Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: O Desafio(adaptada) | Tema: Vondy


Capítulo: Capítulo 5

82 visualizações Denunciar


Os óculos escuros não estavam ajudando. Cambaleando, Christopher fazia o possível para manter os olhos fixos na esteira. Assim que pegasse as malas, daria o fora dali. Vovó já era crescidinha, podia chegar sozinha ao hotel. Além disso, se precisasse encarar Dulce mais uma vez, ele certamente perderia a cabeça e faria alguma maluquice, como ficar olhando fixamente para os lábios dela ou tentar estrangulá-la. Era difícil saber qual das duas opções era mais provável.


— Christopher? — chamou vovó. — Christopher, já encontrou minhas malas?


— Não — grunhiu ele, em resposta. — E creio que seja porque eu não estou procurando por elas. Estou atrás da minha bagagem. Você mesma pode encontrar a sua e ir para o hotel maravilhoso de sempre, no centro.


Nadine segurou a mão do neto e a apertou.


— Ah, na verdade, já tenho onde ficar!


— Ótimo.


Vovó soltou sua mão e pegou o celular.


— Sim, só a limusine, por favor. Perfeito. Sim, são dois passageiros.


Ela acenou para Dulce e para a outra garota. Dulce ignorou Christopher, o que era ótimo: ele só queria esquecer aquele dia. Ele se afastou e observou enquanto as duas garotas pegavam suas malas e saíam. Já iam tarde. Tudo o que ele queria era dormir.


Olhando pelo lado bom, ao menos vovó tinha chamado uma limusine para ele. Não que Christopher fosse pobre nem algo do tipo, mas não ter mais os direitos sobre uma empresa multimilionária estava longe de ser algo positivo, ainda mais considerando o estilo de vida que ele levara nos últimos cinco anos. Passara a faculdade em festas e gastara como se não houvesse amanhã, sem ligar para nada além de si mesmo. O que teria sido ótimo, se o dinheiro não tivesse acabado de repente. Bem, na realidade o dinheiro não tinha exatamente acabado: ele ainda era milionário, mas, sem a herança da avó, a grana diminuía. Teria de dizer adeus às viagens impulsivas às Ilhas Cayman, às coberturas de hotéis e às festas de aniversário nas quais esbanjava centenas de milhares de dólares.


Aquele deveria ser o ano em que assumiria os negócios da família.


Em vez disso, vovó desistira da aposentadoria e assumira novamente o controle do conselho da empresa, deixando Christopher como mero vice-presidente.


Sem o salário de CEO, ele se tornava um pouco... ingrato. Ou seria apenas irritado? Não tinha certeza. Mas precisava de uma bebida forte e de sexo antes de sequer pensar em aparecer no trabalho segunda de manhã. Talvez Sarah estivesse disponível. Ou Natasha. Tinha se divertido com ela, por um tempo.


— Ela está ali! — Vovó apontou a enorme mala rosa com estampa de oncinha. — Vá pegar! Depressa!


Resmungando, ele ergueu a mala da esteira e quase perdeu o equilíbrio.


— Meu Deus! O que você enfiou aqui?


— Ah, você sabe... — Vovó fez um gesto de indiferença. — Uma mulher nunca viaja sem roupas e maquiagem.


— Certo. — Ele encontrou a própria bagagem e a pegou. — Então, cadê a limusine?


— Que limusine? — A avó tirou os óculos de sol Chanel da bolsa.


— A limusine — repetiu Christopher. Todo aquele suplício no avião o deixara exausto. — Você acabou de ligar pedindo uma limusine para duas pessoas. Cadê ela?


— Christopher, tenho certeza de que existem muitas limusines, onde cabem bem mais que duas pessoas, mas, para ser sincera, não sei do que você está falando. Na realidade, mandei uma mensagem ao motorista, pedindo a ele que ligasse para Dulce e a irmã dela.


— E por que você faria uma coisa dessas?


— Porque a pobrezinha estava exausta! — Vovó ficou boquiaberta, apontando para a cara de Christopher. — Depois de tudo o que você a fez passar! E pensar! Um bilhete de agradecimento? Agradecendo o quê? Um orgasmo? É isso que os jovens fazem, hoje em dia? — censurou vovó. — A pobrezinha nem se lembra de ter dormido com você. Eu diria que você perdeu o jeito, mas duvido de que algum dia tenha tido, para começar.


— O quê? — explodiu Christopher. — Do que você está falando? Posso dar prazer a qualquer uma, quando eu quiser! Sou muito bom em fazer com que as mulheres tenham orgasmos!


Ele ouviu alguns risinhos de desdém, ao que vovó deu tapinhas condescendentes em seu braço.


— Claro que é, meu bem! — respondeu ela. Então se virou para olhar as pessoas que estavam atrás dos dois, moveu os lábios para formar um “desculpe” e deu o braço a Christopher.


Como assim Dulce não se lembrava de ter transado com ele? Não se lembrava de nada? Sério? Será que ela era maluca? Ele tinha cada detalhe gravado na mente. O cabelo macio, com um aroma suave de lavanda, os gemidos que fazia no fundo da garganta quando ele a beijava. E o gosto... Droga! Homem nenhum conseguiria esquecer o gosto de uma mulher, e tudo em Dulce era único, só dela.


Levara meses para tirar da cabeça aquele gosto, o jeito como apertara os lençóis entre os dedos e depois o tocara com aquelas mãos habilidosas...


— Sei bem como se sente — sussurrou vovó em seu ouvido. — Também fico um pouco atrevida quando viajo de avião. Você vai superar. Agora, dá para irmos embora antes que todos percebam o efeito que a animação dos aeroportos produz em você? Já foi ruim o bastante ter de ficar aqui ouvindo você gritar “orgasmo”. Deus sabe como já fui paciente com você hoje!


— O quê?


— Christopher, as avós sabem das coisas. Tudo bem. Veja só, quando eu tinha a sua idade... — Ela deu uma risadinha. — Uma vez, seu avô e eu fomos ao banheiro do aeroporto... Eles eram menores naquela época, sabe? Bem, eu estava de salto vermelho, na altura perfeita para...


— Vovó, por favor, eu imploro: não diga mais nada! Já é suficientemente ruim o fato de minha imaginação estar a toda. Eu só... só preciso que o dia de hoje acabe. Preciso dormir um pouco antes do trabalho, está bem? Vamos logo para onde quer que você vá ficar hospedada, para que eu possa ir para casa.


Vovó deu de ombros e passou depressa por ele, em direção à rua. Ela estendeu a mão para chamar um táxi e deu as instruções ao motorista enquanto Christopher ajudava a pôr a bagagem no porta-malas.


Quando o táxi começou a andar, ele pôde, enfim, relaxar. Vovó estava em silêncio a seu lado, com os olhos fixos na paisagem de Seattle. Christopher sabia que aquela era a cidade favorita dela. E por um bom motivo. O ar era fresco e, mesmo sendo uma metrópole, Seattle era cercada de florestas.


A pergunta lhe veio de repente: quando fora a última vez que fizera uma trilha ou apreciara a cidade em que vivia? Nunca. Droga, ele precisava de férias!


Em menos de dez minutos, vovó já estava roncando. Assim, ao menos parava de gritar obscenidades. Com a sorte que ele tinha, era capaz de ela voltar a falar de orgasmos e saltos vermelhos. Ah, mas que inferno! Ele nunca mais veria sapatos de salto vermelhos da mesma forma.


Deu uma olhada nas mensagens de texto. Algumas eram de Aileen, que errara a grafia de palavras que qualquer pessoa da idade dela deveria saber. Se tinha dificuldades até para enviar uma simples mensagem de texto, talvez não fosse mesmo mulher para namorar. Não que pensasse em, algum dia, contar à vovó que ela estava certa, porque ela usaria a informação contra ele pelo resto da vida.


A última mensagem era de Alfonso.


Adiantamos a data do casamento. Não queremos esperar. Anahí e mamãe estão indo à loucura. Esteja pronto em duas semanas, padrinho!


— Merda! — Christopher jogou o celular no banco e xingou mais um pouco.


Vovó se mexeu, mas não acordou.


Como é que iria encarar Anahí e Alfonso, depois de tudo o que tinha acontecido? Anahí fora sua melhor amiga a vida inteira, até que... as coisas mudaram. Ele mudou, ela também. As pessoas mudam, não é? Era normal seguir em frente! Era normal deixar amigos para trás. O que não era normal era dormir com esses amigos e depois os abandonar. Christopher com certeza tinha problema com compromissos. Odiava o modo como as mulheres reclamavam pela manhã. Pareciam armadilhas mortíferas e grudentas. Que o envolviam com as pernas, beijavam suas costas... Não. Odiava aquilo. Queria apenas um momento com elas. Recusava-se a dar mais que isso.


Porque quando se dava mais de si mesmo, acabava sendo abandonado. Foi assim com Anahí e os pais dela. Eles morreram na noite em que Christopher tirara a virgindade da amiga, e ele nunca teve a chance de se desculpar de ter desrespeitado a filha dos dois. Mas, o que era pior, nunca teve a chance de se despedir das pessoas a quem devia tudo o que tinha no mundo. As duas únicas pessoas que sabiam o que ele tinha feito no colégio, que salvaram a vida dele. E então... elas se foram.


A ideia de ir ao casamento deixava Christopher desconfortável. O pai de Anahí não estava vivo para levá-la até o altar, como ela merecia — mais que qualquer outra pessoa. A pior parte era que Christopher estava muito bem vivendo a própria vida, até cometer o erro de pedir a Anahí que fingisse ser sua noiva durante um fim de semana. Não imaginara que seria tão afetado por ela. Mas o golpe final em seu orgulho foi quando Anahí se apaixonou por seu irmão mais velho — O que, quando criança, era gago e a infernizava. Era muito injusto!


Queria ajeitar a vida antes do casamento. Precisava. Afinal de contas, aparência e dinheiro... eram as únicas coisas que tinha. Sabia que não merecia o amor de ninguém e, portanto, nunca pedira amor. Só torcia para que aquela sua falsa segurança durasse o bastante para que ele sobrevivesse às próximas duas semanas e cumprisse as obrigações de padrinho.


Merda! Precisava recomeçar e encontrar outra garota que pudesse levar ao casamento. A julgar pelo naipe das mensagens de Aileen, ela não era mais uma opção. A garota anterior fazia com que ele se lembrasse de Anahí, então também não era opção.


Sentiu que uma dor de cabeça estava prestes a despontar, mas a ignorou. Foi quando o táxi virou na saída da rodovia. A saída para a casa dele. A saída para Lake Washington. Deu de ombros: talvez vovó fosse deixá-lo primeiro.


Quando o táxi parou na casa de Christopher, perto do lago, ele desceu, pegou a bagagem e foi se encaminhando para a porta. Não acordaria vovó. Não seria legal. Afinal, ela estava apagada.


Será que isso fazia dele uma má pessoa? Bem, o taxista não a mataria nem nada... Quem mataria uma doce velhinha com baba escorrendo pela...?


— Prontinho! Obrigada! — gritava vovó.


Christopher se virou, rezando pela primeira vez em anos, e viu a avó — e as malas da avó — acenando para o táxi, que já desaparecia ao longe.


Quando ia abrir a boca, ouviu:


— Pegue minhas malas! Estou exausta! Onde está meu celular? Viu meu celular, Christopher? — Ela vasculhou a bolsa enorme, da qual puxou um iPhone com capa de zebrinha.


Não. Não mesmo. Ela ia ficar na casa dele? Por quanto tempo? Deus, por favor, não permita que seja até o casamento!


— Meu Deus do céu! O casamento é daqui a duas semanas! Temos bastante tempo!


— Tempo? — Aquilo só podia ser punição divina. Ou isso, ou vovó estava possuída. Era impossível decidir a alternativa mais provável.


— Sim. — O sorriso de vovó se suavizou enquanto ela pegava uma das mãos de Christopher e a beijava. — Tempo para arruinar sua vida.


— Arruinar? — Christopher deu uma risadinha enquanto puxava a mão. — Prefiro ficar... hã... não arruinado. Mas obrigado mesmo assim.


— Como preferir. — Vovó deu de ombros. — Ah, Christopher?


— O quê? — grunhiu ele, enquanto levava a pesada bagagem escada acima.


— Você está demitido.


Christopher deixou as malas caírem.


— Demitido? — perguntou ele enquanto pontos negros surgiam em sua visão.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): leticialsvondy

Este autor(a) escreve mais 14 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

Preciso de uma bebida — anunciou Dulce quando ela e Maite chegaram sãs e salvas ao apartamento que dividiam em Queen Anne Hill. — Melhor dizendo, preciso de umas dez bebidas e um sedativo. — Ah, qual o problema? — Maite abriu a garrafa de vinho e pegou duas taças. — Você foi presa com algemas de plástico e obrigada a ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 43



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • nathalia_muoz Postado em 26/07/2020 - 20:07:32

    Continuaaa por favor, no dejes la historia

  • anne_mx Postado em 24/07/2020 - 02:38:15

    Por favor, me diga que a senhora não tá pensando em abandonar, foi uma das melhores fanfics, mais engracadas e construtivas que já li, continuaaa pelo amor de Deus, eu sempre vou tá aqui comentando <3

  • anne_mx Postado em 15/07/2020 - 23:01:52

    Finalmente Christopher entendeu que a ama e ela assumiu isso tbm, só falta um assumir p outro, amém que Jace não é tão idiota como pensei, amei o momento entre irmãos entre o Ucker e o Poncho, não sei porque mas algo me diz que a Dul e o Ucker se casaram sem querer ao assinarem os documentos KKKKKKKKK continuaaaa, amo vovó Nadine <3

  • anne_mx Postado em 13/07/2020 - 00:18:44

    Puts, que cena linda essa do casamento, eles dois se amam tanto, quando vão aceitar isso e se permitirem serem felizes? Continuaaa, quero só ver em que vai dar isso tudo <3

    • leticialsvondy Postado em 15/07/2020 - 22:07:32

      Parece que o Christopher percebeu isso agora

  • anne_mx Postado em 13/07/2020 - 00:17:40

    KKKKKKKKKKKK eu amei a cena deles com as fantasias, epna que tudo que é bom dura pouco, Belinda tinha que aparecer e fazer merda né? E depois o Christopher tinha que ser idiota né? Ai ai sei não, continuaaa <3

    • leticialsvondy Postado em 15/07/2020 - 22:06:30

      Pelo menos ele não ficou com ela, amei ver ela quebrando a cara kkk

  • anne_mx Postado em 12/07/2020 - 14:58:22

    KKKKKKKK vovó Nadine achou alguém a altura dela pra estressar ela tbm, amei a chegada da beata Petunia KKKKKKKKKK meu vondy juntos se beijando é tudo pra mim, continuaaaa, quero só ver eles indo p cama de novo juntos, se é que me entende <3

    • leticialsvondy Postado em 12/07/2020 - 21:45:31

      Você vai rir muito com essas duas kkkkk Postando!!

  • anne_mx Postado em 10/07/2020 - 22:17:03

    Agora eu até entendi o Poncho um pouco, mas mesmo assim, ele ainda é meio idiota kkkkkkkkk Foi lindo a Dul indo atrás dele e conversando com ele, eu simplesmente amei, claro, até o idiota do Jace aparecer! Vovó é tudo pra mim, a véa dormindo com uma arma minha gente KKKKKKKKKK Medo de fazer isso no dia que eu for me casar e aparecer uma Nadine dessas, continuaaaa, e já tá na hora da Dul dar um fora no Jace né? O cara é um completo babaca! Amei a cena da madrugada, foi lindo ver a sinceridade do Christopher <3

    • leticialsvondy Postado em 11/07/2020 - 22:32:40

      A parte da casa da árvore é uma das minhas preferidas <3 Vovó é a melhor, ainda vai aprontar mt kkkkkk

  • anne_mx Postado em 08/07/2020 - 23:40:33

    Ai Anahí, tô quase te tornando minha favorita, pq Dulce só tá me decepcionando, obrigada por dizer o que tava entalado na minha garganta e Alfonso é um idiota em? Entre ele e Jace, acho que não sei qual me irrita mais!

    • leticialsvondy Postado em 10/07/2020 - 15:45:56

      A Annie realmente é a mais sensata dali kkkkk O Poncho pelo menos explica um pouco agora porque ele age assim né, mas... Postando!!

  • anne_mx Postado em 08/07/2020 - 23:28:23

    O jeito que eu amo Anahí é diferente <3 Esse Jace é um pé no saco, pelo amor de Deus, que macho insuportável, continuaaaa, quero ver meu vondy juntinhos <3

    • leticialsvondy Postado em 08/07/2020 - 23:33:11

      Acho que ainda vai gostar dela ainda mais kkkk

  • anne_mx Postado em 08/07/2020 - 00:00:08

    Jace é um belo de um idiota e quando Dulce souber que Christopher n fez nada com as mulheres vai amar e eu daria uma gargalhada kkkkkkkkkk Ponny vão ficar surpresos ao verem que vovó Nadine vai cantar sim KKKKKKKK n vejo a hora de Vondy ficar junto logooooo, continuaaa <3

    • leticialsvondy Postado em 08/07/2020 - 23:04:48

      Postando!!



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...