Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: 8 Segundos (Adaptada Ponny, AyA) | Tema: AyA, Ponny


Capítulo: Capítulo 1 Anahí

72 visualizações Denunciar


-Ai! –gritei ao sentir mais um maldito pernilongo me picar. Meu pai poderia pelo menos ter me deixado na sede, mas não. Só porque eu o chamei de velho louco, ele resolveu me deixar no meio da estrada. E lá estava eu: os saltos atolando no barro, as rodinhas das minhas malas não deslizavam na grama, estava com sede, suada, cansada e....


-Ai! Isso não é um pernilongo, mas parece um pterodátilo! –gritei com raiva novamente. Olhei de um lado para o outro e percebi que não havia ninguém. Nem uma alma viva para ouvir minhas lamurias ou me ajudar a carregar minhas malas da Louis Vuitton. Tirei os óculos escuros para enxergar melhor, mas não via a casa. Mais uma vez amaldiçoei meu pai por me fazer andar tanto. Ele ia me pagar com cada centavo do limite do meu cartão de crédito. Ah se ia!


Andei por mais uns vinte minutos e tenho certeza que bolhas estavam se formando nos meus pés delicados. Então, avistei a casa principal. Meu Deus, como aquela velharia era grande. Quando criança, eu passava as férias lá, mas, como odeio a vida fora da civilização, meu subconsciente deve te bloqueado essas memorias inúteis. Um bem que ele me fez.


Coloquei a mão na testa para fazer sombra no rosto e apertei os olhos para ver se enxergava um pouco mais à frente. No mínimo, devia estar uns quarenta graus, e na sombra.


–Graças a Deus, alguém! –falei sozinha.


Comecei a gritar, quando vi um homem saindo de um galpão próximo à casa.


–Ei...ei... –Acenei freneticamente para que ele me visse. –Seu surdo! –gritei ainda mais alto, pois o desgraçado estava subindo no cavalo sem nem me olhar.


–Até que enfim! –falei, soltando as malas no chão e colocando as maos na cintura, assim que notei que ele tinha me ouvido. Quando o homem começou a caminhar em minha direção, percebi que ele era jovem, talvez uns 25, 26 anos. Alto, corpo bem-definido, e eu não conseguia identificar a cor dos seus olhos. Quando ele chegou mais perto, fiz uma careta e fechei o nariz com os dedos. –Argh! Que nojo! Já inventaram uma coisa chamada banho, sabia? –avisei com a voz fanha.


O estranho me olhou de cima a baixo e deu um sorriso. O enorme chapéu que ele usava fazia sombra em seu rosto, impedindo uma análise mais detalhada, mas eu estava tão cansada que não tinha forças para tentar descobrir o que havia por baixo do acessório.


–Pegue minhas malas –ordenei e voltei a caminhar. –E tome cuidado, são duas Louis Vuitton.


Quando me virei para adverti-lo, notei que o idiota nem tinha se movido. –Por. Acaso. Você. Entende. Português? –Falei cada palavra pausadamente. Esses caipiras não estão acostumados com a civilização, então talvez ele estivesse com medo de mim. Com uma das mãos ele levantou a aba do chapei e me olhou. Santa promoção! Que olhos eram aqueles? O verde mais claro e mais límpido que eu já tinha visto na vida.


Ele me deu um sorriso torto e pegou as malas, me deixando estática por um momento, encarando-o. Despertei do transe inicial e marchei em sua frente, e o estranho continuou sem abrir a boca. Devia ser mudo, era a única explicação. Ou ficou mudo diante da minha beleza. Não me espantaria, pois não seria a primeira vez que um homem perdia a fala depois de me ver. Sou extremamente bonita. A parte de mim de que mais gosto são os olhos. Herdei da minha mãe o azul que eu tanto adoro. Meu cabelo é tom de mel, um castanho claro repicado não muito abaixo dos ombros. Magra, alta, rosto perfeito, pele macia, corpo atraente e muito, muito rica. Ou seja, sem defeitos. Por isso causo esse efeito nas pessoas. Era de se esperar que nem o caipira resistisse.


Assim que cheguei à porta da casa, entrei apressada. Na verdade, estava com um pouco de medo do estranho.


E se ele resolvesse me sequestrar? Talvez assim meu pai sentisse minha falta e se arrependesse de ter me deixado naquele fim de mundo. Ouvi o barulho a porta batendo atrás de mim. Eu me virei e não vi nada, apenas as malas jogadas pela sala. O idiota não saberia reconhecer uma marca de luxo nem se a rainha da Inglaterra em pessoa a recomendasse.


–Ok –eu disse, caminhando dentro da casa.


–Dona Anahí? –perguntou um homem de meia-idade.


–Sim –respondi sem muita paciência. Caminhei até o corredor que dava para a cozinha e ele me cumprimentou com um aperto de mão.


–Seu pai me disse que a senhorita chegaria amanhã.


Eu não queria chegar era nunca, pensei.


–Pois é –falei com um sorriso forçado. –Ele resolveu adiantar o meu castigo.


Meu pai tinha a mania irritante de tentar me mudar. Me deixar isolada naquele inferno foi a última que ele me aprontou. Isso porque ele acha que eu sou superficial demais, que só penso em dinheiro e não me importo com as coisas realmente boas da vida. Putz! Quer coisa melhor do que passar o dia todo no shopping, comprando todos os sapatos que desejar e depois jantar à luz de velas com um gato maravilhoso, terminando a noite em um luxuoso motel, com direito a sexo regado a champanhe? Claro que não!


Mas meu pai era um idiota se pensava que me obrigar a ficar trinta dias na fazenda mudaria alguma coisa em mim. Porque este foi nosso trato: se eu ficasse trinta dias vivendo como uma verdadeira roceira, eu ganharia um apartamento em Paris. Ou seja, au revoir, povinho sem cultura. Primeiro mundo, aí vou eu.


O senhor –eu nem sabia o nome dele –tossiu para chamar minha atenção. Acordei do meu sonho parisiense e olhei de volta. Ele até que era um tiozinho pegável: músculos no lugar, olhos castanhos, cabelo bem-cortado, mas as roupas e o jeito grosseiro não ajudavam muito. Balancei a cabeça para espantar aqueles pensamentos horríveis. Nem morta eu pegaria alguem daquele fim de mundo. Nem sabia por que tinha perdido tempo analisando o velho.


–Eu sou Santiago – ele se apresentou. –Caseiro da fazenda há alguns anos. Na cozinha estão Aparecida e Lúcia, que cuidam da casa-grande.


–Tudo bem –eu disse, sem querer ser apresentada ao restante da criadagem. Não estava ali para fazer social, muito menos com os empregados. Deixei o tal do Sandro, Santo, Saulo... Sei lá como se chamava, e fui para o quarto. Precisava de um banho urgente. Acho que o cheiro daquele idiota do cavalo tinha impregnado em mim.


Malditos caipiras!


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): fertraumadaponny

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).

Prévia do próximo capítulo

Pov Alfonso Herrera Meu celular tocou e eu tentei me desvencilhar dos braços da Raquel sem acorda-la. –Alô – falei em um tom de voz baixo. Era o meu tio Santiago, provavelmente querendo que eu fosse até a fazenda do Braga. –Tieta está parindo e, pelo que vejo, não conseguirá sem você –ele disse e, ante ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 25



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • tinkerany Postado em 12/08/2019 - 23:32:00

    Continua

    • fertraumadaponny Postado em 14/08/2019 - 01:10:42

      Postando amore *-* Vc provavelmente também irá sentir ranço pela Letícia "amiga da May", ela é praticamente um lobo em pele de cordeiro

  • barbie Postado em 12/08/2019 - 22:57:30

    Continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa plissssssssssssssssssssssssss

    • fertraumadaponny Postado em 14/08/2019 - 01:09:34

      Postando amore *-*

  • barbie Postado em 09/08/2019 - 19:07:20

    Continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa plissssssssssssssssssssssssss

    • fertraumadaponny Postado em 14/08/2019 - 01:09:07

      Postando amore ^^

  • tinkerany Postado em 07/08/2019 - 01:56:02

    Eu vou surtar com esse Rafa aaaaaa

    • fertraumadaponny Postado em 11/08/2019 - 23:49:01

      kkkkkkkkk sim vc vai surtar com esse cara, vai pegar ranço dele assim como eu tenho um ranço eterno dele kkkk Postando amore ^^

  • barbie Postado em 04/08/2019 - 14:45:12

    Continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa plissssssssssssssssssss

    • fertraumadaponny Postado em 07/08/2019 - 00:26:25

      Postando amore ^^

  • tinkerany Postado em 04/08/2019 - 05:09:49

    Continus

    • fertraumadaponny Postado em 07/08/2019 - 00:25:53

      Postando amore ^^

  • luananevess Postado em 03/08/2019 - 23:47:45

    😱😱😱😱😱😱

    • fertraumadaponny Postado em 07/08/2019 - 00:25:33

      Oiiie ^^ Postando amore

  • anniemorinunes Postado em 02/08/2019 - 00:42:05

    Maaaaaais

    • fertraumadaponny Postado em 03/08/2019 - 22:00:18

      Postando ^^

  • anniemorinunes Postado em 29/07/2019 - 01:47:43

    Maiiiiiiiis

    • fertraumadaponny Postado em 29/07/2019 - 23:24:25

      Bem vinda! Postando ^^

  • barbie Postado em 17/07/2019 - 11:06:01

    Continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    • fertraumadaponny Postado em 23/07/2019 - 23:25:47

      Postando amore ^^



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

Não conseguimos todo o dinheiro necessário para pagar o DataCenter.


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...