Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro

Fanfic: Total Colapso do Coração | Tema: My Hero Academia


Capítulo: Capítulo 9

45 visualizações Denunciar


Midoriya estava em um sono agitado. Tentava a todo custo despertar, mas não conseguia. Sentia a força do One for All percorrer cada músculo do seu corpo. E numa visão sombria, sentia-se preso, sem poder reagir ao que acontecia ao seu redor. Diante dele estavam os antecessores do One for All. Um deles, o primeiro, desesperadamente tentava se comunicar com Midoriya. O rapaz de cabelos esbranquiçados e olhos esverdeados repentinamente se aproximou de Midoriya, tocando-lhe a cabeça. Dessa forma, Midoriya viu as lembranças daquele que se revelou com um parentesco inesperado com o maior vilão do Japão. Aquele rapaz era irmão mais novo de All for One e em suas lembranças foi possível ver que os planos ambiciosos de All for One incluíam uma sociedade sem lei em que os mais fortes seriam os únicos que sobreviveriam em um mundo onde as mais poderosas individualidades seriam compartilhadas com o vilão que desejava ser como um deus nessa nova ordem. Inconformado com as atitudes do irmão mais velho e sem nenhuma individualidade aparente, a resistência do mais novo foi um fracasso. Forçosamente, All for One impôs uma individualidade para o irmão mais novo, na esperança de que sentindo todo aquele poder, o mais novo se unisse ao vilão. Mas para All for One foi um estúpido atrevimento quando seu irmão usou o poder que tinha ganhado para tentar impedir os planos audaciosos dele. E assim, All for One, desde aquela época jurou para si mesmo perseguir e destruir todos àqueles que herdassem o poder de One for All. Um poder que veio dele e que no fim de tudo, para ele retornaria. 


Muito desesperado, Midoriya despertou. Estava com o corpo bastante suado e sentia a energia do One for All queimar seu braço direito. O vento frio adentrava o quarto pela porta francesa que teve o vidro estilhaçado. 


Ainda era noite naquela madrugada, porém Midoriya não hesitou e saiu correndo pela cidade. Precisava de respostas. 


All Might ainda dormia quando ouviu o toque frenético na campainha de seu apartamento. Levantou assustado e foi ver quem era. Quando abriu a porta, Midoriya entrou rapidamente. 


– O que você está fazendo aqui, garoto? 


– Desculpe vir te incomodar, All Might. Mas eu tive um sonho terrível. Preciso contar para você. 


Percebendo a seriedade e aflição do menino, All Might se acalmou e sentou-se no sofá. 


– Senta aí e me conta tudo. 


Midoriya acomodou-se no sofá e relatou todos os detalhes do sonho que ele tivera há cerca de trinta minutos atrás. Precisava contar logo, antes que se esquecesse de algum detalhe. All Might ouviu tudo atentamente e ficou bem preocupado com seu discípulo. 


– Realmente é impressionante esse seu sonho. Mas não faço ideia do motivo para isso ter acontecido com você. Quando eu recebi esse poder, minha mestra me alertou que meu pior inimigo seria All for One, mas eu nunca tive um sonho desses. Quando aquele desgraçado matou minha mestra eu fiquei tão furioso que quase o matei. 


– Tenho minhas dúvidas quanto a possibilidade de mata-lo. Sabe, ele deve ser muito mais velho que imaginamos. Afinal, quantas gerações de heróis ele já não perseguiu? 


– De fato, a idade dele é desconhecida, mas de todos heróis, eu que durei mais tempo. Foram trinta e cinco anos salvando aqueles que necessitavam. E ainda não posso parar. Um dos motivos é por você. Acho que te meti numa bela encrenca, hein, jovem Midoriya?! 


– O que quer dizer? 


– Ora, não prestou atenção ao seu sonho. O maior desejo de All for One é matar todos os herdeiros do One for All e depois instituir o caos no mundo. Ele não vai parar enquanto nós dois não estivermos mortos. 


– Mas ele está preso! 


– Tenho o pressentimento de que ele está exatamente da forma que quer. Ele está planejando algo maior. All for One não medirá esforços para me destruir. Tudo que ele está fazendo é meticulosamente planejado para me ferir física e mentalmente. O maldito se aproximou de Shigaraki e conquistou a confiança do rapaz para que se tornasse um servo de suas ambições. Sabe porquê, Midoriya? 


– Não. 


– Aquele desgraçado me revelou durante aquela nossa última batalha, que Shigaraki é neto de minha mestra. 


– Que droga! Será que é verdade? 


– All for One não precisa mentir para atingir seus objetivos. Com certeza Shigaraki é neto dela. Ele usa o rapaz, não só porque ele é muito forte, mas também porque tem a certeza de que eu seria incapaz de ferir um parente de minha amada mestra. 


– Isso é terrível. 


– Sim. E além disso, de alguma forma eles descobriram a minha ligação com Mayu e a raptaram. Para piorar a situação ela está grávida. Veja quantos trunfos All for One tem contra mim. Ele não para de criar meios para me atingir. Tenho certeza de que a qualquer momento algo vai acontecer. Primeiro comigo e depois ele vai atrás de você.  


– Você acha que ele sabe que você me passou o One for All. 


– Não tenho dúvidas. Mas no momento ele está concentrando suas energias em acabar comigo primeiro. 


– Mas ele não vai conseguir. Eu não vou permitir que nada de mal te aconteça. 


– Relaxa, garoto! Você ainda não dá conta dele. Está no caminho certo. Mas ainda precisa de muito treino. Eu quase caí na besteira de me entregar. Só que agora eu estou me sentindo mais motivado do que nunca. 


– Que bom ouvir você falando assim. 


– O bom e velho All Might está de volta! 


*** 


Três meses se passaram e o final do segundo semestre tinha chegado. 


Aizawa e Shinso conversavam a sós na sala de aula. 


– Finalmente vamos ver os resultados do seu treinamento, Shinso. Vamos para o campo de treinamento, todos os demais já devem estar lá. 


– Obrigado pela oportunidade, professor. – Shinso seguia o professor.


– Você vai ser muito útil para uma missão que está próxima. Só te peço que não conte aos demais a real intenção do treinamento que faremos. 


– Sim, professor. 


Quando Aizawa chegou acompanhado de Shinso, a turma 1-A, a turma 1-B, Vlad, Midnight e All Might já estavam no campo de simulação de batalha. Aizawa falou: 


– Atenção alunos das turmas 1-A e 1-B, a partir de hoje o Shinso deixa o curso de formação geral e passa a ser integrante do curso de heróis. 


A novidade pegou a todos de surpresa, que cochichavam sobre o novo aspirante a herói. 


Aizawa pediu que Shinso se apresentasse formalmente e assim que ele o fez, Vlad tomou a palavra e explicou que os alunos se enfrentariam em equipes. Turma A contra turma B. Enquanto Vlad organizava as equipes para começarem o treinamento, Aizawa conversava com All Might. 


– Eles nem fazem ideia do real motivo desse treinamento, não é? 


– Não achei relevante dizer, All Might. Deixe que eles se concentrem na tarefa. Eles não precisam ficar ansiosos antes da hora. 


– É verdade. Vou precisar muito da ajuda deles. 


– Fique tranquilo. Vamos salvar sua mulher e seu bebê.  


– Bem... ela não é minha mulher. – All Might corou e falou envergonhado mexendo nos cabelos desgrenhados. 


– Quando isso tudo acabar, ela poderá ser. 


– Assim espero. Me diga, por onde anda aquela menininha? A Eri? 


– Deve estar com o Mirio, por que? 


– Tenho gostado da companhia da pequena. Ela me alegra e quando estou perto dela sinto uma força estranha dominar meu corpo. Vocês já descobriram qual individualidade ela tem? 


– Ainda não. A Recovery Girl está indo devagar com ela devido aos traumas que ela adquiriu no tempo em que estava com o Oito Preceitos da Morte. 


– Entendo. Fico feliz por ela estar a salvo aqui. 


Os combates entre as turmas 1-A e 1-B iniciaram e os professores assistiam atentos. 


Enquanto isso, Hawks continuava tentando se aproximar dos integrantes da liga dos vilões. Ele não fazia ideia de que naquele dia sua relação com a liga se estreitaria ainda mais. 


Novamente quando foi se encontrar com Dabi, recebeu a surpreendente notícia de que poderia finalmente se encontrar com Shigaraki. Hawks foi vendado e colocado dentro de um furgão branco. Dabi o acompanhava para se certificar de que ele não retiraria a venda. Spinner dirigia o veículo. 


Após três quartos de hora, eles pararam. Dabi segurou Hawks pelo braço e o guiou até o escritório de Shigaraki. Dabi o jogou numa cadeira e falou: 


– Fica sentadinho aí e só retire a venda quando for mandado. 


Hawks sentia que Dabi estava perto dele, mas mesmo assim mexia os músculos da testa para tentar mover a venda e visualizar o local onde estava. Conseguiu uma pequena fresta ao lado do olho direito. Hawks ouvia que Shigaraki estava no corredor conversando com alguém. A porta do escritório estava aberta facilitando ouvir a conversa. Quando a outra pessoa falou, Hawks imediatamente reconheceu a voz. Tentou acalmar-se e confirmou sua certeza ao ver no reflexo do espelho o homem com quem Shigaraki conversava. Era o traidor que estava passando informações sobre o treinamento que os alunos da U.A. estavam fazendo naquele exato momento. Hawks ficou espantado com a frieza do homem que entregou com riqueza de detalhes os planos dos heróis que desejavam encontra-lo. Logo o traidor foi embora e Shigaraki entrou no escritório para conversar com Hawks. 


– Tire a venda! – Shigaraki ordenou. 


Hawks retirou a venda e pode visualizar Shigaraki bem a sua frente, com a expressão calma. O vilão continuou: 


– Satisfeito, número dois? Finalmente você conseguiu o que queria. O que quer de mim? 


– Eu quero me juntar a liga! – Hawks falou com firmeza.


– Se isso fosse verdade, eu recusaria de qualquer forma. Por que não age como um homem de verdade, ou melhor, como um herói de verdade e me conta o real motivo de você estar aqui. 


Shigaraki se sentou de frente para Hawks. Dabi permanecia em pé atrás dele. Com o olhar fixo de Shigaraki em Hawks, o herói já tinha certeza de que o traidor poderia ter lhe alertado sobre sua missão. Decidiu falar a verdade então.  


– Eu vim porque precisava me infiltrar na liga, ganhar sua confiança e revelar o local de seu esconderijo. 


– Muito bem. Começamos bem. Sirva uma bebida para o herói, Dabi. Ele precisa relaxar um pouco. Admiro sua coragem Hawks. Ao revelar a verdade você abriu precedentes para que eu o matasse. 


Hawks tomou a bebida num gole só. 


– Você vai me matar? 


– Não acho justo. Afinal, você veio aqui sozinho, arriscar sua vida pelo quê? 


– Pela segurança pública. 


Shigaraki sorriu. – Sim. Como sempre você está sendo manipulado pela segurança pública. Isso não é revoltante? 


– É o meu trabalho. 


– Não! Não é seu trabalho. É apenas uma coisa que te obrigam a fazer. É contra sua vontade. Sempre foi. 


Hawks estava surpreso com a atitude de Shigaraki. Até mesmo seu passado o vilão investigou. Mentir seria um risco enorme de irritar Shigaraki. Manteve a calma e apenas confirmou o que o vilão já tinha deduzido. 


– Eu não tive escolha. Aceitei essa vida pela minha família. 


– Não teve escolha?! Que curioso. Pois hoje eu quero te dar o direito de escolha. 


Dabi se aproximou com uma maleta. A colocou em uma mesa entre Shigaraki e Hawks. Dabi abriu. 


– Nessa mala tem dez milhões em espécie. Atrás de você tem mais nove dessas totalizando cem milhões de dólares. 


Hawks olhou para trás e ficou abismado. 


– O que você tem em mente? Quer me comprar? 


– Não. Eu quero te libertar. Simples. Com esse dinheiro você não precisa mais se subordinar a segurança pública em troca daquela miséria que você recebe todo mês. Pode ser livre para fazer o que bem entender e ainda assim pode ajudar sua família. O que acha?


E você não vai querer nada em troca?


Tem uma coisa sim que eu gostaria que você fizesse, mas apenas se você concordar. De qualquer forma, minha oferta permanece a mesma. O dinheiro é seu.


O que você quer?


Shigaraki se levantou com um meio sorriso e indicou para que Hawks o seguisse. Eles subiram até o segundo andar, onde Shigaraki parou diante de uma porta e pegou uma chave no bolso frontal de sua calça e a abriu.


Quando entraram no cômodo, Hawks se espantou ao visualizar Mayu, Toga, Mr. Compress e Twice sorridentes, sentados em uma pequena mesa redonda, jogando cartas. Todos eles ficaram surpresos com a chegada repentina de Shigaraki e Hawks.


O que esse cara está fazendo aqui, Tomura? – Toga se levantou exaltada.


Acalme-se, Toga. Ele veio apenas fazer uma visita para nossa hóspede. Deixem-no a sós com a senhorita Mayu. Vamos!


Apesar de não compreender as intenções de Shigaraki, Toga, Mr. Compress e Twice obedeceram e saíram com seu líder. Quando a porta se fechou, Hawks começou a analisar o quarto procurando por possíveis saídas. Mayu o observava tão agitado e não entendia o que o rapaz estava fazendo.


Quem é você? – Ela perguntou timidamente.


Sou Hawks, senhorita. Herói número dois da nação.


Você é um herói?! O que está fazendo aqui?


Vim salvá-la! Ou pelo menos tentar. – Hawks estava frustrado porque não via possibilidade alguma de escapar dali. A única saída era pela claraboia, mas era estreita demais para passar, se tentasse quebrar a parede, com certeza o bando da liga dos vilões o pegaria facilmente. E ainda por cima, não poderia arriscar uma fuga com uma mulher grávida. Poderia colocar ela e o bebê em risco. Respirou fundo e analisou a situação. Pegou o telefone no bolso e tentou fazer uma ligação para Endeavor. Não conseguiu. Deduziu que por ali deveria ter um bloqueador de chamadas telefônicas. Tentou o GPS para pelo menos saber onde estava. Este também não funcionava. Naquele momento entendeu a tranquilidade de Shigaraki ao deixa-lo a sós com a moça. Definitivamente, Hawks não poderia fazer nada. Acalmou-se e se dirigiu a refém. – A senhorita se chama Mayu Yoshida?


Sim.


Como você está sendo tratada nesse lugar?


Eles me tratam bem. São todos muito gentis comigo.


Gentis? – Hawks admirou-se com a resposta inesperada.


Na maior parte do tempo sim. Se eu não fizer nada que contrarie a vontade de Tomura, está tudo certo. A única coisa que me incomoda são as visitas de um médico que está acompanhando minha gravidez. É um ser asqueroso que me dá muito medo.


Sabe o nome dele?


O chamam de Carnificina. Semanalmente eles também retiram meu sangue. Tirando esses momentos, eu fico bem. Sempre nesse quarto.


Entendi. E como você tem se sentido? Como está o seu bebê?


O médico diz que está tudo bem com a gente.


Fico satisfeito em saber que pelo menos você está bem. Quero te pedir um favor. Você poderia mandar um recado para o All Might dizendo como você está?


Posso.


Senhorita, gostaria que você soubesse que toda a segurança pública do Japão está a sua procura. Sinto muito por você estar a tanto tempo aprisionada nesse local. Seus raptores são chamados a Liga dos Vilões e eles são o grupo mais perigoso e violento da nação.


Eu sei quem eles são. A Toga me contou.


Hawks se espantou com a calma da moça. Provavelmente ela já tinha se habituado com a convivência com os vilões.


Tudo bem. Prometo que em breve você será resgatada. Vamos lá. – Hawks ligou a câmera de seu celular e começou a gravar. – Olá, All Might, nesse momento estou no esconderijo da liga dos vilões, acompanhado da senhorita Mayu Yoshida que deseja lhe falar. – Hawks virou a câmera para Mayu.


Oi, All Might. Já estou com seis meses de gravidez. Estou bem e o bebê também. Ele se mexe bastante em meu ventre. Tem dias que nem me deixa dormir direito. Estou curiosa para ver o rostinho dele ou dela...


Mayu não conseguiu continuar, as palavras não saiam mesmo que ela tentasse. Apenas chorou. Hawks parou sua gravação. Imaginou como o psicológico de Mayu estava afetado.


Senhorita, não vamos sossegar enquanto não te tirarmos daqui. Eu preciso ir agora. Me perdoe por não te levar comigo, mas é pela sua segurança.


Hawks beijou a mão da moça e a deixou sozinha. Seguiu pelo mesmo caminho que veio e encontrou Shigaraki e seu bando reunido na sala. Assim que ele desceu, Toga, Mr. Compress e Twice voltaram para os aposentos de Mayu.


E então? A conversa foi proveitosa?


Fiz o que você pediu. Está aí o vídeo. – Hawks exibiu a gravação para Shigaraki.


Muito comovente. Está perfeito. Entregue para o All Might. Apenas isso. O dinheiro é todo seu. – Shigaraki entregou uma maleta para Hawks que a pegou.


Quais os seus planos para a garota?


Os melhores. Você constatou que ela está bem, não é?


Mas você não foi tão bondoso com a avó da garota?


E quem disse que eu fiz alguma coisa com a velha?


Ela está morta.


Eu sei. Eu recebi uma parte dela de lembrança. Foi uma tentativa de intimidação por parte de Overhaul.


O Oito Preceitos da Morte?!


Sim. Por mim a velha estaria viva ainda. Agora é hora de você ir embora. Agradeço sua cooperação, mas no momento não preciso de mais colaboradores na liga.


Hawks foi vendado por Dabi que dirigiu até o centro da cidade, deixando o herói em uma esquina bem movimentada.



Compartilhe este capítulo:

Autor(a): Pri Inácia

Este autor(a) escreve mais 6 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

Aquela noite estava sendo bastante agitada. Na U.A., All Might e Midoriya tentavam compreender o que tinha acontecido com o jovem esverdeado quando na última batalha de treinamento de equipes, o menino se descontrolou e manifestou uma aparente nova individualidade.  – Isso nunca aconteceu comigo, jovem Midoriya. ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 0



Para comentar, você deve estar logado no site.


- Links Patrocinados -

Nossas redes sociais