Fanfics Brasil - Recomeço em um planeta em paz! Uub volta para casa! Dragon Ball GT Kai

Fanfic: Dragon Ball GT Kai | Tema: Dragon Ball


Capítulo: Recomeço em um planeta em paz! Uub volta para casa!

144 visualizações Denunciar




AGE 790 - LINHA DO TEMPO OFICIAL

Já tinha quase um mês desde o conflito contra Baby e todos haviam voltado para suas vidas normais. Goku e Pan estavam deitados sob a sombra de uma árvore junto a um riacho na Montanha Paozu.
— Então o Zen-chan fez isso?
— Sim, acho que você tocou o coração deles de alguma forma, pois nem o Senhor Daishinkan tinha visto eles se sentindo culpados daquele jeito antes.
— Acho que nós devemos uma visita para eles qualquer dia desses, não é vovô? Vovô? O senhor está me ouvindo?
— Hum? Disse alguma coisa?
— Ai vovô, como você é! Estava conversando comigo e de repente me esquece falando sozinha?
— Me desculpe Pan, é que eu me lembrei do Uub.
— Ah sim... Eu também sinto falta dele. - Pan fez uma pausa antes de continuar. - Ele já foi revivido, por que ele não volta para casa vovô?
— Eu não sei, até tentei ir vê-lo no Planeta do Senhor Kaioh, mas ele fugiu de mim assim que me viu.
— Que estranho...
"Goku!" - bradou uma voz ecoante no céu lhe chamando e o saiyajin ergueu seu tronco de imediato ao reconhecê-la.
— Senhor Kaioh?

Enquanto isso, em Cidade Satan, um jovem caminhava a passos cautelosos. Estava nervoso e chegando até a porta da residência de seu destino, ajeitou sua blusa verde e seus cabelos negros, escondendo a rosa vermelha em sua mão esquerda atrás de suas costas. Sua outra mão tocou a campainha, já era tarde demais para desistir e eis que um baixinho careca abre a porta.
— Boa tarde Senhor Kuririn.
— Boa tarde Goten, que surpresa você por aqui! Como vai o Goku?
— Ele está muito bem senhor! A Marron está?
— Está sim, só um momento que eu vou chamá-la. - Kuririn olhou para trás e gritou. - Marron, desce aqui, o Goten veio te visitar!
— Já estou indo papai! - ajeitando o seu chapéu rosa, ela desceu as escadas depressa e o saiyajin ficou ainda mais nervoso ao vê-la se aproximar da entrada, sorridente ao cumprimentá-lo enquanto Kuririn se retirou. - Olá Goten, o que faz por aqui? Entre, por favor!
— Eu...
— Você está bem? Está pálido e suando muito!
— Eu te trouxe isso! - meio sem jeito e incerto da reação dela, ele lhe mostrou a flor.
— Um rosa?
— Eu peguei de uma roseira no caminho, não é muito, mas achei que você ia gostar. - ele coçava atrás da cabeça nervoso e ainda surpresa, ela sorriu e aceitou de bom grado.
— Ela é linda, obrigada Goten!
Com o coração dela amolecido, Goten tomou coragem para fazer o que veio fazer.
— Eu... vim te buscar para o nosso encontro.
— O QUE?! - a fúria súbita dela o deixou temeroso na defensiva.
— Aaah! Vo-você não se lembra?
— Não me lembro do que?!
— Do que você disse quando estávamos saindo do Planeta Regnum.

HÁ QUASE UM ANO ATRÁS...

Bon Para tinha acabado de roubar a Esfera do Dragão ganha no Senhor dos Guerreiros e o grupo havia entrado rapidamente na nave espacial a fim de persegui-lo.
— Vamos logo Trunks, não podemos deixar aquele cara levar a esfera!
— Não se preocupe Marron, eu não vou deixar ele escapar!
— Lá se vai mais um encontro...
— Goten, não é hora de se preocupar com isso!
— Eu sei Marron, mas é que eu não tenho um encontro com uma garota há meses...
— Se é isso que te preocupa, eu saio com você quando voltarmos para a Terra!
— Hum?
— Agora vamos Trunks ou ele vai escapar!
— Certo. - disse ele, acionando a nave espacial.

AGORA...

— Eu nem me lembrava mais que eu havia dito isso, aliás, acho que eu nem tinha notado que eu tinha falado aquilo! Eu... - Marron corou-se de vergonha.
— Está tudo bem, eu mesmo fiquei enrolando o mês inteiro para falar com você desde que tudo acabou. Nós somos amigos não é? Então vamos sair como amigos!
Ela suspirou e então disse com um sorriso nervoso:
— Está bem, eu prometi e se não tem outro jeito...
— Isso! Err... Digo, obrigado! Vamos? - ele estendeu a mão.
— Vamos! - Marron sorriu e pegou na mão dele.
— Ei! - #18 chamou a atenção lá da sala, sentada no sofá. - É melhor trazer ela cedo ou eu te mato.
— Mamãe! - Marron ficou vermelha de vergonha outra vez enquanto Goten ficou assustado.
— Está tudo bem #18, não precisa ser tão dura com eles! O Goten é filho do Goku e é um bom rapaz, vai cuidar bem dela e respeitá-la, não é mesmo Goten?
— Sim Senhor Kuririn! - Goten afirmou enquanto suava frio.
Os jovens se retiraram e sorrindo Kuririn comentou:
— Esses dois... Quem diria? Se eu não visse, nunca teria imaginado!

E no Planeta do Sr. Kaioh, Uub estava revoltado.
— Mas por que o senhor fez isso? Eu ainda não estou pronto para voltar!
— Mas você precisa, não vai chegar a lugar nenhum se continuar aqui e além disso... VOCÊ ESTÁ DESTRUINDO O MEU PLANETA!
— Foi mal, eu sinto muito... Estou frustrado, já faz quase um mês e não consigo ficar mais forte!
— Isso porque está treinando errado, está preso em um só ritmo que não lhe permite melhorar.
— É sério? Por que não me disse isso antes?
— Porque você é discípulo de Son Goku, que é meu discípulo, fui eu quem ensinou isso a ele e imaginei que se daria conta disso sozinho, mas se vê que estava muito desesperado para ter percebido por si próprio.
— Eu só queria ser forte como o Mestre Goku.
— E você pode, mas não vai conseguir frustrado e fugindo dele desse jeito. Se você quer ser como o Goku, volte para casa para que ele continue ensinando você o caminho que deve seguir!
— Mas será que ele não está decepcionado comigo?
— Eu francamente duvido, ele reviveu você assim que pôde. Aproveite que está vivo e viva, você tem sorte de que ele se importa com você, diferente de mim que estou morto até agora porque ele nunca se lembra de me reviver.
Uub ficou cabisbaixo e em silêncio por um momento, antes de se decidir:
— Está bem, acho que está certo, sinto falta da minha família e dos meus amigos, eu vou voltar!
— (Ah, finalmente!) - Sr. Kaioh pensou. - (Meu planeta está salvo!)
— Mas antes...
— Oh não, já sei, você quer comer alguma coisa antes de ir não é?
— O que? Não, só se o senhor tiver alguma coisa doce, aí eu aceito. O que eu queria dizer na verdade é que, antes de eu ir, queria ajudar a arrumar a bagunça que eu fiz.
— Você queria o que? - Sr. Kaioh estava surpreso.
— É, eu acho que devo isso ao senhor. - ele se virou e olhou em volta. - Parece que eu andei exagerando nas últimas semanas, vai dar um pouco de trabalho! Onde está a vassoura?
— (Ele vai mesmo ajudar a arrumar a bagunça?) - Sr. Kaioh pensava com um sorriso no rosto. - (Ele é tão parecido e tão diferente do Goku ao mesmo tempo, gostaria que ele fosse mais responsável como o Uub é.)

De volta ao Planeta Terra, Trunks recebia uma ligação no escritório da Corporação Cápsula.
— É sério?
"Sim, eu pensei em fazermos uma festa para ele, o que você acha?"
— Essa é uma ótima ideia Pan! Pode deixar que eu cuido de tudo, nós vamos fazer lá em casa, ele vai ficar muito feliz!
"Sim, eu também acho, o meu avô não vê a hora dele chegar!"
— Então nos vemos mais tarde, até logo Pan!
Mai estava entrando na sala neste momento com uma pilha de documentos e Gill estava junto, no ombro dela.
— Trunks?
— Oi Mai, eu vou precisar sair, acha que pode cuidar de tudo para mim?
— Claro, mas o que aconteceu? - ela perguntou ao vê-lo tirando os óculos e afrouxando a gravata.
— O Uub está voltando e nós vamos fazer uma festa surpresa para ele!
— O Uub vai voltar?
— Sim Gill, não é uma ótima notícia?
— Gill, Gill!
— Que bom! Pode ir tranquilo que eu cuidarei das coisas por aqui.
— Sabia que podia contar com você, obrigado Mai! - ele disse eufórico antes de beijá-la no rosto e sair às pressas. - Vejo vocês mais tarde na festa!
Feliz por ele, Mai o viu sair e depois disse:
— Vem Gill, vamos terminar isso para não nos atrasarmos!
— Gill!

Nas ruas de Cidade Satan, Goten e Marron caminhavam de mãos dadas.
— Eu estou curiosa, aonde você vai me levar?
— Eu pensei em irmos ao cinema, depois um passeio no parque e no final do dia te levar para jantarmos!
— Você planejava passar o dia todo comigo?
— Ué, por que não? Você não gostou da ideia?
Goten ficou temeroso pela resposta, mas sem dizer nada, ela sorriu e aliviado ele sorriu de volta e então correram juntos para a entrada do cinema, que já estava a poucos passos dali. O jovem casal escolheu o filme, Goten comprou refrigerante e pipoca e eles riram muito juntos.
Saindo de lá, o saiyajin a levou ao parque como prometido, era um dia quente de Sol e caminhar pelas sombras das árvores era muito agradável. Um sorveteiro passou por ali e Goten o parou para comprar duas casquinhas, Marron estava se divertindo e gostando da companhia do saiyajin, sem pensar, ela enganchou seu braço direito no braço esquerdo dele e colou-se em seu ombro. Surpreso e desastrado, Goten acabou derrubando seu sorvete no chão, a garota riu da situação e ofereceu o seu para tomarem juntos, baunilha não era tão gostoso quanto chocolate, mas o fato de ser dela fazia com que aquela fosse a melhor casquinha do mundo.

Enquanto isso, no Planeta do Sr. Kaioh, Uub já estava se despedindo.
— Obrigado por tudo Senhor Kaioh. - ele agradeceu com um aperto de mão.
— Sou eu quem agradece por se preocupar em arrumar tudo antes de ir.
— Minha mãe sempre dizia desde que eu era um menino para ser responsável e não deixar as coisas bagunçadas! - ele dizia sorridente ao coçar a nuca.
— Tome, leve isso com você para comer no caminho. Você disse que queria alguma coisa doce e é o mínimo que posso dar depois de tudo.
— Um cupcake? Obrigado Senhor Kaioh!
— Boa sorte na continuação do seu trem.
— Trem? Mas que trem?
— Seu TREMnamento! Hahahahahahahahaha... - Uub ficou perplexo, com uma gota de suor escorrendo no rosto depois daquele trocadilho horrível e terminado o ataque de risos, o Sr. Kaioh olhou para ele com um sorriso sereno. - Vê se cuida e não exagera de novo, está bem?
— Tá, até mais Senhor Kaioh!
Uub levou os dedos indicador e médio de sua mão direita até a testa a procura do ki de alguém de sua família, até que encontrou o ki de seu irmão Hcivopops e então desapareceu em um instante.
— Ah Bubbles, acho que vou sentir falta dele por aqui. - ele falou e o macaco respondeu com guinchos.

Já era final do dia naquela região da Terra e Goten levou Marron a um restaurante, onde ele já havia reservado uma mesa próxima da janela.
— Que vista linda!
— Eu gosto bastante daqui, a comida é simples, porém deliciosa e a visão do Sol se pondo visto daqui é fantástica!
— É verdade. Você sabe mesmo como agradar uma garota sem precisar de muito para isso. A Marron materialista de um ano atrás jamais entraria em um restaurante como esse, não sabia o que estava perdendo.
— Acho que com você e comigo aconteceu algo parecido, pois quando nós éramos crianças, confesso que te achava uma menina estranha porque você parecia não ter nariz.
— Hahaha, para com isso!
— É sério! Depois nós crescemos um pouco e nos afastamos, até que a viagem nos juntou de novo. Eu não sabia o que estava perdendo, você se tornou a garota mais linda que eu já conheci e além disso, convivendo com você, pude conhecer sua alma nobre e destemida. Você é meiga, é doce, é esperta, é corajosa, e também é forte, eu fui me afeiçoando a você aos poucos e fico tímido perto de você, mesmo depois de já ter saído com garotas antes. Além disso, você foi a principal responsável por ter despertado de volta o espírito de lutador adormecido em mim, sem perceber, eu estava me esforçando para ficar cada vez mais forte por você.
— Goten...
— Eu gosto muito de você Marron, muito mesmo! - ele quase se escondeu debaixo da mesa para dizer isso.
Marron corou-se e sorrindo desviou o olhar antes de falar.
— Eu também gosto de você Goten.
— Verdade?
— Aham. Não sei desde quando, mas só agora percebo isso, nunca tive um encontro antes e estou feliz que o primeiro tenha sido com você, que sempre cuidou de mim e me respeitou, mesmo nos momentos constrangedores. Você me fez forte Goten, me ensinou a aproveitar as coisas simples da vida e me deu um propósito, o de lutar pelas pessoas que eu amo.
— Eu nunca sonhei que você pudesse ser tão forte, acho que isso foi o que mais me atraiu em você, foi o que me fez abrir os olhos para o que eu estava sentindo.
— E eu quero fazer parte do seu mundo cada vez mais, eu quero ser mais forte!
— Eu também vou ficar mais forte para que eu possa te proteger de tudo e de todos e enquanto eu viver, você nunca estará sozinha!
— É uma promessa?
— Sim!
Eles trocaram olhares apaixonados enquanto suas mãos se tocaram no centro da mesa. O celular de Goten que estava ali vibrou naquele momento e a garota comentou:
— Goten, o seu celular.
— Oh, deixe-me ver. - ele pegou o aparelho e se assustou com o que viu. - Está cheio de ligações perdidas do Trunks e ele acabou de deixar uma mensagem.
— Mensagem?
— Que incrível, aqui diz que o Uub está voltando e que vão fazer uma festa na Corporação Cápsula para recebê-lo!
— Isso é fantástico, o nosso amigo finalmente vai voltar depois de tanto tempo! Quando vai ser?
— Hoje mais tarde, mas nós ainda temos tempo para dar um passeio ao pôr-do-sol, se você quiser, é claro.
— Eu adoraria...
Após acertar a conta, o jovem casal saiu do restaurante de mãos dadas. Caminhando sob a calçada junto ao guarda-corpo de uma ponte, os dois conversavam.
— Sabe Marron, eu nunca soube a razão de você ter ido na viagem à procura das Esferas do Dragão.
— É verdade, eu só contei isso para o Trunks quando ele me perguntou enquanto estávamos em Cretaceous. Tenho vergonha de dizer, mas quando eu soube que vocês não iam utilizá-las, eu quis ficar com o pedido para mim.
— E o que você ia pedir?
— Essa parte, nem para o Trunks eu contei. Meu desejo era ter uma vida de rainha, dinheiro para eu poder ter tudo o que eu quisesse.
— Verdade?
— Eu fui muito egoísta, não é?
— Se você quiser, eu reúno as Esferas do Dragão da Terra para você realizar seu desejo!
— Sério? Você faria isso por mim, mesmo sabendo que é um desejo egoísta? - ela perguntou ao parar e ficar de frente para ele.
— Claro! Eu só quero te ver feliz e se isso não prejudicar ninguém, eu faria sem nem pensar!
— Oh Goten...
Sob a luz do Sol se ponto, ela foi se colocando nas pontas dos pés, seu rosto foi se aproximando do rosto dele, o coração do saiyajin começou a bater mais forte e aquilo aconteceu, Marron o surpreendeu com um beijo nos lábios que foi arrepiante e ele se viu desnorteado quando ela o largou, eles finalmente se amavam abertamente.
— Marron...
— Eu não preciso de nada disso, eu tenho você comigo e essa é a maior riqueza que eu poderia ter!
— Então isso quer dizer que nós...
— Aham! - ela afirmou sorrindo, antes mesmo que ele terminasse a pergunta.
— Isso! Eu consegui! - ele comemorou erguendo as mãos fechadas para o céu e se viu constrangido no momento seguinte, até que ela riu e ele a acompanhou.
A partir daquele momento, Goten e Marron eram oficialmente namorados.

Enquanto isso, Uub estava em casa novamente depois de tanto tempo, a poucos passos da entrada. Ele caminhou até lá e abriu a ponta, anunciando sua chegada:
— Família, cheguei! - ele abriu os braços, esperando todos virem ao seu encontro para abraçá-lo, mas não havia ninguém. - Ué? Ninguém em casa? Mas eu senti o ki do meu irmãozinho. Da última vez que cheguei e ninguém veio me receber, o que aconteceu não foi nada bom. - preocupado, Uub caminhou em guarda a procura de sua família pelos cômodos e eis que um garotinho chegou por trás e pressionou as laterais da barriga dele com os dedos, lhe dando o maior susto. - HAEEI!
— Hahahahaha! Te peguei irmãozão!
— Hcivopops! Você quase me mata do coração, eu nem percebi você chegar!
— Bom, se eu quero me tornar tão forte quanto você algum dia, tenho que começar de algum lugar, então eu aprendi a ocultar minha presença como você tinha me mostrado antes de ir viajar!
— Wow, estou impressionado irmãozinho! Está sozinho em casa?
— Sim, eu decidi ficar porque tinha certeza de que você ia procurar primeiro por mim para aparecer em casa com sua técnica nova!
— Claro, desde bebê você vivia grudado em mim até mesmo enquanto eu estava trabalhando, não é? - o pequeno garoto sorriu para ele. - Mas por que você está aqui sozinho? Onde estão o papai, a mamãe e nossos outros irmãos?
Hcivopops pegou na mão de Uub e começou a puxá-lo para fora.
— Vem comigo!
— Aonde você vai me levar?
Do lado de fora, o garoto continuou:
— Chame a sua Nuvem Voadora!
— Para que?
— Confie em mim!
— Está bem. - confuso, ele olhou para o céu e gritou. - Nuvem Voadora!
Não demorou muito e a nuvem bege veio dos céus e desceu diante deles, Hcivopops saltou primeiro e convidou seu irmão mais velho:
— Vem irmãozão! - ainda incerto, Uub subiu e o irmão mais novo comandou. - Lá vamos nós!
A Nuvem Voadora partiu voando em direção ao oeste.

Algum tempo de voo se passou, o Sol ainda estava começando a se pôr naquela região, mas as primeiras estrelas da noite já se faziam presentes. Após algum tempo de voo, os irmãos sobrevoavam os céus da Capital do Oeste e logo aterrissaram em seu destino.
— A Corporação Cápsula? Aqui é a casa do Trunks, por que me trouxe aqui? - ele viu seu irmão saltar da nuvem e correr em direção a redonda edificação.
— Vem irmãozão!
— Ei espere, não podemos entrar desse jeito! Hcivopops! - Uub seguiu seu irmão, que rodeou em direção aos fundos, sem saber que todos o aguardavam.
— Surpresa! - todos disseram em uníssono diante de uma grande mesa cheia de comida, onde em cima havia uma grande faixa pendurada na parede que dizia "Bem-vindo Uub!".
— Bem-vindo de volta irmãozão! - disse Hcivopops.
— Eu não acredito!
— Irmão! - gritou a pequena Umay, a irmã mais nova ao correr para abraçá-lo e logo os demais irmãos se juntaram ao abraço coletivo.
— Vocês fizeram tudo isso para mim?
— Foi ideia dos seus amigos. - disse a mãe, Idibab, chamando sua atenção.
— Mamãe! Papai! - Uub correu para abraçar a ela e ao seu pai, que estava ao seu lado, se apoiando em uma bengala.
— Sentimos sua falta filho. - disse o pai, Arubad. - E os seus amigos também.
Uub viu Trunks, Goten, Marron e Gill mais adiante, esperando por ele. O jovem terráqueo caminhou na direção deles e Gill veio ao seu encontro, lhe agarrando pelo pescoço.
— Gill?
— Gill estava com saudade de Uub!
— Eu também Gill! - o robozinho então grudou em seu ombro como de costume e Uub percebeu Trunks com a mão estendida.
Incerto, Uub a tocou e ao fazer isso, o saiyajin a enganchou de modo que seu polegar ficasse entre os dedos polegar e indicador da mão dele e vice-versa, o puxando para um abraço.
— Que bom que está de volta meu amigo!
— Obrigado Trunks. - Uub disse ainda surpreso ao soltá-lo. - Vocês não estão bravos comigo?
— Claro que não, nós temos orgulho do que você fez para nos proteger! - Goten o agarrou pelo pescoço e esfregou o punho na cabeça dele, embaraçando seu moicano e fazendo-o rir.
— É, nós só estamos bravos porque você não voltou antes! - disse Marron ao pegar a mão dele com as duas mãos.
— Eu sinto muito e agradeço por terem feito tudo isso para mim.
— A Marron e eu quase não chegamos a tempo, longa história, mas estamos muito felizes pelo seu retorno!
— É! - Marron concordou ao sorrir.
— Obrigado pessoal.
— Uub!
— Pan?! - Uub foi surpreendido por ela ter surgido e literalmente voado nele em um abraço que os derrubou no chão, Gill foi rápido em saltar das costas de Uub a tempo. - Ouch...
— Heheheh, desculpa, acho que me empolguei.
— Está tudo bem, fico feliz em te ver de novo Pan!
— Olá Uub, como está? - Gohan cumprimentou por trás de seus óculos ao estender a mão para ajudá-lo a ficar em pé.
— Estou bem Senhor Gohan, obrigado. O Senhor Piccolo esteve no Planeta do Senhor Kaioh há alguns dias e te mandou lembranças, disse que estava bem e que não precisava se preocupar com ele.
— Ah Senhor Piccolo... Ainda sinto falta dele...
— Gostou da surpresa Uub? O Trunks organizou tudo, mas fui eu quem teve a ideia da festa!
— Gostei sim Pan!
— Nós mandamos preparar os seus doces favoritos e todo mundo veio receber você!
— Todo mundo? - Uub perguntou cabisbaixo.
— Uub! - disse uma voz ao longe e ao reconhecê-la, o jovem terráqueo baixou ainda mais a cabeça, Goku se aproximou e o observou intrigado, Uub não esboçava reação alguma.
— Acho melhor vocês dois conversarem papai. - comentou Gohan.
Goku e Uub foram então ao terraço da casa e Buu, que estava na festa, ia a caminho de lá, levando muita comida para comer sozinho e eis que teve de se esconder atrás da porta quando os viu e decidiu devorar tudo ali mesmo.
— O que está acontecendo com você Uub? Você não sentiu minha falta?
— Eu senti muito...
— Então por que não olha para mim?
— Não tenho coragem, eu fui rude e decepcionei o senhor. Você me disse que o Baby não era um oponente que eu podia derrotar e estava certo.
— Já entendi, você se culpa por ter perdido a luta não é? Vamos, não fique triste por isso!
— Não dá, era minha obrigação derrotar o Baby, tudo estava em jogo, não era uma luta que eu podia perder, eu deveria ter sido forte e vencido! Ao perder, desperdicei todos os anos que o senhor gastou me treinando.
— Não é verdade Uub. - Goku colocou a mão em seu ombro, fazendo com que ele lhe olhasse. - Você ficou muito forte e tenho orgulho do que fez.
— Mestre...
— Pode não acreditar, mas o que você fez mudou o rumo daquela luta. Apesar de que eu não queria que se arriscasse, te ver lutando e superando os seus limites me encheu de orgulho e me mostrou que treinar você foi uma das melhores decisões que tomei na vida!
— Mas isso não faz sentido, eu fui derrotado!
— E o que isso importa? Eu mesmo nunca venci todas as minhas lutas e em muitas delas tinha algo em jogo.
— Sério?
— Sim e é aí que está a graça, pois eu consegui me tornar muito mais forte depois das derrotas do que das vitórias! Já pensou como seria chato vencer todas as lutas e não ter mais como melhorar? Essa derrota é uma ótima oportunidade para você aprender com os erros e ficar ainda mais forte!
— O que o senhor diz é animador, mas e se eu cheguei ao meu limite? O senhor já pensou nisso? O senhor é de uma raça guerreira que não possui limites, mas eu sou apenas um terráqueo e treinei duro no Planeta do Senhor Kaioh o mês inteiro, mas não consegui ficar mais forte. O Senhor Kaioh disse que era eu quem estava fazendo sempre o mesmo treinamento e não progredia, mas tenho minhas dúvidas quanto a isso.
— Uub...
— Goku. - Buu saiu de seu esconderijo.
— Buu? O que faz aqui?
— Eu estava ali atrás comendo e escutei vocês dois conversando. Você nunca contou para ele, não é Goku?
— Contou o que? Do que ele está falando mestre?
— Acho que já está na hora dele saber a origem de seus poderes...




Compartilhe este capítulo:

Autor(a): fagnerlsantos

Esta é a unica Fanfic escrita por este autor(a).

- Links Patrocinados -
Prévia do próximo capítulo

DEZESSEIS ANOS ANTES... — Você é um ser incrível, eu te admiro muito porque deu o melhor de si, passou por várias transformações, foi tão poderoso que todos odiamos você. Espero que renasça como uma boa pessoa, estarei te esperando para lutarmos, eu também vou treinar, vou treinar bastante para fica ...


  |  

Comentários do Capítulo:

Comentários da Fanfic 0



Para comentar, você deve estar logado no site.


- Links Patrocinados -

Nossas redes sociais