.


Dimitry prensou Alexy contra a parede e atacou o seu pescoço com mordidas e chupões violentos. Alexy o empurrou com força, porém Dimitry era mais forte e intenso.


-Para! –Dizia sentindo-se sufocado. –Eu disse para parar! –Gritou mais uma vez sentindo sua garganta doer.


Foi quando abruptamente Dimitry caiu no chão de costas. E uma figura insólita apareceu abaixo da luminosidade de uma das lâmpadas, revelando o rosto do seu salvador oculto.


-Castiel? –Alexy enunciou vislumbrando o delinquente encarando Dimitry abatido na grama.


-Você está bem? Ele te machucou?


-Sim. Eu... –Conforme Dimitry se esforçava para levantar, Castiel o segurou pelo queixo, empurrando-o de imediato contra uma parede.


-Você não ouviu ele pedir para você parar?


-Qual foi cara? Eu achei que ele estivesse afim e...  –Castiel pressionou mais uma vez seus dedos contra o queixo de Dimitry, fazendo-o erguer o rosto para cima.


-Eu vou contar até 5 e se você não for embora, eu acabo contigo aqui mesmo. –Ao sentir o corpo de Castiel afastar-se, Dimitry não chegou a retrucar a ameaça feita pelo ruivo, por isso, preferiu sair dali o mais lesto possível, temendo apanhar.


E enquanto ele avançava para longe com passos ligeiros, ergueu a mão e mostrou o dedo do meio antes de sair correndo e desaparecer.


-Babaca... –Alexy escutou Castiel resmungar.


Quando os olhares dos garotos se cruzaram, o azulado sentiu seu estômago revirar e esquentar de uma forma acentuada. Por algum motivo ele sentia-se envergonhado naquele momento, não sabia dizer o porquê, apenas sentia-se humilhado. Foi ali que ele percebeu o poder que as lembranças ruins e traumas o ser humano pode carregar dentro de si. Era como se Dakota estivesse assediando-o novamente e Castiel viesse salvá-lo mais uma vez daquela angústia.


 -Obrigado! –Alexy gratificou tentando esconder o rosto. Castiel soltou o ar cálido preso em seus pulmões apoiando o braço direito no ombro de Alexy e abraçando-o de lado.


-Não precisa agradecer. Amigos são para isso. –E em uma forma de impulso, Alexy lentamente deixou sua mão enrolar-se na cintura de Castiel, sentindo o calor de suas costas e o perfume do seu casaco de couro invadir suas narinas com um aroma hipnotizante. Castiel não se moveu e nem impediu aquele abraço, simplesmente deixou que acontecesse naturalmente e com uma intenção genuína.


-Você é de verdade o meu herói! Muito obrigado! –Alexy disse marejando antes de se afastar e admirar um sorriso lídimo estampado na face de Castiel.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): RobertTheKiller

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).

Prévia do próximo capítulo

1 Hora e 47 Minutos Depois: Castiel e Alexy descansavam na borda da piscina em completo silêncio, o escarcéu daqueles que nadavam ou conversavam aos arredores não os incomodava mais, visto que, assim que os mesmos se retiraram da frente do banheiro, foram atrás de Lysandre, que de acordo com Castiel, havia se perdido na muvuca, provavelmente distr ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 0



Para comentar, você deve estar logado no site.



AVISO

Vocês conhecem o Blog do Fanics Brasil? Lá tem dicas, tutoriais e matérias de como escrever bem uma fanfic.


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...