Fanfics Brasil - Capítulo 32 Destinado (3ª temporada) (Adaptação - Vondy)

Fanfic: Destinado (3ª temporada) (Adaptação - Vondy) | Tema: Vondy, Romance, Adaptação


Capítulo: Capítulo 32

116 visualizações Denunciar


Christopher: Então o nosso bebê está bem? Ela... — corrigi-me, lembrando que Dulce havia mencionado o sexo. — Ela está bem? Nossa filha nasceu bem? Tem saúde?


Dulce: Maite é saudável, muito levada para alguém que só tem dez meses, e tão linda que chega a doer o coração da gente.


Maite. Uma filha. Eu tinha uma filha! Mas que inferno, não conseguia me lembrar dela. Poderia ter sido pior, consolei-me. Eu poderia ter perdido a memória por completo e não lembrar nem o meu próprio nome.


Porém, apesar de a aparente amnésia esclarecer alguns pontos, não explicava todos. Olhei para Dulce, pronto para lhe fazer perguntas. No entanto, seus olhos largos e brilhantes, como se estivesse a ponto de irromper em lágrimas a qualquer minuto, me detiveram.


Dulce: Acho melhor te levar para o hospital — ela disse.


Christopher: Garanto que estou bem. Apenas com a cabeça dolorida. Nada com que eu não possa lidar. Maite deve estar certa. A pancada que recebi na cabeça deve ter embaralhado minhas ideias. — E isso me fez pensar no que eu havia aprontado, para tomar uma pancada daquelas...


Dulce: Eu ficaria mais tranquila se ouvisse isso de um médico.


Christopher: Estou bem, Dulce. Juro que estou. Agora, por favor, você poderia me explicar por que estamos no futuro?


Ela mordeu o lábio, juntando as mãos e as retorcendo uma na outra quando começou a falar. Um arrepio enregelou minha espinha enquanto eu ouvia a tudo, calado. Anahí estava naquele mundo, sozinha, aparentemente na companhia de um estranho que mentira para levá-la só Deus sabia aonde.


Dulce: Então, já que não conseguimos ajuda na delegacia, precisamos tentar achar um ponto de partida. Ajudaria muito se soubéssemos para qual hospital ela foi levada. Mas não sabemos. — Sua voz sussurrada e ainda assim quebrada fez meu peito arder, e tive de puxá-la para perto, querendo confortá-la de qualquer maneira, ainda que eu mesmo precisasse de consolo. Maite desviou os olhos, dando-nos privacidade.


Santo Deus, Anahí estava naquele lugar por conta própria! Eu tinha de encontrá-la.


Tinha de cuidar dela. Tinha de...


Christopher: Deve haver uma maneira de descobrir para onde ela foi levada — falei contra os cabelos de Dulce.


Dulce: Eu não...


****: Descobrir o quê? — perguntou uma voz masculina. — Que bonito, hein, Dulce? Deixando todo mundo louco de preocupação com o seu sumiço. Você não pode desaparecer assim! Custava muito ter deixado um bilhete, porra? — Apesar do tom, o rapaz sorria.


Dulce: Christian! — Dulce exclamou, soltando-se de mim e correndo para os braços dele.


O rapaz tinha quase a minha altura, mas era mais corpulento, e seus cabelos escuros. Ele me era muito familiar, embora eu só o tivesse visto em retratos no celular comum de Dulce.


Christian a abraçou com tanta força que a tirou do chão.


Dulce: Desculpa, Christian, não tive tempo de avisar — disse ela.


Felizmente, ele a colocou no chão e a soltou, examinando-a de alto a baixo. Não gostei daquele rapaz. Mas, diabos, Dulce gostava. Perguntei-me se ela ficaria muito aborrecida se eu começasse a esmurrar a cara daquele sujeitinho desaforado.


Christian: Você tá bonita, hein? E finalmente resolveu que era hora de voltar pra casa. Isso é bom, porque, olha, aquelas suas cartas pareciam vindas do além. A Maite estava louca de preocupação. E eu também. Onde você estava esse tempo todo?


Dulce: No paraíso, Christian. Com ele. — Dulce apontou para mim com a cabeça. — Christian, este é o meu marido, Christopher Uckermann.


Christian me examinou com as sobrancelhas arqueadas, provavelmente percebendo meu estado de ânimo, e disse:


Christian: Então você existe mesmo.


Christopher: Até a última vez que eu verifiquei, sim.


Ele teve a audácia de rir e se aproximou com a mão estendida.


Christian: Sou Christian, marido da Maite e amigo da Dulce.


Christopher: Prazer em conhecê-lo, senhor Christian. — Apertei sua mão com um pouco mais de força do que exigia a cortesia. — Dulce fala muito de você e de sua adorável esposa.


Aparentemente ignorando meu mau humor, Christian dirigiu a minha esposa um sorriso de canto de boca.


Christian: Onde arranjou esse cara, Dulce? Ele saiu de um dos seus livros?


Ela revirou os olhos.


Dulce: Acabei de me lembrar por que não é muito comum eu sentir saudade de você...


Ele continuou rindo, mas ficou sério logo em seguida, ao se voltar para mim.


Christian: Antes de mais nada, quero saber o que você pretende, meu chapa. Quais são as suas intenções com a Dulce?


Dulce: Era só o que faltava! — Dulce reclamou, ao mesmo tempo em que a amiga dizia:


Maite: Ele é marido dela, cabeção! O que você acha?


Christian: Não se metam. — Ele lançou um olhar enviesado para a própria esposa. — Isso é papo de homem. O cara mal chegou aqui e já foi preso. Só estou querendo saber em que tipo de confusão a Dulce se meteu. Ela não tem irmão de sangue, mas tem a mim, e isso significa uma baita encrenca. — Ele flexionou os músculos dos braços, expostos naquela camisa sem mangas, me encarando tal qual um lutador de boxe.


Quase ri de sua bravura. O rapaz não era de todo ruim, afinal.


Christopher: Fico contente por saber que se preocupa com ela dessa maneira — eu disse a ele. — Faz jus à afeição que ela lhe tem. E, quanto às minhas intenções, posso garantir que são as melhores possíveis. Fazê-la feliz é tudo o que me importa.


Ele relaxou a postura.


Christian: Essa é a resposta certa, cara. — Com isso, puxou-me para um abraço, dando dois socos leves em minhas costas.


Mais que satisfeito, copiei seu gesto.


Christopher: Obrigado... hã... cara.


Christian: Como você conseguiu domar essa fera? — Christian quis saber ao se endireitar e levar as mãos aos bolsos da calça, indicando Dulce com a cabeça.


Christopher: Não domei. Tudo o que fiz foi amá-la como ela merece.


Dulce: Essa é a resposta certa. — Dulce chegou mais perto e passou um braço pela minha cintura. — E agora para com isso, Christian. Eu já contei para o Christopher que você é um chato de galochas, não precisa ficar se exibindo.


Christian: É, eu devia te infernizar mesmo. Nem convidou os amigos para o casamento.


E como poderíamos?, perguntei-me. Decerto Christian sabia que não era fácil encontrar uma máquina do tempo. Fitei Dulce, questionando, mas ela apenas balançou a cabeça e me lançou um olhar significativo.


Ah. Christian não sabia nada sobre a viagem no tempo.


Dulce: Hã... O que aconteceu foi... — Dulce se desprendeu de mim e afastou o cabelo do rosto, tentando ganhar tempo para encontrar as palavras certas.


Maite: Eu já expliquei, Christian. — interveio Maite. — A gente não teria chegado a tempo. A Dulce foi morar num lugar que é meio incomunicável. Por isso a gente só se fala por carta. E mesmo assim você já viu o estado penoso em que as coitadas chegam.


Ele me fitou com humor.


Christian: Uma palavra pra você, meu chapa: antena via satélite.


Maite: Ai, Deus, Christian. São três palavras! — Sua esposa deu-lhe um peteleco na cabeça.


Christian: Saco, Maite. Você entendeu o que eu quis dizer. Então, quem vai me explicar por que o Christopher foi preso?


Dulce se prontificou e narrou o que tinha acontecido, deixando de lado toda a parte que se referia à viagem no tempo. Até acrescentou uma história pouco plausível de que Anahí fugira de casa. E outra ainda, que eu queria muito poder dizer que também era invenção, mas a cada palavra se parecia mais e mais com algo que eu teria feito se estivesse de cabeça quente pelo fato de, digamos, o delegado ter entregado minha irmã a um desconhecido sem investigar a veracidade do suposto parentesco.


Caralh/o, e agora?


Christian: Caralh/o, e agora? — disse Christian, ecoando meus pensamentos. — Quem pode ter fingido ser parente da menina?


Maite: Não fazemos ideia. — Maite pegou a mão do marido. — Acho que o jeito será fazer uma peregrinação pelos hospitais e perguntar pela Anahí.


Christian: Podíamos nos dividir — ele sugeriu.


Christopher: Boa ideia — concordei. — Assim poderemos encontrar uma pista mais depressa.


Christian: Tudo bem, então eu e... — ele começou, mas se deteve quando alguém gritou um “Ei, moço!”.


Nós nos viramos e uma jovem acenou para nosso grupo. Atravessou o pequeno gramado malcuidado e, quando nos alcançou, foi a mim que se dirigiu:


****: Eu estava procurando você.


As sobrancelhas de Dulce se arquearam. Para ser sincero, eu também estava surpreso. Não fazia ideia de quem era aquela jovem com olhos de cores díspares, vestindo uma camisa preta com as palavras “polícia civil” na lateral esquerda. No entanto, o que ela falou em seguida varreu qualquer outro pensamento para longe.


****: Ouvi que vocês estão procurando a menina do casarão. Você é o irmão dela?


Christopher: Sou. A senhorita sabe de alguma coisa que possa nos levar até o paradeiro de minha irmã?


Ela fez que sim.


****: Eu estava de serviço quando ela foi detida. Fui eu quem a levou para o hospital.


************************************



Compartilhe este capítulo:

Autor(a): delenavondy

Este autor(a) escreve mais 16 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
Prévia do próximo capítulo

Dulce: Você sabe pra onde ela foi levada! — Dulce exclamou, antes que eu me recuperasse da surpresa. ****: Claro — a jovem oficial respondeu, mas continuava olhando para mim. — Eu a levei para a Santa Casa. A menina estava bastante agitada. E assustada. Christopher: Eu posso imaginar, senhorita. — Sobretudo porque Anahí vira tão ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 108



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • vondy_dulcete Postado em 03/11/2021 - 15:06:00

    O Ucker é um verdadeiro príncipe ♥️ quase chorei com ele

    • delenavondy Postado em 04/11/2021 - 18:20:56

      <3

  • vondy_dulcete Postado em 03/11/2021 - 15:05:21

    AFF que perfeito sua fic&#9829;&#65039; amei amei amei

  • taianetcn1992 Postado em 02/11/2021 - 07:53:42

    Aí meu deus, ameiii essa maratona, já quero mais como sempre &#128584;

    • delenavondy Postado em 02/11/2021 - 21:13:50

      Que bom <3 Vou terminar hoje os últimos capítulos

  • mandinha.bb Postado em 29/10/2021 - 14:22:04

    Estou megamente ansiosa por mais, sinto que logo eles encontram a Any, ainda mais agora que o Ucker recobriu a memória e acho que o cara que estava preso com o Ucker tem algo no meio, esse amigo dele deve estar com a pessoa que está com a Any, muito estranho o comportamento dele... Continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa plisssssssssssssssssssssssssssssssssss

    • delenavondy Postado em 30/10/2021 - 00:24:37

      já já posto mais...

  • taianetcn1992 Postado em 28/10/2021 - 05:32:47

    ansiosa pelos proximos

  • taianetcn1992 Postado em 28/10/2021 - 05:32:36

    quero mais

  • taianetcn1992 Postado em 28/10/2021 - 05:32:28

    voltaaaaaa

  • taianetcn1992 Postado em 28/10/2021 - 05:32:21

    kd vc ?

    • delenavondy Postado em 29/10/2021 - 00:17:17

      Desculpe, estou meio ocupada esses dias. Mas amanhã trago mais capítulo ok !

  • taianetcn1992 Postado em 28/10/2021 - 05:32:09

    pelo amor de deus

  • taianetcn1992 Postado em 28/10/2021 - 05:32:01

    mais mais mais




Nossas redes sociais