Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro

Fanfic: Destinado (3ª temporada) (Adaptação - Vondy) | Tema: Vondy, Romance, Adaptação


Capítulo: Capítulo 91

140 visualizações Denunciar


Passei pela porta da cozinha quando a madrugada já começava a se retirar e dar lugar ao amanhecer.


Uma mão pequena tocou meu ombro. Olhei para o rosto de minha irmã, iluminado pela luz da vela. Ela colocou um dedo sobre os lábios murmurando um “shhhh”.


Não entendi o que ela estava fazendo até que a risadinha de Madalena me chegou aos ouvidos. Logo seguida pelo gemido rouco de Gomes.


Mas que diabos.


Peguei Anahí pelo braço, arrastando-a para longe da cozinha e da ala de meus empregados desavergonhados.


Levei minha irmã para dentro da sala de música e fechei a porta.


Christopher: Há quanto tempo isso está acontecendo? — exigi saber.


Anahí: Eu não sei. Suponho que seja recente. A senhora Madalena não é muito boa em ocultar seus sentimentos. Eu teria notado se ela tivesse começado a agir diferente.


Christopher: Não sei se me divirto com a situação ou se fico furioso. — Afinal, aquela senhora havia tomado para si a responsabilidade sobre a reputação de Dulce, já que eu não fora capaz de manter minhas mãos longe dela, e fizera da minha vida um inferno.


Anahí: Não entendi.


Balancei a cabeça.


Christopher: O que fazia na cozinha assim tão cedo?


Anahí: Não consegui dormir. E você, por onde esteve? — Ela examinou minhas botas sujas de terra.


Christopher: Cavalgando sem rumo para clarear as ideias.


Anahí: Há muito o que pensar nos últimos tempos. — E se sentou na poltrona, brincando com uma das fitas de sua camisola de dormir.


Tomei fôlego e puxei a banqueta do piano, sentando-me de frente para ela. Seu olhar se fixou nos meus, questionando.


Christopher: Casar-se pode não ser a única solução, Anahí— soltei. Ela franziu a testa, surpresa. — Pensei que você gostaria de se afastar por uns tempos. Ainda temos parentes fora do Brasil. Talvez gostasse de visitar nossa tia-avó Margareth. Ela vive convidando para uma temporada em sua casa, sempre que nos escreve. Você pode gostar de lá. Dizem que York é muito bonita e animada.


Anahí: Mas, Christopher, tia Margareth mora na Inglaterra!


Christopher: Eu sei — concordei calmamente.


Ela se levantou e começou a andar pela sala.


Anahí: Não posso ir para a Europa agora. Os boatos só se confirmariam. Certamente diriam que você me mandou para longe a fim de que eu tivesse um bebê em segredo.


Christopher: Isso não importa, Anahí.


Ela se deteve, os enormes olhos azuis maiores do que nunca.


Anahí: Desde quando?


Christopher: Desde que a ideia de casar com Alfonso a entristece tanto. Andei pensando e acho que essa é a melhor solução. Fique com tia Margareth por um ano. Dois, se lhe agradar. E então poderá decidir o que fazer. Uma vez Dulce sugeriu que você fizesse um curso. Há excelentes conservatórios na Inglaterra. Talvez pudesse frequentar um deles.


Ela se aproximou, os dedos retorcidos na altura da cintura, a boca escancarada.


Anahí: Você faria isso, Christopher? Permitiria que o escândalo se torne ainda maior apenas para me fazer feliz?


Christopher: Sim. Você estava certa. A sua felicidade é mais importante que a sua reputação. Você não tem que ir para a Europa se não quiser. Foi apenas uma ideia. Pode ficar aqui conosco, se preferir. Apenas receio que a rejeição à qual será submetida a faça ainda mais infeliz do que está agora. E eu prometi ao nosso pai que faria o impossível para mantê-la feliz. E vou cumprir ao menos essa promessa.


Anahí: Ah, meu irmão! — Ela se lançou sobre mim, aninhando-se em meu colo como havia muito tempo não fazia, a cabeça enterrada em meu pescoço. — Lamento tanto ter brigado com você. Todos esses dias, quando me era possível lembrar, eu me senti miserável por aquela discussão estúpida.


Christopher: Não foi estúpida.


Ela desalojou a cabeça de meu ombro, escorregou para a banqueta, então pegou minha mão.


Anahí: Foi sim, Christopher. Agora entendo. Você fez o que o nosso pai teria feito. E nada disso seria preciso se eu não tivesse... não tivesse...


Christopher: Seguido seu coração — completei, quando o embaraço a impediu.


Ela concordou com a cabeça.


Anahí: Agradeço pela oferta que me fez, é muito generosa, mas não quero me afastar de vocês. Eu não suportaria ficar longe de Dulce, e não ver Maite todos os dias me mataria de tristeza.


Eu havia imaginado isso.


Christopher: Então você ficará e enfrentará as consequências?


Anahí: Sim, mas não da maneira que você está pensando. — Ela se levantou e andou pelo cômodo antes de parar diante da janela e cruzar os braços. — Eu vou me casar com o Alfonso, Christopher. Amo esta família, e não vou jogar o nosso bom nome na lama. Não seria justo com nenhum de nós. Sobretudo com Maite. Além disso, eu... eu amo o Alfonso. Amo demais para não me casar com ele. Tenha ele pedido minha mão por coação ou por amor.


Christopher: Está certa disso?


Ela assentiu vigorosamente, ainda de costas.


Christopher: Bem, então verei o que posso fazer a esse respeito. — Eu me levantei, exalando pesadamente.


Ela me fitou por sobre o ombro, mordendo o lábio.


Anahí: Eu preferiria que não fizesse isso.


Christopher: Por que não?


Anahí: Eu me coloquei nesta posição. E devo sair dela sozinha! — E ali estava. O orgulho dos Uckermann finalmente vindo à tona.


Christopher: Anahí, não posso não fazer nada. Sou o seu irmão, o seu tutor! Não posso ficar apenas assistindo enquanto você tenta sair dessa confusão por conta própria.


Ela se virou, descruzando os braços e se aproximando. A determinação reluzia em seu olhar.


Anahí: Pode sim, Christopher. Eu sou capaz de cuidar de mim mesma. Se fui capaz de me arranjar no tempo de Dulce, sou perfeitamente capaz de me arranjar aqui também, onde conheço todo mundo e a maneira como pensam. Sei que não mereço, mas confie em mim, meu irmão.


Corri os dedos pelos cabelos e engoli uma imprecação.


Christopher: Concordo com relação a Alfonso. Mas vou fazer algo a respeito desse boato, quer você goste ou não.


Anahí: Mas...


Christopher: Diabos, Anahí! Está querendo me destituir do posto de irmão mais velho?


Ela acabou rindo e então me abraçou.


Anahí: Jamais, Christopher. Isso nunca. Faça como achar melhor, então. Apenas me pergunto como pretende deter esses mexericos.


Eu sabia como.


Christopher: Confie em mim. — Beijei sua testa, levando a mão ao bolso. De lá retirei o delicado par de brincos. — Creio que isso lhe pertence.


Anahí: Meus brincos! — Ela os pegou sem hesitação, os olhos sorrindo. — Como os conseguiu de volta?


Christopher: Eu lhe disse, estive no antiquário. E quase tive um ataque do coração quando vi estes brincos. Pensei em mil possibilidades, Anahí. Nenhuma delas me trouxe paz.


Anahí: Desculpe. Eu só tentei ajudar alguém que estava sendo muito gentil comigo.


Christopher: Sei disso. Agora vá para a cama. Assim que a notícia sobre o seu retorno se espalhar, vai receber várias visitas.


Ela concordou e eu abri a porta para ela. No entanto, antes de sair, Anahí se deteve sob o umbral e fixou os olhos em mim.


Anahí: Posso fazer uma pergunta, Christopher?


Christopher: Certamente.


Anahí: Por que razão aquele aparelho retornou à vida de Dulce?


Eu me fazia a mesma pergunta desde que o vira brilhando em nosso quarto dias atrás. Meu Deus, fazia mesmo apenas cinco dias?


Esfreguei o rosto, soltando uma pesada lufada de ar.


Christopher: Francamente, Anahí, eu não sei. E acredito que jamais descobriremos. — Assim eu pensava naquele momento.


Naturalmente, eu não podia ter me enganado mais. O pesadelo ainda não tinha terminado.


************************************



Compartilhe este capítulo:

Autor(a): delenavondy

Este autor(a) escreve mais 15 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
Prévia do próximo capítulo

A vila estava quente e movimentada naquela manhã. O sol a pino me fazia suar e sonhar com uma boa caneca de cerveja, mas isso teria de esperar até mais tarde. Anahí se abrigava sob a sombrinha. Dulce ajeitava a capota do carrinho de bebê, para proteger melhor a pele de nossa filha. Maite, naturalmente, tentava escapar de seu cativeiro a cada trint ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 108



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • vondy_dulcete Postado em 03/11/2021 - 15:06:00

    O Ucker é um verdadeiro príncipe ♥️ quase chorei com ele

    • delenavondy Postado em 04/11/2021 - 18:20:56

      <3

  • vondy_dulcete Postado em 03/11/2021 - 15:05:21

    AFF que perfeito sua fic&#9829;&#65039; amei amei amei

  • taianetcn1992 Postado em 02/11/2021 - 07:53:42

    Aí meu deus, ameiii essa maratona, já quero mais como sempre &#128584;

    • delenavondy Postado em 02/11/2021 - 21:13:50

      Que bom <3 Vou terminar hoje os últimos capítulos

  • mandinha.bb Postado em 29/10/2021 - 14:22:04

    Estou megamente ansiosa por mais, sinto que logo eles encontram a Any, ainda mais agora que o Ucker recobriu a memória e acho que o cara que estava preso com o Ucker tem algo no meio, esse amigo dele deve estar com a pessoa que está com a Any, muito estranho o comportamento dele... Continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa plisssssssssssssssssssssssssssssssssss

    • delenavondy Postado em 30/10/2021 - 00:24:37

      já já posto mais...

  • taianetcn1992 Postado em 28/10/2021 - 05:32:47

    ansiosa pelos proximos

  • taianetcn1992 Postado em 28/10/2021 - 05:32:36

    quero mais

  • taianetcn1992 Postado em 28/10/2021 - 05:32:28

    voltaaaaaa

  • taianetcn1992 Postado em 28/10/2021 - 05:32:21

    kd vc ?

    • delenavondy Postado em 29/10/2021 - 00:17:17

      Desculpe, estou meio ocupada esses dias. Mas amanhã trago mais capítulo ok !

  • taianetcn1992 Postado em 28/10/2021 - 05:32:09

    pelo amor de deus

  • taianetcn1992 Postado em 28/10/2021 - 05:32:01

    mais mais mais


- Links Patrocinados -

Nossas redes sociais