Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Amor de Aluguel | Tema: Vondy


Capítulo: Capítulo 14

139 visualizações Denunciar


Os dias passam e o relacionamento de Christopher e Dulce se mantém profissional. Não tem mais conversas pós-expediente em frente a casa dela, ele a trata como "srta. Saviñón" e os dois só falam o essencial sobre o trabalho durante o trabalho. Christopher anseia para que Dulce tome a iniciativa de conversar sobre o que ocorreu na casa da tia, mas ela está completamente focada na mixagem das músicas. O show de lançamento se aproxima e o álbum precisa ficar pronto.


Dulce se prepara para entrar no carro quando escuta a guitarra de Angus Young tocar freneticamente a introdução de Thunderstruck. Ela para e revira a bolsa em busca do seu celular.


— Alô!


— Dulce, temos um problema! — a voz de Christian soa do outro lado.


— Que tipo de problema? — ela olha para Christopher parado ao seu lado, segurando a porta.


— O Michel não está muito satisfeito com o som da bateria na faixa 4. Será que tem como você fazer alguma coisa?


— Como assim ele "não está muito satisfeito"? Christian, ouvimos todas as tracks juntos, antes de iniciar a mixagem, e elas foram aprovadas. — bate o pé no chão um pouco impaciente.


— Eu sei, ruivinha. Mas ele disse que tá soando um pouco robotizado. O que podemos fazer?


— Só se ele gravar a bateria novamente.


— Também pensei nisso. Mas o outro problema é que o Michel machucou a mão na semana passada e está se poupando para o show.


Dulce revira os olhos e em seguida olha para Christopher novamente, lembrando da briga que os dois tiveram e de como ele torceu o pulso do Michel. Aquilo só pode ser uma espécie de vingança. Ela passa a mão na testa e respira fundo.


— Dulce? Ainda está aí?


— Christian, isso é quase impossível. O show já é depois de amanhã! 24h é pouco para regravar o instrumento e, depois, refazer toda a mixagem.


— Por favor, ruivinha, dá um jeito?! Você sabe o quanto é importante para mim que tudo ocorra bem nesse evento.


— Vou tentar, mas não prometo nada. Continue insistindo para o Michel a aceitar a faixa como está.


— Vou tentar, mas não prometo nada.


Ela sorri fraco por Christian ter repetido a sua frase e se volta para Christopher, após desligar o telefone.


— Pode ir pra casa. Eu vou passar a noite aqui.


— O que aconteceu? — a olha atento.


— Michel implicou com uma música. Agora eu preciso discar para todos os bateristas que conheço e pedir um favor urgentemente.


Dulce dá as costas e caminha em direção ao prédio. Christopher hesita por um instante, mas fecha a porta do carro e corre até ela, segurando seu braço.


— Espera.


Ela para e se vira olhando para ele com o cenho franzido. Christopher a solta e coça a nuca.


— Não precisa ligar para ninguém. Você tem um baterista bem na sua frente. Do que precisa?


Dulce arregala os olhos em surpresa.


— Não me olha assim. Isso não é bem uma novidade. Você já até me viu tocar no pub. Não lembra?


— Na verdade, não. Anahí me roubou toda a atenção durante o show. — ela pensa um pouco — Christopher, não sei se isso vai ser uma boa ideia.


— Por que não? — seu tom de voz soa um pouco ofendido.


— As coisas entre nós estão um pouco estranhas e ainda não tivemos a oportunidade de conversar sobre isso.


— Dulce, estou te oferecendo ajuda para resolver um problema de trabalho e não te convidando para, sei lá, conhecer minha família.


Ela fica em silêncio, mas Christopher cobra uma resposta com o olhar.


— Tudo bem. Vem! — aponta com a cabeça para o prédio — Vamos lá pra cima.


Ao entrar no estúdio, Dulce liga a mesa de som e os demais equipamentos. Enquanto Christopher retira os sapatos com os pés, a gravata, a parte de cima do terno e a camisa social, ficando apenas de regata branca e com a calça. Ele se posiciona na bateria, pega as baquetas e respira fundo. Faz um bom tempo que ele não toca e percebe agora o quanto sente falta. Dulce vira pra trás e se assusta ao ver as roupas espalhadas pelo sofá. Ela olha para Christopher e suspira aliviada. Por um minuto, pensou que ia encontrá-lo seminu. Dulce levanta uma das mãos para se abanar e liga o ar-condicionado, deixando-o na temperatura mínima. Ela se aproxima de Christopher e lhe entrega um headset.


— A música é bem simples, tá? É um pop-rock, você vai tirar de letra.


— Ok!


— Só, por favor, me diga que você consegue tocar com o metrônomo. — morde o lábio esperançosa.


Christopher pensa um pouco. Ele está acostumado a tocar de forma livre com Poncho e Thyago. Mas quando decidia estudar a sério com o metrônomo, ele se saía bem.


— Não estou muito acostumado, mas eu consigo. Pode colocar.


— Vou colocar a música nos fones e você fica a vontade para ouvir e praticar o quanto quiser. Quando se sentir pronto para gravar, é só avisar.


— Fica tranquila.


Ele coloca os fones no ouvido e Dulce dá play na música, se acomodando no sofá logo em seguida. Ela observa o Christopher ouvindo atentamente repetidas vezes e depois reproduzindo algumas partes na bateria. O celular de Dulce vibra e ela volta a atenção para ele.


Anahí: 
Hoje é sexta-feiraaa!!!
Dia de cervejaaaa!!!


Dulce:
Ainda estou no trabalho
Mas boa sorte!


Anahí: 
Você é tão sem graça, Dulce '-'
O que aconteceu?


Dulce:
Precisei regravar a bateria de uma das músicas


Anahí: 
Não me diga que você está tocando? haha
Quero nem ouvir. Vai ficar uma droga hahaha


Dulce: 
Eu não, sua tonta!


Dulce abre a câmera do celular rapidamente e enquadra o Christopher, tirando uma foto e enviando para Anahí antes que ele perceba.


Anahí:
UAAAAU!!!
Que gostoso
Dios mio!!


Dulce:
Anahí!


Anahí:
Não precisa ficar com ciúmes, queridinha
Mas olha esses braços
UAU


Dulce levanta o olhar na direção de Christopher. Ela observa as expressões faciais que ele faz enquanto toca, completamente entregue a música, o suor escorrendo pela lateral do seu rosto e pingando na camisa colada ao seu corpo, evidenciando as curvinhas de um tórax e abdômen bem definidos. A roupa social que ele costuma usar acaba por esconder todo aquele corpo maravilhoso. Dulce morde o lábio inferior e roça as coxas uma na outra ao cruzar as pernas. Christopher faz movimentos circulares com os ombros e estica a cabeça para um lado e para outro, alongando o pescoço. Faz um bom tempo que ele está sentado. Ao olhar pra frente, ele flagra Dulce o secando. Christopher sorri debochadamente e pisca pra ela, voltando a tocar. Dulce retribui com um sorriso contido e leva uma mão até o pescoço, deslizando-a para nuca. Precisa lembrar de chamar a atenção de alguém para consertar o ar-condicionado da sala. A refrigeração está péssima. Ela suspira e baixa os olhos para o celular, encontrando várias mensagens da Anahí.


Anahí:
Foi olhar, né?
Se eu não chamo sua atenção para os pontos importantes, você deixa passar batido haha
Você ainda está olhando???
Quer um babador, querida?
Dulce
Dulce
Dulce
Dulceeeee
SUA SAFADA
Limpa esse sofá depois porque eu gosto de tirar uns cochilos nele
Amanhã eu passo na sua casa para escolhermos os looks do show
Boa foda
Beijos ;*


Dulce:
Idiota!
Não está acontecendo nada
Até amanhã, beijo ;*


Depois de três tentativas, finalmente, Christopher conseguiu gravar a música inteira. Dulce olha para o relógio no pulso, já é uma hora da manhã. Ela solta o ar pela boca enquanto termina de guardar o último microfone e Christopher calça os sapatos e passa a gravata pelo pescoço.


— Christopher, muito obrigada, tá? Você não precisava fazer nada disso.


— Já falei que está tudo bem. Não tem de quê.


— Bem, eu vou terminar o trabalho em casa. Você está dispensado por hoje, pode tirar o resto do dia de folga.


— Eu quero ver o resultado final, se não se importar.


— Tem certeza? Você parece muito cansado e eu posso demorar um pouco.


— Estou bem, Dulce. Não é como se fosse a primeira noite que passo em claro.


— Ok! Pegamos uma pizza no caminho? Estou faminta. — faz um biquinho.


— Claro! — Christopher sorri e joga o terno por cima dos ombros.


 


***


 


O homestudio da Dulce fica no porão da casa. Ela se aproveitou do fato de ser sob o solo para economizar no tratamento acústico e dar um conceito meio "old school". Christopher coloca a caixa da pizza na mesinha de centro e Dulce liga os equipamentos que vai utilizar. Eles comem, mas silenciosamente, pois Dulce está concentrada refazendo a mixagem do zero. Depois de um tempo mexendo, Christopher se aproxima dela.


— Você poderia reduzir um pouco o reverb do room e dar mais brilho nos ataques.


Dulce olha séria pra ele com uma sobrancelha arqueada. Christopher levanta as mãos pra cima como se estivesse se rendendo para a polícia e se afasta, sentando no sofá. Ela mexe mais um pouco, mas acaba fazendo o que ele sugeriu.


— O que acha? Ficou bom agora? — ele não responde — Christopher?


Ela gira na cadeira para trás e encontra Christopher dormindo no pequeno sofá. Ela sorri e vai até sua direção, cobrindo seus braços expostos com a parte de cima do terno. Dulce passa os dedos entre os cabelos dele, fazendo-lhe um afago, e sai do estúdio para deixá-lo descansar. No seu quarto, ela coloca um pijama e cai na cama.


Algumas horas depois, Dulce acorda com um cheiro de fumaça. Ela levanta apressada e desce as escadas correndo. Chegando na cozinha, ela se depara com a imagem do Christopher de costas, com um pano de prato no ombro e na beira do fogão. Ela solta o ar com a boca.


— Estou fazendo o café da manhã. Espero que não se importe. — fala sem olhá-la.


— São que horas?


— Quase 11h, então vai ser meio que um café e almoço.


Dulce passa as mãos pelo rosto, dá uma penteada rápida no cabelo com os dedos e se aproxima de Christopher para pegar um copo no armário ao lado. Ele a olha de relance enquanto ela se estica e fica na ponta dos pés, deixando um pouco de pele da sua cintura a mostra. Christopher para de mexer os ovos na frigideira e vira a cabeça totalmente para olhá-la. De repente, ele se dá conta de que a Dulce não está usando nada por baixo daquele tecido fininho. Ele arregala os olhos e traga em seco, se engasgando.


— Ei, tudo bem? — alisa suas costas.


Christopher fecha os olhos com força e balança que sim com a cabeça, recuperando o fôlego.


— Cuidado para não queimar. — ela aponta para a frigideira e vai em direção a geladeira.


Ele espera Dulce se sentar e sua excitação passar um pouco para servir os pratos.


— O cheiro está bom. — ela sorri ao receber o dela e pega os talheres.


— Não quero me gabar, mas sou um excelente cozinheiro.


— Veremos! — coloca o garfo na boca e fecha os olhos enquanto mastiga — Nossa, que delicioso! Com quem você aprendeu a cozinhar?


— Sozinho. Minha mãe tinha que trabalhar muito para pagar as contas. — baixa a cabeça sem ânimo.


— Desculpa tocar nesse assunto. Eu não sabia.


— Não tem problema. Pode perguntar o que quiser.


Enquanto comem, eles conversam sobre a vida de Christopher. Dulce descobriu que a mãe dele mora atualmente na Suécia com o marido, o qual Christopher nunca se deu muito bem. A sua relação com a família não é muito boa também, pois ele é visto como o rebelde por sair de casa, aparentemente, sem motivos e por não querer fazer faculdade. Quando saiu de casa, ele dividiu um apartamento com o seu melhor amigo, Alfonso, durante um ano. Mas era estranho porque a namorada do Poncho vivia lá e ela era a melhor amiga da sua ex-namorada. Christopher não entrou em detalhes sobre a ex, apenas disse que os dois queriam coisas diferentes e por isso terminaram. Para se sustentar, Christopher fez vários bicos. Já foi assistente de fotógrafo, balconista, zelador de hotel, escreveu uns artigos para um blog de música, motoboy, barman, etc. Até que ele cansou e decidiu tentar seu sonho que é viver de música. Vendeu uma moto que tinha e com o dinheiro se manteve por um tempo. Depois disso ele passou a sobreviver com o dinheiro das tocadas. Dulce perguntou como ele foi parar como seu motorista, então. Christopher ficou um pouco nervoso e contou uma parte da verdade, a que ele ficou quebrado e precisou arranjar qualquer trabalho urgentemente para não ser expulso do loft em que mora. Eles terminam de comer e dividem a limpeza num silêncio confortável.


— Então, você vai na festa de amanhã? — Dulce pergunta timidamente por está fazendo tantas perguntas a ele hoje.


— Acho melhor não. Você sabe quem vai estar lá.


Ela balança a cabeça concordando.


— De qualquer forma, tem duas senhas aqui. — entrega um pequeno envelope para ele — Caso mude de idéia, você pode ir com o seu amigo Poncho.


— Não acho que eu vá mudar de idéia, Dulce, mas vou guardar e pensar com carinho. — coloca no bolso da calça e deixa a mão lá.


— Nem se eu te disser que lá vai ter uma pessoa querendo conversar com você? — se aproxima dele.


— Mesmo? — Christopher franze o cenho se fazendo de desentendido e apoia a mão livre na cintura de Dulce — Neste caso, vai depender do que essa pessoa quer conversar comigo. Algum palpite sobre o que seja o assunto? — a puxa para mais perto.


Dulce inclina a cabeça para frente e aproxima os lábios do ouvido dele.


— Você vai ter que ir para descobrir. — sussurra como quem conta um segredo.


Christopher sente o corpo inteiro arrepiar e, rapidamente, retira a mão do bolso para segurar o queixo de Dulce, envolvendo-a pela cintura com o outro braço. Seus lábios se tocam por uma fração de segundos e Dulce esquiva com o soar da campainha. Christopher a liberta do seus braços soltando um suspiro de frustração. Em seguida, Dulce se afasta com um sorriso sapeca no rosto. Ela abre a porta.


— Inacreditável! Você só chega nos piores momentos. — Dulce fala impedindo Anahí de entrar e encostando a porta atrás de si.


— Quê??? Mas o que eu fiz? — indignada — Nós combinamos ontem que iríamos nos encontrar hoje para montar os looks de amanhã. — ela para quando a ficha cai — Não me diga que...


Anahí não chega a completar a frase. Ela arregala os olhos e fica boquiaberta ao ver Christopher abrindo a porta atrás de Dulce, todo desarrumado.


— Bom dia, Anahí! — sorri largamente.


Ele pisca para Dulce e vai em direção ao carro.


 


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): donnareywas

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).

- Links Patrocinados -



Loading...

Autor(a) ainda não publicou o próximo capítulo



Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 22



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • dayanerodrigues Postado em 09/10/2020 - 23:16:08

    Cadê vc ?

    • donnareywas Postado em 13/10/2020 - 10:38:15

      atualizei, amg. costumo demorar um pouco pq meu tempo para escrever é curto

  • dayanerodrigues Postado em 06/10/2020 - 23:14:48

    A fic é a EASY

  • dayanerodrigues Postado em 06/10/2020 - 19:58:35

    Estou com fic nova, quem puder dá uma passada lá. A história é b intensa e radiante. Está no Top 10 mensal "EASY"

  • dayanerodrigues Postado em 06/10/2020 - 07:01:23

    Oiiiiigostando da fica, posta mais por favor

  • _vondy Postado em 04/10/2020 - 11:43:28

    por favor, continuaaaaaaa estou amado

  • raylane06 Postado em 21/09/2020 - 02:20:24

    Eles são fofos juntos

  • baah Postado em 20/09/2020 - 01:57:37

    Ah meu Deus e muito fofo.

  • baah Postado em 13/09/2020 - 00:08:49

    Esses dois tem mais coisa em comum do que imaginam. Posta mais!

    • donnareywas Postado em 19/09/2020 - 12:02:42

      atualizado, amg

  • baah Postado em 11/09/2020 - 23:24:18

    Eita gente, a tia não é tão boazinha Qnto a gente pensava

    • donnareywas Postado em 12/09/2020 - 13:26:50

      é não, amg

  • _vondy Postado em 11/09/2020 - 22:14:18

    to amando, posta maissss



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...