Fanfics Brasil Fanfics Brasil
Cadastro

Fanfic: Amores Imperfeitos | Tema: Naruto, Irmãos uchiha, incesto, gay/Yaoi, erótico.


Capítulo: Mente diabólica: capítulo 7

88 visualizações Denunciar


 


A partir do momento em que sentei em sua boca, já tinha plena consciência de que meu corpo foi entregue à boca de um lobo, e que nesse ritual, eu seria a presa devorada por ele. Mesmo com os pulsos algemados, minhas mãos vestidas de patas de felino agarravam seus cabelos com força máxima a cada vez que sentia sua língua gelada lambendo minha entrada. Ele a enfiava e a movimentava dentro de mim das mais variadas formas possíveis. Tenho certeza de que se não estivesse ainda com a droga desses anéis penianos eu já teria gozado umas dez vezes. 


 


De repente, sinto suas mãos pressionarem minha cintura forçando o movimento dos meus quadris. Entendi. Ele quer que eu rebole em sua boquinha. Só bastou o primeiro movimento que ele fez para que eu mesmo continuasse o gingado, e foi aí que eu automaticamente me rendi à sua loucura e a total submissão de Itachi.


 


Meu corpo não reage mais a minha própria vontade, é como se todas as minhas células estivessem esperando ansiosamente por seus comandos. Quando foi que eu fiquei tão obediente assim? Da minha boca jamais sairá qualquer questionamento agora. Por que eu me rendi desse jeito? Na verdade, da minha boca só sai gemidos alucinantes e abafados pela mordaça. A cada pulsão que meu pau dá, sinto uma vontade enorme de estourar a desgraça desses anéis. Já está doendo, eu preciso gozar, mas nem consigo dizer nada. 


 


Depois que terminou de limpar todo o chantilly do meu cuzinho, ele deslizou seu corpo para cima de modo que eu fique sentado em cima de sua pica. Só pelo contato de minha pele roçando em seu duríssimo pênis que está por baixo da calça, minha ejaculação consegue vencer a força dos anéis e começa a escorrer pela cabecinha do meu pau. Então, sinto a ponta de seu dedo polegar limpando meu pré-gozo. Pela minha experiência com ele, tenho 100% de certeza que Ita o colocou na boca. 


 


Após isso, acabo sendo surpreendido por suas mãos puxando meu corpo para deitar sobre seu peito. Minha respiração está tão acelerada quanto a dele. Ita não está mais com sua camisa e meu rosto encosta nos seus músculos. Esse é o meu limite. Já não consigo mais resistir a dor de meu pau inchando de gozo e ele continuar impedindo que saia. No mesmo instante, uma de suas mãos dá uma forte palmada na minha bunda, que logo depois a contorna e inesperadamente enfia seus dedos dentro do meu ânus.


 


- Sua bundinha está começando a ficar colorida, do jeitinho que gosto. Isso me excita! - Itachi sussurra em meu ouvido. 


 


Meu corpo imediatamente se ergue desesperadamente para trás. Não só de dor, mas agonizando de desejo. Porra! Nunca pensei que ele fosse me torturar dessa maneira. A minha ruína é que Itachi sabe exatamente como me deixar completamente louco por ele. Quando Ita me penetra com os dedos, de forma agoniada eu esfrego meu rosto em seu peito tentando retirar a venda. Diante dessa movimentação estranha, ele decide realmente retirá-la. No momento em que pude enxergar seu rosto, esganicei-me mesmo com a boca obstruída, e concentrei toda a agonia e desespero no olhar, que o implorava por ajuda. Não demorou muito para que entendesse o que estou tentando dizer. Assim, ele me dá um sorriso diabólico como se estivesse enfim alcançando o seu objetivo, me vira e logo retira os anéis do meu pênis, o colocando imediatamente na boca no mesmo momento em que soltou a mordaça.  


 


 - Aaaaahhhhhhh……!!!! - Eu gritei forte enquanto ejaculava em sua boca.


 


Os olhos chegam a lacrimejar durante eles, ao passo em que meu corpo convulsivamente se curva em sua direção. Meus gritos são de desespero e alívio ao mesmo tempo. Embora minhas mãos ainda estejam limitadas pela algema, puxo com força seus cabelos e encho toda a sua boca. 


 


- Hummm… - Itachi emite a sonoridade com uma expressão extremamente maliciosa, provavelmente impressionado com o quanto estou o fazendo beber. Minha cabeça se inclina para trás e continuo gemendo alto. Assim que termino de gozar e ele termina de beber tudo, Ita não me dá tempo para que relaxe; em nenhum momento demonstra piedade. 


 


Quando menos espero, sua língua sobe e desce lambendo meu pau de cima a baixo. Pouco tempo depois, já estou entrando e saindo de sua boca, indo parar bem no fundo de sua garganta. Porra! A maneira entusiasmante que ele chupa, arranca de mim o restante da força que já não tinha para tentar repreendê-lo. Ele é tão lindo e seus lábios são tão macios. Dá pra ver que ele está adorando fazer isso. Esse homem é simplesmente irresistível. Vou gozar de novo em sua boca!


 


À medida em que gozo novamente, minhas pernas tremem, meu corpo todo estremece, e seus lábios ainda continuam lá grudados em mim. Então, começo a acariciar sua cabeça e reúno o pouco de forças que apareceu para finalmente parar de gemer e dizer alguma coisa. 


 


- Amoorr… e-eu não a-aguento mais, por favor, paraaaa. E-eu te imploro! - Digo me esforçando ao máximo para completar as palavras, de tanto que arfo.


- Muito bem! - Ele diz em tom baixo e rouco enquanto retira a boca de meu membro.


- Já acabou? - Pergunto esperançoso.


- De começar. - Ita complementa. 


- Nãooo, por favor, não tô mais aguentando!!


- Olhe para o relógio e me informe a hora exata. - Ele ordena.


- São 08:10 da manhã. 


- Como sou justo, você terá 10 min para descansar. 1 min para cada hora.


- Como assim 1 min para cada hora? - Pergunto assustado.


- Me deixe esclarecer melhor as coisas. Essa foi a última vez que permiti você gozar, após seu período de descanso, só o liberarei para ejacular novamente depois das 18:20h. 


 


Quando penso em reclamar ele diz:


 


- Se eu fosse você, não estressaria o marido que ainda está de bom humor. Ele poderia facilmente amarrar uma mordaça. - Itachi debocha.


 


Diante daquela provocação totalmente verídica, apenas faço uma careta e me jogo na cama com os olhos fechados. 


 


- Poderia ao menos soltar as minhas mãos?


 


Ele inspira profundamente e retira as algemas de meus pulsos com o olhar fixo em meus olhos. Ahh que alívio! Finalmente Itachi as retirou. Quando olho para o relógio, já haviam se passado 5 min, então redireciono meu olhar para o teto e uma expressão de medo começa a estampar meu rosto.


 


 - O que há com você? - Ele pergunta mesmo sabendo a resposta. 


- Ainda não consegui descansar. - Digo desanimado e afundando a cara no travesseiro. 


- Se não consegue resistir a uma mera distração, jamais o verei como digno de carregar meu sobrenome, muito menos como um oponente à altura.  


 


Que filho da puta! O objetivo seria duelar contra a casa, mas ele já está levando isso para o lado pessoal. Eu tô phodido, mas não vou me render assim tão fácil. 


 


- Bem, seu tempo acabou. - Ita diz com o fantasma de um sorriso mau no rosto.


 


Ele permite que iniciemos essa etapa sem usar a mordaça, contudo, ainda permanecerei com a venda e com as mãos algemadas. Feito isso, ele novamente me posiciona de quatro. 


 


Arqueio as minhas costas a cada palmada que recebo dele, do mesmo modo que faço uma força descomunal nos lábios para não expressar gemidos. Sou orgulhoso tanto quanto ele e dessa vez, não cederei às tentações de seu corpo. Logo depois, ele encharca as suas mãos de óleo de menta e espalha pela minha bunda fazendo movimentos circulares. Ele também encharca meu ânus e me surpreende penetrando sem aviso prévio, três dedos. 


 


 - Aahh… - Um baixo gemidinho escapa dos meus lábios.


- O que foi, Sasu? Tá gostoso?


 


Como me recusei a responder, ele me chicoteia.


 


- Aahh… S-sim. - Respondo com dificuldade. 


 


Fico me perguntando o que ele fará em seguida. Após minha resposta, seus dedos passam a entrar profundamente e saírem de modo rápido do meu cuzinho, sem tirar o fato de que a menta também deixa tudo mais intenso. E novamente perco pra ele no momento em que me deleitei totalmente a essas sensações. Estou tão excitado que meu pau poderia explodir a qualquer momento. 


 


- Quer gozar só com meus dedos? - Ele diz abaixando-se para lamber o pré-gozo que escorreu. - Mas não deixarei agora!  Ainda faltam 9h 57 min e 35s. 


 


Instantaneamente a aflição bate. Como assim, só se passaram 3 min? Não demora muito e ele põe algo na minha boca para que eu possa chupar. Humm…é estranho. Metálico e de tamanho razoável. Acho que deve ter uns 7 cm. Agora tenho certeza, isso é um plug anal. Droga! Assim que termino de lambê-lo, o plug é inserido em mim. Meu corpo sobressaltou na mesma hora. O que eu não sabia é que nesse plug estava acoplada uma cauda de gato. Essa não! Ele vai puxar. Mal posso terminar minha dedução e já sinto ele enrolando o rabo entre seus dedos e o puxando bruscamente, ao passo em que retorna a impedir minha ejaculação com um anel duplo.


 


- Aaahhhhhhhh…. - Eu grito incoerentemente durante o orgasmo.


- Se não tivesse o colocado a tempo, agora mesmo você esguicharia pra todo lado.


 


O anel que ele utilizou para prender o meu pau é diferente dos anteriores. Dessa vez ele só me prendeu com um. Mais que suficiente pra me fazer agonizar, pois ele também funciona como vibrador. Isso é trapaça! Itachi se alimenta dos meus gemidos desesperados enquanto introduz o rabo e o puxa, incontáveis vezes. Se ele continuar com isso, passarei a delirar.


 


Esse homem me enlouqueceu por horas e mais horas que parecem nunca terminar. Não faço ideia de quantos orgasmos já tive. Só contei até onze, e todos eles ainda estão acumulados no meu cacete. 


 


De repente, ele retira definitivamente o plug anal e enterra correntes de bolinhas tailandesas para puxar de supetão. Enchia meu cuzinho de chantilly, as colocava novamente e tirava com força. Toda a minha estrutura tremia e eu gritava até que a voz parou de sair. Da minha garganta já nem se escutava mais som algum, de tanto que gemi, a voz sumiu. Meu rosto é molhado por minhas lágrimas que sinalizam a desfalência do corpo. O prazer vai além da minha capacidade física de suportar. 


 


Quando penso que estamos chegando ao fim, Ita decide testar vários tipos de formatos diferentes de paus de silicone em meu cu. Parece que vou morrer. Eu preciso gozar! nem sei mais como está o estado do meu pênis. Ao passo em que ele os testava em mim, me posicionava de forma diferente para receber cada um dos consolos. 


 


No total, foram mais de vinte sete paus divergentes que recebi. Cada um com uma especialidade prazerosa de sofrimento. Estou tão fraco que nem consigo mais me sustentar nas posições. É angustiante mesmo o fato de ficar deitado. Quando ele percebe isso, retira o último consolo e introduz um enorme vibrador com dez níveis. O controle remoto que provavelmente está em suas mãos, é ligado na intensidade máxima. Me contorço o implorando para retirar; digo que não aguento mais, porém, não era como se o deus me julgasse realmente merecedor para atender às minhas súplicas. E esse é o exato momento em que verdadeiramente assumo minha loucura por ele.  


 


Depois de uns 10min, sinto que vou desmaiar, então ele remove o vibrador e as algemas, mas só retira o anel duplo exatamente às 18:20. Durante esse meio tempo, desamarra a minha venda, despeja chocolate derretido em seu peitoral e me puxa pela coleira para lamber seu corpo. Saboreio cada centímetro delicioso dos seus músculos, os deixando limpinhos novamente. Em seguida, ele puxa meus cabelos para cima, erguendo minha cabeça e parte do meu tronco de um modo que me posicionei de joelhos.


 


- Abra a minha calça! - Ele ordena. 


 


Quando vou utilizar as mãos para abri-la, Ita me repreende e exige que a abra com a boca. Tive um pouco de dificuldade, mas consegui. Então ele enfia seu pau bem no fundo da minha garganta e goza. O que eu mais gosto, é que Ita sempre goza muito. Acho que bebi aproximadamente um copo cheio. Depois que bebi tudo, ele olha para o relógio e finalmente autoriza minha ejaculação. 


 


- Aaaahhhhh….. - Eu grito aliviado. 


- Bem cheio, hein? - Itachi diz sorrindo satisfeito com o resultado.


 


Agora, eu só quero gemer e esguichar tudo isso que acumulei. Quando estou pra finalizar, um pouco do esperma é arremessado para seu peito na qual ele prontamente passa o dedo e o lambe.


 


- Humm...salgadinho. Você é muito gostoso, Sasuke.


 


Meu rosto imediatamente cora de vergonha. Nessa situação, ele me agarra e me beija intensamente. Merda. Não consigo ficar bravo, mas também, definitivamente não quero ser torturado por ele de novo. No momento em que nos afastamos do beijo completamente ofegantes, me joguei na cama e puxei o travesseiro. Itachi sobe em cima de mim excitado, esfrega sua língua gelada pelo meu pescoço e me dá mordidinhas na orelha. 


 


- Nem pense em descansar. - Ele fala já perdendo o controle enquanto me beija. - Eu ainda não comi o seu cuzinho!


- Nem pense em fazer isso, eu não vou aguentar e meu tempo já acabou!


- Vai, por..fa..vor… - Ele diz pausadamente durante os selinhos que me dá, tentando me convencer.


- Tá, tá! Mas escute aqui, eu quero comer Yakisoba, quero que me dê banho, massagem, que assista comigo aquele anime que você disse que não gostou, e que me acorde também amanhã de manhã com café na cama. E outra...mal consigo sentar, então quero férias do seu pau.


- O que você quiser, mas em troca, eu também vou colocar tudo.


- O qu…


 


Minha fala é interrompida por sua penetração inesperada. Porra! Meus gemidos saem forte. Eu não acredito que ele colocou tudo e que eu ainda estou vivo. Dói, mas não como da outra vez; é suportável. Lá no fundo, acho que ele estava me preparando esse tempo todo pra isso. 


 


Na medida em que ele soca todo o seu grosso pau dentro de mim, eu o abraço e cravo as garras da luva em suas costas, fazendo questão de rasgá-lo. 


 


- Que homem tesudo eu tenho. - Sussurro em seu ouvido lhe provocando.


 


Ele sorri e suas mãos procuram as minhas para se entrelaçarem.


 


- Amor… Posso gozar dentro? - Ele pergunta arfando.


- Pode! Confirmo acariciando seus cabelos enquanto ele me enche até transbordar. 


 


Depois que fizemos amor, ele fez tudo o que pedi e fomos dormir, mas durante a madrugada, acordo com a notificação de uma missão dizendo: "Chupe seu parceiro enquanto dorme" provavelmente ele está em sono profundo, acho que tá tudo bem. Serei rápido! 


 


Então, aproveitando que estamos nus, me escondo por debaixo do cobertor e começo a chupá-lo. Ita goza consecutivas vezes em minha boca. 


 


- Parece que meu bebê ainda não tomou leitinho suficiente. - Itachi diz puxando o cobertor para ver a cena. 


- É uma missão! 


- É? Então por que não parou na minha primeira gozada? - Ele pergunta me dando um sorriso carinhoso.


 


Como fiquei sem argumentos, apenas volto a chupá-lo, e Inesperadamente a porta de nosso quarto se abre e alguém entra. 


 


- Ora, ora...o que temos aqui? Itachi eu preciso de sua ajuda - Diz Deidara invadindo nossa privacidade. 


- Agora não dá! Não tá vendo que meu bebê está tomando seu leitinho? - Itachi diz nenhum pouco surpreendido com a presença dele e muito menos envergonhado.


 


Em nenhum momento eu largo minha mamadeira para olhar o Deidara. Como esse desgraçado entrou aqui? Ele não está assustado, apenas fica parado vendo a cena. Alguns segundos depois, ele vem em direção a cama, senta ao nosso lado, afasta meu cabelo para ver nitidamente meu rosto o chupando e diz:


 


- Aprecio sua mamada e sua gostosa mamadeira, mas eu também quero leitinho.


 


 


Continua….


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


    



Compartilhe este capítulo:

Autor(a): coelho_negro

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).




Loading...

Autor(a) ainda não publicou o próximo capítulo



Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 0



Para comentar, você deve estar logado no site.




Nossas redes sociais