Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Ps.Nunca Me Esqueça | Tema: vondy


Capítulo: 11°∆

124 visualizações Denunciar



Amorecos! Tudo bom? Sei que deveria ter postado ontem esse capítulo, e peço mil perdões, porém não consegui terminar a tempo anteontem e o sono me venceu sksksksk mas aqui está, bem quentinho, saindo do forno, o capítulo onde vai dar início a todo o denserrolar da fanfic, e mais tarde vou tentar postar mais alguns.


Capítulo dedicado à : Viciada, Rosa, Bdulce e nossa nova leitora, Nat!


( seja bem vinda amor😘)


Obg a todas as nove leitoras, adorando que estamos entre os vigésimos do top mensal, é pouco mas eu fico feliz mesmo assim, para quem tava abaixo demais, isso é ótimo sksksksksksksksksksk


Respondendo comentários:


Viciada: Ai mulher, me faz chorar não 😓😻 kkkk obg 😸 postado! 😘


Rosa: que bom que vc gosta amoreco, vou postar mais então já que vc ta gostando sksksksksksksksksk sorry pela demora, criatividade tava lá em baixo sksk postado 😘💛


Bdulce: Ai bixa sério? AFS, me emociona esses comentários oh..serião😿😻😘 postadinho para vc, princess 💙


Nat: Ai MDS Ouvi seu pedido lá do além, você parecia tão desesperada que tive que vir postar sksksksk bem-vinda amoreco, espero que goste mais ainda Sksksk 💜😘



Agora sim, vamos para o capítulo né? Sksksksksksks


 


 


 



∆Um jantar..romântico?∆


 


 


Pov's Dulce.


 



Pontualmente as 20h, o carro preto e luxuoso de Christopher parou em frente a casa de Maite, onde eu o esperava na calçada com um sorriso todo bobo, de orelha a orelha, só de imaginar que ele queria me levar para sair.
Parecia tão romântico e fofo, que minhas mãos soavam de nervoso. Era o meu primeiro encontro!


— Boa noite, Christopher. Como está? — eu o comprimento, tentando não parecer nervosa, quando ele se acercou de mim após descer do carro, e estico minha mão para ele. Precisava de algum tipo de contato.


— Boa noite, docinho. Estou ótimo, e você? Sentiu alguma coisa esses dias? — perguntou ele, levando minha mão aos seus lábios, onde depositou um beijo suave e terno.


— Apesar de algumas dores de cabeça, eu me sinto bem. — comentei. — obrigada. — sorrio, por seu cavalheirismo em abrir a porta do carro para mim.


— Nada. — ele disse, fechando a porta e contornando a frente do veículo, para entrar pela porta do motorista em seguida.


— E onde vamos jantar? — pergunto, animada, quando ele dá partida.


— Gosta de comida italiana? — perguntou, com um sorriso brincalhão.


— Pensei que estivéssemos no México, querido. — ri.


— Você é ótima. — ele riu. — E sim, estamos, mas há um restaurante de comida italiana aqui em Polanco, e eu particularmente adoro a comida que fazem. — ele explicou, concentrado no volante e estrada.


— Bem, eu não conheço muito sobre diversidades da culinária, porém acredito que seja bom, se você gosta tanto deve ser verídico, afinal tem um ótimo gosto de escolha. Amei o vestido e os brincos. — Digo, agradecida, tocando sua perna com ternura.


O sinal fechou.


Ele parou o carro e me olhou, observei que seus olhos brilhavam quando nossos olhares se encontraram.
Eu só queria que o mundo parasse alí naquele momento.


— Dulce..— ele sussurrou.


Nós estávamos nos aproximando tão lentamente..


Bibibi! Bibibibi!


As buzinas apitavam e ele pareceu se dar conta do que fazia, e eu também.


Fiquei rubra o resto de caminho, sem olhar para ele.


[...]



Nós chegamos rapidamente no restaurante, e o manobrista pegou o carro de Christopher quando descemos, para levar ao estacionamento privado, enquanto meu cavalheiro pousava meu braço esquerdo em seu braço direito.


— Pois não, senhor? — um homem de smoking vermelho e detalhes preto se aproxima, com uma espécie de caderneta em mãos e um sorriso alargado.


— Reserva para dois, em nome de Christopher Von Uckermann. — ele diz, com sua mão sobre a minha que segurava seu braço.


— Bene. Vamos por aqui, reservamos a melhor mesa. — disse o homem, com seu tom amolador de quem quer puxar saco.


— Assim espero. — Christopher sussurrou, para que apenas eu ouvisse, e eu ri baixinho, por não entender.


— Vou trazer o cardápio, signor. — ele diz e sai.


Christopher, cavalheiro como eu sabia que era, puxou a cadeira para mim e eu me sentei, em seguida ele posicionou a outra cadeira na lateral da mesa, ficando um pouco mais perto de mim.


— Assim está muito melhor.


— Concordo. — digo, encabulada quando ele depositou sua mão sobre a minha, na mesa.


— Já comentei que está estonteante neste vestido? E estes saltos, deixam suas pernas extremamente esbeltas e sensuais. Tem formas incríveis, Dulce. — ele disse, e eu senti que estava ficando úmida bem lá embaixo por conta de suas palavras quentes. Nem parecia que aquilo estava acontecendo.


— Assim você vai me deixar envergonhada. — digo, risonha e de bochechas quentes, ainda sem conseguir olhar para o seu rosto.


Ele tocou com a dobra do dedo indicador o meu queixo e ergueu meu olhar para o dele, sussurrando.


— Não tem razões para ficar constrangida. É admirável como alguém consegue ser tão encantadora e tão natural como você. Me fascina. — ele diz, e pisca o olho para mim, então eu sorri me sentindo admirada.


— Hamham..o cardápio, signor. — um homem diz, tentando chamar atenção de Christopher, e ele apenas disse, sem desviar os olhos dos meus.


— Deixe-o ai e pode se retirar. — ainda me olhando.


— Como quiser. Com licença. — saiu.


— O que vamos comer? — pergunto, pegando o cardápio, com um sorrisinho bobo que não me largava.


— Posso escolher para você, já que não conhece nada da boa comida italiana. — ele diz, maroto, pegando o cardápio. — Gosta de macarrão?


— Amo massa. É minha comida favorita.


— Então, uma lasanha a bolonhesa e aos quatro queijos, acompanhado de risoto e uma porção de gnocco de batatas ao molho branco.— disse, concentrado.


Seu olhar compenetrado na escolha dos pratos me atraía, ele parecia extremamente acostumado em estar no controle das coisas.


— E para beber?


— Um vinho tinto? — ele sugeriu.


— Parece perfeito. — sorri.


— Ótimo. — ele se virou para trás e chamou o garçom, fazendo os pedidos.
Quando o garçom saiu, Christopher me olhou e tomou um pouco de ar, então começou a falar.


— Dulce, eu trouxe você aqui porque..bem, é um pouco complicado falar sobre isso. — sorriu, intimidado.


"Será que ele vai dizer que está apaixonado por mim? Ai meu Deus. Por favor, que seja isso.." penso, esperançosa.


— Fale logo, querido. — o encorajo.


Ele respirou fundo, mas não parecia nervoso.


— Dulce, Christian me disse que teve uma grande evolução no seu caso, e que já encontrou sua documentação e passaporte, estavam em um quarto de hotel onde você estava hospedada, e usou como ponto de encontro com Edgar Montegra, porém o que nos preocupa agora é te manter a salvo, e por perto de nós.


— Como assim, a salvo? Estou correndo algum perigo? — pergunto, assustada.


— Enquanto Christian não pegar Edgar para por na prisão, você estará em constante perigo. E o pior, é que ele pode tentar te levar embora daqui com ele, quando te encontrar. — apertou minha mão, e continuou. — Você está casada com ele, Dulce. Há uma certidão válida de casamento datada de um dia antes do acidente.


Eu entrei em choque.


Casada com Edgar?! O que eu tinha na cabeça quando fiz isso, por Deus?!


— Casada?! Oh meu Deus! Eu não acredito..como isso foi acontecer?! — alarmada, lágrimas de mágoa rolaram por meu rosto.


— Fique calma meu bem. Temos como anular isto, não se preocupe. — ele diz, me secando as lágrimas. — Christian e eu bolamos um plano, mas para isso você precisa concordar com ele.


— Faço qualquer coisa, por favor, me diga.


— Primeiro quero deixar claro que você está em risco de ser deportada, mas já conversei com seu pai, que ficou sabendo do seu acidente de alguma forma que eu desconheço, e entrou em contato com a polícia mexicana, exigindo que você fosse mandada de volta pois no seu estado não está com suas faculdades mentais aptas para decidir o que fazer sozinha.— disse, e eu senti a revolta crescer em meu íntimo.


— Aquele verme que me colocou no mundo não tem nenhum direito de querer mandar em mim! Quem ele pensa que é para exigir o que devo fazer ou não fazer?!


— Dulce, ele é seu pai. Só está querendo seu melhor. — disse, acariciando minha mão.


— Ele nunca foi um pai! Fugiu com a amante quando eu tinha apenas alguns anos de vida, e deixou minha mãe sozinha comigo. Isso não é atitude de um pai!


Ele ficou calado por um tempo.



— Não sabia disso. Me desculpe, mas eu já havia falado com ele e dito que ele podia vir buscá-la para lhe levar para casa. Perdão. Achei que fosse querer vê-lo. — ele diz, com expressão arrependida.


Eu suspirei, sem acreditar no que ele dizia.


Meu jantar romântico havia ido para o espaço.


— Essa era a sua grande ideia de me livrar do Edgar? Sério?!


— Eu iria me oferecer para ser o seu advogado no processo de divórcio, e seu pai concordou com a ideia! Ele disse que faria tudo que pudesse para te tirar das mãos do Edgar! — se explica.


— Conheço Fernando Espinoza, melhor que qualquer outra pessoa possa conhecer, e mesmo tendo perdido minha memória de alguns anos atrás, ainda me lembro perfeitamente bem de quem ele é, e isso Christopher, eu nunca vou esquecer. — digo, profundamente irritada.— Sei que não foi sua intenção, mas eu estou decepcionada com você. — digo, e me levanto para ir embora. Não sabia como, só sabia que queria sair dalí.


— Dul.. Querida, espere. Vamos conversar melhor.— ele pede, me segurando pelo pulso.


— A menos que você tenha uma outra solução que impessa Fernando de me levar daqui, e me ajude a me separar de Edgar, é melhor que me solte e eu irei embora. — digo, irritada.


A realidade é que estava magoada por ter achado que ele me chamou para sair por razões românticas, quando na verdade era para me alertar de um perigo de deportação que me levaria a viver com meu pai.


E para ser sincera, eu já amava Maite e Christian como parte da minha família, e meu desespero era que precisava admitir que também já estava apaixonada por Christopher Von Uckermann, tão rápido quanto a velocidade que meu peito batia quando eu pensava nele, ou quando estava próxima dele. Como iria suportar ficar longe daquele olhar viciante e admirável que só ele tinha?


— Dulce, não tenho muitas opções para te manter aqui, sendo que você precisa de cuidados de algum parente, agora que está debilitada pelo acidente.


— Me sinto muito bem.


— Anda sentindo enjôos, dores de cabeça, ainda tem febre algumas vezes, e o doutor explicou que precisava repousar, até o inchaço diminuir, mas você não fica quieta um minuto pelo que estou sabendo. Isso não vai te ajudar a recuperar sua memória. — alertou, me conduzindo novamente para me sentar.


Eu fui, vencida. Além do mais, percebi que precisava dele para voltar para a casa de Maite.


— Mas entenda, eu não quero ir morar com Fernando! E eu não tenho mais ninguém em Seattle, Christopher! Estou sozinha depois que minha mãe morreu. Fernando pode ser rico como for, mas é ganancioso, e sei que vai levar alguma vantagem me levando para morar com ele, apenas não sei qual seria, só o que sei é que sua preocupação comigo não paça de mero fingimento. Ele nunca se importou comigo. Nunca ligou para mim. — digo, magoada ao ter que recordar de tudo que ele me havia feito sentir, quando mais nova.


— E o que acha que podemos fazer?


— Se você não sabe, eu quem vou saber? — pergunto, aturdida.


Ele me olhou muito sério, e perguntou com firmeza.


— Tem certeza de que quer ficar aqui?


Ele ainda perguntava?


— Christopher, nunca tive uma família feliz antes, mas agora, morando com Maite e Christian, me sinto tão feliz..Sei que faz pouco tempo, mas já são como os irmãos que nunca tive, e Maite me trata super bem..( Fora que estou totalmente apaixonada por você, e não aguentaria ficar longe de ti, meu bem)— pensei em dizer, mas me poupei daquele vexame.
Christopher nunca me corresponderia.


— E quanto a mim? — perguntou, pondo a mão esquerda novamente em cima das minhas, e acariciando minha bochecha com a mão direita.


Eu não sabia o que dizer.


— Co..como assim? — nervosa por sua aproximação repentina.


— O que sente por mim? Sei que não convivemos muito mas, eu quem estive cuidando de você estes dias, mesmo que de longe, através de Maite. Admito que deveria ter feito melhor, você é minha responsabilidade depois do que te causei. — disse, e então senti um golpe em meu estômago, como uma vozinha macabra que me dizia " Está vendo, sua trouxa? Ele só se sente culpado por ter te feito perder a memória, nada de sentimentos mais intensos. Deixe de ser tão bobona."


Me afastei, e disse, sem muita emoção.


— Eu não sinto muita coisa por você, mas agradeço que tenha me socorrido. Outros fugiriam, eu acho. — falei, como se não fosse grande coisa.


Ele piagrreou e se endireitou na cadeira, parecendo desconfortável.


— Claro. — pegando a garrafa, de vidro, com água em um balde de gelo, era de alumínio e parecia bem gelado, depositou o líquido na taça e bebeu em um só gole.


— Acho que sei de algo que pode ajudar. — falou, olhando para baixo. — É a sua melhor opção para anular o casamento, e se manter aqui connosco. — me encarou, com uma expressão um pouco séria. — Case-se comigo, Dulce. Eu cuidarei de você. — Suas pupilas foram dilatando, e ele varreu o olhar por meu corpo, dizendo em seguida. — Se você for minha, ninguém irá levá-la de mim. — falou, com a expressão afogueada, enquanto seus olhos estavam fixos nos meus novamente.


Diferente das outras vezes, vi seu olhar se transformar em algo diferente da ternura e serenidade de antes, agora era puro fogo e desejo.


Direcionados a mim.


 


 



Continua


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): big_girl3

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).

Prévia do próximo capítulo

 (PS. Dei uma editadinha no capitulo, ideias surgiram aqui da hora pra outra, mas não mudei muito.)   Dedicado à Rosa e Nat. Espero que gostem!! Apreciem sem moderação 😏     ∆fora do controle∆   12 horas antes... Pov`s Christopher.. Eu estava no escritório analisando alguns arquivos, qu ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 26



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • rosasilva Postado em 14/08/2019 - 09:46:57

    Ok miga

  • bdulce Postado em 13/08/2019 - 18:26:45

    Amando!!! parabéns!

  • viciadaemfanfics Postado em 13/08/2019 - 13:48:59

    Meu Deus, eu não consigo acreditar no quanto a Dulce é trouxa, kkkkk. Continua!!

  • rosasilva Postado em 13/08/2019 - 11:23:46

    Sim nem problema com hot

  • rosasilva Postado em 13/08/2019 - 00:39:42

    Miga sua loc ponha o Pablo na história kkkk pro ucher aprender o que ele vai perder miga ....

  • rosasilva Postado em 13/08/2019 - 00:25:33

    Miga sua loca acho ele idiota sim em trancar com a bruaca sò não espero ela enventa que tá grávida pfff neh nega

  • viciadaemfanfics Postado em 12/08/2019 - 21:42:03

    Dulce é tão trouxa, aposto que vai sofrer muito! Continua!

  • rosasilva Postado em 11/08/2019 - 11:06:02

    Posta mais mais ele é um idiota esse ucher

  • viciadaemfanfics Postado em 06/08/2019 - 22:47:28

    Tinha achado tão bonitinha a iniciativa do Christopher em chamar Dulce para sair, agora que sei o motivo acho ele babaca. Tadinha da Dulce, tão entregue a ele e ele usando ela para fazer ciúmes na ex. Continua!!!

  • rosasilva Postado em 06/08/2019 - 09:42:59

    Aí que ódio do ucher fazer ciúmes para aquela azinha por favor só não me fala que essa altura a quela vaca engravidar do Cris isso não pff..... Quero que a Dulce faç o Ucherzinho sofrer se tornando umulherao e a pareça outro para ele sentir ciúmes dela



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

Não conseguimos todo o dinheiro necessário para pagar o DataCenter.


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...