Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: INVASÃO DE INTIMIDADE - Portinon HOT - Finalizada | Tema: AyD


Capítulo: XXVI Capítulo especial - CARLA E VALÉRIA

57 visualizações Denunciar


(14 de setembro de 2017, Quinta-feira)


            Carla se ver desesperada depois que se dá conta do motivo da confusão em frente a empresa. O corpo de Angelique Boyer está sangrando no chão, carros com policiais já se fazem presentes, assim como a ambulância.


- Senhorita Carla, aquele homem levou a senhorita Anahí. – A recepcionista está aflita.


- O que?


- O homem que atirou na mulher, ele levou a senhorita Portilla. E também uma mulher e um homem levaram a Senhorita Saviñon.


- Meu Deus!


            Carla não está entendendo nada, mas logo a secretária de Anahí a esclarece.


- Ele disse que era sogro da senhora Portilla, seu nome é Fernando.


- Merda, merda.


            Carla se desespera, mas quando tenta sair do local a procura de algo ela esbarra em uma mulher, na verdade uma mulher muita bonita, sua pele é negra, seus olhos são carregados de inocência, as duas se encaram por um instante sem falar uma só palavra, apenas se encaram, se sentem, se conhecem. Foi uma conexão inexplicável.


- Senhorita. – Um policial fala. – Preciso falar com você.


- Oh, sim. – Ela é tirada dos pensamentos. – Eu... Sim. Eu vou...


            A morena também não fala nada, apenas a encara pela última vez e depois vai embora. Age no automático, é uma tagarela por natureza, mas aquela ruiva a deixou sem palavras.


- Pelo relato da secretária podemos ter aqui um sequestro, a informação confere?


- Sim, na verdade dois sequestros. Minha prima e sua noiva sumiram. A mesma pessoa que atirou em Angelique levou Anahí. Espera, Angelique está bem?


- Sim, senhorita, não se preocupe, apenas bateu a cabeça e por isso a quantidade de sangue, já foi levada ao hospital, agora você precisa se concentrar nos sequestros. Você conhece o homem?


- Sim, ele é o pai de Dulce Maria.


- Ok, preciso que fique aqui, tomaremos as devidas providências, mas sabe se pode existir algum motivo para o acontecimento?


- Dinheiro, ele deve querer dinheiro.


- Certo.


            O policial se afasta de Carla que deixa as lágrimas caírem. Ela não pode perder a prima, nem Dulce, se acontecer qualquer coisa com uma das duas, a outra não irá suportar, principalmente Anahí, que não poderia suporta mais perdas em sua vida.


            O tempo passa agonizante para Carla, só chora e responde a todas as perguntas do policial, André também está nervoso, ele grita a todo momento, dando ordens e exigindo respostas, mas nada pode ser feito


Até que as onze horas o policial disse que recebeu uma ligação na delegacia sobre o paradeiro de Anahí Portilla e quem ligou foi Dulce Maria Saviñon. Carla automaticamente se dispõe a ir, André até tenta impedir, mas ele nunca consegue, sabe da ligação das primas, é muito mais do que qualquer pessoa possa explicar.


 


..........*****..........


 


            Valéria chega a seu apartamento ao meio dia. Ela trabalha apenas meio período devido a faculdade. Quando entra é recepcionada pelo cachorro, Deco late e abana o rabinho, demonstrando todo o entusiasmo.


- Hey garoto. Como foi sua manhã? Se comportou? Espero que sim. – Acaricia os pelos brancos do animal.


            A negra entra e joga sua mochila no sofá, depois liga a tevê, a notícia lhe pega de surpresa. Anahí Portilla foi sequestrada e sua noiva também, mas o que mais a impressionou foi saber que Angelique Boyer também estava no noticiário. A morena pega o celular e tenta ligar para Maitê, mas cai na caixa postal. Então Valéria começa a se desesperar. Vai ao apartamento da amiga, mas nenhum sinal dela. Quando volta para o seu, muda de canal e nesse já havia novas informações, mostrando as duas empresárias e suas noivas. Maitê está abraçada a Angelique perto de uma ambulância e Anahí com Dulce perto de outra, o que de certa forma a deixa aliviada. Porém quem lhe chama a atenção é a outra mulher perto delas. Aquela loira, a mesma em quem esbarrou naquela manhã. A mulher tem algo especial que lhe atrai a atenção. Seu sorriso, seus lábios, sua voz. Tudo é perfeito aos olhos de Valéria.


- Ela é linda não é, Deco? E estou feliz por Maitê estar bem, até aquela loira desqualificada, elas se amam, Deco, eu nunca teria chance. – Ela fala para o cachorro como se conversasse com uma pessoa. – Eu sei, eu só gosto das pessoas erradas. É, amigão, acho que nossa sina é ficar os dois aqui, solitários e comendo besteiras.


            Valéria sorri ao beijar os pelos do animal, ama seu companheiro, isso é fato, mas as vezes se sente só apesar de sempre ter o melhor amigo, depois que seu irmão foi embora ela vive naquela imensa solidão, quase não tem amigos e se sente diferente devido a sua doença, consegue se controlar, porém as pessoas tem medo dela quando descobrem, e acabavam se afastando. Só viam o pior, mas a claustrofobia de Valéria é mínima, como ela explicou a Maitê, seu problema se deve só a lugares fechados.


- Vamos amigão, vamos ver o que tem para almoçar.


 


..........*****..........


 


 (30 de setembro de 2017, Sábado)


- Caramba, ela saiu furiosa daqui. – A morena que rebola no colo de Carla diz, se referindo a Anahí, que saiu com Dulce da boate de Stripper.


- Eu... O que? – Ela só consegue olhar para a bunda da mulher, a morena então se vira e senta de frente.


- Você sabe que aqui é um clube de Stripper e não um prostíbulo, não é? – A morena volta a rebolar, colocando suas mãos nos ombros de Carla.


- Sim, claro que sei. – A ruiva começa a apertar os seios da dançarina.


- Então sabe que não transarei com você por dinheiro.


- Sei. – A ruiva responde hipnotizada pelo rebolado da outra.


 - Certo. Depois do seu horário não terei mais nenhum show particular, o que acha de me pagar um drink?


- Mas você disse...


- Eu disse que não transaria com você por dinheiro, não que não transaria.


- Oh!


- Então...


- Eu... Quer dizer... Eu nunca...


- Você nunca transou com uma mulher?


- Não. – Ela responde, baixo e tímida.


- Mas você parece muito interessada em descobrir como é. – A voz da morena é aveludada, mas também sensual.


- Sim, muita. – Carla tem o olhar fixo nos seios da morena.


- Então nos vemos depois do meu expediente, que acaba em meia hora.


            A morena desce do colo de Carla e sai da sala vip. A ruiva respira fundo, com certeza experimentará e será com aquela morena deliciosa. Ela vai para o bar do local, seu cérebro já não funciona corretamente, então pede uma água, quer estar bem consciente. Seus pensamentos vão para Anahí e Dulce, com certeza elas estão em um sexo selvagem, a prima torturará muito a esposa. Ela se pega sorrindo sozinha com a constatação.


- Vejo que está se divertindo.


            A morena senta ao seu lado no balcão do bar, agora ela usa roupas normais. O que a deixa mais linda.


- Eu... Nossa!


- O que? Estou borrada ou tem algo em meu rosto? – A mulata passa a mão pelo rosto.


- Não, você está linda. – Carla a tranquiliza.


- Oh, obrigada, meu nome é Bianca. – A dançarina estende a mão.


- O meu é Carla. – A ruiva retribui ao toque.


- Vamos nos divertir essa noite, Carla.


             E isso aconteceu. Sem ser clichê, mas sexo entre duas mulheres é maravilhoso, sejamos sinceros, uma mulher sempre saberá satisfazer a outra, isso é lógica, toda mulher sabe os pontos sensíveis de seu corpo, então basta transferi-los para a sua parceira.


Depois dessa noite Carla descobriu o porquê de Anahí Portilla se entregar tão facilmente para Dulce. Se a mulher é tudo que a prima fala, ela tem que provar mais, tem que sentir mais, a ruiva passou a fazer isso, muito para falar a verdade. Carla Portilla se transformou em uma máquina de sexo com mulheres e tudo por causa de uma noite com um uma Stripper que soube lhe tocar em lugares que ela nunca imaginou que dariam prazer. 


 


..........*****..........


 


 (02 de outubro de 2017, Segunda-feira)


            Valéria acorda cedo como sempre faz e vai para o seu trabalho. Sua rotina é sempre a mesma há dois anos. Logo que entrou para a faculdade conseguiu esse emprego e nunca reclamaria, pois ajuda muito no seu desenvolvimento nos conteúdos universitários que tem tudo a ver, pois ela quer se especializar em gestão de empresas, ou seja, trabalhar com escritório de consultoria empresarial.


Caminha pela calçada distraída, o ônibus para um pouco distante do seu trabalho tendo que andar alguns metros até o trabalho. Quando passa em frete ao prédio da AP Calçados os olhares se encontram novamente. Valéria sente seu corpo arrepiar, seus sentidos perdem a função, só consegue enxergar aquele ser de cabelos vermelhos. É uma coisa anormal, na verdade, muito anormal se tratando da tagarela que ela é.


- Hey, você...


            Carla a chama, agora a ruiva é uma mulher que sabe que sente atração por outras mulheres e com certeza aquela morena lhe interessa. Valéria sente suas pernas tremeram ao escutar a mulher chamá-la. Ela apenas abaixa a cabeça e continua seu caminho.


- Hey espere, fale comigo.


            Carla corre atrás dela e a alcança, segurando de leve em seu braço fazendo a morena lhe encarar.


- Você... Tudo bem?


- Eu... Eu tenho que ir. – Valéria tenta sair novamente.


- Não, espere, com se chama?


- Eu estou atrasada.


- Certo, você não é de falar muito. – Isso faz a morena sorrir, com certeza ela é a primeira pessoa a dizer isso. – Pelo menos te fiz sorrir. Então, como se chama?


- Se eu disser me deixa ir?


- Se me disser e aceitar almoçar comigo eu te deixo ir.


- Eu... Eu nem te conheço. – Elas se encaram.


- Prazer, Carla Portilla. – Ela estende a mão.


- Portilla?


- Sim, sou prima de Anahí. Você vai apertar a minha mão ou vai me deixar aqui assim?


- Oh, me desculpe. Eu... Valéria.


- Hum? – Carla pergunta, confusa.


- Me chamo Valéria, Valéria Gomez.


- Lindo nome, Valéria.


            As mãos enfim se tocam e o contato faz parecer sair faísca, não sendo exagero ao afirmar isso, a atração entre elas é evidente. O sorriso se faz presente nos rostos das duas.


- E então, vai aceitar o meu convite?


            Valéria analisa a situação, o que poderia dar errado? Ela é bonita, jovem, e apesar de toda a loucura de sua vida e sua doença, tem o direito a um pouco de aventura, sair com aquela desconhecida com certeza será uma.


- Eu saio do trabalho ao meio dia.


            É a única coisa que ela diz antes de deixar a ruiva sozinha. Carla tem um sorriso vitorioso no rosto. Aquela está no papo, se sente satisfeita. Mas diferente do que pensa, aquela mulher não é apenas para uma noite de sexo, pelo contrário, ela é para a vida toda.


 


..........*****..........


 


- Então você é estudante de direito? – A ruiva pergunta, atenta a todas as expressões da outra.


- Sim.


- E tem apenas vinte anos?


- Sim.


- E tem claustrofobia?


- Sim – Essa resposta veio mais baixa que as outras.


- Certo.


            Carla diz ao colocar a comida na boca. Estão em um restaurante italiano perto do trabalho das duas. A ruiva quer aquela mulher em sua cama. A doença não é problema, na verdade nem percebeu que ela existe na morena. A estudante logo troca de assunto.


- E você é prima da solteira mais cobiçada do Brasil, quer dizer...


- Sim, ela não é mais solteira, acho que vou pegar esse cargo para mim.


- É, pode dar certo. – A morena fala baixo, mas a outra escuta.


- Você acha que sou tão sexy, bonita e atraente quanto minha prima a ponto de conseguir esse posto?


- Oh! Sim, quer dizer, acho que... Droga, eu não costumo ser assim. – Valéria gagueja e fecha os olhos, tentando se controlar.


- Assim como? Fofa?


- Ficar sem palavras, com certeza eu nunca fico sem palavras, na verdade eu costumo falar muito.


- Hum... Não sei qual jeito seu eu gostaria mais, a tímida ou a despojada.


- Hey, eu não sou despojada.


- Claro que não. Então, você já me conhece eu já te conheço, se eu te convidar para sair novamente você aceitaria?


- Sair? Tipo um...


- Não fale encontro, por favor.


- Você não gosta de saber que saiu como uma mulher em um encontro?


- Eu não gosto da ideia que essa palavra transmite. O seu sentido é algo programático. Quer dizer, um encontro que dizer que você está indo em busca de algo que não procura.


- Hum... Não entendi. – Valéria de fato fica confusa com a colocação da ruiva.  


- Se você vai a um encontro quer dizer que não conhece a pessoa, quer que tudo seja perfeito, procura o melhor restaurante, o melhor local, flores, chocolate, vinho esses tipos de coisas clichês.


- Então uma boa conquista não merece esses tipos de coisas?


- Eu não disse isso. Ser romântica faz parte da essência de algumas pessoas, mas eu sou mais prática, se eu quero algo vou direto ao ponto.


- Se isso é verdade, então porque estamos almoçando agora e você propôs que saíssemos novamente?


- Ah, Valéria, estou me perguntando a mesma coisa.


            Carla fala e toma do seu vinho. Nem ela sabe, se fosse em outra situação simplesmente pediria o número da mulher, ligaria, sairiam e depois a foderia, mas essa é diferente, ela não pensa dessa forma, é especial.


A morena sorri ao pensar a mesma coisa, também se sente dessa forma. Com certeza aquela ruiva não é como qualquer outra mulher.


 


..........*****..........


 


 (07 de outubro de outubro, Sábado)


- Você gosta de lugares barulhentos?


            Valéria chega perto do ouvido da ruiva e diz, estão em uma boate. Claro que a morena aceitou sair novamente com a mulher.


- Se for para você sussurrar dessa forma perto do meu ouvido sim, passei a adorar.


            O corpo da mais nova reage a isso. Carla se sente orgulhosa do que conseguiu. Aquela morena está mexendo com todas as suas estruturas.


- Eu...


- Vem, morena, vamos beber algo.


            Carla leva Valéria até uma área vip, onde nessa começam a beber. Conversa vai e conversa vem, agora estão dançando. Os corpos colados, as respirações próximas e os corações disparados.


- Eu vou beijar você. – Carla está muito próxima da menor.


- Eu também vou beijar você.


            E sem esperar a ruiva puxa a outra pela nuca colando os corpos o máximo que pode. Valéria se sente em chamas, é quente, sedutor, indescritível. As línguas se tocam e o desejo se fez presente quando a outra mão de Carla pousa na bunda da morena.


- Vamos sair daqui.


- Eu... – Valéria está sem fôlego.


- Vamos para o seu apartamento. Por favor! – Carla implora.


- Eu... – A mulata nem consegue pensar direito, mas ela quer aquilo. – Tudo bem, vamos. – Carla não pode explicar a sensação que aquelas palavras causam em seu corpo.


 


..........*****..........


 


            As roupas estão espalhadas por todo o quarto. Valéria geme sem pudor, é impossível não fazer quando tem uma ruiva maravilhosa entre suas pernas, lhe dando um oral perfeito.


- Oh merda, eu vou gozar.


            Carla trabalha freneticamente com sua língua e sente a morena puxar seu cabelo vermelho com mais força. É doloroso, mas também maravilhoso. Mais algumas lambidas e a deliciosa mulher chega ao seu ápice, o terceiro da noite.


- Carla, Carla, Carla...


            Suas pernas tremem no ombro da ruiva e sua respiração está descontrolada. Só consegue ver “arco-íris” em sua frente, literalmente.


- Uau, eu não aguento mais.


            Valéria diz ao sentir a ruiva se aproximar de seu rosto de lhe dar um selinho. É gostoso sentir seu gosto na boca daquela mulher.


- Sim, foi delicioso, mas confesso que estou exausta. – Carla nunca tinha ficado tão satisfeita assim antes.


- Eu também.


            Um silêncio constrangedor se faz presente entre elas. O sexo foi maravilhoso, mas e agora? Elas são diferentes em relação a isso. Carla em outra ocasião levantaria, se vestiria e iria ou mandaria a companheira sair, nunca mais se veriam. Mas com Valéria é diferente, ela não sente essa vontade de ir embora. Quer virar o corpo e abraçar a outra, mas e se ela não desejar o mesmo? Porém o que ela não sabe é que Valéria quer exatamente isso.


- Então... Eu posso... Quer dizer, se quiser eu posso ir embora agora.


- Você quer ir? – Elas falam sem se encarar, olhando para o teto.


- Sinceramente? Não, não mesmo.


- Então fica, se você quiser é claro, eu... Eu quero que fique.


- Tudo bem.


- Certo.


            Carla se acomoda na cama e abraça a morena por trás. Valéria sente a respiração da ruiva em sua nuca, é gostosa aquela sensação. Era bom sentir seu corpo protegido.


- Boa noite, morena.


- Boa noite, ruiva.


            E assim elas passam aquele dia e os próximos daquela semana. Sentem-se bem uma com a outra, na verdade muito bem. Só queriam estar juntas, se tocando, se conhecendo, se experimentando, se conectando, Carla desconfiava que encontrara a sua pessoa, assim como Anahí Portilla encontrou a dela. E ela tinha razão, Valéria era a sua pessoa.


 


..........*****..........


 


 (14 de outubro de 2017, Sábado)


            Carla e Valéria estão no elevador, subindo para o apartamento da morena, mais uma noite de amor a esperam. Quando a porta de metal se abre, dão de cara com Maitê e Angelique.


- Hey. – A loira diz.


- Hey, May. Ah, essa aqui é...


- Carla Portilla. Eu sei. – Maitê se adianta.


- Vocês se conhecem? – A morena pergunta.


- Não exatamente, é uma história complicada, mas já nos cruzamos por aí. – Carla diz. – Olá, Angelique.


- Olá, Carla.


- Então... Vamos. – Maitê diz tentando quebrar aquele clima.


- Oh, sim, vamos. – A milionária responde.


- Valéria, sinto dizer que em breve não morarei mais aqui. Mas meu irmão virá, ele começará faculdade de direito.


- É uma pena, mas que bom que essa cabeça dura aí percebeu a tempo a merda toda e não fez mais besteiras.


- Hey, me respeite seu projeto de adolescente.


- Foi por pouco, ruiva, por pouco que eu não fico com essa loira para mim, então sorte a sua.


- Idiota! – Podem estar com pessoas maravilhosas ao lado, mas não perderão a mania de implicar uma com a outra.


- Podem parar. – Maitê as repreende. – Vamos, Angel. Vocês parecem duas crianças. – Ela abraça a amiga. – Nos vemos por aí, Valéria. Fica bem. – A morena também se despede de Carla.


- Pode deixar e você também, se cuida. E se essa aí te fizer mal, sabe onde me encontrar. – Angelique bufa atrás da noiva.


- Pode deixar.


            O casal entra no elevador e some, Carla analisa toda a situação enquanto iam para o apartamento. Elas entram, a ruiva já é considera de casa, vai até a geladeira e pega uma garrafa de água enquanto a morena coloca comida para Deco.


- Hey, você está bem? – Valéria pergunta ao ver a mulher muito pensativa.


- Sim, quer dizer, você estava interessada em Maitê?


- Sim, por um tempo sim, ela é linda, mas logo percebi que ela já tinha dona, já pertencia a alguém, ela ama Angelique, não dá para competir com isso. – A morena ver a ruiva com uma careta estranha. – Oh, você está com ciúmes. Deus, você fica fofa com ciúmes!


- Eu não estou com ciúmes. – A morena se aproxima e a abraça pela cintura.


- Está sim.


- Não estou não.


            Valéria sorri e beija a ruiva. Um contato cheio de segundas intensões, elas se dão bem de todas as formas. Quando o beijo cessa elas se encaram por um momento.


- Namora comigo? – Carla pergunta, estando séria.


- Hum? – A menor se afasta o suficiente para encarar a estilista.


- Seja a minha namorada.


- Eu... Você está falando sério?


- Mais sério impossível, a gente se dá bem, se conhece, eu durmo em seu apartamento faz uma semana, para mim já é um namoro, mas eu preciso ouvir você dizer que quer.


- Eu quero, claro que eu quero. – Valéria responde antes que a ruiva se arrependa, é o que ela pensa no momento.


            A morena sorri e beija os lábios da namorada, com certeza ela quer muito.


 


..........*****..........


 


 (16 de outubro de 2017, Segunda-feira)


- Uau, você está mesmo namorando uma mulher.


            Carla está na casa da prima, estão sentadas no sofá. Anahí chegou no dia anterior com Dulce da lua de mel. A empresária ficou impressionada quando a prima contou que estava namorando, e agora mais ainda ao conhecer a sortuda.


- Anahí, pare de olhá-la assim. – A milionária encarava a menor analiticamente.


- Oh, me desculpe, Valéria, mas se eu acreditava que era difícil eu namorar uma mulher e agora estou casada com uma, o que dizer de Carla. Essa garota era uma hétero safada.


- Oh, meu Deus, pare Anahí!


- Ela tem razão, Carla, você era cafajeste. – Dulce reforça.


- Amor, desculpa, elas estão só brincando. – Carla fala olhando para a namorada.


- Não estamos não. – Dulce fala segurando a rizada.


- Oh, meu Deus, vocês querem fazer eu perder a namorada dois dias depois de ter uma, só pode ser isso. – A ruiva passa a mão pelo rosto, está mesmo envergonhada.


- Hum... Tudo bem, Carla. – Valéria também se segura para não sorrir, ela sabe que o casal está zoando com a namorada.


- Vamos embora, isso aqui está ridículo.


- Hey, calma, estou brincando, idiota. Vocês formam um lindo casal. – Anahí fala.


- Imbecil, eu odeio vocês.


             A ruiva fala de cara emburrada, dessa vez as três não aguentam e começam a gargalhar, com certeza elas se darão muito bem.


 


..........*****..........


 


 (Novembro de 2020)


- Estamos casadas. – Valéria diz, estão deitadas na cama do quarto de hotel em Madrid, onde passarão a lua de mel.


- Sim, estamos. Eu estou tão feliz. – A ruiva abraça a esposa com força.


- Eu também. Quem diria, nos conhecemos por acaso, nos reencontramos e agora sou advogada da empresa Portilla e casada com a prima da dona.


- Sim, mas você é ótima no que faz. Agora só vamos ser felizes. Tudo bem? – Carla sussurra, mal pode acreditar na felicidade que sente.


- Sim, tudo bem. Eu amo você. – Valéria diz.


- Eu também amo você.


            Elas se beijam, naquela noite se entregaram mais de uma vez uma à outra, comprovando o amor das duas. Elas só precisam estar juntas para saberem que tudo dar certo.


- Agora eu quero algo. – Carla diz ao sentar no colo da esposa.


- Hum... Rodada três?


- Sim, com certeza terceira rodada.


            A ruiva abaixa o corpo e beija os lábios da morena, nunca cansará de sentir aquele sabor. Suas mãos começam a percorrer o corpo da esposa, que sente os pelos arrepiarem e seu corpo já indicar sinais da excitação.


- Hum, já está pronta? – Carla pergunta sorrindo ao levar sua mão até a intimidade da morena, sentindo-a molhada.


- Eu sempre estou pronta para você, meu amor. Mas dessa vez eu vou “comer” você.


            Em um movimento rápido, Valéria vira os corpos e se põe em cima da esposa. Beijando seu pescoço, seus seios e barriga, até chegar à intimidade da outra, mas apenas dá um selinho e eleva o corpo.


- Fique de quatro para mim, amor.


- Oh, merda, você me deixa louca sendo mandona assim.


            Carla fala e logo está na posição. A morena dá um tapa em sua bunda, posicionando seus dois dedos na entrada da mulher, depois penetrando com força.


- Oh, merda. Isso, aí, mais rápido.


            Valéria está de pé no chão, indo e vindo dentro da esposa. É uma visão maravilhosa, sempre adora fodê-la assim e Carla não está menos excitada, aquela morena é a sua perdição. Seu maior desejo e conquista. Amará Valéria Gomez Portilla pelos restos dos seus dias, pois agora ela tem seu sobrenome, elas se pertencem de corpo e alma.


 - Eu vou gozar, amor, isso, eu vou... Valéria.


            E então ela se deixa derramar nos dedos da morena. Valéria não pode descrever o que é sentir seus dedos sendo pressionados pelo sexo da esposa. Adora ouvir a ruiva gemer seu nome quando se entrega. A mais nova diminui seus movimentos até sair de dentro da outra. Carla deixa seu corpo desabar em cima de cama, o mesmo que a esposa faz em seguida, puxando o corpo da ruiva para perto. É isso, elas estão casadas, satisfeitas e completamente felizes.


- Eu amo você, boa noite. – Carla diz, já sonolenta, mas desperta o suficiente para escutar sua mulher falar, lembrando-a da maravilhosa realidade de sua vida.


- Boa noite, esposa. Eu também amo você.


 


..........*****..........


 


 


 (Janeiro de 2032)


- Se você é madrinha da minha filha, claro que eu serei do seu filho. - Dulce fala.


- A madrinha do meu filho será a Anahí.


- Não, serei eu.


            Elas estão na casa da milionária naquele domingo em família. Rebeca já tem treze anos e Raissa tinha três aninhos. Valéria que tem trinta e cinco está grávida de quatro meses e a ruiva discute sobre quem será madrinha do pequeno crescendo dentro da sua esposa. Claro que Dulce não perderia a chance de cobrar o que a ruiva fez com a sua filha, quando se impôs para ser madrinha.


- Elas vão passar a tarde toda discutindo. – Valéria sussurra para Anahí, estão afastadas. A empresária segura sua caçula no colo.


- Sim. – Ela suspira.


- Mas você sabe que será você. Isso é fato, então vamos acabar logo com isso ou não aproveitaremos nosso domingo.


            As duas mulheres se aproximam das esposas. Cada uma segurando na cintura de suas respectivas.


- Já chega disso. – Anahí fala, entregando à esposa a filha.


- Mas amor...


- Dulce, eu serei madrinha do pequeno, você sabe disso. Você pode ser do próximo.


- Que próximo? Carla já está velha.


- Hey, imbecil, não estou não, só tenho trinta e nove.


- Viu, velha. – Dulce a provoca.


            Carla bufa, mas ela tem razão, o casal esperou muito para ter um filho e como Valéria é mais nova restou a ela a missão de carregar o bebê, não que reclame, mas poderiam ter mais filhos.


Tudo isso se deu após descobrirem que Carla tem um problema no útero. Elas tentaram a primeira vez a inseminação há cinco anos, mas a gestação não prosseguiu devido a esse problema, então tentaram mais três vezes, até que descobriram essa má formação. Isso as abalou muito, pois a ruiva queria gerar o bebê.


Depois de um tempo o tema filho foi esquecido, mas depois de cinco anos resolveram tentar novamente, agora com Valéria e até esse quarto mês de gestação tudo está indo bem. Carla enche a esposa de cuidados e mimos, ela quer aquele filho, é seu desejo mais intenso agora.


- Conversa encerrada. Vamos aproveitar nosso dia, foi para isso que inventamos essa festa na piscina. – Valéria diz.


            Pronto, a conversa está encerrada. Dulce e Carla sempre fazem o que as esposas mandam, isso não mudará.


 


..........*****..........


 


 (Março de 2037)


- Momy, estou bonito? – Júlio pergunta para Carla.


            Eles tiraram uma semana de férias, precisavam daquilo, nesse dia é o jantar da afilhada para apresentar o namorado, Carla está curiosa para saber qual será a reação das quatro mulheres ao se reencontrarem, pois Rebeca falou tudo do namorado a ela, a ruiva reconheceu os sobrenomes, só espera que o passado não atrapalhe o amor de sua menina.


Mas ainda assim ela não podia adiar a viagem. Carla adora sua família, sente que estava um pouco distante devido ao trabalho e algumas viagens que estava fazendo.


Agora com seus quarenta e quatro anos se sente plena, tem uma esposa espetacular, um filho maravilhoso, um trabalho que sempre sonhou e uma família adorável. Ela simplesmente é feliz.


- Você está lindo, príncipe.


- Mamãe, estou bonito? – Ele pergunta agora olhando para Valéria.


            A morena que disfruta dos seus trinta e nove anos ainda continua impecável no termo beleza. Sua pele negra possibilita a sensação de juventude. O pequeno tem os traços negros da mãe misturados ao tom avermelhado dos cabelos da outra mãe, uma mistura inusitada.


- Perfeito, príncipe.


- Certo, então vamos. – Ele diz, animado.


            Estão na Disney. Sim, na Disney. Essa foi a escolha de Júlio para a semana de férias, e claro que as mães não iriam recusar, pois esse é o objetivo, arrancar sorrisos daquele pequeno ser.


- Vamos lá, meu amor. – A morena fala, sorrindo da animação do filho.


            Ele caminha saltitando, aponta para todos os personagens que via, o garoto está adorando aquilo tudo. Agora estão no parque, Júlio brincava dentro de uma casinha de bolas coloridas, as duas mulheres estão abraçadas olhando o seu pequeno milagre.


- Obrigada por isso. – Carla diz ao beijar o cabelo da esposa.


- Você não precisa me agradecer. Eu sou a mulher mais feliz do mundo por sua causa e dele.


- Não, você não é. Eu sou. – A ruiva diz ao virar-se e encarar a morena. – Eu amo você, Valéria, amo demais.


- Eu amo você mais, Carla.


            Elas se beijam, então é isso, tudo acabou bem para todas. Estão em suas plenitudes.


- Momy, para de beijar, é nojento.


            Elas sentem um pequeno ser entrar entre elas e as afastarem. Júlio odeia beijo, Carla espera que ele pense assim até seus trinta anos.


- Certo, certo, parei, e agora o que vamos fazer?


- Quero comer, estou com fominha.


            As duas mulheres se encaram e sorriem. Com certeza ele é filho de Carla. A ruiva o pega no colo e vão em direção ao restaurante. Uma família perfeita. Carla Gomez e Valéria Gomez, encontraram suas felicidades tanto quanto Anahí e Dulce Portilha e Angelique e Maitê Boyer. É o fim, dessa vez para valer.


 


 


 


FIM...


 


Obrigada...


Raquel Amorim


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): suzyrufino

Este autor(a) escreve mais 3 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)



Loading...

Autor(a) ainda não publicou o próximo capítulo



Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 16



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • Jubs Postado em 13/05/2019 - 02:03:21

    MDS QUE CAPITULO QUENTE HAHAHAHA QUERO MAIS

  • Lene Jauregui Postado em 12/05/2019 - 21:35:32

    Santi Deus, que capítulo excitante senhor, essas duas parecem coelhas no cio rsrs. Super ameiii os capítulos, e pelo que vie vem mas sexo no outro capítulo. Adorei. Continua amor

    • Lene Jauregui Postado em 12/05/2019 - 21:36:01

      #santo

  • Jubs Postado em 12/05/2019 - 03:56:29

    Mdssss que ódio desse cara! Continua pfvrrrrrr

  • Jubs Postado em 10/05/2019 - 01:14:58

    Continuaaaa

  • Jubs Postado em 05/05/2019 - 23:23:29

    MDS como eu amo essa fanfic, ela é muito maravilhosa!! <3

    • suzyrufino Postado em 10/05/2019 - 19:45:50

      Fico feliz q esteja amando. Irei posta jaja

  • Jubs Postado em 05/05/2019 - 23:23:02

    Eu nem sei o que vai acontecer ainda mas já quero matar o pai delaaaaaa

  • Jubs Postado em 05/05/2019 - 03:04:21

    Finalmente tudo foi resolvido, mas acho que o pai dela ainda vai aprontar pqp continuaaaaa

  • Jubs Postado em 27/03/2019 - 22:07:32

    VOLTAAAAAAAA

  • Jubs Postado em 25/03/2019 - 13:08:21

    Tomara que a Angel não atrapalhe as coisas

  • Jubs Postado em 25/03/2019 - 00:59:12

    Continuaaaaa, tô lendo agora e amando!!



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

Não conseguimos todo o dinheiro necessário para pagar o DataCenter.


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...