Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -
- Links Patrocinados -

Fanfic: Namorado Por Acaso - Vondy (Adaptada) | Tema: Vondy


Capítulo: Capítulo 45

872 visualizações Denunciar


Querem mais? Vcs sabem o caminho pro meu coraçãaao!


Como se ouvir nosso apelido desse um estalo, ele chupou com avidez, embriagado por mim, dançando sua língua, estalando-a no meu clitóris, como se estivesse batendo nele, para depois rodar por toda a volta e me penetrar profundamente.


Agarrei com mais força sua nuca, sentindo o meu prazer e a umidade de sua boca escorrerem entre nós dois, gotejando.


Meus  músculos  fraquejaram,  eu me contorci, o prazer queimando em minhas veias. Uma linha de fogo zanzou da barriga em espiral para onde ele tocou, por tudo o que sua boca e língua alcançaram, a parte de trás dos meus joelhos nas mãos dele, me mantendo firme, enquanto eu amolecia e quebrava.


Por um homem.


Por ele.


— Porra, você tá tão encharcada.


— E-eu...


Espasmos latejaram internamente a minha vagina e, ele, como se soubesse, entrou com a sua língua, deixando que minha boceta o sugasse, bebendo tudo de mim. Minhas reações se tornam mais violentas à medida que ele se apressava e estocava duro com a língua. Soltei um grito, e fui recompensada com o carinho de sua língua dançando cuidadosamente em torno do clitóris.


Mais uma lambida sua...


— A-assim — gemi. E foi o meu fim.


A diferença da rapidez para a calmaria fez o prazer explodir em um milhão de partículas, meus dedos afundando em seus fios densos e escuros. O prazer me cegou, enquanto curtia aquele nirvana que há tanto tempo não sentia, apesar de, mesmo tonta, reconhecer que nunca um homem fez sexo oral desse jeito. Ele continuou com sua língua ali, prologando um orgasmo que me faz perder a noção do tempo.


Mas ele não deixou que eu me perdesse dele. Mesmo de olhos fechados, eu o senti trabalhando em mim. Sua boca procurou a minha, e experimentei o meu gosto em sua língua quando nos enroscou em um beijo lento, que me faz gemer de uma vontade... que eu tinha acabado de saciar, embora não parecesse o bastante.


De repente, fui para seus braços, e ele andou comigo até nos parar em algum lugar confortável. Finalmente, decidi abrir os olhos.


 E não encontrei Alexander.


Porque eu estava em seu colo, e Alexander estava embaixo de mim, sentado e com as costas na cabeceira da cama. Seu peito duro e arrepiado tocava a minhas costas. Ele levou sua boca até a minha orelha e assisti, entregue, minhas pernas dobradas e bem abertas, os pés apoiados no colchão. Enquanto isso, as pernas de Alexander estavam estiradas para frente, sob mim. Era uma posição em que podíamos ver direitinho o seu sexo duro e febril pairando sobre minha pélvis, latejando, a cabeça do membro quase tocando meu umbigo.


— Sabe, Dulce... — ele sussurrou, puxando algo que eu não entendi.


 Alexander envolveu seus braços em torno de mim, e suas mãos trabalharam no seu longo sexo. Olhei para baixo. Ah, sim, a camisinha. Ele envolveu seu membro, protegendo a nós dois. — Eu quero foder você bem gostoso, olhando em seus olhos e beijando sua boca, mas também quero ver meu pau entrando em você.


Ele ficou mais sentado e apontou para o imenso espelho à nossa frente.


O contraste que nós éramos e a cena erótica me fizeram perceber a beleza de nós dois. Aquele tom dourado de Alexander contra a minha pele branca e rosada. Seus cabelos negros e cheios, os olhos mel, diferente dos meus tão lindos.


O sexo duro daquele homem, moreno como ele, diferente dos meus lábios rosados. Arfei com a visão, assistindo minha vagina molhada e inchada, desesperada por aquilo.


— Abra bem as pernas para mim. — Ele as espaçou, me deixando bem relaxada e a sua mercê. Meus joelhos apontavam para as extremidades do quarto. — Agora, aqui... nos meus olhos, Cariño. Quando eu entrar em você, é o meu rosto que quero que veja.


Obedeci e escorreguei as costas mais para o lado, a ponto de conseguir virar o rosto e tocar o meu nariz com o seu, o coração batendo forte pelo orgasmo e também por Alexander. Aquele universo mel me admirou de volta, cheio de uma emoção que não ousei descrever. As mãos de Alexander agarraram a parte de trás das minhas coxas, os dedos afundaram na minha pele, seu desejo visível.


Aqueles olhos perigosos, quentes e ternos eram demais para lidar.


Precisei beijar sua boca.


Meus lábios procuraram os seus, minhas pálpebras fecharam, e a temperatura quente da sua língua atingiu a minha, rodando sem fim. Instintivamente, ergui meu quadril, Alexander ajeitou o seu e, quando senti a cabeça do seu sexo entrando pouco a pouco, mordi seu lábio inferior.


— Olhe para mim — exigiu, grunhindo e rouco. — E me diga, Cariño... se meu pau está cuidando bem de você. Ele está?


Os olhos dele brilharam quando cedi e abri as pálpebras, Alexander me deu um sorriso coberto de maldade, encarando a minha boca. Eu fiquei parada, porque ele apertou mais as minhas coxas, impedindo qualquer movimento, exceto o dele. Era sexo, mas parecia mais como uma tortura lânguida pelo prazer. Então, seu quadril mexeu um pouco, mas o suficiente para eu sentir uma ardência pela sua grossura, pelo espaço que seu membro exigia. Entreabri os lábios, choramingando; nunca tive um homem tão poderoso dentro de mim. E eu não poderia encontrar outra palavra para descrevê-lo.


Alexander Christopher não fazia só sexo, ele fodia com o poder de um homem que sabe o que faz. A força de sua personalidade espanhola, o sangue quente, o seu sexo pesado. E somado às cantadas, a quem ele era, ao corpo que parecia uma obra-prima, a sua voz que arrepiava a nuca, a boca suja...


— Você está cuidando bem de mim, Mi Vida — sussurrei, nem sei como.


— Aham. — Ele gemeu, raspando a boca na minha, o membro entrando mais alguns centímetros. — Eu sinto sua boceta me sugando, tão molhada... eu deslizo e, Cariño, você me recebe.


Senti cada terminação nervosa abraçar o seu sexo, até Alexander bater lá no fundo, me arrebatando. Ardeu e foi gostoso, o clitóris sendo tocado e algum outro ponto que não soube bem. Só sei que... caramba, fazia tempo demais e eu tinha me esquecido da sensação quente e lasciva do sexo. Tentei me mexer, querendo mais, e Alexander estalou a língua, negando.


Nos espiei no espelho. A pele em volta dos mamilos toda arrepiada, as mãos de Alexander me mantendo parada, seu sexo não completamente dentro de mim, mostrando o quão grande aquele homem era. Alexander beijou algum ponto do meu maxilar, me deixando duramente excitada, e nossos olhares se encontraram no espelho. Ele deu um sorriso e, lentamente, começou a estocar.


Muito devagar.


Indo. Vindo. Indo. Vindo. Virei o rosto para olhá-lo. Alexander exalava fundo cada vez que entrava em mim, e eu gemia porque a expectativa de tê-lo, as fantasias que criei em minha mente, nunca chegariam perto da verdade. Arfei quando ele bateu bem no fundo, tão delicioso, e beijei sua boca; sua língua entrou exigindo a minha.


Eu conseguia sentir os batimentos loucos do seu coração, bem nas minhas costas.


As mãos de Alexander saíram das minhas coxas e ele me consumiu com elas, correndo-as por todo o meu corpo, sem nunca parar de entrar em mim. Devagarzinho. Ele agarrou um seio, apertando e massageando, me fazendo instintivamente entrar no ritmo dos seus quadris. Raspamos nossos lábios, e a temperatura escaldante entre nós foi além quando Alexander soltou um palavrão em espanhol e acelerou.


Beliscando um mamilo, sua mão livre veio para o meu rosto, parando-nos nariz com nariz, enquanto eu rebolava em seu colo, o desejo me quebrando,  minha vagina palpitando por Alexander. Ele me beijou, de boca aberta, língua para fora, seu sexo sendo empurrado para dentro de mim a cada batida dos segundos.


Ele agarrou a parte de trás dos meus joelhos, abrindo-me mais, colocando minhas pernas no ar, meus pés acima da minha cabeça. Alexander prendeu-me firme. Minha bunda foi um pouco para cima, e acabei tirando as costas do seu peito e escorreguei-as um pouco mais para o lado.


Quase fiquei sem ar quando nos olhei no espelho.


Mas não tive tempo de processar. Alexander bateu o quadril no meu com tanta força que os estalos ecoaram pelo quarto, como se ele estivesse batendo na minha bunda de mão aberta. Junte os urros dele e aos meus gemidos altos, e éramos uma bagunça de fluidos, prazer e entrega. Uma camada de suor beijava nossos corpos, arrepiando em contraste com o ar-condicionado. Agarrei a cama, usando uma mão de apoio, afundando os dedos nos lençóis. A outra joguei para trás, em busca dos seus cabelos.


Alexander não parou nem por meio segundo, entrando e saindo de mim, atiçando e queimando minha vagina, exigindo tudo o que eu estava muito disposta a dar.


 — Ay, mujer... — rosnou.


Arfei, surpresa, quando Alexander abocanhou um mamilo, sugando, chupando dolorosamente com vontade, os olhos fixos nos meus. Gemi, presa no aperto de suas mãos, os dedos tão fundos que deixariam marcas. Alexander acelerou, o sexo me dominando, alucinando, o som molhado e duro estalando pelo quarto.


Cariño... — Ele ofegou. — Você tá pulsando em volta do meu pau.


Um formigamento começou no clitóris quando Alexander veio mais uma vez. Encarando seus olhos cor de mel, as pupilas dilatadas daquele homem, a ponta da língua girando no meu mamilo, eu...


Alexander escorregou as mãos para a parte de trás das minhas coxas, apertando firme, enquanto eu sentia tremores em todos os músculos do meu corpo.


Gemi, delirando, quando ele me empurrou para baixo, com tudo.


— Alexander... — Meu quadril desceu e o seu subiu.


 


Compartilhe este capítulo:

Autor(a): Primasvondy

Este autor(a) escreve mais 14 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
Prévia do próximo capítulo

Vamos continuar?  A onda veio escorregando por mim como um líquido quente, atingindo um ponto inteiro, de forma tão bruta que me deixou ser ar. Meus dedos dos pés flexionaram, enquanto cada parte minha tremia, sendo envolvida por ele, que me puxou para ele, soltando minhas pernas e me abraçando. Meu quadril se remexeu cegamente em cima dele, ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 927



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • natyr Postado em 18/01/2021 - 22:50:10

    Me encantan!!!! Ese beso no era para el público era lo que realmente querían.

  • ana_vondy03 Postado em 18/01/2021 - 20:34:27

    AAAAAA TÃO LINDO!!! CONTINUAAA AMOREEE S2

  • binha1207 Postado em 18/01/2021 - 18:37:45

    Como alguém pode ser tão perfeito.....Eu só sei que o quero pra mim.... Amei demais ...

  • alicia_moura Postado em 18/01/2021 - 18:04:37

    PERFEITOOOOO amei os capítulos!!! Continuaaaaa

  • Srª Von Uckermann Postado em 18/01/2021 - 14:06:15

    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA QUE PERFEIÇÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO... O CHRISTOPHER É TÃO MARAVILHOSO QUE NEM SEI...

  • aucker Postado em 18/01/2021 - 13:36:35

    Quem quer 4 dias iguais a esse? Pq eu quero kkk

  • taianetcn1992 Postado em 18/01/2021 - 05:33:29

    historia

    • Primasvondy Postado em 18/01/2021 - 13:11:28

      Olha ela de voltaa. Tacando a mão nos comentários. Amooo

  • taianetcn1992 Postado em 18/01/2021 - 05:33:19

    a

    • Primasvondy Postado em 18/01/2021 - 13:10:56

      *-*

  • taianetcn1992 Postado em 18/01/2021 - 05:33:14

    maravilhosa

    • Primasvondy Postado em 18/01/2021 - 13:10:47

      Ainnnn

  • taianetcn1992 Postado em 18/01/2021 - 05:33:05

    ta

    • Primasvondy Postado em 18/01/2021 - 13:10:39

      Ounn



AVISO

Ajude o Fanfics Brasil a se manter no ar. http://pag.ae/7UPKhhi9u

Doar PagSeguro

 


Últimas postagens do Blog


  • 8 dicas para se tornar um escritor de sucesso
    Fanfic é bom para passar o tempo, se desligar um pouco, ou - se você é um escritor especialmente auspicioso - ganhará uma tonelada de dinheiro. É que supostamente ganhou cerca de US$ 80 milhões, graças a 50 Tons de Cinza. Então, o que é...
  • Feliz dia do leitor
    Parabéns a todos os leitores(as) de fanfics pelo dia do leitor e principalmente aos criadores de conteúdo que proporcionam uma boa leitura. Você Conhece a Origem do Dia do Leitor? O Dia do Leitor foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense O POVO...