Fanfics Brasil - " Fake sincero" "Fake sincero"

Fanfic: "Fake sincero" | Tema: Felicidade Clandestina


Capítulo: " Fake sincero"

294 visualizações Denunciar


“Fake” sincero


 


   Ela era linda, baixa, com sardas e cabelos crespos e negros. Era tão magra, parecendo até frágil às vezes, tão diferente de mim. Gordo, olhos claros, cabelo escorrido que pareciam estar colados na cabeça, deixando meu rosto mais redondo que a bola que o pessoal jogava na quadra da escola, e que pra ajudar a chamavam com o meu nome, eles tinham uma criatividade um pouco extravagante, fazer o que? Não deixavam de ter certa razão.


   Todos os dias eu chegava antes de soar o sinal, só para vê-la adentrar no portão, sorridente e iluminava o pátio inteiro, e até por um instante eu esquecia da tortura que era acordar, sair da cama e ir para a escola, era um saco, mas momentos como esse faziam valer a pena.


   Eu não era muito bom com as palavras, e muito menos com pessoas, gostava muito da minha própria companhia, e meus amigos eram meus livros e meus sapatos, meus jogos, pois me davam menos trabalho, não tinha apelidos chatos, não discordavam de mim, não me faziam perguntas, e ainda por cima eram ótimos ouvintes. Meus pensamentos que não era muito gentil, ainda bem que pensamento não tem boca e até certo ponto não tem vida própria, pois iam acabar me fazendo passar vergonha, não que eu não passasse, mas essas eu já estava acostumado, era só tentar me fazer invisível e estava tudo certo.


   Sempre me perguntei como ela conseguia ser do jeito que era?! Nada a incomodava ninguém precisava defendê-la de nada mesmo parecendo tão miúda indefesa, seria a “Mulher maravilha” do meu livro em quadrinhos, disfarçada? Quem sabe?


   Foi ai que meu dilema começou, quando meus pensamentos indomáveis, resolveram se convencer que precisávamos conhecê-la, nos aproximar, e desvendar esse mistério. Então resolvi fazer um perfil falso, um fake, pois com meu carisma ímpar, meus planos iam por água abaixo, forjei algumas informações, peguei uma foto no Google, de um carinha bonitão, enviei uma solicitação de amizade e ela aceitou, um misto de felicidade com pavor tomou conta de mim, e agora? Bom na foto não era eu, portanto poderia ser quem eu quisesse, e foi assim que chamei ela “inbox”, começamos a conversar , e ela era tão sincera que resolvi ser um “fake” sincero também.


     Conversávamos por horas, e eu esperava ansioso por aquele momento diário que pra mim era precioso, depois da escola, claro ela era toda certinha.       A nossa amizade foi crescendo assim como nossas conversas fluíam, conversávamos sobre tudo, até trocávamos confidências, até que um dia ela resolveu que queria conhecer minhas caras e bocas, fez uma chamada de vídeo, disse que era melhor de conversar. Entrei em pânico, gelei na hora, ainda bem que meu “fake” sincero entrou em ação e consegui contornar a situação, consegui esse feito mais algumas vezes sempre com desculpas esfarrapadas, porém ela começou a perceber e com isso ela se afastou por medo, ou raiva mesmo, a nossa amizade começou a esfriar de tal maneira que eu não suportava.


    Então resolvi o que para mim era dar um ponto final naquela situação com muita dificuldade aceitar a sua chamada de vídeo, afinal uma amizade construída a base da mentira realmente não era legal eu tinha me tornado um mentiroso medroso ou um mau caráter? Ela não era nenhuma tola, o tolo era eu que quando comecei com essa história toda esqueci do detalhe que algum dia ela poderia querer me ver pessoalmente, pensando nisso era só uma chama de vídeo, não podia ser mau assim né?


   E para minha surpresa foi uma vírgula, reticências, sei lá, pois a nossa amizade estava só começando, com um pouco de dificuldade, na verdade muita ela me perdoou, e não nos separamos mais, e sabe que de fato ser sincero é libertador mesmo que em alguns momentos doa, pois ninguém gosta de ser enganado, e quando descobre não é bonito de se ver, mas vale a pena. Mas o tempo foi muito generoso, aprendemos muito um com o outro, eu aprendi mais com ela do que ela imagina, pois o frágil era eu, e além de bonita por fora ela era perfeita por dentro, sem preconceitos, sem dramas, sem pudores, ela era ela e não importava os demais, ela acreditava nela e não na fala alheia, e com isso me fez acreditar em mim.


   Deixei de ser um admirador as escondidas para ser um seguidor às claras.


Graciéle Bicca Cassero



Compartilhe este capítulo:

Autor(a): graciele_bicca_cassero

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).

- Links Patrocinados -



Loading...

Autor(a) ainda não publicou o próximo capítulo



Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 0



Para comentar, você deve estar logado no site.


- Links Patrocinados -

Nossas redes sociais