Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Encontrada (2ª temporada) (Adaptação - Vondy) | Tema: Vondy


Capítulo: Capítulo 69

120 visualizações Denunciar


Dobrei a carta e a guardei com as outras, dentro do livro. Em seguida, o enfiei no fundo da gaveta de lingeries. Olhei pela janela do quarto e o sol a pino me fez estreitar os olhos. Christopher havia saído para receber o pagamento de um arrendatário, mas logo estaria de volta. E o boticário me enviara um bilhete pedindo mais condicionadores, pois a primeira remessa já havia esgotado, e eu tinha que me apressar. Só que eu não queria. Toda vez que eu olhava para um abacate, sentia náuseas.


Pensei em escrever uma carta para Christopher, tentando me expressar do jeito certo, mas parecia covarde demais. De todo jeito, eu dissera sim ao boticário e teria de concluir nosso acordo ao menos mais uma vez. Fui para a cozinha, disposta a acabar com aquilo o mais rápido possível. E teria sido tudo muito fácil se Ninel já tivesse tomado o chá de sumiço que eu tanto desejava.


Ninel: Se procura por minha sobrinha, está perdendo o seu tempo. Ela e Sebastian saíram para um passeio. - anunciou presunçosa, parada ao lado da porta da sala de música.


Dulce: Ah, eu sei. Ela me disse que iriam à casa da Angelique. Até me convidou pra ir junto.


Ela empinou o nariz e seu queixo se tornou proeminente.


Ninel: Sabe por que mulheres como a senhora são facilmente substituíveis? - perguntou.


Fechei os olhos e pressionei a testa. Droga, meus analgésicos acabariam rapidinho se ela não me deixasse em paz logo.


Dulce: Olha, dona Ninel, eu adoraria ficar e escutar a sua teoria, mas, sério, tô ocupada. Quem sabe outra hora? - E segui em frente.


No entanto, Ninel nunca aceitava não como resposta e deu um passo para o lado, impedindo minha passagem. Ela me olhou de cima, quer dizer, de baixo, já que era bem mais baixa do que eu, mas seu olhar era tão altivo quanto o de uma rainha.


Ninel: Os becos estão repletos de damas iguais a você, munidas de artimanhas e de uma língua afiada. Podem até cativar os homens em um primeiro momento, pelo prazer do entretenimento, mas até o prazer é cansativo. E, quando sua verdadeira natureza é desmascarada, são descartadas e naturalmente substituídas, pois são todas iguais.


Dulce: E foi por uma mulher assim que seu marido se apaixonou? - soltei sem paciência.


Um tapa atingiu meu rosto sem que eu pudesse fazer nada para impedir. Ela pretendia me bater de novo, mas dessa vez eu estava preparada e segurei seu pulso.


Dulce: Nem pense nisso! - falei com os dentes cerrados, apertando o punho rechonchudo da mulher com a mesma intensidade com que a minha bochecha ardia. - A senhora já me insultou, me atacou e me humilhou muito mais do que posso aguentar. Não vou revidar agora porque não passa de uma mal-amada que quer que o resto do mundo seja tão infeliz quanto você. Só que não vai funcionar. Anahí não é mais criança e sabe o que quer. E ela não quer Sebastian. O Christopher me ama, e nada do que a senhora faça ou diga mudará isso.


Ninel: Não precisarei fazer nada, minha cara. - Ela puxou o braço com força para se livrar do meu aperto. - Você mesma se incumbirá de destruir o amor dele.


Eu abri a boca para retrucar, mas algo me impediu. Uma vozinha fraca lá no fundo lutando para se libertar.


A mulher juntou as saias e sumiu da minha frente, embora eu ainda fosse capaz de ouvir o repicar dos saltos no assoalho de madeira.


****: Senhora?


Eu me virei e ali estava Madalena, me examinando com uma trouxa de roupas limpas dobradas nas mãos.


Dulce: Dulce, Madalena.


Madalena: Ela está certa - disse ela, muito a contragosto. - Precisa contar ao patrão antes que o que aquela cobra peçonhenta disse se torne real.


Dulce: Contar o quê? - perguntei, recuando um passo.


Madalena: A senhora sabe. Sobre o dinheiro que ganhou com o condicionador.


Não dava para dizer que a Madalena não era fiel a mim. Eu não lhe contei nada, mas a mulher era esperta e provavelmente adivinhara tudo apenas ouvindo uma frase aqui e outra ali. Ou, o que era mais provável, porque era ela quem me ajudava com os cocos. E mesmo assim, mesmo sabendo da história toda e não achando certo, ela não me entregou a Christopher, como uma mãe faria.


Esfreguei as têmporas com os punhos tentando me livrar da pontada bastante desconfortável em meu cérebro. Eu havia chegado ao limite. Era o fim da linha.


Dulce: Eu vou contar. Não tô aguentando mais isso. Ele vai entender, não vai, Madalena?


Ela se aproximou e alisou o meu ombro.


Madalena: Eu não sei, querida. Mas vamos torcer pelo melhor. E, além do mais, o dano será menor se ele ouvir de sua boca, e não da de uma velha mexeriqueira.


Dulce: É. Vou falar com ele assim que chegar. Ei, você podia fazer aquele assado que ele adora, aí eu conto e logo depois entupo ele de comida. Não! Primeiro entupo ele de comida, depois de vinho e aí conto tudo!


Madalena: Dulce... - ela me repreendeu.


Dulce: Tá bom! Sem comida e sem vinho. - Mas talvez uma daquelas camisolas que eu nunca tinha usado pudesse...


Madalena: Apenas diga a seu marido como se sente - ela sugeriu. - Ele a ama, e, se não a compreender, ao menos tentará.


Dulce: É. - Parecia um bom conselho. - Vou fazer isso. Agora tenho que ir pra cozinha. O Isaac já voltou da vila?


Madalena: Sim, e já deixou os cocos e os novos frascos de óleos na cozinha.


Dulce: Beleza. Vou fazer a papa e...


Madalena: E eu a ajudo com os cocos - ela completou sacudindo a cabeça, numa clara repreensão. - Apenas vou ao seu quarto primeiro, para guardar estas roupas.


**************************************


Fui até a cozinha e então despejei os abacates sobre a robusta mesa de madeira, dando início à tarefa. Meus nervos eram uma combinação de ansiedade e medo. Madalena se juntou a mim pouco depois e trabalhamos em silêncio. Cerca de uma hora mais tarde eu arrolhava a última garrafa de condicionador. E um trote familiar alcançou meus ouvidos.


Dulce: Ele chegou! - falei para Madalena e corri para fora da casa.


Christopher desmontava do cavalo marrom e sorriu ao me ver. Isaac corria, vindo do estábulo, para pegar as rédeas.


Christopher: Parece que minha esposa sentiu saudades - brincou Christopher. Ele entregou as guias ao rapaz e dizimou a curta distância que existia entre nós. Fiquei na ponta dos pés e o beijei. - Voltei o mais rápido que pude. - Ele acariciou minha bochecha e franziu o cenho. - Você está pálida.


No fim das contas aquela ansiedade toda tinha sido útil. Fez desaparecer as marcas que com certeza os dedos de Ninel haviam deixado.


Dulce: Eu sou pálida - argumentei.


Christopher: Não desse jeito. Está se sentindo mal?


Dulce: Só estava com saudade. E... - Desenrosquei os braços de seu pescoço. - Christopher, eu preciso muito falar com você - engoli em seco - sobre uma coisa que aconteceu meio que sem querer.


Christopher: Como assim? - sua voz soou cautelosa.


Dulce: A gente pode conversar em outro lugar? - Um onde eu pudesse me sentar, pois meus joelhos já fraquejavam.


Ele me examinou com atenção. Não faço ideia do que a minha expressão revelava, mas não devia ser muito bom, pois Christopher franziu o cenho.


Christopher: Dulce, o que...


Um urro doloroso ecoou pela fazenda. Christopher girou a cabeça em direção ao estábulo no mesmo instante.


Christopher: Ah, não. Ah, não! - ele gemeu, se pondo imediatamente a correr naquela direção.


Eu o acompanhei, embora o som fosse agonizante e eu não estivesse muito certa de que queria ver o que estava com tanta dor. Christopher chegou primeiro.


**************************************


 


 


Continua...


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): delenavondy

Este autor(a) escreve mais 9 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
Prévia do próximo capítulo

  Boa noite! Estou passando aqui para avisar que não vou poder postar por alguns dias. Meu pc tá dando problema e os capítulos estão nele. Assim que resolver o problema com o pc volto a postar ok. Obrigada pela compreensão. Até breve.


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 9



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • vondy_dulcete Postado em 15/10/2020 - 23:29:00

    Eitaaaaaa posta mais, seria legal eles no futuro tb kkkkk

    • delenavondy Postado em 16/10/2020 - 23:51:54

      Isso vai acontecer no próximo livro ;)

  • vondy_dulcete Postado em 12/10/2020 - 11:24:41

    Ahh menina kkkk porta maiss

  • vondy_dulcete Postado em 11/10/2020 - 00:15:22

    Posta mais mulher mkkk adoro sua fic

    • delenavondy Postado em 12/10/2020 - 00:26:25

      Acabei de postar ;)

  • vondy_dulcete Postado em 29/09/2020 - 22:37:01

    Continuaaaa

    • delenavondy Postado em 30/09/2020 - 20:47:43

      Continuo sim :)

  • vondy_dulcete Postado em 28/09/2020 - 23:38:41

    Aaah tto ansiosa pro casamento, que lindo o jeito que o Christopher cuida dela... Quase chorei ao saber que o Christopher tinha morrido por depressão por falta dela. Muito triste.

    • delenavondy Postado em 29/09/2020 - 20:41:50

      Triste mesmo. Mas agora eles estão juntos. Agora veremos como será o casamento deles. Continuando...



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...