Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Breathe • {AyA} | Tema: Ponny


Capítulo: Capítulo • 01

67 visualizações Denunciar


[ KrKonose - Montanha dos Gigantes, Polônia ]


— Está esfriando, não é? — questionou senhorita Vestwell, carregando um sorriso simples a face, enquanto que caminhando em passos vagos, íamos em direção do chalé que eu alugaria.


Sem conseguir dizer muita coisa pelos meus lábios que tremiam, apenas assenti torcendo para que estivéssemos de uma vez sobre um teto, usufruindo de um bom café e uma lareira, aconchegadas e devidamente protegidas de toda aquela geleira que se fazia sobre a floresta. Suspirei esfregando freneticamente uma mão sobre a outra ao soltar um ar gelado de meus lábios violentamente avermelhados, na inútil intensão de tentar esquentá-las. Senhorita Vestwell agia como se não passasse de uma ventania repentina, mas eu sentia como se estivesse presa no interior de um friser.



— Aqui estamos! — ela pronunciou, finalmente parando de caminhar.


Nós havíamos parado sobre uma baixa colina, colina esta que nos dava uma visão privilegiada dos pequenos chalés em formas triangulares contendo apenas dois andares cada. Uma maior e outras menores que as outras, mas devidamente organizadas e em sincronia. Era incrível.


— Céus.. — pronunciei sentindo minha garganta secar, a pesar de bem agasalhada, o frio não deixava de fazer tremer os meus ossos.


— Sim, eu sei o que quer dizer com isso, incrível, não é verdade? — disse sorridente sem parar de olhar para o que estava a nossa frente, suas expressões eram calmas e tranquilas. Outra vez, apenas assenti, tão hipnotizada quanto ela pela paisagem — Vamos querida, você não viu muita coisa! — comentou animada, preparada para descer a fileira de escadinhas que havia um pouco mais a frente.


Mas eu não queria sair de lá, necessitava de mais um pouco, não importasse que o frio congelasse meu sangue ou osso por osso, eu sentia vontade de permanecer ali. Naquele momento, havia conseguido entender de verdade o que se passava com Dean ao se deparar com uma parte da natureza, com algo tão simples e pequeno como uma borboleta sobrevoando o jardim. Eu pude me sentir perto dele outra vez. Sabia que se ele estivesse comigo começaria a gritar e a citar o quão incrível era estar ali, assim como fizera em tantas outras de nossas viagens.


— Oh Dean.. — suspirei com a voz embargada, uma das minhas mãos se encontravam enfiadas no bolso do casaco a acariciar a pequena caminhonete de ferro amarelada que ali se encontrava.



• • •



— Eu acredito que não esteja acostumada com a arquitetura e a estrutura pequena que a casa oferece. Mas ouça querida, me acredite, será tão feliz aqui quanto seria em qualquer outra lugar durante essas semanas. — comentava enquanto descíamos as escadas do segundo andar para estar de volta a sala, sem deixar de bebericar seu café. — Sei que o frio por aqui é intenso, mas não se preocupe que logo se acostumará, digo isso por experiência própria. — ela gargalhou se recordando da primeira vez que havia passado seus dias por aqui, e em poucos segundos, quando já estávamos sentadas em frente a lareira, passei a ouvir uma história sobre como tudo fora um desastre. — senhorita Portilla? — chamou, quando eu não mais prestava atenção em sua conversa.


— Sim?


Meu cenho fora franzido após o susto, meu café sendo deixado sobre a pequena mesa amadeirada ao centro.


— O que me diz? Nós temos um acordo? Ou a senhorita prefere que a deixe um pouco mais a vontade para observar o chalé? — questionou, de pé, também deixando sua bebida sobre a mesa.


Certamente, não havia qualquer resquício de dúvidas em minha mente quanto a decisão de estar ali, naquele lugar durante as três semanas que se seguiríam. Talvez, por esse motivo eu não estivesse dando tanta atenção para o que a senhorita Vestwell, corretora de imóveis da cidade, tanto dizia. Estar entre a natureza me acalmava, me lembrava de Dean e sua paixão por tudo o que a natureza oferecia, pela paz que era capaz de deixar em sua alma tão bonita, pelo sol que iluminava cada caminho seu. Era o que ele amava, era o seu valor para a vida. Admirava sua capacidade de parar no tempo e dar valor as pequenas coisas, como o canto de um passarinho pela manhã, o desenho confuso de uma nuvem, ou um céu repleto de estrelas para que ele pudesse contá-las até se cansar.


Ele havia sabido aproveitar bem a vida e eu gostaria de ser alguém como ele.


— Não, não há necessidades. O chalé me parece confortável para uma pessoa e é o suficiente para mim. — eu respondi carregando um sorriso leve a face, logo após, rodeando minha silhueta ao voltar a notar os detalhes acabados em madeira da pequena casa — Eu vou alugá-lo, estamos de acordo? — questionei estendendo minha mão para que ela apertasse. Seu sorriso fora aumentando gradativamente com a minha decisão.


 


 


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): Brunahís

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).




Loading...

Autor(a) ainda não publicou o próximo capítulo



Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 1



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • hittenyy Postado em 11/08/2019 - 00:27:43

    Tadinha da Anny 😭😭Já vi q vou sofrer ,cnt



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

Não conseguimos todo o dinheiro necessário para pagar o DataCenter.


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...