Fanfics Brasil - A reviravolta dos combates! Baby Bills se enfurece! Dragon Ball GT Kai

Fanfic: Dragon Ball GT Kai | Tema: Dragon Ball


Capítulo: A reviravolta dos combates! Baby Bills se enfurece!

115 visualizações Denunciar



— Maldito Instinto Superior que ainda não funciona direito... - Baby Bills lamentava enquanto seu corpo caía deixando um rastro de sangue.
Atrás dele, Gohan, em seu Estado Definitivo, caía de forma semelhante. Este porém tirou a Semente dos Deuses que estava debaixo da sua língua, levando-a para cima da mesma a fim de morder e engolir. Aos poucos, o buraco em seu tórax foi se fechando para ficar apenas o rasgo em seu gi laranja, o mesmo das épocas de Majin Buu e Torneio do Poder.
— Gohan, é você mesmo?
— Goten! - Piccolo lhe chamou a atenção ao soltá-lo. - O que está esperando? Vá ajudá-la, depressa!
— C-Certo. - ele respondeu ainda confuso.
Marron estava caída com o ombro banhado em sangue, #18 vinha em voo rasante para finalizá-la quando Goten a acertou com uma voadora no meio do trajeto. Ele desceu ao solo, abaixando-se, pegou o tronco de Marron em seus braços.
— Marron!
— Go... ten... - ela falou com um sorriso murcho em meio à dor que sentia. - Você veio...
— Eu te disse, você não está sozinha.
Goten arrancou a manga direita da camisa dela de uma vez, já que o Kienzan havia cortado a mesma junto da alça do vestido. Utilizando-a como torniquete, ele a enrolou em volta do ombro dela para ajudar a estancar o sangue.
— Obrigada... Goten...
— Descanse, deixe que eu cuide do resto.
— Não... - ela disse se esforçando para se levantar. - É a minha mãe, eu... Eu tenho que derrotá-la eu mesma!
— Mas Marron...
— Eu treinei duro para aprender a controlar meus poderes porque queria aprender a ser forte como vocês, eu preciso mostrar isso a minha mãe, mostrar para ela que já não sou mais aquela garota despreocupada com a vida. - ela disse confiante ao se levantar, ainda segurando o ombro. - Vá ajudar o Trunks, ele agora precisa mais de você do que eu, vá!
Ela sorriu e Goten se convenceu de que ela realmente queria, pela primeira vez, resolver as coisas ela mesma.
— A cada dia você me surpreende mais Marron.
— Não se preocupe, vou ficar bem, eu prometo!
— Está bem, tome cuidado!
Ele então partiu, deixando Marron sozinha diante de #18, que se aproximou caminhando e parou ao encará-la mais uma vez.
— Acha mesmo que pode me derrotar sozinha? Olhe para si mesma, mal consegue se manter em pé só porque possui um ferimento um pouco mais grave, aceite, você não está acostumada a lutar Marron. Seu pai e eu lhe demos a vida que eu não tive, uma vida tranquila, com todo o amor que você merecia, por mais que eu soubesse do seu potencial, eu nunca quis que você lutasse, pois não tinha razão, você não precisaria sobreviver nas ruas como seu tio e eu, que éramos órfãos. Você tinha a nós e nós mimamos você, te dando tudo o que podíamos te dar, fizemos com que crescesse como uma garota cujas únicas preocupações fossem a aparência, as amizades e a escola, como qualquer outra da sua idade. Você pode até ter descoberto a respeito dos seus poderes, mas isso não irá mudar quem você é do dia para a noite, eu ainda vejo aquela Marron frágil na forma em que você se veste e se porta e esta Marron jamais poderá me vencer.
— A senhora está certa quando diz que eu ainda sou a mesma, as pessoas mudam, mas a essência permanece, prova disso é que ainda posso ver a minha mãe em você. Ainda sou inexperiente, eu sei, mas senhora deixou que eu fosse viajar para que eu amadurecesse e eu amadureci muito durante esse ano, os rapazes me ensinaram a como lutar, a como conquistar as coisas por mim mesma. É por isso que eu vou te vencer mamãe!
Marron investiu contra #18 com o antebraço esquerdo, chocando-se contra o antebraço esquerdo dela, um impacto que abriu uma enorme cratera aconteceu, a garota então desferiu um chute com a perna esquerda que a lançou longe, apontou a mão esquerda, carregando energia para disparar uma rajada contínua de esferas. #18 correu para a sua direita, saltando, esquivou-se dos ataques até ter a oportunidade de avançar e acertar uma cotovelada no ombro, no local do ferimento. Marron gritou de dor e abriu a guarda, se deixando receber o soco de esquerda na face, os chutes no quadril e na cabeça e a canelada na barriga que vieram em seguida. Ela foi lançada para longe, do chão se levantou com dores e sua mãe disparou um ataque de energia contínua púrpura de sua mão direita. Não querendo se entregar, revidou apontando as duas mãos para frente e disparando seu ataque de energia assinatura de cor rosa, dando início a uma disputa de poderes.

Trunks tinha apenas fiapos de sua blusa preta e de seu lenço azul, com vários ferimentos pelo tórax, pelas pernas e pelo rosto. Ele tentava segurar os quatro Tenshinhan's de quatro braços, que eram como rochas e seguravam seus golpes de espada. Eis que Goten chegou e se posicionou costa a costa com ele.
— Goten?
— Desculpe a demora, vamos acabar com isso juntos!
— Sim!

Pan ainda estava presa pela técnica do Mestre Kame, que a segurando apenas pela mão esquerda, colocou a direita ao lado do corpo, pronta para um Kamehameha.
— Suas últimas palavras?
— Não posso deixar... isso acabar assim!
Pan começou a gritar e elevar o seu ki na tentativa de se soltar, mas parecia não estar adiantando e eis que chegou o momento em que Kame disparou seu Kamehameha com uma mão só.
— Adeus Pan... HA!
— AAAAAH!!! - em pânico, Pan se esforçou ainda mais e seu poder eclodiu em uma energia dourada e soltando-se, segurou o ataque do velho com as mãos, sendo empurrada até certa distância, onde houve a explosão.
Foi quando Pan se revelou ilesa daquele ataque, sua aura amarela rodeava como fogo ao redor de seu corpo, seu olhos estavam verdes e seus cabelos, por baixo da bandana, loiros. A menina levou a mão até suas madeixas e depois olhou suas mãos, Pan havia despertado o Super Saiyajin.
— Isto... Isto é...
"Não é muito diante do poder que o inimigo possui, mas isso a ajudará a sobreviver até que Son Goku esteja aqui."
"O que houve? O que o senhor fez?"
"Você vai entender no momento certo."
— Então era isso, esse poder que flui em meu corpo... Meu avô e meu pai sempre me diziam para eu não ter pressa, é como se ele tivesse rompido algum tipo de bloqueio que existia em mim e não apenas isso, o controle que tenho é perfeito e parece ser ainda mais forte do que um Super Saiyajin normal, sinto que é como se eu sempre soubesse me transformar! Obrigada Senhor Daishinkan!
— Parece que você acaba de se tornar demais para este velho, mas eu ainda posso fazer uma última coisa. - Kame retirou do bolso da bermuda uma pequena garrafa com um selo gravado, removeu a rolha que a tampava e rapidamente a jogou no chão, fazendo-a cair em pé. Flexionando os braços ao lado do corpo, um poder azul o envolveu.
— Eu não sei o que o senhor pretende fazer, mas saiba que não vou deixar que me derrote, eu sou Pan, uma Super Saiyajin! - Pan avançou e ele estendeu as mãos para frente no mesmo instante.
— Mafuba!
Um vortex verde se formou ao redor deles e foi em direção a jovem saiyajin a fim de engoli-la quando ela ouviu um grito:
— Cuidado Pan!
— Senhor Piccolo?
Piccolo se colocou entre Pan e Kame e rapidamente estendeu as mãos para frente, fazendo com que o vortex voltasse para onde veio, Kame foi pego de surpresa pelo Mafuba Reverso.
— NÃÃÃÃÃOOOO!!! - Kame gritou quando seu corpo foi sugado e distorcido pelo vortex centrifugante, o namekuseijin foi movimentando as mãos, envolvendo o corpo dele em uma luz azul e o direcionou para dentro da pequena garrafa. Ao final de tudo, foi até lá e a pegou do chão, criando uma nova rolha com seus poderes mágicos para tampá-la e assim selar o Mestre Kame.
— Essa foi por pouco. - disse ao guardar a garrafa em suas vestes.
— Senhor Piccolo? - Pan estava confusa.
— Você foi muito bem Pan, é preciso ter garra para enfrentar um oponente experiente como o Mestre Kame. - ele se aproximou sorrindo e acariciou a cabeça dela. - E pensar que, até outro dia, você era só uma bebezinha.
— Meu Babá! - ela lhe deu um abraço.
— Não me chame assim, você sabe que eu não gosto. - ele coçou a nuca, um tanto desconsertado.
— Era assim que eu te chamava quando era uma bebezinha, lembra? Estou tão feliz porque o senhor não está do lado desse monstro!
Tendo cuidado dela desde que nasceu, Piccolo também ajudou a ensiná-la a lutar em seus primeiros anos e por isso estava orgulhoso, Pan tinha por ele um carinho semelhante ao que Gohan possuía, o considerando parte da família desde sempre.

A presença de Goten como Super Saiyajin 2 fez com que o domínio que Tenshinhan possuía sobre o combate com Trunks desaparecesse, trabalhando em equipe, a dupla conseguia golpear os clones sucessivamente.
— Esses saiyajins malditos, eu estou indo Tenshin!
Chaos voou e entrou no combate com Yamcha logo atrás, o primeiro tentou acertar Goten e o segundo Trunks, que ficaram de costas um para o outro novamente, seus socos foram bloqueados e eles retrocederam.
— Dodonpa! - Chaos disparou um ataque de energia púrpura de seu dedo indicador.
Yamcha apoiou a mão direita com a esquerda, criando uma esfera de energia púrpura.
— Sokidan! - ele gritou ao disparar seu ataque, movimentando os dedos indicador e médio da mão direita, ele tentou golpear o saiyajin com a esfera, mas este utilizou a espada, bloqueando diversas vezes em alta velocidade, até que a utilizou para cortar a esfera ao meio.
O ataque de Chaos atingiu Goten, causando uma pequena explosão que se juntou com a explosão do Sokidan, a poeira abaixou e os saiyajins estavam ilesos, revidando com esferas de ki que os lançaram para longe. Foi quando os Tenshinhan's surgiram ao redor deles novamente, prestes a lançar outro ataque massivo:
— Shishin no Kikoho!
— Vamos elevar nossos kis! - com o comando de Trunks, ambos elevaram seus poderes, suas auras se expandiram juntas e explodiram diretamente contra os clones de Tenshinhan, que receberam todo o dano de volta em uma explosão gigantesca, acabando com os quatro caindo em queda livre e se unindo em um só novamente ao atingir o chão.
— Tenshin! - Chaos gritou ao se aproximar dele junto de Yamcha, mas ele não reagia. - Tenshin!
— Não podemos vencer esses monstros!
— Não importa, eles machucaram o Tenshin e vão pagar por isso! - Chaos carregou o máximo de energia que pôde em seu dedo indicador. - Super Dodonpa!
— Droga, não tenho escolha, HA! - Yamcha juntou seu Kamehameha com o ataque de Chaos, que avançou como uma massiva energia contínua de cor púrpura.
— Ka... me... ha... me... HA! - o ataque de Goten facilmente engoliu o ataque dos terráqueos, prestes a serem atingidos, um novo ataque se somou a disputa.
— Kikohoda! - Tenshinhan havia se levantado e usou suas últimas forças para disparar um ataque de energia contínua com a mão direita, o qual conteve o avanço do Kamehameha.
— Caramba, que poder eles têm! - exclamou Goten, espantado pelo esforço deles conseguir segurar seu ataque por um momento, apesar de não conseguir empurrá-lo de volta.
— Não vou subestimá-lo de novo Senhor Tenshinhan! - Trunks guardou a espada. - Burning Attack!
Ele disparou a versão de energia contínua, que se juntou à energia azul do Kamehameha combinado, dando-lhe uma coloração flamejante. Aí não teve jeito, os terráqueos sucumbiram à evidente superioridade dos saiyajins e receberam o poderoso ataque em uma explosão que os deixou extremamente feridos e fora de combate, com destaque para Yamcha, que se encontrava caído de lado, com a perna esquerda mais flexionada que a direita e os braços jogados para a sua direita, escondendo o rosto, quase de bruços.
— Vencemos!
— Obrigado pela ajuda Goten. - Trunks agradeceu.
— Sem problema! - disse ao tocarem os punhos e nisso, um grito chamou a atenção. - Marron?!
Ele deixou Trunks para trás, Marron estava perdendo a disputa contra sua mãe e não conseguia reagir.
— Eu te disse Marron, você receberá o castigo pela afronta ao Senhor Baby, vou te matar sem precisar usar todo o meu poder.
— Não...
— Marron! - Goten aterrissou atrás dela.
— Goten... O meu braço... está doendo muito! - ela chorava. - A minha mãe tem razão, mesmo que eu tenha um grande poder, eu não nasci para lutar, tudo isso foi um erro.
— Não é verdade, eu sei bem do que você é capaz, você pode Marron! Eu acredito em você e sei que não disse que queria vencê-la por conta própria da boca para fora. Lembre-se que foi a própria Senhora #18, a verdadeira, quem acreditou em você pela primeira vez e eu pude comprovar com os meus próprios olhos. - ele colocou as mãos no ombro ferido dela. - Esse ferimento não é nada para alguém como você, mostre para ela o quanto você é forte!
— Eu... sou forte! - ela disse a si mesma, tendo as mãos do saiyajin como apoio para que não sucumbisse à dor e mativesse o braço firme. Nisso começou a reagir, seu ataque começou, aos poucos, a empurrar o de sua mãe.
— O que está acontecendo?
— Agora Marron!
— AAAAAAHH! - Marron liberou todo o seu poder, seu ataque aumentou de tamanho e rapidamente se sobressaiu, #18 viu a energia vindo até si e sorriu orgulhosa.
— Muito bem Marron... - ela disse antes de ser envolta pelo poder da filha, que terminou com uma explosão que a deixou incapacitada, Marron venceu o combate.
— Eu consegui... - ela perdeu o equilíbrio e quis cair para trás, quando Goten a segurou.
— Meus parabéns Marron. - o saiyajin acariciou o rosto dela com o dedo ao enxugar as lágrimas que ali ainda estavam.

Apartada das demais, a luta de Uub estava em seu momento crucial, por mais que fosse o mais forte entre seus amigos de viagem, ele ainda era muito inferior ao Androide #17. Como se não mais bastasse, sua inteligência em combate o permitia bloquear cada soco, cada chute, cada ataque de ki com seus membros e suas barreiras, revidando com golpes ainda mais fortes. Uub já se encontrava em seu limite, quando o momento que ele tanto aguardava aconteceu, #17 estendeu a mão para frente, posição que deixou uma leve abertura em sua guarda.
— Este é o seu limite, morra Uub! - ele gritou ao disparar o ataque que formou um losango de energia púrpura, dividindo-se em vários meteoros de ki.
— É agora ou nunca! Kaioken Vinte Vezes! - o corpo de Uub estufou novamente com o uso da técnica em tal nível, levou as mãos até as costas e sacou o bastão. - Cresça Bastão Mágico!
O bastão aumentou de tamanho no instante em começou a girá-lo alucinadamente, refletindo os meteoros de ki que explodiram ao longe.
— O que?!
— Está com a guarda aberta Senhor #17! AAAAH! - Uub movimentou o bastão horizontalmente, acertando-lhe nas costelas, fazendo-o cuspir sangue e movimentou o bastão de novo acertando mais dois golpes, no lado direito do quadril e no braço esquerdo, até que, no quarto, o androide conseguiu se proteger formando uma barreira. O jovem terráqueo continuou a golpeá-lo, com a ajuda do Kaioken, os golpes de bastão eram em alta velocidade apesar do tamanho, formando um redemoinho de vento com a soma da ressonância dos impactos.
— Ele está superando seus limites, como o Son Goku! Hum? - #17 viu que a barreira que o envolvia começou a rachar. - Em um único descuido meu, ele me deixou sem opções!
— Vou romper sua defesa! - Uub ergueu o bastão e golpeou verticalmente, a barreira se partiu em pedaços e #17 foi atingido no ombro, perto do pescoço, sendo lançado com violência em direção ao chão.
Recolheu então o bastão ao seu tamanho normal e o guardou, erguendo as mãos e curvando o corpo para trás, formando uma esfera de energia azul em suas mãos.
— Burst Blast! - Uub jogou os braços para frente, lançando a esfera de energia de desceu distorcendo o ar.
— Isso ainda não acabou! - no último instante, #17 estabilizou-se e estendeu as mãos para frente, formando um escudo diante de si que barrou o ataque.
— Eu sabia! Por isso utilizei o ataque especial que o Senhor Soba me ensinou!
— Como?
— Se eu usasse o Kamehameha, certamente sua barreira seguraria, mas o Burst Blast é diferente, pois é um ataque rápido e concentrado capaz de romper defesas!
— Não é possível! - #17 viu seu escudo começar a rachar. - Você pensou em tudo isso?!
— Foi graças ao conselho que o senhor me deu naquele dia, obrigado Senhor #17. EEAAAAH!!!
O Burst Blast de Uub rompeu o escudo e acertou o androide, que foi levado até o solo, ele gritou ao ser engolido pela explosão.
Já sem o Kaioken, Uub desceu e caminhando cambaleou até o local da explosão, onde seu oponente ainda estava em pé, apesar de chamuscado e com alguns machucados a sangrar.
— Heheheh... Como imaginei... Ao menos, eu consegui ferir o senhor, isso já é uma vitória para mim... - Uub caiu de bruços diante dele, totalmente esgotado.
— Uub... Mesmo com a diferença que existia entre nossos poderes, ainda conseguiu me causar grave dano... Você é tudo e muito mais do que o Son Goku me falou sobre você... Me desculpe por tudo, tenho ciência de que é a larva em meu corpo que me força a agir assim, se ao menos eu pudesse... - #17 lutou contra sua vontade, fazendo esforço para levar a mão até o tórax e quando conseguiu, concentrou uma grande quantidade de energia em uma pequena esfera. - Me perdoe Senhor Baby...
#17 disparou contra si mesmo, causando uma explosão de dentro para fora que abriu um buraco do peito até as costas. Banhando em sangue, ele caiu de bruços ao lado de Uub, Lapis acabara de suicidar-se.
— Senhor #17...

A presença de Gohan e Piccolo no campo de batalha mudou o destino das lutas, todos os combates haviam acabado e Baby Bills estava de joelhos no chão enquanto o sangue escorria do ferimento em seu peito e por sua boca, ele estava morrendo.
— Senhor! - Whis estava se aproximando quando ele estendeu a mão.
— Volte e cuide do Vegeta como eu mandei e não deixe que ninguém o liberte!
— Mas senhor...
— Me obedeça escravo, é uma ordem!
— Sim senhor...
Gohan estava ali atrás, reunindo toda a sua energia para o mais poderoso dos Kamehamehas.
— Maldito saiyajin, eu devia ter deixado uma larva em você... Como... Como é possível que ainda esteja vivo...?
— Você estava tão empolgado com o poder do #17 que calculou mal a energia necessária para me matar. Eu sobrevivi e fui salvo pelo Senhor Piccolo, que foi até mim depois de sentir o meu ki corrompido durante a luta. Foi ele quem armou esse plano para deter você.
— Mas eu penetrei no corpo dele enquanto espalhava minhas larvas por toda a Terra... Ele... Ele deveria ser meu escravo...!
— Exato. - disse Piccolo ao surgir em sua frente junto de Pan, que já estava ao normal. - Só que você não contava que eu conheço bem o meu corpo e posso regenerá-lo através da célula central em minha cabeça. Quando percebi que sua larva se alojou em meu estômago e começou a espalhar o seu veneno, tudo o que precisei fazer foi destruir o meu corpo do tórax para baixo com sua larva junto. Depois foi fácil simular um ki maligno, já que descendo da Família do Mal, enquanto que o Gohan sabe muito bem como esconder o seu ki desde que era um menino, fora que a Pan nos ajudou muito como bode expiratório.
— Eu ajudei?
— Isso mesmo filha, nós estávamos cuidando de você o tempo todo desde que reapareceu. - Gohan respondeu. - Sua presença tornou ainda mais fácil nossa chegada até aqui por chamar a atenção para si!
— Além do Goten, que sem saber, foi um ótimo adversário para que plano funcionasse.
— Eu devia saber que tinha algo errado. - Goten comentou ao chegar junto de Trunks, também em seu estado base, apoiando Marron em seu ombro. - O seu ki não tinha a cor corrompida como o dos outros.
— Papai, eu não sabia de nada sobre o senhor, estou tão feliz em te ver!
— Eu e de ver que você está vivo e bem irmão!
— Vocês dois ficaram mais fortes, estou muito orgulhoso, dos dois, aliás, de todos. Quando terminarmos com isso, quero dar um abraço em vocês.
— Não imaginava que possuísse uma técnica como aquela... - disse Baby para Piccolo. - Realmente foi um bom plano, não pensei que houvesse outro estrategista tão bom quando o #17... Você é forte, acho que eu devia ter utilizado o seu corpo em algum momento... No entanto, se o Son Gohan matar o Bills... o Kaioshin também vai morrer...!
— Não importa... - disse Shin ao chegar com a ajuda do pequeno Gill. - Não precisa se preocupar comigo, faça o que tem de ser feito Gohan!
— Mesmo assim, peço de antemão que me perdoe por isso. - todos flutuaram a fim de afastarem-se. - Chegou a hora! Ka... me... - Baby começou a rir e fez força para ficar em pé. - Ha... me...
— Heheheh... Vocês... não são os únicos com um aliado escondido... - ele disse antes de estender a mão para o lado e apanhar um saco de pano que lhe foi arremessado, surpresos, todos olharam para aquela direção, era um homem rechonchudo trajado como um samurai quem o arremessou.
— Yajirobe? - Piccolo o reconheceu.
— Já fiz o que me pediu Senhor Baby, com sua licença. - ele disse antes de fugir correndo como um covarde na direção contrária.
Piccolo olhou para o saco nas mãos de Baby Bills e sabendo exatamente o que havia lá dentro, gritou:
— Gohan, dispare agora, depressa!
— HA! - o Kamehameha gigantesco veio abrindo o solo, mas era tarde demais, Baby já havia retirado uma Semente dos Deuses de dentro do saco e levado até a boca, virando-se para segurar o ataque com ambas mãos.
— Essa não, fuja daí Gohan! - gritou Piccolo.
O Kamehameha envolveu Baby Bills, mas de suas mãos saiu um ataque de energia contínua que perfurou a técnica de Gohan, o qual foi empurrando até explodir do outro lado do pátio.
— Irmão!
— Papai!
A luz das energias foi se desfazendo, revelando Baby Bills recuperado, apenas com o rasgo em seu traje.
— Agora vocês vão me pagar! - ele estendeu as mãos para frente, formando uma esfera de energia flamejante, a qual era púrpura devido ao ki corrompido de Baby, ela ficou gigantesca quando ele a ergueu acima da cabeça e lançou rapidamente.
— Perigo! Perigo! Perigo! - dizia Gill.
— Fujam! - Piccolo gritou e eles voaram na direção contrária, o ataque vinha até eles engolindo o campo de batalha.
— Papai, mamãe!
— Não dá tempo Marron, vamos! - Goten a puxou pela mão.
— NÃÃÃOOO!!!
Tenshinhan, Kuririn, Chaos, Yamcha e #18 foram deixados para trás, seus corpos descordados acabaram pulverizados pelo ataque que continuava a destruir tudo em seu caminho até chegar onde Uub e #17 estavam caídos.
— O Uub, temos que salvá-lo! - disse Trunks.
— É impossível, todos nós morreríamos! - disse Piccolo.
— Uub, Tio #17! - Marron gritou.
Uub esforçou-se para olhar para o lado e viu o ataque prestes a pulverizá-lo e eis que o ataque o tragou para o meio das chamas roxas.
— UUB! - Pan gritou o seu nome, logo eles perceberam que o ataque havia parado de avançar e alguns segundos depois, no esvoaçar da chamas, conseguiram enxergar o jovem terráqueo abaixado, esforçando-se para segurar o ataque com as mãos, tendo o joelho direito apoiado no solo.
— Peguem o corpo do Senhor #17 e fujam daqui!
— Esse terráqueo maldito! - Baby apenas empurrou seu ataque e Uub começou a ser arrastado.
— Eu já não tenho forças...
— Morra! - Baby exclamou quando um milagre aconteceu, diante de Uub, teleportou-se um indivíduo, surpreendendo a todos. Ele envolveu-se em uma aura flamejante, elevando seu ki, o ataque de Baby Bills chocou-se contra ele, o engolindo e no instante seguinte, explodiu em partículas, acabando por ser anulado.
— Então ele finalmente chegou... - comentou Baby.
De bruços no chão, Uub se encheu de alegria ao enxergar o Deus Super Saiyajin descendendo diante dele ao voltar ao normal, aquele a quem tanto esperavam finalmente chegou.
— Mestre Goku...




Compartilhe este capítulo:

Autor(a): fagnerlsantos

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).

- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

ALGUNS MINUTOS ANTES...Goku e Jiren já estavam do lado de fora do Palácio de Zeno, conduzidos por Daishinkan.— A comida estava deliciosa, obrigado mais uma vez Senhor Daishinkan. - Goku agradeceu enquanto passava a mão na barriga.— Son Goku.— O que foi Jiren?— Me desculpe pelo transtorno que acabamos de passar.— Por que vo ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 0



Para comentar, você deve estar logado no site.


- Links Patrocinados -

Nossas redes sociais