Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Namorado Por Acaso - Vondy (Adaptada) | Tema: Vondy


Capítulo: Capítulo 35

271 visualizações Denunciar


Oi sumidas? Cadê Vcs? Estão vendo como sou uma alma SUPER caridosa? Me valorizem!


 


O barman nos entregou o pedido. Cosmopolitan para Dulce e dose dupla de uísque 18 anos para mim. Dulce bebeu um gole, inspirando fundo e relaxando. Seus cabelos estavam soltos, destacando os olhos lindos. Cara, ela ficava linda maquiada, mas, sem nada no rosto, era simplesmente uma obra de arte. As pintas minúsculas espalhadas em seu nariz, os lábios rosados, a expressão suave...


Dulce cruzou as pernas no sofá em que estávamos e me lançou um olhar.


— Conforme eu conhecia Belinda, me encontrava com ela e dividíamos experiências, fui me convencendo de que poderíamos ter alguma coisa. A primeira impressão foi se consolidando. Parecia uma mulher doce, meiga, sensível, romântica e carinhosa. Eu acreditei no que vi e mergulhei de cabeça, da mesma forma que fiz no primeiro relacionamento que tive, e que não deu certo porque a garota mudou de país.


Dulce não disse nada. Eu conseguia sentir que ela estava irritada com as coisas que eu estava dizendo, mas queria que entendesse o tipo de mulher que Belinda era à primeira vista, e no que se transformou ao longo dos anos.


— Vivemos um relacionamento bom. Tudo aquilo que se espera de um casal que funciona. Ao menos, eu achava que sim. Com o passar do tempo, Belinda foi se mostrando extremamente materialista, apegada a bens, vinculada ao status. Ela queria ser o centro das atenções, e estava conseguindo e me levando junto para o topo. Conseguiu fazer seu nome como planejadora de casamentos e eu estava numa crescente como advogado criminal. Só que, aos poucos, essa vontade de estar sempre aparecendo e de precisar de muito dinheiro começou a me incomodar. Eu sempre fui um homem cauteloso, sou advogado, e a pulga atrás da orelha me dizia que algo ali não se encaixava.


Dul bebeu mais um gole do seu Cosmopolitan, os olhos atentos no meu rosto. Peguei meu uísque e cheguei à metade da dose. Relaxei, apoiando os braços atrás de mim, no encosto do sofá.


— Eu ignorei esse aviso que a razão tanto buscou me dar. Então, a pedi em casamento. Poncho veio me perguntar se eu estava certo dessa decisão, mas sou um cara um pouco teimoso e cético. Intuição? Eu não queria escutar. Então, começou o conto de fadas. Escolha da cor da toalha, o design dos convites, que tipo de bolo ia ser, onde moraríamos. E fui observando a lista de coisas que Belinda queria. Um casamento da realeza. Eu pensei: caralho, não vou conseguir pagar isso tudo.


— Você pagou? — Dul arregalou os olhos.


Balancei a cabeça, negando.


— Não chegamos nisso. Com a desculpa da organização do casamento, Belinda passou a me evitar. Começou com: esse final de semana eu não posso, querido. Depois: a semana inteira estarei atolada. Em seguida: vou passar quinze dias viajando, e não vou conseguir te ver. E, sabe, Dul, eu não sou o tipo de cara que se assusta com indiferença. Eu sou o tipo de homem que vai atrás, para entender o porquê.


— Você é um advogado — Dul compreendeu.


Sorri.


— Eu trabalho com provas.


Abri alguns botões da camisa social, ficando mais confortável. Terminei de beber a dose, enquanto Dulce ainda estava na metade do seu drink. Admirei seu olhar curioso, o cenho franzido, a vontade de me compreender.


A chance que ela me deu de ver por trás da merda toda.


— Contratei um detetive particular. E agora vem a parte mais empolgante. Belinda estava me traindo, claro, essa parte já não deve ser tão chocante a essa altura. O detetive me entregou uma ficha e disse: Eu sei que você vai ficar possesso com tudo o que vai ver, mas leia até o final. Enquanto passeava pelo arquivo, fotos comprometedoras de Belinda com o cara e a ficha dele, fui ficando enjoado. Bom, o homem é um empresário de sucesso em Nova York. Importante, e nem um pouco velho como você pensou, tem quarenta e dois anos. Eu já estava pronto para pegar o carro e cancelar a porra toda do casamento, mas me lembrei das palavras do detetive: leia até o final. Eu fiz isso.


— O que é pior do que uma traição? — Dulce murmurou, o semblante tenso. Dulce já passou por isso e, em seus olhos, enxerguei a empatia. Ela apoiou uma mão no meu joelho. — Nossa, Alexander. Eu... eu jamais voltaria para qualquer ex, ainda mais depois do que fizeram. Eu sinto...


— Não peça desculpas por dizer o que veio do seu coração. Eu nunca vou recriminá-la por fazer isso, Cariño, seja para o bem ou para o mal. A verdade é sempre bem-vinda.


 — Tudo bem. Por favor, continue... se quiser.


Ela terminou seu drink.


— Li tudo até o final e ali estava o lugar para onde eles viajaram, acho que Flórida ou algo assim. Ele levou Belinda para um hotel e a propôs em casamento, sem saber que ainda estávamos juntos. Belinda disse sim. Quando me via, usava o anel que dei para ela. Quando estava com ele, substituía pelo diamante mais caro que o homem conseguiu comprar.


— Meu Deus, Alexander...


— Continuei passeando pelas folhas, a descrença se somando à raiva e à mágoa. Por fim, para fechar com chave de ouro, descobri que todo o planejamento que ajudei ela a escolher do nosso casamento era, na verdade, a cerimônia que ela iria fazer. Com o outro.


— Puta que pariu... — Dulce sussurrou.


— Iria, não. Belinda fez — me corrigi.


— Ela se casou com todos os detalhes que, aí sim, seriam da nossa cerimônia. A verdade é que ela só estava me mantendo pelo sexo, porque ia terminar comigo antes de casar. Isso não estava nos arquivos. Foi ela mesma que me disse quando a confrontei. Aí, claro, vieram as verdades: eu nunca te amei, etc... etc... Você não era a escada certa para os objetivos que eu queria conquistar... etc... etc... não é amor, são negócios... etc... etc...


— Eu não acredito nisso — Dulce sussurrou, perdida. — Como ela pôde fazer uma coisa dessas?


Dei de ombros.


— Ela fez e não se arrepende. E ainda quer me manter porque, você sabe, plano B, caso dê alguma coisa errada com o empresário. Pessoas assim, Dul, que usam os outros de escada, existem. Eu passei por isso e, depois do que vivi, decidi que... talvez não fosse interessante me relacionar. Talvez, eu devesse ficar sozinho mesmo, sem criar expectativas e sentimentos. Então... — Acabei rindo e toquei seu rosto, acariciando sua bochecha com o polegar. — Você não precisa achar que estou te usando como uma escada de sedução para reconquistar a Belinda. Eu jamais faria isso com outra pessoa.


Dulce abriu um sorriso de lado.


— O que nós fizemos foi um acordo. E, de certa forma, você está me usando sim, mas não como uma escada, tá me usando mais pra um livramento mesmo.


Acabei rindo da sua sinceridade, e continuei a acariciar seu rosto, tão pequeno em contraste com a minha mão.


— Dulce...


— Eu sinto muito, Alexander. — Ela fechou os olhos, me tirando do universo azul de suas íris. — Sinto por ter aparecido na sua vida achando que você era tão errado. Por eu ter atacado você, sem saber sua história. Eu... perdi a cabeça.


— Você sentiu ciúmes.


— Não sei o que senti. — Ela semicerrou os olhos.


Sorri maliciosamente e abaixei a mão. Dulce a buscou, entrelaçando nossos dedos.


— Meu Deus, Alexander.


— O quê?


— Você é tipo eu na vida, mas em uma versão que passou por mais coisa. Eu nem sei como reagiria se estivesse no seu lugar, precisando lidar com uma ex que fez tudo isso.


— Não machuca mais, Cariño. Eu só quero paz mesmo.


— Vou te ajudar no que puder, mas, talvez, você devesse denunciá-la por assédio, caso vá longe demais.


Sorri.


— Você está falando como uma advogada.


— Aprendi com o melhor.


Ficamos em silêncio por um tempo, até eu decidir falar o que estava queimando sob a minha pele.


— Dulce... Se você não quiser continuar com isso, ainda mais pelo que aconteceu na noite do casamento, eu vou entender.


— Não... o que aconteceu foi só um reflexo. Eu não pararia de te ajudar por...


— Por?


Dul piscou rapidinho.


— Por perdermos a cabeça um pouco.


A gente fez mais do que só perder a cabeça. Eu ia dizer alguma coisa, mas optei por ir na zona mais segura.


— Tudo bem, então.


Ela sorriu.


— Ok.


— Vamos aproveitar o dia?


Dul assentiu.


 Pedi a conta e Dulce me encarou com certa curiosidade, a cabeça inclinada para o lado.


— Por que está me olhando assim? — indaguei.


— Porque não entendo como Belinda... fez tudo isso. Desculpa, mas é tão irreal. Você é perfeito, Alexander.


Meu estômago deu um nó.


— Perfeito? — sussurrei. — Me dê mais uns dias que você vai encontrar bastante defeito.


Ela riu.


— Nada mais justo, já que você conhece a pior característica minha.


— Ser ciumenta e briguenta?


 — Duas, Alexander?


— São diretamente relacionadas.


— Eu não senti ciúmes.


— Continue negando — murmurei.


— Aquela coisa de ser inocente até que se prove o contrário...


Deixei uma risada gostosa escapar.


— É, alguma coisa assim.


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): Primasvondy

Este autor(a) escreve mais 14 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

Bom diaaaaa!!! Dulce Aceitei a água de coco de um dos funcionários do resort e recostei-me confortavelmente na sombra. Não estava querendo me bronzear. Só tomar um ar fresco já seria tão bom e, quem sabe, eu poderia esquecer o segundo momento mais vergonhoso da minha vida: senti ciúmes do Alexander. — Oi, Cariñ ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 858



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • Srª Von Uckermann Postado em 15/01/2021 - 17:42:40

    Aaaaaaa nossa senhora do coraçãozinho acelerado, ele é tãoooooooo romântico! Tô apaixonadaaa ❤

  • Srª Von Uckermann Postado em 15/01/2021 - 17:33:39

    Conselho de amiga ariana: vai transar. Lidamos com o coração partido depois. || Como ariana digo que é realmente um conselho que eu daria hahhahaa

  • ana_vondy03 Postado em 15/01/2021 - 15:25:16

    Aiii cara, tão perfeito! Continuaaa amoreee S2

  • aucker Postado em 15/01/2021 - 14:10:03

    Essa conversa vai render muitas coisas ...

  • retobias2121 Postado em 15/01/2021 - 11:34:56

    Continuaaaa

    • Primasvondy Postado em 15/01/2021 - 13:29:22

      Siiim

  • _vondy Postado em 14/01/2021 - 20:22:07

    fogo*

    • Primasvondy Postado em 15/01/2021 - 11:04:52

      Esse fogo deles... aí ai

  • _vondy Postado em 14/01/2021 - 20:21:46

    volteeeeei... mas minha gente que fofo foi aqueles dois? ADOREEEEI. agora espero que ucker dê um basta na berlinda, dios!! tô amando, posta maaaais

    • Primasvondy Postado em 15/01/2021 - 11:04:38

      Belinda precisa urgente de um freio

  • binha1207 Postado em 14/01/2021 - 19:53:24

    Espero que essa conversa...não seja um desastre pro nosso casal.... Posta mais... Seja soberana e nos presentei com mais uns capítulos....

    • Primasvondy Postado em 15/01/2021 - 11:04:19

      Serei soberana hahaha

  • Srª Von Uckermann Postado em 14/01/2021 - 18:14:42

    Finalmente ele vai conversar com a múmia... Espero de coração que a Dulce não veja e dê em merda... Posta mais!!!!

    • Primasvondy Postado em 15/01/2021 - 11:04:02

      Ele precisa dar um ponto final nessa bruacaaaa

  • aucker Postado em 14/01/2021 - 17:32:27

    Essa conversa com Belinda ...

    • Primasvondy Postado em 15/01/2021 - 11:03:29

      Ela tá precisando de um freio



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...