Fanfics Brasil - Capítulo 62 Eles como Eles Mesmos (Reimaginação)

Fanfic: Eles como Eles Mesmos (Reimaginação) | Tema: Vondy, RBD


Capítulo: Capítulo 62

222 visualizações Denunciar


Apesar de toda a ânsia e desejo que estava sentindo, ao conectarem seus corpos, Ucker fez questão de fazer movimentos lentos e bem carinhosos pois ainda tinha certo receio em demonstrar a Dulce todo o desejo que tinha de faze-la sua de uma forma, digamos que... mais intensa e ela percebeu isso, percebeu que ele ainda não estava se entregando totalmente a este momento e sabia que isso, em grande parte, acontecia pelo fato dele ter medo de que ela não fosse gostar de ser amada de uma outra forma. Mal sabia Christopher que era exatamente isso que Dulce queria, necessitava urgententemente que ele a amasse sem reservas, sem preocupações. Precisava que ele se entregasse para aquele momento de corpo e alma


Como forma de demonstrar isso, ela cruzou suas pernas ao redor da cintura dele e o trouxe para mais perto de si em um movimento rápido brusco, fazendo com que o membro de Ucker ficasse inteiramente no interior de Dulce e ambos gemeram muito alto com a sensação de seus corpos estarem inteiramente unidos. Além disso, Dul colocou suas mãos na nuca de Ucker o trazendo para junto de si e, com as bocas muito próximas uma da outra, ela sussurrou.


Dul: Não precisa ter todo esse cuidado amor, não dessa vez. (ele olhou rapidamente para os olhos dela, voltando logo em seguida para a boca de Dulce e sorriu de uma forma especial, que somente ela conhecia. Uma forma cafajeste)


Ucker: Se quer que eu seja mais intenso desde o início, vai ter que falar a palavrinha mágica. (sorriu)


Dul: Não faça brincadeiras agora Ucker, não estou em condições de aguentar isso. (falou em tom de súplica e ele sorriu rapidamente, percebendo o quanto ela necessitada que ele intensificasse os seus movimentos)


Ucker: Se não falar, eu vou continuar assim (falou voltando a fazer movimentos leves dentro de Dulce o que, neste momento, só a deixava ainda mais desesperada)


Dul: Que mer/da de palavra é essa Ucker? (ele sorriu e se aproximou do ouvido dela)


Ucker: Começa com f... (sussurrou, dando em seguida uma leve e provocante mordida naquela região)


Dulce apertou ainda mais seus braços ao redor do pescoço de Ucker, fazendo com que ele não conseguisse se mover para que pudesse falar logo o que ele queria tanto ouvir e que, de certa forma, externava para ele tudo o que ela estava sentindo.


Dul: Me fode amor, me fode da forma mais intensa possível.


Ao escutar tais palavras, Ucker nem conseguiu se sentir satisfeito ao ter o seu pedido atendido, tudo o que ele conseguia pensar era em atender o pedido da sua amada. Por este motivo, ele a segurou forte na cintura e começou a dar estocadas cada vez mais intensas, fazendo com que em poucos minutos os corpos deles estivessem inundados de suor, o que possibilitou que seus corpos praticamente deslizassem um sobre o outro a cada nova investida que Christopher vazia.


Dulce só conseguia gemer cada vez mais alto no ouvido de Ucker que, por sua vez, dava beijos e mordidas no pescoço dela que certamente deixariam marcas no dia seguinte, mas estava fazendo como ela pediu, ou melhor, ordenou, sem maiores preocupações.


Alguns minutos depois, ainda mantendo a mesma intensidade de movimentos, Ucker, já totalmente saciado da região onde estava, começou a fazer uma trila de beijos no corpo de Dulce até chegar nos seios dela que se movimentavam freneticamente de baixo para cima o deixando, literalmente, com água na boca diante tal visão. Ele abocanhou um com gosto, dando chupões nele, enquanto apertava o outro e, alternando entre um e outro, ele se concentrou naquela região durante longos e prazerosos minutos enquanto Dulce gemia e puxava os cabelos dele, estando totalmente inebriada de prazer a cada toque de Ucker em seu corpo. Após também se saciar daquela região, ele voltou seu rosto para ficar de frente ao de Dulce que estava a muito tempo com os olhos fechados, apenas sentindo todo o amor e prazer que o seu namorado a estava proporcionando. Ele a beijou somente encostando os lábios e não obteve nenhuma reação em troca, em razão do estado no qual Dulce se encontrava. Ele então voltou a beija-la no pescoço e reuniu suas últimas energias para aumentar ainda mais a intensidade dos seus movimentos, se é que isso ainda era possível.


Os corpos dele se chocavam com tanta força que produziam um som que uma pessoa que estivesse em qualquer lugar daquela casa conseguiria escutar, enquanto isso, seus gemidos ficavam cada vez mais altos e frequentes, praticamente sendo confundidos com gritos e, ao sentirem que estavam prestes a chegarem no seu limite, ambos se aferraram um ao outro, deixaram seus lábios colados e se movimentaram o máximo que conseguiram até, enfim, chegarem, simultaneamente, ao ápice do prazer. Não lhe restando mais nenhuma energia, Ucker desfaleceu sobre o corpo de Dulce que o acolheu em seus braços, dando um beijo na testa molhada dele e em seguida ficou fazendo leves carinhos nos cabelos dele até que o mesmo tivesse mínimas condições de falar ou fazer algo. Dulce, por sua vez, também não estava em um estado muito diferente, apesar de ter feito bem menos esforço físico do que ele.


Sentia como se, por alguns minutos, a sua alma tivesse saído do seu corpo que tinha ficado leve e ao mesmo tempo dormente, não conseguia fazer nenhum movimento além de acalentar o corpo do seu amado enquanto esperava a respiração dele e a de si mesma voltarem a normalidade, o que demorou cerca de 10 minutos.


Ao sentir Ucker saindo de dentro de si e se deitando do lado esquerdo da cama, Dulce suspirou e passou rapidamente a mão em sua testa para tirar uma gota de suor que estava prestes a cair em seu olho. Em seguida, ao sentir Ucker a abraçando pela cintura e a dando um beijo no ombro, ela se virou, ficando de frente para ele.


Ucker: Estou pensando em uma palavra que pudesse descrever tudo o que acabou de acontecer entre a gente, mas nada me vem à mente.


Dul: No estado em que estamos, não podemos pensar em coisas muito elaboradas (ambos sorriem)


Ucker: Acha que essa foi a melhor? (ela fica alguns instantes em silêncio, pensando)


Dul: Não tenho certeza, mas acho que a que aconteceu quando nos reconciliamos e, por ter sido a minha primeira vez, ainda é a mais marcante.


Ucker: Vai ser difícil superar essa (Dul sorri)


Dul: Sim, mas essa com certeza está no top 3.


Ucker: Top 3 é muito pouco, precisamos ter, no mínimo, um top 5 (Dul sorri)


Dul: Teremos muitas chances para atualizarmos essa lista, fica tranquilo (o dá um rápido selinho)


Em seguida, ambos ficam em silêncio por alguns minutos, apenas olhando um para o outro, enquanto Ucker fazia carinhos circulares com o polegar na bochecha de Dulce.


Dul: Acha que um dia isso que temos pode acabar?


Ucker: Isso o quê? Nuestro Dulce amor? (falou de forma divertida, fazendo Dulce sorrir)


Dul: To falando sério, besta (ainda sorrindo, deu um leve tapa no braço dele)


Ucker: Não sou um profundo conhecedor de sentimentos amorosos, mas acho impossível que tudo o que sentimos um pelo outro acabe. (falou pegando em uma mexa do cabelo de Dulce, o acariciando)


Dul: Às vezes eu tenho medo, sabe? Tudo entre a gente é sempre tão intenso, tão especial, tão único, que é difícil acreditar que, agora que estamos juntos, isso irá durar pelo resto de nossas vidas. Parece bom demais pra ser verdade. (Ucker sorri)


Ucker: Eu não sei quanto tempo isso vai durar, o que sei é que te amo como nunca amei ninguém na minha vida. Te amo como um imbecil (Dul sorri)


Dul: Pareceu o Diego se declarando pra Roberta na última temporada da novela. (agora é a vez dele sorrir)


Ucker: O sentimento é igual. A necessidade de amar e de ser amado que tenho por você é igual a que o Diego tinha pela Roberta. (Dulce o olha totalmente apaixonada e emocionada por mais uma confissão de amor que ele tinha feito para ela e que sempre a impactavam muito e a fazia agradecer a Deus por amar e ser amada por um homem igual a Christopher)


Dul: Eu também te amo como uma imbecil (ele então se aproxima de Dulce e a beija de uma forma muito carinhosa e delicada, completamente diferente dos beijos afoitos e necessitados que estavam trocando a poucos minutos atrás, mas igualmente especiais)


Ucker; Quer fazer de novo? (sorri após o beijo, ainda olhando para a boca de Dulce)


Dul: Até parece que você teria forças para isso.


Ucker: É claro que eu posso, meu anjo de cabelos vermelhos (Dul sorri ao ouvir este novo apelido dado a sua pessoa). Você só precisa me dar alguns minutos para recobrar o fôlego e, talvez, um enérgico para recuperar um pouco as minhas forças.


Dul: Você não tem jeito mesmo (sorriu, negando com a cabeça enquanto colocou uma mão no rosto de Ucker o empurrando levemente. Ele, por sua vez, segurou carinhosamente a mão dela e se reaproximou de Dulce)


Ucker: Então o que quer fazer? Já está com sono?


Dul: Não muito, mas talvez eu esteja com o coração ainda muito acelerado para saber o quão cansada eu estou de verdade (Ucker sorriu). Acho melhor dormirmos logo, já deve ser quase duas da manhã.


Ucker: Tem razão, é melhor dormirmos. Já estou sentindo meu corpo um pouco pesado de sono.


Dul: E ainda queria ficar de gracinhas comigo (ambos sorriram muito)


Ucker: Só você mesmo para ainda usar a palavra gracinhas meu amor (dá um selinho nela que sorri)


Em seguida, já estando todas as luzes apagadas, Dulce se virou e puxou Ucker pelo braço, fazendo com que ele a abraçasse pela cintura e repousasse seu queixo na altura dos ombros dela. Após isso, Dulce ligou o ar-condicionado do quarto, enrolou os dois com o lençol que havia por ali e assim, desnudos e abraçados, ambos rapidamente pegaram no sono, pois de fato, estavam muito cansados e ao mesmo tempo felizes e realizados por estarem, por mais uma noite, dormindo juntos e sentindo o calor que o corpo um do outro exalava.



Compartilhe este capítulo:

Autor(a): anacarla

Este autor(a) escreve mais 4 Fanfics, você gostaria de conhecê-las?

+ Fanfics do autor(a)
- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

No dia seguinte... Antes mesmo dos primeiros raios solares aparecerem, Dulce subitamente acorda do seu sono por um barulho ensurdecedor que contagiava todo o quarto. Ela, ainda com os olhos fechados e não acreditando que o seu sono havia sido interrompido de tal forma, tateou, com uma das mãos, o criado mudo ao lado de sua cama que era onde estava o seu celula ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 13



Para comentar, você deve estar logado no site.

  • bia. Postado em 24/05/2023 - 23:02:01

    Continua!!!

  • bia. Postado em 03/05/2023 - 13:00:31

    Continua por favor!!!

    • anacarla Postado em 03/05/2023 - 18:42:58

      Boa noite, agora sim eu vou continuar. Pra te falar a verdade eu estava meio desanimada pois ninguem comentou desde que eu voltei a postar. Até sexta teremos novos capítulos. Bjss e obrigada pelo apoio.

  • raylane06 Postado em 01/12/2021 - 01:52:04

    Ansiosa e cuirosa para o próximo capítulo

  • raylane06 Postado em 29/11/2021 - 21:23:31

    O chris vai arrumar um boy pra tbm rsrs. Casal pony e vondy juntos e felizes isso sim.

  • raylane06 Postado em 27/11/2021 - 02:04:43

    Agora sim eles juntinhos.

    • anacarla Postado em 28/11/2021 - 19:18:41

      obg pelo comentário e pelo apoio!

  • raylane06 Postado em 04/11/2021 - 20:53:51

    Ela ficou com medo de prejudicar a banda enquanto o casal ponny tao curtinho. Ai ai vai sofrer mesmo agora

  • raylane06 Postado em 04/11/2021 - 02:55:06

    Dul covarde. Coitado do ucker

    • anacarla Postado em 04/11/2021 - 09:45:50

      Agr vai ter q lutar pra reconquistar o boy kkk

  • dessaya Postado em 18/10/2021 - 22:17:42

    Olá, gostaria de uma capa, banner, batagem ou um trailer para sua fanfic? então conheça o www.wonderfuldesigns.com.br um blog criado especialmente para isso

  • raylane06 Postado em 18/10/2021 - 01:30:37

    Amando..

  • raylane06 Postado em 15/10/2021 - 01:27:36

    Continua


- Links Patrocinados -

Nossas redes sociais