Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: The Silver Chain (+16) | Tema: Amor Doce


Capítulo: Capítulo 13

42 visualizações Denunciar


1 Hora e 47 Minutos Depois:


Castiel e Alexy descansavam na borda da piscina em completo silêncio, o escarcéu daqueles que nadavam ou conversavam aos arredores não os incomodava mais, visto que, assim que os mesmos se retiraram da frente do banheiro, foram atrás de Lysandre, que de acordo com Castiel, havia se perdido na muvuca, provavelmente distraído em seus próprios pensamentos. (O que na verdade provou-se mentira, pois a dupla o encontrou minutos depois dialogando com Catya, a moça na qual Alexy suspeitava ter conquistado o coração de Lysandre). 


Por uns instantes o duo considerou em intervir, só que o platinado falava com tanta empolgação e felicidade que os meninos ficaram desconcertados em atrapalhar o papo entre o casal, com isso, decidiram então vagar por aí. 


Alexy também ponderou em vestir suas roupas normais e tirar o calção de banho, visto que, ele não tinha mais interesse em ficar na água, contudo, quando foi atrás de Severina para perguntar sobre o número do armário, acabou flagrando-a aos beijos com Dimitry na jacuzzi. Eram osculações tão selvagens que o ruivo sugeriu que eles voltassem mais tarde quando as coisas se acalmassem.


No caminho, a dupla esbarrou por acaso com Iris que procurava por Evan. Os meninos explicaram para ela que ficariam ao redor da piscina e Iris informou que assim que o encontrasse, ela o levaria até eles. Logo, os mesmos se assentaram totalmente reflexivos defronte à piscina, aguardando Iris retornar com o companheiro de equipe.


-Está nervoso com a apresentação? –Alexy inquiriu se esforçando para manter algum assunto e quase colado ao ruivo.


-Claro que não! –Respondeu com um ar confiante.  –Inclusive tivemos sorte do Dake ter se oferecido para trazer os instrumentos. Transportar uma bateria num carro é foda, né?!


-E ele trouxe tudo?


-Ele me ligou mais cedo contando que deixaria todos os aparelhos em cima do palco até o nosso show começar. Acredito eu, que esteja tudo por lá, porém eu não cheguei a ir na pista de dança para averiguar. –Alexy assentiu quieto.


-Eu também ainda não fui.


-É?! Que chocante! Achei que gostasse de dançar.


-Ah! Eu até curto. Acontece que está muito lotado e lugares intensamente apertados me deixam agoniado. Sinto falta de ar!


-Entendo..., mas não use isto como justificativa para não ir nos assistir.


-Eu não faria isso de jeito algum. –O azulado riu envergonhado e mais uma vez um silêncio constrangedor instaurou-se até Castiel quebrar o gelo. O rapaz arrancou a própria camisa, arremessando-a contra a grama e proclamou:


–Eu estou afim de me divertir e esse pega-pega com Lysandre me deixou mentalmente estressado. –O ruivo despiu-se lentamente, retirando os sapatos, alguns pertences dos bolsos e pulando em seguida na água vestido ainda com sua calça.


-Você é maluco?! –Alexy riu protegendo os olhos contra os respingos que voaram em sua direção.


O delinquente passou a mão no cabelo molhado, retirando os fios que caíam sensualmente por sua testa e repousou no mármore.


-Quer apostar uma corrida?


-Corrida?


-Sim! Você já está usando um calção. Vamos competir para ver quem nada mais rápido. –Propôs apontando com o dedo até uma das bordas da piscina.


-Tudo bem. –Alexy aceitou entrando na água enquanto sorria.


-Mas vamos fazer um trato antes, assim fica mais divertido.


-Um trato? Que tipo de trato? –Questionou erguendo uma das sobrancelhas.


-Quem perder irá comprar para o vencedor uma garrafa de Balutcha sabor Kiwi.


-Balutcha? Que nome é esse? –Indagou gargalhando.


-Cara é aquela bebida que vende no mercadinho perto da escola. Eu tomei uma vez e é aquele tipo de bebida que em 30 segundos você já está mamado.


-O nome dela já me assusta. –Arregalou os olhos debochando.


-Essa é a graça! E então? Vai aceitar?!


-Desistir não é uma palavra que existe no meu dicionário.


-Perder na minha também não. –Castiel reafirmou sorrindo de lado.


Os garotos por fim se posicionaram encostando numa parte da parede. Alexy pediu para que Castiel prestasse atenção na contagem que iria se iniciar.


-Pronto? –Castiel atestou com um assovio. -3...2...1... –Alexy impulsionou os pés contra a parede e disparou como um foguete em linha reta, dando o seu melhor para vencer aquela competição amistosa.


No percurso, inevitavelmente, Alexy esbarrou em alguém que o xingou devido ao impacto. Apesar de estar com o braço dolorido, o garoto não desistiu e prosseguiu com certa agilidade até o final. Ao sentir a ponta dos seus dedos encostar em algo sólido, emergiu sua face e esfregou o nariz incomodado com a pressão da água.


-Caralho! –Ouviu Castiel xingar ao fundo quando constatou que havia perdido.


-Pelo visto o seu dicionário estava errado. –Alexy comentou zombando.


-Você só venceu porque eu não tive tanto espaço. Qualquer dia desses eu acabo contigo.


-Ah! É?! Me chama para competir de novo que descobrimos quem é o verdadeiro campeão entre nós dois. –Castiel riu alto.


-Uau! Eu estou falando com o mesmo Alexy? –Desta vez o azulado que ria.


-Armin vivia competindo comigo quando éramos mais novos, esta áurea de competitividade já está impregnada na minha alma. –Castiel sorriu de novo.


-Eu gosto do seu bom humor. –Elogiou aconchegando-se vagorosamente. Com aquele comentário vindo do rapaz, Alexy sentiu seu estômago revirar e pegar fogo de forma brusca, assim como suas bochechas. Afim de evitar uma situação embaraçosa, Alexy afundou o rosto na água e emergiu posteriormente ao perceber a voz grave de Castiel falar com outras duas pessoas.


-Ah! Ai estão vocês! –Iris dizia ajustando o penteado.


-Por que não me disseram que iriam nadar?


-Não combinamos isso, acabou acontecendo.


-E onde estão suas coisas? –Evan interpelou fitando Castiel.


-Eu deixei naquele canto ali. –Esclareceu.


-É melhor você pegar. Estão dizendo que tem um grupo de penetras que estão roubando os convidados. –Imediatamente Alexy resmungou um xingamento, recordando-se do momento que deixou as bolsas de Rosalya e Lynn amostra na mesa quando saiu com Severina.


-Você trouxe o seu celular? –Iris perguntou receosa.


-Não. Eu esqueci em casa. –Castiel contou saindo da piscina e indo atrás dos seus objetos pessoais.


-E você Alexy?


-Está dentro daquela sala onde ficam os armários e os provadores. Eu tinha deixado no fundo da minha calça.


-Pelo menos lá é mais seguro. –Alexy consentiu com Iris, também saindo da piscina.


-Caraca! Aqui fora está muito frio.


-Deve ser porque a piscina não é aquecida como aquelas jacuzzis. Ah! Por sinal...Evan, esse é nosso amigo de escola, Alexy. –Iris puxou Evan pelo braço para que o mesmo cumprimentasse Alexy.


-Muito prazer! –Sua voz era tão rouca quanto a de Castiel, só que mais grave.  


-Galera, a minha camisa sumiu. –Castiel apareceu ajeitando algum papel no bolso e com sua calça amarrotada.


-Eu avisei. –Iris enunciou com a respiração fumegante. –Evan, ajuda o Castiel com a camisa dele e aproveita também para pegar uma toalha. É melhor irmos lá dentro e discutir com Dake a respeito da nossa performance. São cinco músicas, gente. Temos muito trabalho por hoje.


-Ela tem razão. –Evan ratificou. -Um pouco antes de chegarmos aqui pedimos para um segurança nos informar sobre o horário e estamos quase na hora. Já devem ser 23:00 horas, o Dake disse para nos organizássemos 23:30 e tal.


-Alexy, me ajuda a achar o Lysandre. –Iris clamou agarrando Alexy pelo ombro.


-Ei! Nos encontramos em frente daquela barraca amarela. –Castiel berrou antes de desaparecer com Evan e Iris repontou formando um gesto com o dedo polegar.


-Você tem ideia de onde Lysandre pode estar?


-Hmmm... O vimos anteriormente com a ex-integrante da banda, Catya, perto de uns arbustos, eles estavam conversando.


-Catya veio?! –Iris bateu palmas feliz. –Que surpresa maravilhosa! Estou morrendo de saudades!


-Só espero que consigamos reencontrá-los logo. Não queremos nos atrasar, né?!


-Nem me fale. –Respondeu segurando Alexy pelo pulso conforme se embrenhavam na concentração de convidados.


45 Minutos Depois


 


-Calma! Deixa eu ver se entendi. Você está me dizendo que alguém surrupiou sua camisa? –Dake inquiriu enquanto penteava seus fios dourados de frente ao espelho localizado no corredor.


-Isso não é brincadeira. –Castiel clarificava extremamente zangado.


-Não estou levando na brincadeira. –Dake justificou, porém todos ali presentes sentiam uma pitada de sarcasmo na sua fala.


-Como você espera que eu me apresente se estou sem camisa?


-Realizando o óbvio, se apresentando. O nome disso meus caros colegas, é profissionalismo. –Todos se entreolharam sisudos. –Oh! Não me digam que contratei a banda errada. –Sorriu perversamente. -Quer dizer... vocês não são capazes de lidar com um contratempo tão idiota como esse?


-O que está insinuando? –Evan questionou irritado.


-Ora bolas, presumi que vocês fossem os fodões da Sweet Amoris, mas agora estão chorando por conta de uma peça de roupa. –Riu. –É continuar ou largar. E aí?!


-Já estamos atrasados mesmo. –Castiel resmungou. -Vamos!


-Ótimo. –Sorriu sem mostrar os dentes. -Pedi para que o DJ parasse de tocar já faz meia hora e os meus convidados não querem ficar sem música por mais tempo, né? –Dake disse antes de sair pela porta que dava aos fundos do palco.


-A culpa é minha! –Lysandre desabafou. –Eu perdi meu bloco de notas e gastamos muito tempo tentando encontrá-lo, agora estamos atrasados e por conta disso causamos uma má impressão ao nosso público.


-Não se culpe, Lysandre. –Iris tranquilizou-o.  –O importante é que estamos aqui.


-Ela tem razão. –Alexy comentou. –Isso poderia acontecer com qualquer um. Não fique se torturando.


-Obrigado! –Agradeceu corado.


-Estão prontos?! –Um segurança perguntou surgindo da mesma porta por onde Dake saiu.


-Sim! –Disseram quase em uníssono. O homem fardado fez um sinal com o dedo e os integrantes da banda Demons Night despediram-se depressa de Alexy e atravessaram a porta. Alexy ouviu os amigos serem recebidos por gritos ovacionados. Clamor este que o deixou com um sorriso verdadeiramente genuíno.


-Melhor eu pegar uma vista boa. –Sussurrou para si ao passo que também atravessava a porta e percorria o fundo do palco até uma saída apertada, repleta de fios e caixas de sons gigantes. Apesar da dificuldade, obteve êxito para passar.


A pista de dança parecia estar mais lotada ainda, era como se todos os 1000 convidados estivessem ali dentro. Foi complicado para que Alexy conseguisse achar um canto favorável. E infelizmente naquela aglomeração também não era fácil localizar os seus amigos.


Quando o garoto conseguiu achar um espaço confortável para ele e sem muita muvuca, ali perdurou.


A cantoria de Lysandre e Iris prontamente se alastrou pelo local, o som da bateria de Evan e a guitarra de Castiel causaram uma efetiva harmonia para os festeiros que gostavam de uma pitada de rock e pop.


Por mais que estivesse na diagonal e não pudesse enxergar os seus outros amigos, o campo de visão de Alexy se dava para Castiel e seu abdômen. O menino se esforçava para aproveitar a composição de Lysandre, porém os olhos e o seu coração palpitante focavam unicamente no ruivo.


1:00 Hora da Manhã – Término do Show


Novamente nos bastidores, Dake elogiava a apresentação de Demons Night com uma suposta sinceridade. Apesar dos enaltecimentos, Alexy não conseguia sentir verdadeiros sentimentos exalando de Dakota. Para o azulado, ele soava não apenas forçado, como hipócrita, pois em um determinado momento, Alexy notou Dake e Dajan debochando de Lysandre enquanto o mesmo recitava um poema no final do espetáculo.


-Castiel e Alexy. Vocês podem vir comigo por um instante? –Dajan pediu causando estranheza para o restante dos membros.


-Sim. –Castiel respondeu cravando um olhar incógnito para Alexy que concedeu outro olhar, na mesma medida.


O trio subiu uma escada empoeirada e deram de frente com uma porta de madeira, na qual foi prontamente aberta e eles adentraram em uma suíte localizada no segundo andar. -Eu e Dake nos sentimentos muito mal pelo o que causamos. Por isso nos foi preparado essa bebida especial para que nós quatro desfrutássemos depois da performance.


-Por que apenas nós quatro? Lysandre, Iris e Evan não podem vir?


-Ah! –Dajan por alguns segundos pareceu nervoso com algo. –Isso é algo mais íntimo, ademais, tivemos um pequeno incidente na escola que virou muita coisa de cabeça para baixo. E esse é o momento para deixarmos nossas desavenças no passado. Não concorda?


-Acho que sim. –Castiel respondeu sério.


-Um brinde? –Dajan disse pegando três taças de vidro que continham uma bebida rosada. Alexy e Castiel brindaram com Dajan e em seguida Alexy bebeu direto a tal bebida e fez uma careta pelo sabor amargo.


-Uau! Você não está de brincadeira, heim?! –Dajan comentou sorrindo.


-Eu achei que fosse doce. –Alexy dizia tossindo à medida que Castiel dava tapas em suas costas.


-Bem, eu vou atrás de Dake e voltarei daqui em breve. –Explicou saindo apressadamente do quarto. –Não façam nenhuma algazarra.


-Como se fôssemos fazer algo... –Castiel murmurou ao escutar a batida da porta e finalizando o seu drink.


-Castiel... –Alexy gemeu encostando no ombro do ruivo e quase se desequilibrando.  –Estou meio tonto.


-Opa! –O delinquente conclamou se esforçando para não deixar Alexy cair no chão. -O que você tem?


-Eu não sei... –Zuniu com a voz ficando gradualmente rouca.


-Calma! Eu vou lhe colocar na cama. –Castiel bradou com a respiração ofegante devido ao peso de Alexy caindo sob o seu pescoço. A distância de onde eles estavam até a cama de casal era razoável, porém, o intervalo de distância foi o suficiente para fazer Castiel se desequilibrar e bater a perna em um armário na sua direita. Alexy pôde escutar o rapaz xingar e ranger os dentes de dor enquanto se empenhava para manter-se em pé.


Embora fosse uma luta difícil, eles alcançaram a cama sem mais dificuldades e naquele momento, o peso de Castiel é que caía sob Alexy, no qual mantinha uma relutância para perdurar-se sóbrio além de esforçasse para reter os olhos abertos.


-Eu vou... –Alexy escutou Castiel dizer antes de cair em um sono profundo.


 


 


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): RobertTheKiller

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).

Prévia do próximo capítulo

Com o seu campo de visão tornando-se mais nítido, Alexy analisou a coloração bege do quarto, admirando-a por alguns segundos e inclusive apreciando a iluminação causada pelos raios solares que invadiam a suíte através de uma das janelas. Ainda tonto, coçou os olhos e passou a mão no cabelo antes de inspir ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 0



Para comentar, você deve estar logado no site.



AVISO

Vocês conhecem o Blog do Fanics Brasil? Lá tem dicas, tutoriais e matérias de como escrever bem uma fanfic.


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...