Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: O Desafio(adaptada) | Tema: Vondy


Capítulo: Capítulo 8

108 visualizações Denunciar


— É marrom. — Dulce piscou algumas vezes diante do reflexo no espelho. — Por que o vestido é marrom? — Sério que ela havia tirado um dia de licença médica para ir às compras e se sentir gorda e deprimida em um vestido de dama de honra?


— Porque essa é a cor, querida. — Vovó Nadine bebericou o champanhe e inclinou a cabeça. — Mas ficou horroroso. Acha que Anahí confundiu as cores?


— Nossa, espero que sim! — Dulce estremeceu ao olhar mais uma vez para o reflexo. O vestido era de um marrom-alaranjado estranho, como se as folhas que mudam de cor no outono tivessem se esquecido da tonalidade que deveriam assumir e então se tivessem decidido pela mais feia possível. O modelo era um tomara que caia que descia justo até os quadris e, a partir daí, ficava tão largo, que a fazia parecer uma cópia péssima da Maria Antonieta.


Se era esse o tipo de vestido que a coitada daquela mulher fora obrigada a usar, não era de admirar que tivesse sido decapitada. Dulce suspirou enquanto vovó pegava o celular.


— Anahí? É a vovó. — Ela gritou tão alto ao telefone, que Dulce se sobressaltou. — Anahí! Não estou ouvindo! Ah, só um segundo. — Vovó se levantou e caminhou até a vitrine. — Sim? Está melhor? — A senhora se voltou para Dulce, ainda com o telefone ao ouvido. — Ah, que lindo! Acho que esse vestido ficaria fantástico em você, Dulce! Venha aqui!


Sem muita opção, Dulce se arrastou até o manequim na vitrine.


— É um vestido de noiva.


— Eu sei! — Vovó tapou o bocal do celular. — Ficaria lindo em você! Experimente! Só dessa vez, vamos lá! Só vai levar um minutinho! — Vovó gesticulou e a enxotou de lá, indicando-lhe as araras em que estavam expostos todos os vestidos da loja.


— Anahí! Anahí ! Desculpe, estava falando com sua amiguinha. Aliás, ela é linda e... Ah, entendo!


Dulce se remexeu, desconfortável, enquanto procurava o vestido nas araras.


Seus dedos tocaram a seda delicada. Era um vestido lindo. Mas ela não estava se casando. Será que não daria azar experimentar um vestido de casamento antes de ter um noivo?


— Experimente! — gritou vovó, de novo fazendo Dulce pular de susto. — Que ideia maravilhosa, Anahí! Sim. Sim, entendo. Sim. Não. Não, deixe que a vovó aqui fará sua mágica. Sim. Não. Mas, Anahí... Certo. Diga a ele que aceito o desafio.


Dulce parou. Se fizesse silêncio, talvez conseguisse ouvir o que tanto Anahí e vovó conversavam.


— Xô! Vá experimentar! — Vovó fez um gesto, expulsando-a, e se virou de costas para ela. — Diga a Alfonso que estou dentro.


Com delicadeza, Dulce puxou o vestido de seda da arara e entrou no provador.


Ora! O que tinha a perder, afinal? Rebolou para fora do vestido marrom de dama de honra e desceu com cuidado o zíper do de noiva. Era todo aberto nas costas, o que significava que não poderia ser usado com sutiã. O modelo era frente única, bastante decotado. Depois que fechou o zíper na lateral, ela se olhou no espelho.


Droga! Não queria chorar. Não por causa de um vestido bonito. Engolindo as lágrimas ridículas, Dulce abriu a cortina e subiu na plataforma que havia em frente ao espelho.


A sensação do tecido em contato com as pernas nuas era incrível. Ela se virou para um lado e para outro, então ouviu aplausos.


— Tenho uma pergunta — começou uma irritante voz masculina atrás de Dulce. Ela ergueu a cabeça de supetão e viu o reflexo de Christopher no espelho. — Não dá azar experimentar um vestido de noiva antes de ter um pretendente?


Maldito.


— Não. — Ela o encarou, irritada. — Não dá. Além disso, vovó achou que fosse uma boa ideia.


— Essas foram as últimas palavras de muita gente — comentou Christopher. — Além disso, vovó está no meio da vitrine, gritando a um celular com capa de zebrinha brilhante como se a pessoa do outro lado da linha estivesse em Marte. Neste momento, não sei se ela pode ser usada como uma boa desculpa.


— Existe um motivo para você ter vindo aqui? Quer dizer, além de ter sido demitido — retrucou Dulce, irritada.


Ele empalideceu visivelmente.


Ela sorriu, triunfante.


— Férias — retrucou Christopher. — Na verdade, recebi uma mensagem de Alfonso. Ele pediu que eu viesse pegar algumas coisas para ele e tirar minhas medidas para um smoking. Então, tem, sim. Estou cumprindo meu dever de padrinho.


— Padrinho? — repetiu Dulce, horrorizada. Um tremor percorreu o corpo de Dulce.


— Pela postura animada, dá para ver que você ficou feliz com a ideia. Ah, espere! Deve ser só porque você não está de sutiã. Engano meu.


— Você é um babaca.


— Obrigado. — Ele deu um sorriso debochado.


Droga! Dulce não sabia se cobria os seios ou se permitia que ele aproveitasse a bela visão de seus atributos, deixando bem claro que ele a tivera por uma noite, mas jamais a teria novamente.


Os olhos cor de mel com um leve esverdeado ficaram escuros.


— Se serve de consolo... gostei do vestido.


Dulce engoliu em seco quando ele avançou um passo em sua direção, cauteloso. Por que ele tinha que ser tão bonito? O cabelo castanho-claro tinha aquele brilho que as pessoas normais só viam nas capas de revista. O sorriso era de matar e, naquele momento, os olhos, esses olhos penetrantes, encaravam os dela.


Dulce umedeceu os lábios quando ele avançou mais um passo.


De repente, o lugar ficou pequeno demais, quente demais, tudo demais. Ele estendeu a mão para ajudá-la a descer da plataforma.


Ela não deveria ter aceitado. Não mesmo. Porque no instante em que sua pele tocou a dele, Dulce lembrou. A noite que passara com ele tinha sido tudo, menos esquecível. O toque dos lábios dele estaria para sempre gravado em sua memória, ela nunca se livraria daquela lembrança.


— Christopher! — gritou vovó, espiando por trás do manequim. — Ajude-a a tirar esse vestido! Temos uma emergência de casamento! Rápido!


— Certo. — Ele soltou a mão de Dulce e sacudiu a cabeça ao dar um passo para trás. — Não seria a primeira vez que a ajudaria a tirar a roupa, né, Dulce?


E o momento especial se foi.


Ignorando o calor em suas bochechas, Dulce voltou para o provador e fechou a cortina.


— Não precisa de ajuda? — perguntou ele.


— Acho que sei tirar minha roupa sozinha, Christopher.


— Está bem. — Ele soltou uma risadinha que fez Dulce querer socá-lo. Tremendo, ela procurou o zíper. — Mas quando eu ajudo é memorável. Só digo isso.


Chega. Ela não aguentava mais. Recusando-se a deixar que Christopher pensasse que tinha medo de não resistir ao toque dele, Dulce aceitou o desafio. Abriu a cortina.


— Prove.


Os olhos de Christopher se arregalaram, e sua boca se curvou em um sorriso malicioso.


— O prazer é meu.


O jeito como aquele homem pronunciava “prazer” provocava reações infelizes no corpo de Dulce, reações que a faziam repensar a decisão impulsiva.


— Cadê o zíper?


— Ah! Não consegue encontrar? Isso acontece com frequência, Christopher? Não consegue encontrar o zíper. Não sabe onde enfiar o equipamento...?


— Ah, nunca tive problemas com isso! Você deveria saber.


Os olhos de Dulce se estreitaram quando ele fechou a cortina e fez com o dedo um gesto para que ela virasse de costas.


Ela obedeceu e encarou o espelho. Christopher pôs as mãos em seu ombro e depois passou-as por seus braços. Não ia ficar arrepiada. Não ia reagir!


Ele tocou seu quadril e abriu o zíper. Devagar, deslizou as mãos pela lateral de seu corpo, até parar logo abaixo dos seios. Dulce sentiu a respiração acelerar quando ele piscou para seu reflexo no espelho, passando as mãos por seus seios e encontrando o fecho atrás do pescoço.


Dulce mordeu o lábio inferior quando Christopher abriu o fecho com delicadeza e segurou o vestido junto a seu corpo, para que não caísse.


— Você tem um cabelo lindo. — Ele passou os dedos por algumas mechas e suspirou, encarando-a pelo reflexo.


Christopher não estava sorrindo. Será que estava mesmo fazendo um elogio? Na cara dela? Ou melhor, no reflexo?


— Eu, hã...


— É só um elogio, Dulce, não um pedido de casamento.


Ela corou ainda mais.


— Obrigada.


O olhar dele fazia com que ela se sentisse nua. O que a fez se lembrar do motivo de ter dormido com ele daquela vez. Ela nunca sabia com qual Christopher estava conversando: o que fora seu amigo de infância ou o playboy milionário e desalmado.


Dulce duvidava que até mesmo ele soubesse a resposta. Ela não podia se esquecer disso, ou acabaria outra vez de coração partido.


— Todos estão decentes? — perguntou vovó, do lado de fora do provador.


Christopher se afastou e piscou um olho.


— Infelizmente.


Dulce sentiu o rosto esquentar.


— Droga! Perdeu o jeito, filho.


— E eu não sei? — Ele umedeceu os lábios e acenou com a cabeça mais uma vez para Dulce, antes de sair do provador.


O que tinha acabado de acontecer?


Dulce levou uns bons cinco minutos para vestir a calça jeans. Suas mãos idiotas tremiam tanto que ela não conseguia fechar o zíper. Por isso homens como Christopher não deveriam sair da jaula — era perigoso, muito perigoso.


— Já está pronta? — perguntou Christopher. — Vovó está impaciente.


— Estou indo. — Dulce saiu do provador em disparada, com a bolsa nas mãos. — Ok, qual é a emergência?


Christopher suspirou e apontou para a avó, que naquele momento dançava bem no meio da loja.


— Estou confusa. Ela está doidona? — Dulce olhou para vovó, que continuava a dar dois passos e virar, para então parar, bater o pé e recomeçar.


— Não duvido — sussurrou Christopher.


— Quietos! — Vovó interrompeu um giro. — Tive uma ideia!


— Engraçado, achei que ela estivesse mal das ideias.


— Vocês dois! — Vovó apontou para eles. — Vão.


— Vão? — indagou Dulce.


— Os dois? — perguntou Christopher.


— Ah, está resolvido! Afinal, preciso fazer as unhas. Aqui está a lista de coisas a fazer. A maioria precisa ser resolvida antes de irmos embora no fim de semana. Ah, e não se atrasem! Madame detesta atrasos. — Ela endireitou o longo cachecol rosa e bateu palminhas, feliz. — Estou tão feliz por termos resolvido tudo! Anahí estava em pânico! Vocês salvaram o dia!


Um gemido escapou dos lábios de Dulce antes que ela conseguisse resistir.


Christopher estendeu os braços, como se tentasse acalmar vovó — ou seria a si mesmo?


— Vovó, não podemos passar todos os dias juntos, cuidando dos últimos preparativos do casamento.


— Por que não? — Vovó parou, e seu rosto mostrava preocupação.


— Porque... estou ocupado — desconversou ele, tossindo.


— Sentir pena de si mesmo não é ocupação.


— Nem galinhar por aí, e olha até onde ele chegou — acrescentou Dulce.


— Entende? — Christopher apontou outra vez para Dulce. — Não conseguimos nem conviver em paz, quanto mais planejar juntos alguma coisa. Quer mesmo ser responsável pela morte dela?


— Vocês vão ficar bem. Além disso, Dulce precisa de você. Afinal de contas, ela tem um emprego. E um muito bom, por sinal. Bem, vocês sabem como me encontrar se precisarem de mim. — Vovó pegou os óculos de sol na bolsa gigante e os colocou. — Amo vocês.


O sino da porta soou quando a velha senhora saiu da loja, deixando para trás Christopher, com uma lista nas mãos, e Dulce, que se perguntava se seria possível matar alguém apenas com o olhar.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): leticialsvondy

Este autor(a) escreve mais 14 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

— Vovó está aprontando alguma... — Anahí olhou para a foto que a velha senhora lhe enviara por celular e suspirou. Alfonso soltou uma risadinha. — E quando é que ela não está aprontando? Quase sinto pena de Christopher. Ao perceber o olhar irritado de Anahí, ele ergueu as mãos, como se estivesse se ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 43



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • nathalia_muoz Postado em 26/07/2020 - 20:07:32

    Continuaaa por favor, no dejes la historia

  • anne_mx Postado em 24/07/2020 - 02:38:15

    Por favor, me diga que a senhora não tá pensando em abandonar, foi uma das melhores fanfics, mais engracadas e construtivas que já li, continuaaa pelo amor de Deus, eu sempre vou tá aqui comentando <3

  • anne_mx Postado em 15/07/2020 - 23:01:52

    Finalmente Christopher entendeu que a ama e ela assumiu isso tbm, só falta um assumir p outro, amém que Jace não é tão idiota como pensei, amei o momento entre irmãos entre o Ucker e o Poncho, não sei porque mas algo me diz que a Dul e o Ucker se casaram sem querer ao assinarem os documentos KKKKKKKKK continuaaaa, amo vovó Nadine <3

  • anne_mx Postado em 13/07/2020 - 00:18:44

    Puts, que cena linda essa do casamento, eles dois se amam tanto, quando vão aceitar isso e se permitirem serem felizes? Continuaaa, quero só ver em que vai dar isso tudo <3

    • leticialsvondy Postado em 15/07/2020 - 22:07:32

      Parece que o Christopher percebeu isso agora

  • anne_mx Postado em 13/07/2020 - 00:17:40

    KKKKKKKKKKKK eu amei a cena deles com as fantasias, epna que tudo que é bom dura pouco, Belinda tinha que aparecer e fazer merda né? E depois o Christopher tinha que ser idiota né? Ai ai sei não, continuaaa <3

    • leticialsvondy Postado em 15/07/2020 - 22:06:30

      Pelo menos ele não ficou com ela, amei ver ela quebrando a cara kkk

  • anne_mx Postado em 12/07/2020 - 14:58:22

    KKKKKKKK vovó Nadine achou alguém a altura dela pra estressar ela tbm, amei a chegada da beata Petunia KKKKKKKKKK meu vondy juntos se beijando é tudo pra mim, continuaaaa, quero só ver eles indo p cama de novo juntos, se é que me entende <3

    • leticialsvondy Postado em 12/07/2020 - 21:45:31

      Você vai rir muito com essas duas kkkkk Postando!!

  • anne_mx Postado em 10/07/2020 - 22:17:03

    Agora eu até entendi o Poncho um pouco, mas mesmo assim, ele ainda é meio idiota kkkkkkkkk Foi lindo a Dul indo atrás dele e conversando com ele, eu simplesmente amei, claro, até o idiota do Jace aparecer! Vovó é tudo pra mim, a véa dormindo com uma arma minha gente KKKKKKKKKK Medo de fazer isso no dia que eu for me casar e aparecer uma Nadine dessas, continuaaaa, e já tá na hora da Dul dar um fora no Jace né? O cara é um completo babaca! Amei a cena da madrugada, foi lindo ver a sinceridade do Christopher <3

    • leticialsvondy Postado em 11/07/2020 - 22:32:40

      A parte da casa da árvore é uma das minhas preferidas <3 Vovó é a melhor, ainda vai aprontar mt kkkkkk

  • anne_mx Postado em 08/07/2020 - 23:40:33

    Ai Anahí, tô quase te tornando minha favorita, pq Dulce só tá me decepcionando, obrigada por dizer o que tava entalado na minha garganta e Alfonso é um idiota em? Entre ele e Jace, acho que não sei qual me irrita mais!

    • leticialsvondy Postado em 10/07/2020 - 15:45:56

      A Annie realmente é a mais sensata dali kkkkk O Poncho pelo menos explica um pouco agora porque ele age assim né, mas... Postando!!

  • anne_mx Postado em 08/07/2020 - 23:28:23

    O jeito que eu amo Anahí é diferente <3 Esse Jace é um pé no saco, pelo amor de Deus, que macho insuportável, continuaaaa, quero ver meu vondy juntinhos <3

    • leticialsvondy Postado em 08/07/2020 - 23:33:11

      Acho que ainda vai gostar dela ainda mais kkkk

  • anne_mx Postado em 08/07/2020 - 00:00:08

    Jace é um belo de um idiota e quando Dulce souber que Christopher n fez nada com as mulheres vai amar e eu daria uma gargalhada kkkkkkkkkk Ponny vão ficar surpresos ao verem que vovó Nadine vai cantar sim KKKKKKKK n vejo a hora de Vondy ficar junto logooooo, continuaaa <3

    • leticialsvondy Postado em 08/07/2020 - 23:04:48

      Postando!!



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...