Fanfics Brasil - Capítulo - Christmas Special THE OPPOSITE LEADS TO PERFECTION (Sebastian Sallow x Fem!OC)

Fanfic: THE OPPOSITE LEADS TO PERFECTION (Sebastian Sallow x Fem!OC) | Tema: Hogwarts Legacy, Shadowhunters, Sebastian Sallow


Capítulo: Capítulo - Christmas Special

30 visualizações Denunciar


Neve caía ao redor do grande castelo, conferindo-lhe uma aparência antiga, mas iluminado por velas de diferentes cores que sinalizavam a ocasião natalina. Os braços da garota repousavam sobre o parapeito da varanda da grande entrada do viaduto. Ela sentia os flocos de neve caindo sobre seu cabelo arrumado e em sua pele nua dos ombros, resultado de mais um desentendimento com seu namorado, Leander. Ela estava cada vez mais cansada dessas discussões sem sentido, questionando se talvez Leander tinha razão quando dizia que ela deveria parar de ser tão carente.


Não que Lívia fosse carente, longe disso. Ela apenas gostava que seu namorado mostrasse um pouco daquilo que já fora para ela. O grifinório tornara-se frio, e a garota queria terminar o relacionamento, mas não conseguia devido às desculpas frequentes de Leander para justificar suas ações.


No baile, o comportamento de Leander não passou despercebido. Apesar de ser uma pessoa comunicativa, ele criticou a roupa que Lívia usava e quase a obrigou a tirar, afirmando que a namorada dele não deveria se vestir assim. Lívia usava um vestido azul-bebê com detalhes dourados e pouco decote, mas Leander insistia em sua opinião. A garota ameaçou terminar o relacionamento se ele continuasse insistindo, deixando claro que não permitiria que ele controlasse sua maneira de se vestir.


Sentada na varanda, Lívia apoiava os cotovelos na pedra fria, suas mãos segurando a cabeça. Seu olhar distante refletia a sensação de mais um ano terminando, com objetivos semelhantes para o próximo ano: esforçar-se cada vez mais nas aulas. No entanto, a expectativa de receber sua runa angelical ao concluir o treinamento como caçadora de sombras, juntamente com seu irmão Blake, a animava. Essa runa era oferecida aos caçadores de sombras no momento em que concluíam seus treinamentos, e apenas seus pais, além da família Sallow, sabiam sobre esse evento especial.


Apesar da ansiedade, Lívia contava com o apoio de sua família e de sua melhor amiga, Anne, na cerimônia rúnica realizada pelos irmãos do Silêncio. Ela sentia-se feliz por ter concluído o treinamento ao lado de seu irmão, mas a ansiedade ainda reinava. Fechando os olhos, ignorando o frio e o possível resfriado devido à falta de sua jaqueta, Lívia parecia deslocada, sendo a única sem a atenção de seu par. Seus olhos cristais, em um tom azul-bebê, observavam as grandes montanhas por trás do castelo escocês. No entanto, logo abaixou a cabeça, soltando um longo suspiro. Nada fazia sentido para ela, e ela começava a sentir-se incomodativa mesmo com seus amigos garantindo o contrário.


Nesse momento, Lívia desejava estar fora do castelo, talvez caçando ou fazendo qualquer outra coisa. Foi então que ela se lembrou do evento especial em Hogsmeade nesta época, onde as pessoas colocavam seus desejos para um futuro glorioso com seus parceiros. Mesmo que Leander não fosse fã dessas coisas, ela pensou em ir sozinha para pelo menos conferir, já que nunca teve essa oportunidade.


- Rauscher?


Ao ouvir aquela voz, ela revirou os olhos. Era o que mais faltava para concluir uma noite de forma chata; só faltava ele, a sombra. Lívia ainda não tinha visto Sebastian o dia todo, o que ela agradecia a Merlin por isso, mas ela não podia estar mais enganada agora e se maldiçoava por isso.


- O que queres, Sallow? *Ela olhou para ele com desdém.*


Lívia já estava pronta para a treta que ele poderia vir fazer naquela hora, pois já nada lhe afetava depois do stress com Leander.


- Calma, vim na paz. *Ele ergueu as mãos como sinal de rendição.* - Hoje não quero te chatear, só estava curioso porque te vi saindo do salão tão apressada."


- Não é nada, eu estou bem... *Ela murmurou, e nesse momento um suspiro pesado saiu de seus pulmões.*


- Eu também não perguntei se estavas bem. *Ele sorriu maliciosamente, o que fez Lívia revirar os olhos, mas logo em seguida ele voltou a um olhar neutro.* - Mas o teu rosto diz outra coisa... *Seus lábios fizeram uma ligeira curva de lado.*


- Não é nada, e se me deres licença, estou me retirando agora.


Lívia não se sentia muito confortável ao conversar com ele tão normal, ela sabia que os dois tinham aquele trato, mas ela tinha muita dificuldade em falar normal com ele, até porque Sebastian a estaria a chatear uma hora ou outra, mesmo que ele tentasse e isso era irritante para a lufana.


E com isso, ela assobiou e depois de uns minutos, seu epo grifo estava junto a eles. Ela começou a acariciar o pelo do animal amistoso fazendo fechar os olhos de satisfação.


- Tás tão linda hoje, Mixie. *Ela sorriu animadamente para o animal.* - Pronta para darmos uma volta, princesa? *Os seus olhos cristalinos filhavam na luz lunar como dois diamantes raros à medida que fazia carinho no animal que tinha confiança com a mesma*


Ele não se conteve e deu alguns passos para a frente como se quisesse ir até perto dela, mas isso não representava algum motivo de preocupação para ele. Sebastian pensou em algo e virou a cabeça na direção de Lívia.


- Só uma pergunta para ti, é bem rápida, vais mesmo sair sem casaco?


Sebastian olhou para os ombros descobertos da garota. Todas as palavras foram ditas sem raiva, mas sim com um olhar de preocupação, na verdade. O fato de ela não querer usar casaco na neve estava a irritá-lo imensamente. Afinal, eles nem se falavam mais sem estarem sempre em briga. A garota olhou para ele com uma sobrancelha arqueada.


- Quando lá chegar, eu vestirei algo. *Ela respondeu de forma que o tranquilizasse, mesmo sabendo que Sebastian não ligava para seu bem-estar.*


A ave se abaixou para que assim a garota conseguisse subir. Já em cima de Mixie, ela olhou para Sebastian.


- Se eu fosse a ti, voltaria para dentro. A Imelda pode ficar preocupada por não te ver.


- Ela mencionou que precisava resolver algo e voltaria em duas horas, então estou sem planos. *O garoto olhou ao redor e depois para ele, questionando como ela não sentia frio naquele momento.* - Vais para Hogsmeade?"


Lívia olhou para ele surpresa e se perguntou como ele sabia a onde a garota estaria para ir. Ela voltou a levantar a sobrancelha esquerda.


- C-como sabes? *A voz dela falhou.*


- Não sabia. *Ele sorriu de lado.* - Apenas calculei pelo fato do festival no mesmo dia do baile.


Sebastian tirou sua máscara e limpou com a manga do seu casaco.


- Já agora, como sabias que era eu que estava a caminho para cá?


- Bem, era algo entre um palpite e um instinto...


- Eu me perguntava como tu estarias hoje à noite, se estarias disfarçada para tentar disfarçar a tua falta de cuidado por ti mesma. *Sebastian falava de modo sarcástico, mas tinha verdade em seus comentários*


Seus olhos se voltaram para Lívia quando ela estava em cima do amistoso animal.


- Especialmente do facto de seres baixinha. *Seu sorriso era travesso, enquanto gesticulava com as mãos indicando uma altura pequena para provocá-la.*


- Vai te foder, Sallow! *Ela soltou um bufar de frustração, dirigindo seu descontentamento a uma das pontas da sua franja.* - Dá o fora daqui, é a melhor coisa que podes fazer!


- Ah, mas eu não vou mesmo! *Ele respondeu, especialmente incomodado por ela estar sem casaco.* - E tu não vais a lado nenhum assim! *Ele mudou sua expressão para uma séria*


- Agora és meu pai? *Ela arqueou as sobrancelhas incrédula com a ousadia dele.*


- Eu sou muito melhor que teu pai, senhorita Rauscher! *Ele sorriu demonstrando superioridade.* - Ele não está aqui, nem o teu irmão, que neste momento está no baile com a namorada dele. Então, vou fazer esse favor a eles. *Ele falou num tom de sarcasmo*


- Hahaha, tu nem a tua vida cuidas, imagina a minha! *Ela limpou uma lágrima que começava a querer sair de seu olho esquerdo por causa de estar a gargalhar com o comentário idiota do sonserino*


Sebastian fez uma expressão de desprezo, mesmo ele nem se importando com o que a garota tinha rido, ele se sentia como se a tivesse ofendido.


- Pelo menos tenho mais responsabilidade que tu. *O seu discurso foi uma imitação da garota.*


- Sério? *Ela fingiu estar admirada com ele.* - Ainda me admira de não teres juntado aos Comensais da Morte!?


Sebastian estava furioso. Ele sentia um frio na barriga que não era uma reação física à baixa temperatura, não ia permitir que ela o comparasse com aquela gente que tinha uma mentalidade fraca. Isso ia contra tudo o que seus pais lhe ensinaram e o que explicaram sobre a Guerra Bruxa que ambos passaram. Até porque Sebastian queria ser um Auror como seu pai. Se meter nesses caminhos só estragaria a reputação de sua família. Mesmo quando Imelda falava sobre o assunto, ele respondia com clareza que eles eram gente sem noção das coisas que faziam e que ele se considerava superior, o que deixava Imelda incrédula.


- Não te atrevas a comparar o meu esforço pela vida com o dos Comensais da Morte, e a minha vida não te diz respeito.


Lívia riu com deboche, sua expressão mostrava que estava pronta para uma resposta afiada.


- Oh, claro, Sallow. Estás a esconder tão bem os teus "esforços pela vida" que é difícil até perceber que te esforças. *Ela retrucou, com um sorriso cínico nos lábios.*


A atmosfera entre os dois estava cada vez mais tensa, como se estivessem numa espécie de duelo verbal. Sebastian apertou os punhos, controlando a raiva apesar da garota no fundo estar apenas a descarregar a frustração dela nele naquele momento.


- O teu sarcasmo não me atinge, Rauscher. Sabes que sou melhor que isso. *ele falou, tentando manter a calma, mas a tensão era palpável.*


Lívia olhou diretamente nos olhos de Sebastian, desafiando-o.


-Melhor? Querido, tu não és melhor que ninguém. Na verdade, acho que até os elfos domésticos têm mais moral que tu. *provocou ela.*


Sebastian apertou os dentes, respirando fundo para não perder o controle.*


- Rauscher, é melhor parares com essas insinuações. Não sabes nada sobre mim. *advertiu ele, tentando conter a raiva.*


- Mas sei, Sallow. Sei que te tornas-te um grande otário daquele garoto curioso que eu conhecia. *Ela respondeu.* - Então para de te meter na minha vida! *Ela ficou com um ar sério e cansado desta vez.* Aos anos que tu não fazes parte dela e nem pretendo saber sobre a tua!


A tensão entre os dois era palpável, como uma tempestade prestes a desabar. O frio da noite parecia não ser nada comparado ao gelo que emanava da troca de olhares entre eles. Ela tentou ser fria, mas no fundo, o peso de suas palavras doeu mais do que gostaria de admitir. A antiga amizade que compartilharam até os 12 anos já não fazia parte de suas vidas, e se não fosse pela insistência de Sebastian em manter contato para irritá-la, ela teria cortado os laços definitivamente. Sebastian abriu os olhos em choque, mas rapidamente recompôs-se, exibindo um sorriso sarcástico.


- Olha que comovente, a garota que conheci era mais carinhosa do que a dos tempos atuais! *O garoto tentava disfarçar qualquer sinal de que as palavras dela o afetaram.*


- ... *Ela virou o rosto frustrada*


- R-Rauscher, eu... *A voz dele tremeu por uns segundos.*


Lívia tentou não demonstrar sua mágoa, voltando a olhá-lo com uma expressão neutra.


- Não, tu tens razão, nós não somos mais os mesmos, e por isso tua vida ou a minha não diz respeito a nenhum dos dois. *Ela voltou sua atenção para o epo grifo.* - Vamos, Mixie?


Mas antes que ela pudesse sair, Sebastian agarrou seu braço, impedindo-a de deixar a discussão naquele ponto. Ele parecia deprimido, uma mudança notável do seu habitual sarcasmo, fazendo com que Lívia prestasse atenção nele com frustração.


- Me larga o braço. *Ela tentou falar num tom neutro.*


- Não até tu me escutares!


- Não temos mais nada que falar um com o outro! *Ela respondeu com indiferença.*


A garota puxou o braço para fora do alcance dele com irritação, mas esse movimento brusco assustou o animal, que levantou seu corpo, fazendo com que Lívia se desequilibrasse. Foi tudo muito rápido, e no momento nem deu tempo de Sebastian poder socorrer a garota, que agora estava caída e machucada. O sonserino correu para junto dela e, por um momento, temeu pelo pior ao ver ela se contorcer de dores.


- Rauscher, tu estás bem?


Ele tentou passar a mão para verificar se o machucado tinha sido forte, mas Lívia o afastou com a mão que antes segurava seu braço.


- N-não me toques! *Ela voltou com sua mão sobre o braço que doía* Ai, ai, meu braço. *Ela serrou os olhos e apertou os lábios com força.*


A sorte de não ter acontecido algo muito grave foi seu poder de ancestralidade que Lívia compartilhava com seu irmão Blake, que diminuiu o impacto de sua queda, mas não o suficiente para a proteger de ter sentido a dor pelo corpo todo.


- Para de ser teimosa e me deixa ver essa merda! *Ele resmungou.*


Com isso, Sebastian voltou a se aproximar de Lívia para tentar analisar seu braço machucado, passando a mão com delicadeza, de forma que não a magoasse mais do que ela já estava. Ele estava tentando verificar se ela tinha partido o osso, mas não havia vestígios de algo quebrado, além dos machucados e uma possível entorse.


P-por favor, para... Ela tentou afastar a mão dele do braço dela, mas as dores a fizeram contorcer - Ai...


Rauscher, por favor, me deixa ver essa porra... O garoto implorava para que ela o deixasse ver seu braço


A irritação do sonserino tinha sido substituída por uma expressão de pura preocupação. Ele estaria em apuros depois com o irmão dela e com sua irmã, mas também ficou preocupado com ela genuinamente diante da situação tão desagradável como a atual. Lívia não deu a chance de ele chegar novamente perto dela e tentou se levantar. A garota não queria que ele se preocupasse com ela. Ao se levantar, sua perna também machucada a fez desequilibrar novamente, ao ponto que Sebastian teve que a segurar para que ela não voltasse com a cara no chão.


- Pára com isso, Rauscher. Tu estás machucada. *Ele falou com sinceridade na voz, tentando convencê-la a aceitar ajuda.*


Sebastian tentava não pensar em como explicaria a situação para os outros e se sentia dividido entre a raiva pela teimosia de Lívia e a preocupação legítima pelo estado dela. Ele a estava a segurar contra si, mantendo sua posição reta ao mesmo tempo que sentia suas pernas bambas enquanto isso Sebastian procurou no bolso de seu casaco uma poção de Wiggenweld sem deixar ele nenhum segundo e Lívia não sabia o que falar com ele pois suas dores a estavam a levar a um estado de pânico interno. Quando finalmente o sonserino encontrou uma poção que ele sabia ter trazido por precaução. Ele a estendeu para ela e disse:


- Bebe!


Ela corou diante da bondade dele naquele momento, não estava acostumada com tal atenção, mas sabia que precisava se curar para poder ir a Hogsmeade. Lívia prontamente pegou a poção e a ingeriu; suas dores começaram a diminuir, mas ela tinha consciência de que aquilo não seria suficiente. Era hora de utilizar uma runa.


Distanciando-se um pouco dele com dificuldade por causa de suas pernas que cabalavam, Lívia alcançou sua varinha, guardada na faixa de sua perna direita. Para fazer isso, teve que virar as costas, levantando um pouco a saia do seu vestido comprido para acessar a varinha. Virando a ponta da mesma na direção da esfera cristalizada, fez com que as runas em seu corpo reagissem. Passando a esfera sobre uma dessas tatuagens, a luz começou a brilhar através do tecido fino de sua pele, e as dores dela diminuíram, curando-se instantaneamente. Enquanto isso Sebastian estava surpreendido com o progresso, não é que ele já não tenha visto Blake a se curar mesmo nas aventuras deles, mas vendo Lívia a fazendo sendo que aquela runa estava sobre seu gémeo esquerdo da perna, ele estava com a boca semi-aberta.


Um suspiro de alívio escapou dos lábios de Lívia e com isso Sebastian se afastou.


- Estás melhor? *Ele abaixou a cabeça, mantendo seu jeito sarcástico de falar, mas também não tinha como esconder o fato de que realmente estava preocupado com ela.*


Lívia abriu os olhos, tentando analisar as coisas à sua volta e respondeu com uma voz razoável:


- Eu estou bem.


Ao notar que a ave tinha ido embora, ela bufou e sentiu vontade de amaldiçoar Sebastian naquele mesmo momento. No entanto, decidiu apenas culpá-lo em sua mente, para evitar problemas com a irmã dele. Ela olhou com fúria dos seus olhos cristais, que estavam num tom cinza claro.


- Viste o que fizeste!?


- A intenção não era tu caíres, mas tu também assustaste o pobre do animal com teu movimento brusco, em vez de me ouvires. *Ele continuou no tom de sarcasmo, mas se sentiu um pouco culpado pelo acontecimento.*


- Queres saber de uma coisa! *Ela lhe virou as costas para juntar sua bolsa e máscara que tinham caído no chão* - Eu não preciso de falar contigo. Se queres saber, eu nem sei porque ainda estou a falar contigo?


Ela lhe mostrou o dedo do meio e começou a andar em direção à saída do castelo. Agora Lívia teria que ir a pé, pois não se sentia à vontade de usar vassoura devido ao seu problema de altura. Pelo menos, com a ave, ela sabia que estaria segura. Lívia por mais que não quisesse teve que passar pelo salão principal, mas sua mente ia tão distante à conta das situações que voltou por se esquecer de novo do casaco, possivelmente seus amigos a chamaram, mas ela passou reto sem responder.


Ao azar de ser seguida por Sebastian a trás dela como uma assombração, ele realmente não devia de ter mais nada de mais importante que fazer, foi o que veio na mente da lufana pois mesmo quando os dois saíram do castelo ele a continuou a provocar.


- E é essa a razão de tu nunca teres consegui... *Ele parou abruptamente, lembrando-se de que o seu objetivo na conversa nunca tinha sido tentar reatar a amizade.*


Sebastian só tinha uma ideia: se ele não queria reatar a amizade que os dois tinham no passado, ele só ia ter que ser mais cruel com ela do que o normal, de modo a fazê-la odiá-lo mais. Como ela já tinha mostrado uma atitude de não se importar com a opinião dele, ele poderia ser o pior possível. Ele não pensou muito antes de falar.


- E é essa a razão de tu nunca teres conseguido manter uma relação decente? *Ele parou abruptamente, percebendo que estava prestes a mencionar algo que não deveria.*


Lívia apertou os lábios, sentindo a raiva e a dor misturadas. Seu passo acelerou, mas Sebastian a seguiu, não deixando de lançar mais palavras cortantes.


- Deve ser difícil encontrar alguém que aguente uma garota como tu. *Ele provocou, ignorando aquele pensamento anterior.* - Como o cromo do Prewett ainda consegue ficar contigo é um mistério.


Ela permaneceu em silêncio, tentando bloquear as palavras dele, mas cada frase parecia ecoar em sua mente. Seu coração doía, não apenas pelas palavras de Sebastian, mas por toda a situação.


A cada passo, ela sentia a dor aumentar. Sebastian, por sua vez, continuava a lançar suas palavras afiadas, como se estivesse determinado a feri-la ainda mais, até os dois pararem na ponte perto da cortada para a Floresta Proibida.


- Para de me seguir, desgraça!


A expressão do garoto ficou feia depois dela ter falado isso. A raiva estava ficando visível em seu rosto.


- Eu só estava tentando ajudar-te, mas tu és uma garota ingrata! *Ele fez um sinal com a mão.*


Ela se virou e foi na direção dele, olhando-o de baixo, já que ele era um pouquinho mais alto que ela.


- Ajudar-me em quê, garoto? Atormentar a minha vida? *Ela bateu as palmas das mãos e falou com ironia.* Parabéns, conseguiste!


Para Lívia, já não faltava o estresse que ela teve com seu namorado, e o fato de estar a ouvir Sebastian falar sobre Leander também não ajudava. No entanto, ela precisava ser forte. Lívia mentalizava que não ia chegar a lugar nenhum naquele ponto onde os dois estavam, pois só o sonserino conseguia mexer com seu pior lado.


- Queres saber de uma coisa? *Ele a olhou com desprezo.* - Eu odeio tudo em ti! Eu odiava nossa infância juntos, tu eras uma garota insuportável e volta e meia se escondia nos cantos em pânico, e eu é que tinha que tirar dessa tua bolha que eu nunca entendi e sinceramente nem me interessa mais! *Ele estava a mentir sobre tudo o que lhe estava a dizer, mas ele estava irritado, então as palavras só saíam como furacões a explodir num só.*


Por mais que Lívia estivesse acostumada às coisas que ele falasse para ela, aquilo a afetou bastante, e as palavras dela também começaram a sair mais naturais e sem remorsos.


- E a tua irmã é muito melhor em todos os sentidos, porque foi a única que, a única! que esteve sempre a meu lado. Enquanto tu me trocas por gente que não presta, e foi nisto que te transformaste! *Ela esticou as palmas das mãos na direção dele.* - Me arrependo todos os dias de ter sido tua amiga!


Por mais que o diálogo estivesse a se tornar cada vez mais hostil, algo na expressão de Lívia indicava que ela estava cansada da situação. Seus olhos cristalinos refletiam uma mistura de mágoa e exaustão. Entretanto, a situação tomou um rumo inesperado quando Lívia espirrou, evidenciando os efeitos do frio e da falta do casaco. A vulnerabilidade momentânea criou uma pausa tensa no confronto verbal, e ela se afastou dele para voltar ao seu caminho com as mãos sobre os ombros e braços descobertos, sentindo o frio percorrendo sua pele arrepiada. Seu único desejo naquele momento era chegar a Hogsmeade, comprar um casaco e saborear um delicioso chocolate quente coberto de chantilly, além de poder ver a grande árvore de Natal no meio da praça.


Mas Sebastian continuou a seguir a garota, e quando ela voltou a espirrar, ele tirou seu casaco e se aproximou. No fundo, ele se sentia culpado por tê-la deixado ir a pé para a vila, especialmente com o frio castigando a garota, que esfregava seus ombros e quase rangia os dentes.


- Maldição, devia ter trazido o casaco. *Ela se maldizia mentalmente, mas não no sentido literal.* - A-achim! *Ela devia ter trazido o casaco quando Sebastian chamou sua atenção.*


- Espera. *Ele falou.*


De repente, ela sentiu algo quente, e ao ver o casaco dele, ela o retirou de cima dela.


- N-não precisas, quando chegar à vila eu compro um... *A voz tremia, e outro espirro saiu de seus lábios cor de mel, que estavam começando a ressecar por causa do frio daquela noite de inverno.*


- Para de ser teimosa e aceita! Não quero que teu irmão caia em cima de mim depois! *Ele insistiu.*


Ele tentou esconder o seu arrependimento por tê-la falado daquela forma. Sebastian parecia realmente preocupado com ela. Ele não queria que ela pegasse uma gripe, e não era só por causa de Blake ou de Anne.


Ele não deixou que ela recusasse. Ele a segurou firmemente por trás e colocou-lhe o casaco ao redor dos ombros. Depois, ele ficou mais próximo, fazendo com que Lívia sentisse o calor do corpo dele sobre o dela. Ela não estava à espera daquilo, mesmo após a discussão deles segundos atrás. Seu "inimigo" estava a tentar mantê-la aquecida, e isso fez com que a lufana corasse com o ato bondoso. Os dois seguiram em silêncio até à Vila de Hogsmeade. 


•————— ♬ —————•


Música animada foi ouvida, com luzes flutuantes à volta da vila, era Hogsmeade uma simples vila que tinha tantos significados para qualquer bruxo que entrasse no seu pequeno espaço. A grande arvore de Natal estava colocada no meio da praça como todos os anos estava naquela época natalina, as ruas eram agitadas com aparição de algumas pessoas, umas caminhavam descontraidamente aproveitando o festival de inverno outras estavam com seus pares a decorar os ramos daquela arvore bem iluminada.


Sebastian observa tudo com atenção, suas mãos em seus bolsos enquanto esperava no lado de fora da loja de roupa por Lívia que tinha entrado para finalmente poder vir mais confortável. Enquanto ele observa, seus pés não paravam se transmitir o quanto a discussão de à momentos atrás o tinha afetado, talvez em outro momento ele teria saído e indo embora afinal a qualquer momento Imelda poderia voltar mesmo que a sonserina tinha-lhe dito que iria demorar umas horas, mas ele realmente não tinha nada para fazer de melhor até porque maioria dos seus amigos estavam com seus pares, mesmo que tentassem dar atenção Sebastian se iria sentir que nem uma vela decorativa, ao notando aqueles casais todos de volta daquela arvore Sebastian se lembrou do facto de ter falado com Imelda sobre esse evento, só que a garota lhe disse que isso era coisa de casais que não tinha certeza sobre seus relacionamentos e que o deles era estável então isso era ridículo para pessoas como eles que eram melhores que os outros.


"Ah! Talvez ela tenha razão..." Sebastian pensou para sim mesmo no momento que esvoaçava um sorriso meio sem graça seu olhar foi direcionado para seus pés que estavam inquietos ainda.


Enquanto isso Lívia estava a falar com a lady Noble, pois ela tinha deixado cair umas caixas devido à movimentação na loja o que fez com que a lufana ajudasse a juntar os seus pertences o que acabou por causar que esta comprasse-lhe o casaco mesmo a garota insistindo que ela ajudou sem querer nada em troca.


- Gentileza se paga com gentileza minha querida.


Aquele comentário deixou a garota um pouco desconcertada, especialmente o que veio a seguir ainda menos em conta do que Lívia esperava ouvir da vendedora de loja de roupas, pois Lívia sabia que ela, além de ser uma excelente modista a jovem bruxa era amiga da sua prima Angelica Rauscher desde os tempos de escola delas. A Lady Nuble pegou na mão de Lívia e começou a ler-lhe a sina.


- Hum, interessante... *Ela levou os dedos aos lábios enquanto pensava*


- O que? *Lívia ficou um pouco repreensiva*


- Não sei, tem coisas que vão vir ao de cima, coisas enterradas que tu até hoje guardas dentro de ti. *Ela olhou séria para Lívia* - Eu vejo uma escuridão profunda dentro de ti.


Lívia ficou em silêncio ao entender do que ela poderia estar a falar, mas tentou manter um sorriso neutro para que a vendedora não se preocupasse tanto.


- Acho que todos nós temos algumas coisas desse género. *Lívia sorriu de ligeiro tentando disfarçar o quanto aquelas palavras significavam*


Nuble não falou muita coisa, pois notou que estava a tocar num espaço pessoal que poderia causar algo maior.


- Mas vejo uma libertação, a qual está próxima de acontecer, algo ou alguém vai te tirar desse caminho de dor que guardas dentro de ti e o sangue que escorre irás te libertar.


- Isso significa? *Lívia estava confusa com aquele enigma que a senhora lhe transmitiu*


- Hahaha, eu não sei, sabes eu vejo a sina, mas nem sempre sei o que cada pessoa realmente passa. Para além. *Ela voltou a olhar para a mão dela* - Um verdadeiro amor se vai desencadear o qual vai ser tão forte, que quando deres por ti tudo o que acreditaste ou vives-te nada mais vai ser igual.


- Ok. *Lívia sorriu suavemente* - Ainda me estás a deixar ainda mais confusa do que estava, mas... *Os olhos dela brilharam* - Me deixaste intrigada com essa parte de amor.


Lívia começou a pensar que talvez os sentimentos que o grifinório poderiam voltar ao de cima e que ela começasse a amar ele, o que ela tentava fazer já algum tempo, até porque Leander aceitou o facto dela não se sentir preparada para se entregar sem questionar a razão que leva a lufana não querer.


Lívia queria admitir para ela mesma que as coisas podiam mudar, e que Leander podia voltar a ser aquele garoto gentil que era quando a tentava conquistar.


Antes da lufana sair da loja mesmo contra a vontade de Nuble ela deixou uma gorjeta de 20 galleons que era metade da jaqueta que ela tinha recebido da vendedora, esta lhe iria ajudar muito até mesmo nas futuras missões de campo. E sem que ninguém visse ela deu um beijo no rosto da vendedora antes de partir. Mas antes que ela saisse de perto do balcão sentiu a mão dela em seu braço, Lívia olhou para ela.


- Faz cuidado, realmente tem algo que se aproxima, e nem tudo é o que parece. *Ela largou o braço* - Desejo-te umas boas festas e que entres mais vibrante do que já és. *Seu sorriso era sincero com uma mistura de preocupação*


- O-obrigada. *Lívia corou, mas sorriu de volta* - Lhe desejo o mesmo.


Com isso a lufana saiu, encontrando um Sebastian de costas, eu supro para uma madeixa que lhe estava a estorvar sua visão e curvou os lábios de ligeiro. Ela notou que ele estava a ver as pessoas à volta da arvore e penso que talvez que estivesse com ideias de trazer Imelda para esse momento tão especial, o qual ela gostaria de vir com Leander, mas o grifinório esse tipo de eventos uma "palhaçada" segundo suas palavras, o que deixava Lívia por um lado triste, pois era uma coisa que ela gostava muito de fazer com seu namorado, ou pelo menos uma das poucas coisas que gostaria de fazer.


A lufana foi se aproximando do sonserino com passos suaves, pois a discussão que ambos tiveram, minutos atrás não passou de uma memoria menos boa para ela, mas a conversa com amiga de sua prima a fez esquecer por uns momentos sobre o stress dos dois, por causa de uma esperança com seu namorado, ou até mesmo um futuro cheio de aventuras. Mas o assunto das coisas do passado voltariam a tona, a deixava preocupada e ela pedia a Deus que não fosse o que ela mais temia.


- Hogsmeade nesta época é tão linda como nos outros anos.


Sebastian se assustou quando a ouviu atrás dele. O garoto olhou para a garota a seu lado que olhava também para a arvore com os casais, seu olhar era sereno e terno o qual o sonserino via muitas poucas vezes desde que os dois ficaram de relações cortadas e se fecharam.


O garoto suspirou e voltou sua atenção de novo para aquele local.


- É normal, essa é a magia desta vila. *Ele ficou com a mesma expressão serena.*


- Vais trazer a Imelda?


- Não. *Ele respondeu rapidamente*


Lívia ficou incrédula ao olhando para ele e Sebastian continuou sem em olhando para a garota a seu lado.


- A Imelda não gosta deste tipo de coisas, e nosso relacionamento está ótimos como está não é um simples efeito de Natal que vai mudar o que nós temos. *Ele respondeu secamente, mas Lívia notou um pouco de desanimo em sua expressão*


A garota nada respondeu, ela não sabia como reagir aquilo Lívia era tão diferente de Imelda, que mesmo sabendo que a sonserina preserva mais o desporto ou até mesmo à sua beleza que ela adorava exibir muitas das vezes. Lívia abanou a cabeça em descrença, ela não entendia, mesmo Anne e Ominis já tinham pensado em vir assim como seu irmão com a Poppy, ou bem todos os seus amigos que estavam comprometidos iriam vir a este evento.


Mas quando Lívia deu uma mirada de leve para ele, notou a serenidade momentânea no olhar de Sebastian que denunciava mais do que suas palavras ditas. A garota acabou por fechar os olhos e suspirar em compreensão ao voltar a observar o movimento da vila especialmente ao vendo aqueles casais todos ali a se divertirem, a garota decidiu quebrar o gelo daquele silêncio por primeira vez.


- Sabes às vezes, um pouco de magia natalina pode surpreender até mesmo os mais céticos. *Ela falou com uma voz suave sem deixar de observar a multidão e as crianças a brincarem também à volta da arvore* - Não é sobre mudar o que vocês têm, mas talvez trazer algo especial, um momento para compartilhar, e eu não falou só num caso de relacionamento amoroso, até porque o amor é condicional em qualquer área.


Sebastian olhou para ela, e por um momento, algo nos olhos dele pareceu se suavizar. No entanto, em seguida, ele desviou o olhar novamente para a árvore, mantendo sua postura habitual.


- Não sei, Rauscher. Acho que cada um tem sua visão do que é especial. Para alguns, são momentos simples; para outros são promessas sólidas. *Mas o comentário dela lhe fez pensar também* - E tu, vens com o Leander?


Lívia acabou não respondendo à pergunta dele, e por uns momentos acabou se esquecendo que estava na presença de seu inimigo, seu olhar ficou melancólico enquanto ela olhava para seus pés que estavam inquietos.


- Leander também não gosta muito deste tipo de coisas, mas pensei vir com o pessoal antes de irmos para nossas casas. *Ela estreitou de leve seus lábios duas vezes até os manter de novo no natural*


Sebastian sabia como o namorado de Lívia funcionava, por um lado Sebastian não costumava se meter no relacionamento deles, mas Leander, mesmo não tratando mal a lufana, ele notava o comportamento que o grifinório tinha perto de Lívia nos últimos tempos, o que Sebastian achava ridículo até porque para o sonserino, Leander Prewett era um cobarde que nem a própria namorada defendia quando o sonserino ou a namorada dele provocavam a lufana. Mas Sebastian preferiu não comentar, mas sua ansiedade o começou a atacar, o ambiente entre eles volto a ficar intenso. E sem os dois terem dado conta ambos suspiram ao mesmo tempo, perdidos em seus próprios pensamentos.


- Bem, eu estou com vontade de beber algo quente. *Ela falou ao tentar quebrar aquele momento caótico que os dois estavam a ter no momento, alem de seu apetite naquele momento estar com um gostinho de algo a mais* - Não sei quanto a ti, mas estou com vontade de beber um chocolate quente.


A mudança de assunto fez Sebastian deixar aqueles pensamentos que estava a ter sobre a grande arvore à sua frente e a menção de uma bebida quente o fez prestar atenção à expressão um pouco tranquila de Lívia, que estava com as mãos agarradas atrás das costas enquanto se balançava. Ele não falou mas sentiu com a cabeça.


- Acho que uma bebida calhava bem agora.


Ao esboçar um sorriso o qual Lívia não retribuiu, por se manter neutra sobre as coisas era implacável, o qual Sebastian tentou ignorar, pois sabia que ela nunca ia sorrir para ele como sorri para os amigos e já fazia 3 anos que se mentalizou que não o veria mais desde a infância dos dois, no fundo, no fundo ele tinha saudades de quando ela sorria para ele, mas Sebastian nunca iria admitir isso em voz alta nem que lhe pagassem 100 melhores de galleons.


Os dois partiram em direção à casinha de chá da região, e assim que entram foram acolhidos por um cheiro delicioso de coisas caseiras o que os fez fechar os olhos sentir o aroma do ambiente acolhedor apesar de estar agitado. Lívia olhou para Sebastian que correspondeu seu olhar com duvida.


- Bem, pedimos já, ou esperamos que alguém venha à mesa? *Ela perguntou*


- Eu vou pedir as bebidas.


Sebastian respondeu enquanto colocava o casaco pendurado no estendal e Lívia fez o mesmo com a jaqueta dela e depois olhou para ele.


- Então eu vou ver uma mesa.


- Ok.


Mesmo com o ambiente lotado de gente, Lívia conseguiu encontrar um lugar que estava prestes a ficar vazio perto da janela o que a fez aproveitar, ela agradeceu às pessoas que saíram do estabelecimento. Já Sebastian pediu as bebidas e foi de seguida ter com ela, colocando duas canecas cobertas de chatilly sobre a mesa o que deixou Lívia com os olhos a brilhar, ela pegou de mediato sua e começou a beber um pouco enquanto isso Sebastian se sentava na cadeira dele que era de frente para ela, e ficou pensativo ao mesmo tempo que olhava para a espuma em seu copo, se sentindo um pouco mal pelas coisas que disse a ela na época de Natal, pois desde o inicio essa não era a sua intensão, mas seus instintos costumes o assombraram especialmente quando ela estava tão relutante em querer comunicar com ele. Mas Lívia não estava 100% certa quando falou que ele a tinha abandonado, pois ele sempre esteve lá mas de uma maneira que possivelmente não era a mais certa. Mas era quase Natal os dois precisavam de colocar aquela rivalidade entre eles de lado, nem que fosse por um pouquinho.


- Desculpa por eu ter sido insensível, hoje.


Lívia olhou para o lado de fora da janela com um ar pensativo depois que posou a caneca na mesa, fechando os olhos e abri-los de seguida com um suspiro profundo ela respondeu, sem deixar de olhar para as luzes decorativas as quais refletiam lindamente em seus olhos cristais.


- Tá tudo bem... *Ela falou com uma voz calma* - Eu estou acostumada. *Seu dedo fazia círculos à volta do copo* Mas eu também não estive bem contigo, por isso desculpa, assim como falas-te no viaduto. *Sua atenção foi em direção de Sebastian*- É época natalina, devíamos de pelo menos umas horitas tentar não discutir. *Ela fechou os olhos e deu um longo suspiro* - Obrigada pela poção e pelo casaco. Ela voltou seu olhar de novo para a janela, a luz refletia suas feições delicadas juntamente a seu olhar cristal meigo*


Naquele momento Sebastian também olhava para o lado de fora pelo ecrã da janela, a beleza de Hosgmeade à noite era simplesmente linda nesta altura do ano, e as pessoas no meio da praça só ajudavam com que o ambiente se tornasse mágico. O sonserino se colocou a refletir enquanto seu olhar era direcionado para as luzes. A expressão dele por um lado continuava um pouco melancólica assim como a dela, mas se podia dizer que naquele momento era mais leve, possivelmente porque ambos estavam mais calmos do que quando estavam em Hogwarts ou na vinda para a vila.


- Estou tentando fazer isso. E eu sinceramente não posso concordar mais com você. *Ele falou com uma voz calma*


- Desculpa, não entendi? *Lívia olhou para ele com uma expressão confusa*


O olhar que antes estava com sua atenção para o lado de fora, essa atenção foi direcionada à lufana, ele riu pela confusão da garota, mas lhe respondeu tranquilamente.


- Eu quero dizer que devíamos deixar os nossos stresses de lado pelo menos por umas horas. *Ele acenou com a cabeça enquanto olhava para ela.* - Vou tentar fazer com que pelo menos seja um pouco mais agradável.


Lívia levou a bebida aos lábios novamente, sem proferir uma palavra. Era tão raro vê-lo agir com gentileza que ela quase esquecia esses momentos. Seu olhar fixou-se no líquido na caneca de achocolatado, evitando iludir-se com qualquer expectativa em relação a ele. Optou por permanecer em silêncio, acompanhando o gesto com mais um suspiro que escapou de seus lábios.


Sebastian também bebeu um pouco do seu chocolate quente. Ele estava calmo e quieto, mas ainda tinha muita coisa a dizer. Ele não queria estragar o resto a noite.


A atmosfera entre Lívia e Sebastian estava carregada, e o silêncio entre eles persistia. Cada gole da bebida parecia ser um elo frágil entre dois mundos que estavam prestes a colidir. Sebastian, mesmo após seu gesto de gentileza, parecia envolto em pensamentos. Ele ponderava sobre as palavras trocadas, as emoções afloradas e o caminho incerto que pareciam seguir.


A noite estrelada sobre Hogsmeade, apesar de sua beleza, refletia a tensão que pairava entre os dois jovens assim como o silêncio. O frio da noite contrastava com a chama tênue que iluminava a pequena vila bruxa.


Lívia aproveitou aquele momento para poder lhe fazer uma pergunta.


- Desculpa, posso fazer uma pergunta? *Ela retrem o lábio inferior no momento que seus olhos se encontram*


- Podes.


- Vais passar o Natal com a Imelda de novo? *Lívia faz a pergunta, mas depois de ver a expressão de Sebastian ela sente que tocou numa coisa que talvez não deveria* - Por favor, não me interpretes mal, eu sei que não nos damos bem, mas o último Natal a tua família não pareceu muito bem, especialmente a tua mãe. *Lívia acaba suspirando com a lembrança de ter visto a mãe de Sebastian com uma cara fechada e distante algumas vezes*


Os pais de Lívia assim como seu irmão tentaram fazer com que o Natal de ambos se corre como todos os anos, mesmo sem a presença de Sebastian, mas a família Sallow não se sentia confortável pela falta de Sebastian naquela noite que as famílias de ambos sempre se encontravam, esse comentário deixou o sonserino meio repreensivo, sobre o facto de sua família ter sentido a falta dele naquela noite mesmo eles terem dito que entendiam, ele por um lado queria passar o natal com Imelda no ano passado, mas a razão também era obia do porque de ele não passar com a família. Pois ele teria que passar também o Natal com Lívia e o ambiente entre os dois já não era agradável em si, imagina na véspera de Natal.


E por Lívia estava tudo bem isso, até porque nisso ela até agradecia a Deus de Merlin para poder ter um pouco de paz nesse dia, mas ela se preocupava com a mãe de Sebastian.


- Eu vou passar com a Imelda este ano também. *Ele voltou a olhar para o lado de fora com um ar estranho* - Tem certas coisas que estão fora de nosso controlo, e por mais que eu ame minha família acho que as coisas estão bem como estão, alem de tudo nós os dois não criamos confusão. *Ele esboça um sorriso voltando olhando para ela*


- É, isso é uma logica. *A caneca volto a seus lábios, ela sentiu o gosto amargo e doce do líquido numa expetativa de tentar não pensar tanto sobre como a mãe dele iria lidar com isso este Natal, Lívia via a mãe irmãos Sallow como uma segunda mãe para ela*


- A Imelda também quer que eu passe o Natal lá.


- Não precisas explicar, eu entendo e é super natural, afinal ela é tua namorada. *Ela tentou o tranquilizar* - E se te deixar um pouco mais tranquilo, te asseguro que minha família e eu iremos fazer o nosso melhor, para que eles descontraiam, especialmente porque este ano o Ominis vamos ter o Ominis e a Poppy com a família deles, então vamos ser mais. *Ela sorriu de forma suave, mas o desfez de seguida*


Compreendendo a preocupação de Lívia, Sebastian sorriu minimamente, agradecendo internamente pelo gesto de compreensão. O sorriso dela, mesmo que breve, trouxe uma certa calma ao ambiente tenso.


- Espero que este ano seja mais leve. *Ele respondeu, aceitando o conforto oferecido pelas palavras de Lívia.* - Agradeço pela tua compreensão, Rauscher. Acredito que, mesmo com as nossas diferenças, não queremos causar desconforto às pessoas que amamos.


A troca de olhares entre eles expressava uma compreensão mútua, mesmo que as palavras fossem poucas. Ambos pareciam cientes de que, por mais complicada que fosse a relação entre eles, havia um entendimento sobre a importância das festividades para as famílias


- Vamos torcer para que tudo corra bem. *Lívia concordou, tentando manter o clima mais leve.*


Sebastian, por um momento, desviou o olhar para o lado de fora de novo, metido em seus pensamentos mais profundos por um lado ele sentida falta daqueles tempos a onde as coisas pareciam mais simples para os dois, mas Sebastian, mas o sonserino queria negar isso à força toda para ele todos os dias. As crianças já começavam a ir para suas casas causando um ambiente apenas terno entre alguns casais e amizades à volta da grande arvore, a amizade de ambos foi esquecida no tempo, juntamente a suas preocupações no dia a dia, a única coisa que restou para que Sebastian não perdesse o contacto com Lívia eram suas discussões, pois ele acreditava que era a única forma de lhe chamar atenção para evitar que a lufana se afastasse de vez. dançavam com uma intensidade que contrastava com a seriedade do momento. Para o de cima ele ponderou sobre a complexidade das relações familiares e como as tradições natalinas podiam ser tanto um bálsamo quanto um desafio.


O sonserino levou a caneca de novo aos lábios saboreando aquele gostinho à infância, enquanto isso Lívia ficou perdida em seus pensamentos e o tanto que ela gostaria de vir com Leander, por ele ser seu namorado fazer aquela tradição que o grifinório desprezava sem um único motivo ou logica, um suspiro com uma tristeza em seu olhar distante não deixou de ser despercebido por Sebastian que achou que ela estava a pensar no jantar das famílias, ele olhou diretamente para a garota que estava a olhar para o liquido de sua bebida.


- Ainda a pensar sobre nossas famílias? *Ele questionou, observando atentamente a expressão da garota.*


Lívia ergueu os olhos, surpreendida pela pergunta de Sebastian. Havia algo na maneira como ele a olhava, como se tentasse decifrar seus pensamentos, que a fez hesitar por um momento. E acabou desviando o olhar para a janela tentando não dar nenhum sinal de surpresa.


- Estou a pensar, mas não é disso. *Seu olhar se tornou sereno enquanto as luzes refletiam em seu olhar, seu braço esquerdo descansando sobre a mesa e a mão direita a segurar o rosto* - É só que... *Ela fechou os olhos em descrença e continuou* - Eu realmente gostava de vir com o Leander este ano, pelo menos para experimentar esta esta experiência.


Ela olhava para os casais do lado de fora que sorriam enquanto colocavam seus efeitos na arvore de Natal. Sebastian a observou atentamente, ele sabia que Leander era um otário, além de um autêntico exibicionista por namorar com ela, não é que para Sebastian isso lhe importasse, mas lhe importando por achar que Lívia podia ter quem ela quisesse como namorado, mas foi logo namorar com uma pessoa que sinceramente não lhe agradava e ele nunca escondeu isso quando ele a viu por primeira vez de mãos dadas com o garoto pelos corredores, mas o que mais irritou naquela altura do começo foi o sorriso dela para Leander. Aquele mesmo sorriso que ela tinha quando os dois eram mais novos e depois de tudo Lívia o fechou para Sebastian.


- Porque ainda namoras com ele, já que até mesmo teus amigos já notaram que o quando ele é um ignorante contigo. Porque só tu não consegues ver que ele só está a usar-te? *O ar dele se tornou sério.*


Os olhos de ambos se encontram, e ouve uma divisão de ideias no meio daqueles olhares questionadores trocados. Lívia voltou a fechar os olhos e abrir com um longo suspiro o qual demostrava seu início de desconforto com a conversa.


- Tu não ias entender. Bem nenhum rapaz seria como o Leander... *Ela murmurou com um olhar distante.*


- Como eu não vou entender? É tão claro e óbvio que ele só está a usar-te como um brinquedo. *Ele falou a seguir e não estava a tentar ser agressivo, mas era tão desesperado para que ela entendesse que o namorado dela é um babaca.* - Tu és uma pessoa maravilhosa e tu mereces uma pessoa que te respeite e adore tanto quanto os teus próprios pais amam você. Ele te trata como tu não fosses nada. Ele fala para ti sem qualquer carinho. Ele pode falar contigo apenas quando ele quer alguma coisa, o que ele não pode obter a outra maneira. É que não faz sentido! *Aquele assunto o estava a começar a o stressar, porque Sebastian nunca tratou Imelda da maneira que Leander tratava Lívia.*


- Sallow. *Ela respirou fundo* - Eu nunca te pedi a tua opinião sobre meu relacionamento e eu nunca me meti no teu, até porque ele não me diz respeito, por isso agradeço que não falemos mais disto.


Mesmo frustrado com a situação e em seus pensamentos "Eu não devia ter mas era dito nada, ela é uma casmurra mesmo!", ele olhou para a hora em seu tell-magic, vendo que já tinha recebido algumas mensagens de Imelda a perguntar por ele, o sonserino se levantou da cadeira e se virou para a garota que olhava para ele um pouco desconfortável.


- Acho que já deu por hoje, devíamos de voltar. *Ele falou secamente*


Lívia se sentiu repreensiva, sentindo mal com ela mesma naquele momento, talvez ela não deveria ter falado sobre Leander, quando ele perguntou, ela poderia ter falado outra coisa para não causar aquela situação entre os dois.


A garota mordeu o lábio inferior de nervosismo e desconforto com ela mesma, mas acabou sentindo com a cabeça um pouco envergonhada, Lívia pegou sua bolsa e se levantou deixando uma gorjeta em cima da mesa. Eles foram em direção ao cabide pegar seus casacos e quando finalmente já estava confortável com suas vestes, Sebastian por ser alto pressentiu algo em cima de sua cabeça, o que deixou o sonserino intrigado do que seria, mas maldita a hora que ele colocou os olhos na pequena planta que estava pendurada no meio dos dois, o que causou uma reação negativa ao ver um azevinho de Natal.


Ele acabou olhando para Lívia que estava ainda em seus pensamentos melancólicos e tentando se mentalizando que ele não devia ter-falado aquilo sobre a relação que ela tinha com Leander não ser a mais correta, porque o irritante é que ela sabia sobre isso, mas Leander sempre lhe dizia que apenas andava em má fase e falava um monte de coisas fazendo com que a lufana tivesse pena dele. Então mesmo ficando magoada com o namorado sobre isso ela tentava entender as razões dele. E Lívia já mais iria deixar que falassem daquele jeito do namorado dela, muito menos Sebastian que só por si só não tinha moral para falar do relacionamento deles.


- Rauscher. *A voz de Sebastian tremeu por uns segundos* - Temos um problema...


- Hm? *Ela não entendeu a questão dele*


O olhar de Sebastian ficou direcionado para o objeto acima de suas cabeças, fazendo Lívia estranhar seu nervosismo momentâneo. No entanto, ao seguir seu olhar para cima, seus olhos se arregalaram de surpresa. O azevinho de Natal pairava sobre eles, indicando claramente a tradição natalina.


A tensão no ar era palpável, e ambos sabiam que deveriam cumprir a tradição, mas nenhum dos dois estava disposto a dar o primeiro passo. O silêncio entre eles parecia pesar mais do que nunca, e o azevinho permanecia ali, como um espectador silencioso da complexidade de suas emoções.


Especialmente os dois namoravam eles, eles estavam metidos numa enrascada, alem de nenhum querer dar o braço a torcer naquela tradição.


- N-nós não precisamos de fazer isso. *Ela murmurou com dificuldade*


- Nós podemos simplesmente ir sem que ninguém note. *Ele sugeriu em voz baixa*


- Boa ideia, vamos rápido. *Ela respondeu da mesma forma*


Antes que os dois saíssem disfarçadamente, mas esse pequeno ato não passou de despresevido numa das mesas de um grupo de amigos que assim que viu os dois a sair de forma suspeita e vendiram o azevinho, um deles ficou com um ar malicioso e desafiou outro a chamar atenção mesmo sem conhecer Sebastian e Lívia, o rapaz se levantou e com uma voz desafiadora falou:


- Hey! hey! vocês aí que estão a tentar fugir da tradição!


Os dois ficaram paralisados na mesma hora indicando seu desconforto por terem sido pegos sem nem conseguirem abrir a porta da saída até porque Sebastian estava quase a chegar a maçaneta enquanto Lívia estava muito nervosa sobre aquela situação, Sebastian e Lívia se entre olharam um pouco sem jeito e depois seus olhares foram direcionados para a pessoa.


- Sabia que dá azar fugir de uma tradição especialmente ouvi dizer que maldições graves acontecem. *Ele sorriu provocadoramente*


O rapaz parecia ter na volta dos 24 anos assim como seu grupo que estava atento como expetadores prestes a verem um show engraçado. Sebastian e Lívia engoliram em seco e se entre olharam, Lívia deu um longo suspiro e o olhou tentando mentalizando que não tinha volta.


- Ok. *Ela falou num tom reto* - V-vamos fazer esta treta rápido, podes me dar um beijo no rosto. *Ela bufou de frustração serrou os olhos com força enquanto virava o rosto*


Sebastian vendo seu nervosismo achou engraçado, porque mesmo sendo desconfortante ele adorava quando ela fazia aquelas reações repentinas até mesmo num simples gesto inocente como aquele, isso desanquei-o uma vontade irresistível de a provocar só para ver sua reação antes de a beijar no rosto, à medida que aproximando dela e lhe falou no ouvido.


- Parece que não tens escolha, Rauscher. *Um sorriso travesso brincava em seus lábios.*


- Hey! Eu tenho escolha! Eu... *Virou os rosto na direção dele repentinamente*


Sebastian não estava à espera de que ela virasse o rosto, mas o mais chocante foi quando a porta abriu à frente dele, o empurrando na direção dela, seus lábios se colidiram um no outro como um ima certeiro os deixando chocados, e uma descarga elétrica surgiu em seus corpos os deixando sem reação enquanto se olhavam.


Lívia e Sebastian finalmente se separaram, e um silêncio desconcertante pairou entre eles. Ambos desviaram o olhar, evitando encarar a reação um do outro. Era evidente o desconforto que sentiam, não apenas pela situação constrangedora, mas também pelo contexto complicado em que se encontravam, considerando seus relacionamentos atuais.


O rapaz que havia desafiado a tradição riu alto, provocando ainda mais a situação. Era evidente que o momento inusitado tornara-se uma fonte de entretenimento para aqueles ao redor.


- Espero que agora estejam livres da maldição do azevinho. *O rapaz disse, ainda sorrindo provocadoramente.*


Sebastian, tentando recuperar o controle da situação, lançou um olhar de desdém ao rapaz que os provocara e, sem dizer uma palavra, puxou Lívia pela mão em direção à saída. Ela o seguiu, ainda meio atordoada pela reviravolta dos acontecimentos.


Do lado de fora, o frio da noite parecia intensificar-se, e a tensão entre Lívia e Sebastian era palpável e ele soltou a mão dela.


- A onde eu estava com a cabeça quando te disse aquilo... *Sebastian passou a mão pelos cabelos, um pouco desconcertado sobre o ocorrido*


- E-eu não devia me ter virado. *Ela estava a entrar em pânico* - O-o que eu vou dizer ao Leander...


Os dois sentiam seus corações a bater rápido de mais por causa do choque daquele momento, mas quando Sebastian ouviu a mensão de ela contar ao namorado sobre o corrido, ele penso rápido.


- Nós não precisamos de dizer a eles! *Sebastian respondeu*


Ele sabia que mesmo que ele lhe disse que tinha sido um acidente a sonserina iria ficar bastante irritada e tudo o que menos o sonserino queria era algo como isso.


- Sallow, ele é meu namorado, mesmo que... *Ela ponderou suas palavras ao pensar bem sobre a situação, o grifinório tem se tornado um pouco agressivos nos últimos tempos e tudo o menos o que a lufana queria era evitar a ira de seu namorado. Ela engoli-o em seco* - Vamos fazer isso.


- Então concordamos, em nunca falar sobre isto com ninguém? *Ele perguntou*


- Sim, até porque foi um acidente. *Sua resposta foi rápida*


Sebastian consentiu, depois de uma conversa e reflexão antes que os dois voltassem para Hogwarts, Lívia lançou uma ultima olhada na arvore vendo o ultimo casal naquela noite abraçados um no outro depois de terem colocado seu enfeite o que por momentos a fez esquecer um pouco o constrangimento que passou segundos a trás o suspiro que saiu de seus lábios não passou despercebido por Sebastian e reparou para onde aa garota estava a olhar, mas desviou o olhar ignorando a situação.


Com isso os dois seguiram caminho, e quando chegaram ao castelo foram para junto de seus parceiros, Leander como sempre quase nem deu pela falta da namorado por estar tão entretido na conversa com as pessoas o que Lívia agradecia mentalmente por isso, por outro lado Imelda olhou para Sebastian o estranhando, mas o sonserino tentou ao máximo esquivar das perguntas da namorada o que fez com que Imelda desistisse de seguida.


[1 ano depois]


Naquele novo ano, Sebastian e Lívia passaram por uma surpresa desagradável vinda de seus parceiros, no tempo em que fizeram um pacto de relacionamento falso para se vingarem de seus parceiros, muitos acontecimentos aconteceram com isso ambos descobriram os sentimentos que ambos escondiam no fundo de seus corações um pelo outro. Mas teve coisas que ambos não conseguiram controlar especialmente perdas naquele ano que foi carregado de aventuras e emoções para os dois.


Os dois tinham saído do baile por sugestão do sonserino, ele queria fazer uma surpresa que ele sabia que ia agradar Lívia.


E para que ela não pudesse ver, ele colocou uma venda em seus olhos a guiando até a um Floo Powder.


- Hey! Assim me deixas ansiosa, Seb. *Ela começou a rir animada*


Sebastian sorria enquanto conduzia Lívia até o Floo Powder, sentindo a ansiedade dela. Ele estava ansioso também, mas por motivos diferentes. Queria surpreendê-la da melhor forma possível, considerando o ano turbulento que tiveram.


- Tem um pouco de paciência, Lív, tu vais ver quando chegamos. *Ele brincou, sabendo que a venda nos olhos só intensificava a curiosidade dela o qual fez com que a lufana mordesse seu lábio inferior.* - Prometo que valerá a pena.


Os dois entraram no Floo Powder juntos, e a sensação de serem transportados através das lareiras era sempre um misto de emoção e desconforto. Quando chegaram ao destino, Sebastian ajudou Lívia a se recompor, tirando a venda dos olhos dela.


Lívia deu de cara com ramos felpudos à sua frente, a agitação em Hogsmeade nesta época natalina, brilhava mais do que no ano passado. Lívia olhou para Sebastian que estava com um grande sorriso e uma bola de Natal e um marcador na mão.


- T-tu te lembraste?! *Ela estava encantada pela lembrança dele*


Os olhos de Lívia transmitiam uma pura felicidade que só vinha de seu coração.


- Eu queria te dar algo especial este ano. *Ele começou a dizer suavemente.* Além de...


Mas as palavras foram interrompidas quando Lívia, em um gesto impulsivo, o puxou para um beijo. Sebastian sentiu o calor do momento, a doçura da surpresa e alegria em sua expressão. Era como se o mundo ao seu redor desaparecesse, e só restasse o brilho do Natal e a conexão entre os dois.


- Obrigada. *Ela murmurou, voz rouca, mas repleta de uma gratidão delicada.*


Os dois ficaram ali, diante da árvore iluminada, desfrutando da magia daquela noite especial.


Ambos colocaram seus nomes na pequena bola dando a realização de um presente simbólico para os dois, uma lembrança de que, mesmo em meio aos desafios e complicações da vida, ainda havia espaço para momentos de alegria e amor.


E assim, Lívia e Sebastian, inesperadamente ligados por uma tradição e por sentimentos que descobriram ao longo do ano graças a seus ex, compartilharam um momento significativo na noite de Natal, marcando o fim do ano com um toque de magia e esperança para o futuro.



Compartilhe este capítulo:

Autor(a): florgames

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).




Loading...

Autor(a) ainda não publicou o próximo capítulo



Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 0



Para comentar, você deve estar logado no site.


- Links Patrocinados -

Nossas redes sociais